sábado, maio 03, 2008

Eu sou PPD/PSD e tu?

Este cartaz reflecte uma verdade!

Porém, este cartaz tem dois rostos que são responsáveis pelo actual estado do PPD/PSD!

De um lado, o nosso Presidente eleito pelo nosso voto, que se resguarda no direito de influenciar em privado!

Do outro lado o actual Presidente da Comissão Europeia!

José Manuel Durão Barroso assumiu funções governativas em 2002! Assumiu o seu lugar de Primeiro-Ministro embalado por uma noite eleitoral vitoriosa, sobretudo em Lisboa!

Mas, este homem que tinha uma missão e uma responsabilidade perante os portugueses saíu! Foi embora! É legitimo aspirar a cargos mais elevados! Mas é legitimo pensar no seu País e no seu Partido!

Durão Barroso vetou Manuela Ferreira Leite! Chegou a público nestas últimas semanas! Vetou a sua Ministra de Estado e das Finanças para endereçar um convite envenenado a um dos seus Vice-Presidentes!

Este momento é determinante e este momento ainda não foi discutido! Sócrates chegou ao Governo porque Durão Barroso foi desastroso(ou não, do ponto de vista pessoal)

Acredito num partido plural, com várias opiniões, mas a militância deve ser o valor mais alto! E a militância dentro do PPD/PSD é livre! Só está quem quer! Acredito em quem defende o Partido, em quem está disposto a coloborar, sempre sem precisar de viver a alimentar ódios, não entendo quem critica sem nunca ir a jogo, quem diz que sai porque este ou aquele podem chegar ao poder!

Eu sou laranjinha, sou PPD/PSD! O meu adversário é José Sócrates! É ele quem está a governar mal! É ele quem quero ver os meus companheiros a atacarem!

Os partidos precisam de rupturas! E da ruptura nasce a união! Com quem quiser apoiar! Com quem quiser vestir a camisola!

71 comentários:

Paulo Colaço disse...

Boa posta Diogo!
Acho que ainda estás em dilema interior: razão ou coração.
:)

Anónimo disse...

este post é um bocado patético.

atenção a esta frase:
2Sócrates chegou ao Governo porque Durão Barroso foi desastroso"
Desastroso foi Santana que não soube gerir nada.
Nunca me vou esquecer, no dia em que ele lia o seu discurso de tomada de posse, e se engasgou, pediu desculpa, e depois veio a saber-se que foi o vizinho do lado que escreveu e o santanecas nem leu.

Inês Rocheta Cassiano disse...

Muito bom Diogo.
Já não sei quem o disse, mas é preciso parar de brincar às candidaturas. Temos que nos unir e ter como objectivo último o bem maior: tanto a estabilidade e a credibilidade do PSD, como a sua luta com José Sócrates em 2009.
Também eu estou em dilema interior, ainda não decidi a quem dar o meu apoio. De um lado tenho Pedro Passos Coelho, em quem me revejo ideologicamente, mas isn't his time, yet. Do outro lado tenho a Dama de Ferro, Manuela Ferreira Leite que não tem medo de ir à luta e que possivelmente obterá um melhor resultado nas legislativas.
Para mim resume-me ao confronto da experiência vs. irreverência.
Continuarei a reflectir, mas somos todos PSD e teremos todos que agir como tal.
Como diz o nosso hino, Todos sempre unidos no caminho da verdade!

Diogo Agostinho disse...

Caro anonimo:

De facto escrever num blog em anonimo é bem mais facil do que escrever um discurso de tomada de posse e ainda discursar! De facto, tomar posse em 2 semanas!!!!!!!!! Preparar discursos, nomear pessoas, preparar ideias para governar um País, enquanto os colegas de partido telefonavam e entravam em histeria, tudo em 2 semanas!! so mesmo o Pateta é que iria conseguir! Porém agradeço o comentário!

Inês:

Já não sei quem o disse, mas é preciso parar de brincar às candidaturas. Temos que nos unir e ter como objectivo último o bem maior: tanto a estabilidade e a credibilidade do PSD, como a sua luta com José Sócrates em 2009.

Completamente de acordo!

Tiago Mendonça disse...

Diogo,

Magnífico Post. De Parabéns!

