sexta-feira, maio 23, 2008

É hoje!


Às 20.00h na TVI.

54 comentários:

Margarida Balseiro Lopes disse...

O primeiro embate entre os 3 principais candidatos.
Creio que vai ser esclarecedor.
Também acredito que não sairá um vencedor do debate. Esse só será conhecido no dia 31. Por Portugal, pelo PSD! ;)

jfd disse...

Este é o primeiro debate televisivo.
O primeiro debate foi marcado para o Porto.
Este debate terá um vencedor. E quase que aposto que será Pedro Santana Lopes. E uma grande perdedora, Manuela Ferreira Leite.
(Também lanço cartas e faço mapas astrais!)

Estarei na Universidade nas aulas ;( Conto com os vossos comentários para seguir a par e passo!!! Viva o 3g!)


http://jn.sapo.pt/2008/05/23/nacional/primeiro_debate_doze_minutos_candida.html
Realiza-se esta noite na TVI e durará 50 minutos o primeiro debate televisivo entre os candidatos à liderança do PSD. Moderado por Manuela Moura Guedes, o debate será aberto e encerrado por quem o sorteio - efectuado momentos antes da emissão - ditar.

Ontem à tarde, os tempos de intervenção ainda não tinham sido comunicados pelo canal de Queluz aos assessores de cada candidatura, existindo apenas a garantia de que cada orador não poderá falar mais do que os seus adversários. Mas tudo dependia de um factor que, a horas do debate, ainda era incerto o número oficial de candidatos. É que o empresário Neto da Silva ainda não tinha entregue ontem as assinaturas para se apresentar como candidato. E a TVI espera ainda hoje ter confirmação oficial do partido sobre a validade das assinaturas de Patinha Antão.

A única regra conhecida é que todos terão o mesmo tempo. Assim sendo, se os candidatos forem quatro, cada um terá 12 minutos e meio para falar. Podem ser mais (16 minutos, se forem 3), ou menos (10 minutos se forem 5). A gestão do tempo será feita em cada momento e depende do ritmo que a jornalista quiser imprimir. Daí que os candidatos se refugiem em relação ao que irão defender logo à noite no ecrã.

"Depende das perguntas que forem feitas", revelou ontem ao JN, Miguel Relvas, director de campanha de Passos Coelho que não marcou nada na agenda para hoje. "A ideia é discutir o país e não o partido", frisou ainda porque "será um debate de candidatos a primeiro-ministro e não de candidatos a líderes do PSD".

Mas Pedro Passos Coelho não quer ganhar apenas o debate. Aposta num jantar com mil pessoas que vão acompanhar o debate - onde estará Paulo Teixeira Pinto, trunfo da candidatura -, a quem o candidato se juntará no prolongamento.

Do lado da ex-ministra de Cavaco Silva - que vai estar de manhã na Guarda e à tarde em Bragança, antes do debate - a prioridade tem ido para as questões sociais e é provável que fale da necessidade de enfrentar a situação de emergência do país. Santana Lopes - que ontem à noite jantou em Ourém depois de regressar da Madeira - vai estar de manhã no hemiciclo e de tarde prepara o debate. "Ele gosta de se isolar um pouco e de ler citações anteriores", disse ao JN o seu assessor.

Já Patinha Antão, vai andar por Viseu, depois de ter apresentado as 1500 assinaturas que o validam como candidato. O JN não conseguiu contactar Neto da Silva, o candidato incógnita.

jfd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jfd disse...

Atenção ao bold, da minha autoria;

Lisboa, 23 Mai (Lusa) - Os candidatos à liderança do PSD vão defrontar-se hoje pela primeira vez num debate televisivo, na TVI, após terem entregue 1.500 assinaturas e uma moção de estratégia global na sede nacional do partido.

De acordo com a TVI, o debate vai realizar-se durante o Jornal Nacional, que começa às 20:00 horas, e contará com todos os candidatos que tenham formalizado a candidatura.

Apresentaram-se como candidatos à liderança do PSD Manuela Ferreira Leite, Pedro Passos Coelho, Pedro Santana Lopes, Mário Patinha Antão e António Neto da Silva.

Às 18:00 horas de hoje termina o prazo para formalização das candidaturas, com a entrega de 1.500 assinaturas originais de militantes do PSD e de uma moção de estratégia global.