Tiago Mendonça disse...

Caro Anónimo,

Se quer que o que diz tenha credibilidade assuma-se. Fale com mais respeito de quem já foi primeiro-ministro. Sobre a tomada de posse, todos sabem o que se passou. O calor abrasador daquela sala já fez mais " vitimas ", mas pelo que leio, nunca terá o prazer de lá ir.

E não qualifique o post como patético. Podemos discordar, mas não devemos desdenhar de quem se esforça, como o Diogo e outros se esforçam, por fazer esta geração reflectir e ganhar.

teofilo braga disse...

fala o rei dos patetas, que vem para um blog com milhares de leitores falar mal dos seus companheiros da jsd, a nivel nacional, distrito e de secção.

sim, eu acompanhei a cruzada de v.exa a desdenhar e a manifestar o seu desagrado num espaço como este.

A moral vinda de si, é de rir às gargalhadas.

Quanto à cena do Santana Lopes.
Eu sou não dou desculpa nenhuma.
Estava calor na sala? Teve 2 semana para preparar? Tinha vontade de fazer xixi?

Pelo Amor da Santa. Ou é-se genuino ou não. Um discurso daqueles foi o primeirissimo handicap para o que a seguir veio de menos bom.
E eu digo isto, porque quem me dera que tudo tivesse corrido bem.

Mas não. Está mais que viste que Santana não tem timming.

Vasco Campilho disse...

Caro Diogo,

neste partido somos todos PPD/PSD. Somos todos laranjinhas. Muitos de nos cometeram erros, alguns em altos cargos. Mas agora é preciso é olhar para o futuro. Ja tivemos catarses colectivas que chegassem nestes ultimos tres anos: a cura do Partido nao esta na psicanalise, esta na construção de um projecto alternativo para Portugal. Por isso estou onde estou nesta eleição. Estejas onde estiveres, continua a dar a tua paixão ao partido, porque o companheirismo é isso mesmo.

Abraço,

Vasco

P.S.: podes é moderar um bocado os pontos de exclamação :)

Diogo Agostinho disse...

Caro Vasco,

Tens razão a psicanálise não nos levará neste momento a lado nenhum, porém apenas referi que aquele tempo não foi devidamente esclarecido.
Acho que o companheirismo é essencial num partido político, as pessoas são livres de estar bem como de sair. Em qualquer momento.

Obrigado pela dica dos pontos de exclamação, foi a emoção ao escrever, mas foi um uso exagerado.

Nélson Faria disse...

É um post que me fala muito, apesar de não subscrever alguns pontos de vista.

Acho que Rio foi tão importante naquela noite como Santana.

Durão Barroso, numa decisão que hoje é claro ter sido precipitada, entregou ao poder a alguém que teria ao seu alcance devolver a esperança ao Partido e ao País; Manuela Ferreira Leite não foi então escolhida pelo receio imagem excessivamente austera.

Como Rio disse na Grande Entrevista, 90% do Partido preferia PSL a MFL. Eu inclusive. No que a mim me toca digo que errei então: devia ter pensado menos no sucesso eleitoral.

Foi assim. Parece-me que é necessária uma ruptura com o passado recente, mas sem ignorarmos o nosso rico Passado.

Grande abraço para o Vasco.

José Pina disse...

A minha Humilde opinião:
1. MFL está sem convicção e apenas a fazer um favor aos notáveis e aos grandes interesses.
2. PPC queria preparar o futuro. Agora permitiu-se receber todos os tipos de apoios. Um verdadeiro saco de gatos. Não vai dar certo. O pior que pode a acontecer a PPC é precisamente ganhar. Vao destrui-lo por dentro.
3. SL é o unico capaz de confrontar socrates. e neste momento esta liberto de todos os interesses que o apoiavam. ninguem acredita nele e por isso abandonaram-no. Foi o melhor que podia acontecer. Se ganhar pode implementar e governar à vontade.
EU escolho SL.

teofilo braga disse...

Claro, mas alguem queria MFL na altura?

Estamos a falar de um eleitorado PSD de classe média, muitas vezes desinformado.
Durão teve que ir ao lado populista, obviamente.
O Choque fiscal não foi possivel realizar, os impostos subiram e sempre que possivel o CDS era o partido para queimar.