Mário Patinha Antão foi o único que já entregou as assinaturas ao Conselho de Jurisdição Nacional do PSD, na quarta-feira. O candidato disse ter entregue 1573 assinaturas, que terão de ser verificadas.


Ao fim de seis meses de mandato o presidente do PSD, Luís Filipe Menezes, anunciou no dia 17 de Abril a sua demissão.

A eleição directa do seu sucessor está marcada para 31 de Maio.

No mesmo dia serão eleitos os delegados ao XXI Congresso do PSD, que elegerá nos dias 20, 21 e 22 de Junho, em Guimarães, os novos órgãos nacionais do partido.

O prazo para pagamento de quotas terminou na quarta-feira à meia-noite e hoje deverá ser conhecido o número de militantes do PSD com direito de voto no dia 31 de Maio.

IEL.

Lusa/Fim

Paulo Colaço disse...

Sabes, Jorge, os debates não são como os exames da faculdade.
Os exames da faculdade são marcados pela secretaria e "participa" quem quer.

Os debates (pelo menos os sérios) são marcados em consonância com os participantes.

O Psico também podia ter feito um debate nesses termos: fazia o convite e esperava que alguem viesse representar as candidaturas, mas não foi o que aconteceu: tudo fizemos para que as três se fizessem representar ao mais alto nível.

Paulo Colaço disse...

Sobre o debate, espero que seja um bom momento para o partido.

Quanto à possibilidade de termos os "outsiders" no debate, parece-me uma palhaçada.

jfd disse...

Sabes, Jorge, os debates não são como os exames da faculdade.
Os exames da faculdade são marcados pela secretaria e "participa" quem quer.


Ponto e vírgula! Participa quem tem as propinas pagas e as precedências cumpridas, o que condiciona a devida e correcta inscrição.

Mas não percebo tanto fel, apenas fui informativo :)

Palhaçada? Seja.
Mas não vamos usar apenas a parte do processo democrático que nos convém. Ora essa ;)

Já agora que achaste das minhas previsões esotéricas?

luis melo disse...

Parece-me que será daqueles debates em que não pode haver confronto. Tempo certo para cada um deles, sem confronto de ideias.

Porque será que agora é assim? Para evitar "peixeiradas", dirão alguns.

Ora muito bem, ou melhor, muito mal. Dantes (falo na década de 90) haviam debates sem estes formatos e não havia "peixeiradas".

É que nessa altura as pessoas respeitavam-se. Sabiam falar e ouvir. Apesar de diferente, repeitavam as opiniões dos outros.

O problema agora é que agora é tudo do estilo "Valentim": falar aos berros, falar com atitude indignada, falar por cima dos outros, etc.

Penso que MFL, PSL e PPC se respeitariam, mas as regras são criadas pelas TV's, por isso penso que será um debate "seca".

xana disse...

A mim preocupa-me saber qual dos três está preparado para enfrentar um Portugal que é hoje, o país mais pobre da Europa!

Preocupa-me o futuro essencialmente, e esta preocupação deve ser de todos. Tem que ser de todos!

Estamos numa situação miserável no nosso país, e devíamos estar todos em alerta vermelho. A politica tem que ser um meio mais responsável. O que se passa hoje com a generalidade dos portugueses, é algo que os senhores da política não sentem. Porue almoçam fora, jantam fora, têm boas vidas, os empregos não são precários, o patrão não falta com o ordenado ao fim do mês...

Preocupa-me perceber para onde caminha o meu país e onde pára o meu futuro. Que resposta é que o PSD vai dar a isto? Vamos discutir questões inócuas ou perder tempo com disputas pessoais, ou vamos investir o nosso tempo em resolver como tirar este país do buraco?

Meus caros, com 24 anos a acabar um curso, com uma pequena empresa, eu hoje sou mais partidária da preocupação e da urgência em encontrar um caminho sério, do que partidária de A, B ou C ou do partido X ou Y...

Nélson Faria disse...

O primeiro debate foi marcado para o Porto.

Não, não foi. O primeiro debate é hoje ;)

João Marques disse...

Eu subscrevo a crítica do Luís Melo, hoje em dia os debates passaram a ser uma espécie de monólogos assépticos, onde o confronto de ideias não existe. Confunde-se perigosamente esse confronto com belicosidade e, à laia do desprezível politicamente correcto, tolhe-se a liberdade de pensamento e consequentemente a de diálogo.
Bom, terá tudo isto porventura a ver com a qualidade de alguns políticos, como dizia a Velma no musical Chicago:
"Whatever happened to fair dealing?
And pure ethics?
And nice manners?
Why is it everyone now is a pain in the ass?
Whatever happened to class?"

Bruno disse...

Antes de ler qualquer comentário deixem-me lançar uma pergunta (e não é provocação mas sim curiosidade pura): mas porque carga de água é que as fotos de PPC, as suas imagens, os seus suportes de imagem, etc. aparecem sempre na diagonal?

Luís Nogueira disse...

Não faço a minima... Venha um bom debate ;)

Bruno disse...

Espero que seja um bom debate e que sirva para avaliar o estado de forma dos candidatos, bem como se estão ou não preparados para o desafio!

Sobre o facto de os debates de agora acabarem por ser pouco úteis devido a tanta regra e constrangimento que as televisões se lembram de inventar...

Ou bem que temos debates à americana em que cada um responde às perguntas à vez ou bem que temos debates-debates que serão muito mais interessantes mas que precisam de uma moderação mais atenta, mais preparada, mais competente, no fundo!

Bmm disse...

Melhor MFL
Pior MMG


Qual foi aquela de botar o VPV (sem desprimor) a fazer comentário ao debate in loco......

Filipe de Arede Nunes disse...

Gostei do debate.
Houve elevação entre os candidatos e respeito. Creio que o PSD não sai a perder desta contenda.
Vi o Patinha Antão a tentar existir;
Vi o Santana Lopes empenhado em interromper os outros candidatos e em tomar uma liderança artificial;
Vi o Passos Coelho coerente consigo próprio e com as suas ideias, fiel à sua ideia de liberalismo e independentemente de concordar ou não com todas as suas ideias, não consigo deixar de achar que é um homem com futuro. Mas nunca acompanhado das pessoas que neste momento o apoiam!;
Vi Ferreira Leite sobria, intelectualmente honesta e com capacidade de luta e de fazer face a Socrates.
De um ponto de vista global, acredito que - como não poderia deixar de ser - todos os candidatos têm uma génese comum (incluindo Passos Coelho, apesar de mais liberal), pelo que a distinção tem de ser feita, não apenas com base nas suas ideias, mas sobretudo com todos os outros indicadores colaterais que fazem de um candidato melhor do que o outro.
Neste campo, parece-me que Ferreira Leite leva vantagem e espero que o PSD consiga enter essa vantagem comparativa que tem face aos outros candidatos, não apenas perante o partido, mas também perante o país.
Fica a minha análise imediatamente a seguir ao debate, fico ansioso por ler o que pensaram.
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Leandro Esteves disse...

Num primeiro apontamento telegráfico.

O pior do Debate: MMG com as suas perguntas incoerentes, bem como a falta de capacidade de interrogação pragmática, enfim a sua insensatez, ( por momentos cheguei a pensar que era ele candidata a líder do PSD e a Primeira Ministra)
O Melhor do debate: o esclarecimento dos nossos candidatos.
A simplicidade e perseverança de MFL, a inquietude de PPC, a necessidade de afirmação de PSL, e o papel em branco de PA.


Leandro Esteves

Paulo Colaço disse...

O positivo
- MFL tem autoridade
- PSL tem à-vontade televisivo
- PPC tem serenidade

O negativo
- MFL não é favorecida pelo formato do debate e não namora as câmaras
- PSL vê em PPC o seu adversário e notei-lhe algum desconforto
- PPC concorda com MFL em praticamente tudo, menos que deva ser ela a presidente ;)


Sobre o comentário de Pulido Valente: gosto muito de o voltar a ver na TV e subscrevo as suas palavras.

Francisco Castelo Branco disse...

O positivo

Debate esclarecedor, cada um mostrou as suas diferenças, se bem que não são muitas
Apenas em questões estruturais.

Debate esclarecedor e importante para as eleições de sabado próximo.

Apenas Patinha Antao teve menos tempo, mas com propostas muito interessantes.

E se juntassemos os 4 numa pessoa só?

O negativo foi mesmo Manuela........Moura Guedes.

é vergonhoso ( e o carlos ja fez questão de a cilindrar hehe) como é que deixam esta senhora dirigir debates. Quanto mais aparecer na tv

Já Constança Cunha e sá, ou SÁ E CUNHA, tem a mesma mania de interromper, quase insultar, de passar ela por entrevistada.