Foi uma altura em que a ala populista precisava de intervir.
Mas o engraçado e que em fase de aperto, o povo portugu~es não está para ouvir balelas.
No tempo de António Guterres não havia problema, toda a gente gostava da doce palavra do homem.

Mas quer dizer, Santana não estava acompanhado pelas vacas gordas. O homem não tem o dom da palavra como Guterres tinha.
Tem uma personalidade forte, é diferente.

Mas enfim.
Até tem uma certa graça, olhar para tras e ver a cena toda outra vez...

Só que não tem piada.

Nélson Faria disse...

Amigo José Pina: saudável reflexão.

1 - Não concordo mas é algo empírico, algo que dificilmente se pode debater.

2 - Concordo, admito que seja futurologia pura, mas concordo.

3 - Não deixa de ser um ponto de vista interessante. Quase que concordo... tenho dúvidas na conclusão ;)

Não sei se seria bom para o PSD, mas é uma saudável reflexão.

Nélson Faria disse...

Até tem uma certa graça, olhar para tras e ver a cena toda outra vez...

Só que não tem piada.


Muito bom! :)

teofilo braga disse...

Ahahahaha

José Pina, o Sr. deve ser de brandar aos ceus.

Mas santana está com algum timming para ir a eleições.
O homem deve ter rezado 12 avé marias para o Alberto João o apoiar, depois de andar uns dias a reflectir, sobre se devia ou não cumprir com a palavra no Conselho Nacional.

Se a Madeira não apoia-se, Santana tinha alguma hipotese, alguma credibilidade junto de outros apoios?

Santana, a ter o meu apoio, seria num caso extremo e só daqui a muitos anos.
Primeiro tem que se libertar do discurso do passado.

mas adorei a sua frase "ninguem acredita nele e por isso abandonaram-no. "

Eu acho que com isto, era enviar uma cartinha ao Santana e dizer.
Olhe meu amigo, isto é o que a generalidade pensa.
Pegue nas malinhas, vá para o Alasca e fale do aquecimento Global.
Volte uns anos depois e as coisas estão mais calmas.

teofilo braga disse...

ja li muitos argumentos,

mas apoiar alguem por pena, é novidade :)

José Pina disse...

Caro Teófilo Braga:

Teófilo Braga foi um político e escritor português. E nessa qualidade nunca escreveria "brandar aos seus".
De qualquer forma, e como pena(s) têm as galinhas, respondo com cordialidade perguntando?

Porque só mostrou disponibilidade em "atacar" SL e nem sequer reflectiu sobre ou outros candidatos?

E... a rezar Avés Maria, estarão concerteza os adversários de SL. Leu a sondagem? é que a "sua generalidade" não deve ser a realidade.
Cumprimentos.

Tiago Mendonça disse...

Para que o bom post do Diogo Agostinho, possa ser discutido, com clareza e profundidade, sem fait-divers, não lhe respondo sr.teofilo braga.

Não quero de forma alguma um novo piercing, e logo num post, outra vez, do Diogo Agostinho!

Continuem a reflexão!

Luís Nogueira disse...

Diogo, obrigada por partilhares mais esta reflexão. Quando penso sobre José Manuel Durão Barroso, fico sempre com um estranho sentimento.

Por um lado, penso numa figura política altamente competente, que fez crescer o nosso partido e que hoje, contribui para uma afirmação da credibilidade do nosso país a nível internacional.

Por outro lado, penso no "delfim" de Cavaco, que saiu de cena em busca de um desafio diferente...

Claro que esta saída teve consequências, quer para o partido como para o país. Dizermos que a saída de Durão foi a responsavel pela ascenção de Sócrates, parece-me exagerado.

Assim como é absolutamente patético dizerem que "foi Santana que não soube gerir nada". E quanto a este assunto, o melhor é ficarmos por aqui, porque basta ser imparcial e juntar as peças do puzzle, para apurarmos a verdade dos factos...

No que toca às candidaturas, elas são livres de existir e penso que seja saudável o facto de as termos, afim de se gerar uma boa troca de ideias. Digo isto, porque acredito nos resultados de um bom "brainstormig"...

Quanto à futura liderança do PPD/PSD, creio já ter a minha posição definida.Irei decidir pela razão e não pelo coração. Pelo melhor do partido, a favor de Portugal ;)

João Marques disse...

Diogo podes concretizar melhor a primeira crítica, em quem estás a pensar concretamente? Juro-te que é sincera a minha dúvida e compreendo se não a quiseres esclarecer.

Quanto à segunda parte do "quem diz que sai porque este ou aquele podem chegar ao poder!", alerto-te para o facto de que é PSL o primeiro a dizer que não estará com contemplações para quem discorde ou divirja da sua orientação, diz ele que basta de ataques internos. Até pode ter razão, basta, mas basta na devida proporção, é que se continuarmos com um líder fraco, sem rumo e sem credibilidade, parece-me que a única postura digna de um verdadeiro militante é velar pela qualidade da liderança do seu partido. Será assim sempre que este desejar o melhor para o seu país.

Na minha modesta opinião se esse líder for PSL dificilmente haverá paz no PSD. É (e é só a minha opinião) um líder desadequado, para ser simpático e estas últimas declarações provam-no. Fico até com dúvidas se PSL compreende bem o partido onde está (por outro lado compreendo melhor aquela velha ânsia de formar um novo partido).

É que o PSD é, por natureza, um partido turbulento, que vai buscar a essa dinâmica crítica a força que o caracteriza. Por ser um partido onde todos estão genuinamente (tendencialmente é assim), também a forma de o viver é genuína. Ora isto supõe discordâncias, diferentes pontos de vista que, ao contrário dos outros partidos, nunca são abafados. Devemos ser solidários com o líder? Claro, mas sempre com a consciência crítica bem apurada, como dizia um dos nossos fundadores, acima do partido está Portugal e é em função desse bem maior que devemos militar. O partido deverá ser sempre um meio, nunca um fim.

E desculpa-me a franqueza, mas não é com promessas de ostracizações de militantes que se granjeia o respeito das bases, das cúpulas, ou do que quer que seja, um líder forte impõe-se naturalmente, um fraco cai naturalmente e ele que já caiu deveria sabê-lo melhor do que ninguém.

João Marques disse...

Quanto a Durão, partilho das tuas reflexões embora o presente a PSL não me pareça ter sido envenenado, mas desperdiçado...

Nélson Faria disse...

Quando o homem tem razão...

Texto de PSL no seu blog:

(...)
Ontem á noite, no Expresso da meia-noite, programa da SIC, Rui Oliveira e Costa, responsável pela sondagem, quando perguntado sobre qual o candidato que mais e melhor poderia fazer frente a Sócrates, respondeu: "Manuela Ferreira Leite e Pedro Santana Lopes". E, logo a seguir, acrescentou: " É um empate técnico".
Hoje, fazendo jus à importância da sondagem, o Expresso põe em primeira página: "Sondagem: Manuela é quem mais ameaça Sócrates". Quanto à sondagem em si, numa opção editorial, vem a uma coluna na página 6.
Por sua vez, a SIC, ontem e hoje ouviu Manuela Ferreira Leite e Pedro Passos Coelho sobre a sondagem. E pôs em título: "Pedro Passos Coelho melhor colocado para enfrentar Sócrates."
A Rádio Renascença, também responsável pela realização do estudo, fez a apreciação, em destaque, no mesmo sentido do do Expresso e ouviu os mesmos dois candidatos.


Quando se tem razão, tem-se razão!

Bruno disse...

Que Santana não é o único culpado da queda do PSD em 2004/2005 é inegável. Que Santana tem muitas culpas é também indesmentível!

O problema que temos que por para analisar Santana é: será que ele é talhado para cargos da mais alta responsabilidade? Talhado, leiam bem.

Capacidade intelectual, penso que ele tem. Capacidade de liderança também. Competência também. Mas terá a capacidade de juntar tudo isto? Terá responsabilidade e honestidade consigo próprio suficientes? Penso que a questão poderá passar por aí.

Seja como for, penso que o post do Diogo vai mais para apelar a um sentimento de união no Partido, acabando com esta tendência para "malharmos" nos nossos mais do que nos outros quando nem sequer temos razões para isso.