Não sei se um mal da TVI, mas assim ninguém quer ver debates ou entrevistas naquela estação.
Não é por acaso que aquela estação só tem telenovelas e morangada

Debates? Na RTP ou Sic Not

Francisco Castelo Branco disse...

e outra coisa, acho que os debates (seja qual ele for) raramente têm vencedores ou vencidos....

é uma opinião

Paulo Colaço disse...

Na TVI há melhores entrevistadores!

jfd disse...

Bem de esotérico não tenho nada.
Apenas folgo por saber que Patinha lá esteve. Pena que, pelos vistos, calado. De que serviu a minha assinatura?!?! :)
E no breve momento que vi, foi rudemente tratado pela ARROGANTE e IDIOTA jornalista.

Conta-me Paulo, foi a palhaçada que julgavas que seria?

Margarida Balseiro Lopes disse...

O debate foi muito esclarecedor. E permitam-me que diga que, claramente, MFL saiu vencedora. Não estava realmente à espera.

Os outros dois candidatos (perdoem-me mas recuso-me a considerar PA como tal, ainda mais depois da sua prestação televisiva) parecem já considerar a vitória de MFL como um dado garantido. A luta agora parece ser entre PPC e PSL. Confesso que apreciei a sobriedade de PPC, ainda que demasiadamente concordante com MFL, facto que não deve colher simpatias junto dos seus apoiantes.

MFL esteve ao seu melhor nível: segura de si própria, apresentando propostas, mas mantendo uma posição de verdadeira estadista. É assim que quero o meu PSD.

Quanto a MMG: mal. Não gostei da postura, não é assim que vejo o jornalismo.

FACTO MUITO POSITIVO: telejornal abriu com o tema da probreza e das desigualdades sociais. MFL anda já há um mês a falar desta matéria. Depois de Sócrates se ter já pronunciado sobre este assunto, esta semana, a comunicação social também lhe está a dar o destaque que merece. Finalmente, estão a vislumbrar no PSD (nomeadamente, em MFL) novamente o rosto de uma oposição credível, forte e que vai começar a marcar a agenda política nacional. Por Portugal, pelo PSD.

jfd disse...

Gostei muito do teu último parágrafo Margarida. Substituindo MFL por PPC, seria a cereja em cima do bolo.

Mas continuo pasmado com, e repudio, frases deste género:
perdoem-me mas recuso-me a considerar PA como tal
Eu não te perdoo. Não é forma de tratar os nossos. Não se faz. E na nossa (tua) idade, os velhos, merecem mais respeito.
Além de ter cumprido os estatutos do NOSSO partido, tem quem o apoie; Também nos merecem respeito.
Esta conversa já me irrita.
E como aqui há espaço para tudo, há espaço para as desconsiderações, e para quem se irrita com elas, e vice-versa.
Que fique registado.

Margarida Balseiro Lopes disse...

"Mas continuo pasmado com, e repudio, frases deste género:
perdoem-me mas recuso-me a considerar PA como tal
Eu não te perdoo. Não é forma de tratar os nossos. Não se faz. E na nossa (tua) idade, os velhos, merecem mais respeito."

Nem sei que te responda Jorge.
Porque não viste o debate.
Porque não desrespeitei ninguém.
Porque tive a preocupação de ler todos os proto-manifestos/programas de todos os putativos candidatos e indignei-me com várias alarvidades proferidas/escritas pela candidatura de PA.
E já agora, se te é importante o factor idade, várias foram as vezes em que MFL mereceria mais respeito da tua parte.

Margarida Balseiro Lopes disse...

"Gostei muito do teu último parágrafo Margarida. Substituindo MFL por PPC, seria a cereja em cima do bolo."

Uma outra nota:
Jorge, aquilo a que chamas "cereja em cima do bolo" é um enorme contra-senso: PPC tem falado do Estado (quase) mínimo, crescimento económico, privatizações e liberalismo.
MFL elegeu como prioritárias as questões sociais: novos pobres, desemprego.

Não ponhas a cereja em bolo alheio!! :)

jfd disse...

E já agora, se te é importante o factor idade, várias foram as vezes em que MFL mereceria mais respeito da tua parte.

Como por exemplo onde?

E já agora, por mais alarve que te pareça uma proposta de um candidato, é justo desconsidera-lo como tal? Desconsidera-se a proposta. E não o candidato. Certo?

Para que compreendas melhor, o que gostei naquilo que disseste foi:
Finalmente, estão a vislumbrar no PSD (nomeadamente, em MFL [seja PPC]) novamente o rosto de uma oposição credível, forte e que vai começar a marcar a agenda política nacional. Por Portugal, pelo PSD.

Não bolo alheio ;) é de todos!

Margarida Balseiro Lopes disse...

Quanto às questiúnculas sobre o respeito pelas candidaturas, uma rápida busca pelas caixas de comentários, levará a que tiremos as nossas conclusões. Este foi mais um comentário da “copinho de leite de laranjada”.

Quanto à correlação entre as propostas e os candidatos temos visões muito distintas. Para mim, o estatuto de “candidato” não se encerra na figura estatutária das 1500 assinaturas (tal como acontece com o estatuto de oposição). As ideias, o percurso, a pessoa (neste caso, o militante) é que o torna “candidato”. Se assim não fosse, no debate que organizámos na 4ª feira não seriam apenas 3 os oradores.

“Finalmente, estão a vislumbrar no PSD (nomeadamente, em MFL) novamente o rosto de uma oposição credível, forte e que vai começar a marcar a agenda política nacional.”
Jorge, a frase começa em “finalmente” e acaba em “nacional”. Até podes substituir MFL por PPC. Mas, a realidade é uma: foi MFL que avançou com a questão social, dos novos pobres e que marcou a agenda nacional, tanto pela “resposta” de Sócrates como a da Comunicação Social, que tanto destaque lhe deu.

O bolo é de todos: mas foi MFL que o cozinhou para o servir ao país.

jfd disse...

Quanto às questiúnculas sobre o respeito pelas candidaturas, uma rápida busca pelas caixas de comentários, levará a que tiremos as nossas conclusões. Este foi mais um comentário da “copinho de leite de laranjada”.

A mim não me apanhas na curva Margarida. Onde mereceria MFL mais respeito da minha parte? Basta que me digas, e tendo tu razão, faço mea culpa. Agora sufismos não, por favor.

Fica claro o que é para ti um candidato. Está também claro o que é um candidato para mim. São opiniões.
O debate organizado pelo Psicolaranja, obedeceu às regras do Psicolaranja. A mais nada. Mas pelo que dizes, caso o considerasses candidato, as coisas teriam sido diferentes. Compreendi bem?

E todos os meus amigos amigos que apoiam Manuela Ferreira Leite, são por mim tratados por copinhos de leite de laranjada. Se te é estranho posso deixar de.

jfd disse...

*sofismos

Bruno disse...

Né e Colaço, o Jorge havia era de ter estado no Psico-Congresso em que discutimos o debate entre Ribau e Macário. Se ele ouvisse a Guida falar nessa altura... hehe! Mas eu acho bonito. Faz parte de um processo de amadurecimento ;)

jfd disse...

Care to explain Bruno?

Bruno disse...

A Guida achava mal não convidarmos os candidatos outsiders para o nosso debate. Na altura falava-se de Castanheira Barros e José Manuel Barroca (penso que eram estes os nomes). Mas acabámos por lhe mostra a luz ;)

jfd disse...

Pois.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Curiosamente, Bruno, julgo que também tu defendias convictamente que o debate deveria incluir todos os candidatos, estarei enganada? :P
O Paulo e o Né mostraram-NOS a luz...

Pois é Bruno, quem te ouvisse falar de PPC ou de PSL há dois ou três meses atrás e da incapacidade de MFL ganhar na Associação do Berlinde, nem adivinharia estas caixas de comentários... ehehhe

Pobre de mim se aos 17 anos não soubesse evoluir. Dificilmente se apelidará de incoerência... :p

Paulo Colaço disse...

Ora pois foi.

Na altura vocês estavam insuportáveis ;)

Né, foi um combate dificil, certo?

Em todo o caso, na preparação deste debate não falámos dos convites mas em todas conversas nunca levantámos dúvidas quanto às candidaturas a convidar e a ignorar.

Só quando recebi uma reclamação da candidatura de PA é que lancei a questão aos Psicóticos e a linha até aqui seguida não sofreu alteração.

Nélson Faria disse...

PA deve ser levado a sério, mas não a sua candidatura. Quem ler e analisar percebe que apenas procura atenção.

Surpreendi-me negativamente com PPC: chega ao debate seco. A única mensagem que PPC deixa é o epíteto liberal (do qual ele agora foge) e o casamento entre homossexuais (onde ele não tem opinião fechada).