E é essa a minha postura! Como disse em comentários noutro post, fico mais chateado quando vejo falhas em alguém de quem eu gosto ou admiro do que noutros mas a verdade é que naõ interessa nada se eu gosto ou não do Primeiro-Ministro do meu país. Ele tem que ser competente e - pelo menos - cumprir aquilo que prometeu, senão tará que se haver comigo.

E o nosso actual PM já se fartou de mentir. E fá-lo com uma arrogância e um descaramento que nunca vimos a governantes do PSD. Barroso por exemplo teve que se justificar em relação ao caso do "choque fiscal" e assumiu que ia mudar de caminho. Apresentou a desculpa de que a situação estava pior do que pensava. Seja ou não desculpa esfarrapada, justificou-se.

Sócrates nunca fez isso e ainda se dá ao luxo de se armar em "donzela ofendida" quando os jornalistas o questionam, de não responder aos deputados nos debates parlamentares e de continuar, ao fim de 3 anos a dizer que o PSD e o CDS é que têm a culpa pelo que fizeram em 2 anos e meio de Governo...

Uma boa pergunta para fazer a esse senhor seria: se for reeleito vai pelo menos deixa de se desculpa com o Governo anterior? É que aí o Governo anterior vai ser o seu... Ou vai passar a lembrar erros cometidos por Cavaco Silva? Por Sá Carneiro e Balsemão? Talvez por Palma Carlos não?

Diogo Agostinho disse...

Caro João,

A primeira critica, não é critica, é constatação de que o nosso Presidente actua mais em privado. Só.

Porém, ao ler o teu comentário, percebo que o queiras associar a candidatos. Mas este post tem outro alcance.
São duas as questões que deixou no post para reflectirmos:
-Citei o exemplo de Durão Barroso, mas queria apenas uma análise política para a eleição do Primeiro-Ministro, como se sabe quando se substitui um PM a meio, o que vem a seguir fica com taxas de aprovação negativas, Gordon Brown ficou ontem em terceiro lugar.
O que me referia era perceber se devemos alterar a constituição ou cotinuarmos...era uma questão de ciência política.

Segundo ponto do post: Eu não quero expulsar ninguém! começaste logo por falar num candidato, mas o que eu quero é criticos nos momentos adequados!Congressos, conselhos nacionais, distritais, reuniões de secção. Temos tantas estruturas para que??É lá que devemos criticar e apontar, ou então depois avançar com candidaturas, é um processo óbvio. Agora ser figura pública por ser do partido e criticar semanalmente e ainda por cima receber por isso?Acham correcto? E depois enjeitar muitas vezes o seu Partido?

Este cartaz no post é património do PPD/PSD! Todos aquelas Primeiros-Ministros tiveram o voto do Partido e empenho!! Todos, independemente de terem sido em eleições legislativas, congressos ou conselhos nacionais.

Não estou a discutir os candidatos actuais...estou a discutir os problemas que nos fez chegar aqui.

Bruno,

É esse o espirito. Realmente o PS e este governo são os adversários e atacaste no ponto.

Bruno disse...

A questão que o Diogo coloca da alteração em relação à forma de nomeação do PM é interessante.

Será justo deixarmos alguém à frente do Governo que não tenha sido legitimado pelo voto popular?

Será que os portugueses percebem (ou pelo menos perceberam depois de 2004) que não elegem directamente um PM?

Será que os portugueses preferiam elegê-lo directamente? E votar em separado para a AR? Eventualmente até noutra data?

Será que devemos mudar o sistema eleitoral só porque os portugueses preferem outro?

EM disse...

Hmmm... este não foi o tal cartaz que o filho de Sá Carneiro considerou um aproveitamento da imagem de seu Pai, pela direcção do PSD? Ou foi o Cavaco Silva? Ou os dois?

Como é possível Santana Lopes vir a ser considerado um promissor líder do PSD? A ideia dá-me vómitos!

Eu sou português acima de tudo, e acho ridículo uma pessoa dizer que é PPD/PSD. Arrisca-se a que os bancos não lhe dêem crédito. Livra...

Ha... e já me ia esquecendo, onde anda o debate de ideias para as directas do PPD/PSD?