PSL esteve bem, mas não o suficiente para marcar muitos pontos.

MFL consegue, como candidata a Presidente do PSD, marcar não só a nossa agenda (toada interna) como a do Governo.

É a prova provada da eficácia da sua mensagem. É a prova provada que é a única que sabe disputar umas eleições, que não esgotou a mensagem em duas ou três entrevistas.

Paulo Colaço disse...

Respondendo a uma pergunta do JFD, o PA deve ter feito muita gente rir (só MFL é que apenas sorriu - uma senhora sabe conter-se) quando referiu que ele e MFL tinham um percurso semelhante.

Um é Vice-Presidente da Bancada e candidata-se a Presidente do PSD para pertencer a um "Conselho de Assuntos de Governo", a outra foi Ministra de Estado e das Finanças e candidata-se a líder do PSD para ser Primeira-Ministra.

É muito semelhante, indeed.

Nélson Faria disse...

Foi uma magnífica discussão com ponto, contra-ponto e circum-ponto.

E lembro-me que eles cederam mas não ficaram completamente convencidos. Foi necessário falar do assunto mais algumas vezes.

Uma grande luta ;)

Nélson Faria disse...

Eu diria "quase" sorriu. Estava na sede e comentámos todos a forma como ela não deixou escapar o sorriso eheh

A experiência é muito importante e faz toda a diferença.

Paulo Colaço disse...

A última vez que conseguimos marcar a agenda do Governo foi com o Porta 65.

É isto que Manuela Ferreira Leite dizia: eles não nos ouvem.

Agora creio que passaram a ouvir.

A primeira intervenção de MFL após a sua apresentação foi na secção F. Foi há um mês.
Já na altura falava das questões sociais.

Tornou-se incontornável.

PPC tem tido o discurso "liberal". Tornou-se um embaraço... para o próprio.
PSL não tem falado de nada em concreto. Sabe-se apenas que quer a desforra.

xana disse...

Peço dsculpa, mas MFL não ganhou o debate.

Aliás, aquele debate teve um interveninete a mais (MMG) e revelou muitas coisas, nomeadamente:
- a falta de experiência de PPC nestas andanças que se apresentou absolutamente "contido", nem soube explicar porque era liberal, para além de não apresentar nada de concreto, apenas concepções muito pouco palpáveis e manifestamente colado a MFL;

- PA deve ser respeitado, até pelo facto de ontem ter dito algumas coisas interessantes, que a ver vamos se são possíveis de concretizar (não sou economista... espero pela opinião dos que percebem). Obviamente que é um outsider, mas não entendo que deixe de ser candidato por isso.

- MFL é uma pessoa, de facto, intelectualmente honesta. Já o disse, se ganhar, fico "descansada" no que respeita ao rumo do PSD. Mas acho que não tem dom da palavra, não se enquadra com as câmaras, tem dificuldade em "ganhar" nesses aspectos que hoje em dia em política são tão importantes.

- PSL ganhou. Porque conseguiu mostrar serenidade, conhecimento dos dossiers, ideias concretas, o que o diferencia dos outros candidatos.

Lá está, com a pobreza daquele debate, vencedores e vencidos não houve entre si. PSL foi simplesmente quem mais ganhou ontem.

PPC desiludiu-me... muito!

jfd disse...

É interessante ler a opinião da Xana. Eu acho que a Xana não se deslumbra, só porque apoia A ou B.
E no entanto, todos os meus caros copinhos de leite de laranjada afirmam uma vencedora, Manuela Ferreira Leite.
Realmente, ela vence por um lado da coisa; apenas precisa ser, estar e respirar. Todos a temem. Todos a veneram. Mas isso é claustrofóbico e pode-se virar contra a candidatura... E quando for preciso mais que isso? Como será a dinâmica?

Já revi o debate de novo. Já reli os comentários. Falam em esclarecimento e real discussão de ideia. Sinceramente, dos 3 foi mais do mesmo, só Patinha inovou com as suas ideias... E aguardo como a Xana que alguém (e o desgraçado é sempre o mesmo!) venha aqui dizer de sua justiça. De preferência, deixando o copinho e o bigode de leite, de lado :))

A discussão de liberalismo entre PPC e MFL com as achegas de MMG e os pontos de ordem de PSL é ridícula!
E nisto que nos perdemos volta e meia... Esquecemo-nos que estamos a falar para fora e não para dentro.

Passos Coelho... Não sucumbas ao defeito que te foi apontado pelo Vasco Rato...

Margarida, ainda aguardo a resposta.

Paulo, PA falou um pouco mais que isso, mas é justo que tenhas escolhido a parte que te interessa para o poderes ridicularizar. Enfim. Cada um é como cada qual.

luis melo disse...

Tal como tinha dito, o debate não foi um "debate".

No entanto, gostei de todos. Menos (obviamente) da MMG que está com uma atitude igual á cara (desculem ser tão violento nas palavras mas aquela mulher faz-me espécie)

Tiago Mendonça disse...

Ainda sobre o debate de ontem,

Acho que Patinha Antão explicitou algumas ideias interessantes, como a diminuição dos escalões de IRS, que concordo, sendo eu, aliás, defensor de um sistema de flat tax. Foi indecente o tratamento que teve e o comentário indecoroso que Vasco Pulido Valente fez sobre ele.

Pedro Passos Coelho tentou colar-se a Manuela Ferreira Leite no sentido de se afirmar já como o grande opositor de Manuela Ferreira Leite, excluindo Santana Lopes da corrida. Não desgostei de Pedro Passos, acho que esteve igual a si mesmo.

Manuela Ferreira Leite, teve muitissimas dificuldades em evidenciar as suas diferenças em relação a Pedro Passos Coelho, não conseguiu avançar com grandes ideias e não descolou do discurso economicista e agora, dos novos pobres (curiosa a reportagem da TVI sobre novos pobres antes do debate). Acho que foi tão levada ao colo que acabou por perder mais do que ganhar.

Santana seguro de si, procurando não descer ao nivel que Manuela Moura Guedes quis impor, impecável na forma como resistiu à falta de respeito de Manuela Moura Guedes para consigo, logo na parte inicial da entrevista. Exprimiu as suas ideias (sempre que o deixaram e que Manuela Moura Guedes não interrompeu) e com tranquilidade mostrou ser o que mais conhece os dossiers.

As bases, exclusivamente as bases, vão decidir.

Quanto aos comentários ao debate atribuo mais crédito ao painel de comentadores da Sic Noticias. Um deles avança com uma vitória clara de Santana Lopes.

Nélson Faria disse...

Jorge,

Cada um tem direito à sua opinião.

Deves ter-te apercebido que a maioria da opinião publicada e televisionada avança MFL como vencedora. E sem grande ficção, apenas porque soube estar e tem uma mensagem que passa, ao contrário dos outros candidatos que se limitaram a atropelar-se.

Gostava que tivesses maior consideração pela nossa opinião, ainda que apoiantes da MFL, mas como sempre só quando se concorda contigo é que a opinião é válida. Na discordância só temos o amuo de sempre ;)

Margarida Balseiro Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margarida Balseiro Lopes disse...

"A Manuela Moura Guedes moderou um primeiro debate entre os candidatos à liderança do PSD. Não conto Patinha Antão. Lembrou-me um digno "chefe de sala" do velho cinema Eden que "sabe umas coisas" e que lê almanaques entre duas sessões. Santana Lopes não "brilhou" como precisava e teria gostado. Passos Coelho parecia saído da "explicação" e as constantes vénias que dirigiu "à sra. dra." (que o tratou condescendentemente por Pedro) indicaram aos telespectadores quem "mandava". Como resumiu Vasco Pulido Valente, Ferreira Leite falou pouco mas com a autoridade, a discrição e a noção da realidade adequadas a quem pode vir a tomar conta "disto". Ganhou. O debate, naturalmente."

João Gonçalves, do blogue Portugal dos Pequeninos resume eximiamente o que eu aqui escrevi ontem.

Paulo Colaço disse...

Eu, como copinho de leite (nas amigas palavras do Jorge) queria que MFL tivesse ganho o debate.

No início tive receio que a sua menor apetência para as câmaras a traíssem mas a reverência de PPC, a bazófia de PSL e a inexistência de PA deram-lhe uma clara vitória.

Foi a única que não teve de se justificar!

Há quem atribua a outros a vitória mas até a banda do Titanic, que continuava a tocar, sabia que o navia estava em naufrágio.

jfd disse...

*copinho de leite de laranjada!

Continuo a aguardar, entretanto.

Bruno disse...

Sobre o debate, infelizmente não consegui acompanhar até ao fim. Mas do que vi deu para me aperceber de algumas coisas que pude confirmar pelas reportagens posteriores nos vários canais:

- Manuela Moura Guedes estava bem melhor afastada do pequeno ecrã;

- Pedro Passos Coelho parecia estar a fazer-se ao lugar de Ministro no futuro Governo de Manuela Ferreira Leite;

- Patinha Antão tentou mostrar-se diferente mas nem sequer conseguia entrar na discussão;

- Manuela Ferreira Leite esteve igual a si própria o que é muito bom em política, hoje em dia. Não é de grandes sound bytes mas também não entra em demagogias. Não está numa de prometer mas sim de se mostrar realista. Este discurso já deu frutos no PSD e penso que é o mais correcto e responsável!

Bruno disse...

Sobre a "picardia" com a Guida, espero estar enganado na pontinha de ofensa que me pareceu notar na resposta dela :)

Mas não deixo de responder :P

Eu não defendia que O DEBATE deveria incluir todos os candidatos. Aliás, eu defendia que os dois candidatos de que falávamos (Barroca e Barros) deveriam era pedir licença e sair de fininho.

Aquilo em que me solidariezei com a tua posição foi pelo facto de me parecer que - por princípio - um debate 100% democrático deveria incluir todas as candidaturas. E obviamente que o Psico não era obrigado a fazer ESSE debate. Só precisava era de saber MUITO BEM porque é que fazia o debate que acabou por fazer.

Quando temos dois caminhos, é óbvio que temos que escolher um. E quando o escolhemos é bem melhor saber porque o fazemos do que ir só porque nos pareceu melhor.

Sobre a minha opinião em relação a PPC, PSL e MFL, penso que já a dei muitas vezes mas posos voltar a fazê-lo.

Gosto muito de PPC. Foi o meu primeiro Presidente da Jota e tive orgulho nele. Liderou a maior organização de juventude portuguesa a que escolhi pertencer e fez com que não me arrependesse. Sempre tive fé nele e achei que iria ser um quadro político de destque. Penso não me ter enganado.

Santana Lopes é para mim como um irmão mais velho. Como acho que sou minimamente consciente e responsável (para além de um bocadinho de nada inteligente), não acho que seja o homem certo para liderar o meu partido e o meu país. Já achei que sim mas ele desiludiu-me. Agora não me peçam para deixar de gostar dele porque continua a ser o "mano velho" ;)

Não sinto tanta simpatia pessoal por MFL como pelos outros dois. Mas por isso mesmo é que gosto de ter a posição que tenho em relação a estas directas! É que, para mim, isto são umas eleições para colocar o meu Partido no caminho certo e apresentar a Portugal um nome a sério para Primeiro Ministro e não um concurso de Miss Simpatia...

Ainda bem que tu és rica sobrinha ;) Aos 17, aos 18 e que sejas, como eu (nesse aspecto), até aos 31 pelo menos. Para falar de incoerência terei que te dizer algo parecido com o que disse Jesus Cristo: foste tu quem o disse :D

Diogo Agostinho disse...

"Santana Lopes é para mim como um irmão mais velho. Como acho que sou minimamente consciente e responsável (para além de um bocadinho de nada inteligente), não acho que seja o homem certo para liderar o meu partido e o meu país. "

Caro Bruno, argumentos como inteligência e responsabilidade, desculpa me mas fazem-me tremenda confusão! Então quem apoia Ferreira Leite ou Passos Coelho é que é inteligente e consciente? Que não aches que seja a altura certa, por mim compreendo, agora dizer que és suficientemente inteligente, desculpa mas não me parece um argumento válido.

Bruno disse...

Oh fónix! Primeiro levo com uma anti-santana e agora com o Diogo "Santaneto-Mor" Agostinho... Já não sei pa onde me hei-de virar, hehe!

Oh Diogo, tem calma que eu não disse que quem não apoia Manuela Ferreira Leite é inconsciente ou burro! E de Passos Coelho nem sequer falei (se bem que até os acho um pouco incoscientes, sim).

Quem apoia Santana também pode ser perfeitamente consciente, altamente responsável e ter o maior QI da Humanidade! É lá com eles! E longe de mim chamar burro aos outros só por apoiarem A ou B.

O que eu digo é que a minha consciência, o meu sentido de responsabilidade e a minha pequena inteligência me indicaram que devia apoiar MFL. Pelas razões que já aqui expressei e que penso não precisar de repetir...