P.S: Eu reconheço que Durão Barroso é um político excelente. E também reconheço que Santana Lopes é um político medíocre. E prefiro votar em Pedro Passos Coelho. É mais jovem, e muito mais sexy que a Manuela para captar os votos femininos, além de trazer rejuvenescimento à linha de direcção do PSD.

Nélson Faria disse...

EM,

Mas será que o PSD precisa de rejuvenescer ou de recuperar a sua marca? E que tipo de renovação traz PPC?

P.S. Nas últimas directas também escolhemos o líder que mais facilmente ganhava eleições. Em 2004 também escolhemos o líder que mais facilmente ganhava eleições. Gostaram do resultado? ;)

Viriato disse...

Renovação ou imagem de marca! Qual é a imagem de marca do PSD nos últimos anos? Ou será que o PSD está neste momento como aquelas camisolas da "Lacoste" que se compram nas feiras? Têm o crocodilo na napela e tudo o resto é imitação. Não é esse o PSD que muita gente aguarda. Não chega abrir o gavetão e sacar das roupas antigas, por muito bonitas que elas já tenham sido. O PSD é uma questão de moda: ou nos actualizamos e compramos roupa nova ou se vamos buscar ao gavetão a roupa antiga sujeitamo-nos a ser apelidados de estarmos fora da moda.

Nélson Faria disse...

Boa questão: estarmos a par das novas modas.

Sei que para alguns será um choque, mas esta é uma metáfora que eu considero bastante produtiva.

O PSD é uma marca estabelecida no mercado, com história e crendeciais. É aquilo a que se pode chamar uma big corporation. Até aí concordamos (penso).

Encontremos um paralelo: a SONAE, por exemplo.

A SONAE entra em crise por força de uma série de más decisões da actual administração. A quem é que o mercado reagirá melhor: a uma figura ligada a Belmiro de Azevedo ou a uma previsível estrela? E a decisão tem de ser já, não temos tempo para adiarmos, para nos prepararmos ou, mais importante, para preparar o mercado para a nova administração.

Eu sei o que é mais apetecível, mas o que será melhor para o partido? E, principalmente, o que será melhor para o País?

Nélson Faria disse...

[Reforço esta ideia: nada me faz questionar a sinceridade, vontade, coerência e capacidade de PPC. Mas também nada me garante... e sabem o que dizem: gato escaldado de água fria tem medo ;)

EM disse...

O PSD precisa de se rejuvenescer. Isso só se consegue com malta que não está lá para fazer favores ao PSD, OK? Prefiro alguém que tenha ideias, espírito, energia.

E quanto à experiência governativa, meus caros... Tony Blair foi eleito primeiro-ministro no UK (e que esteve mais tempo no cargo) e não chegou a ter um cargo como ministro, nem tão pouco secretário. Achar que é imprescindível haver experiência governativa é uma grande falácia, que só serve aqueles que por lá passaram e que se acham "com o direito exclusivo" de "saber como governar Portugal".

Eu não vou nessa.

Nélson Faria disse...

O rejuvenescimento em si não me convence. É curto... e rejuvenescer por rejuvenescer prefiro alguém que não esteja na meia-idade ;)

Como já disse anteriormente, a experiência governativa em si não é um certificado para o poder, mas é uma mais valia para quem a tem.

Comparar PPC a Blair, Aznar, Zapatero ou mesmo Guterres é um exercício simpático... mas estejamos atentos:

Zapatero foi líder da Oposição de 2000 a 2004;

Aznar foi líder de Oposição de 1989 a 1996;

Blair foi porta-voz do principal partido da oposição em matéria de finanças e economia de 1984-1987; em 1988 torna-se membro do Governo Sombra (Energia); em 1992 é promovido a "Shadow Home Secretary" (polícias, segurança nacional, imigração, sistema criminal, prisões); é eleito em 1994 líder do seu Partido e em 1996 PM. E era desde 1988 das principais caras do Partido Trabalhista, por ser jovem e telegénico;

Guterres foi deputado de '76 a '83 e de '85 a '95 ; entre '77 e '88 foi Presidente de comissões parlamentares; em '88 torna-se Presidente do grupo parlamentar do PS e em 1989 entra para o Conselho de Estado; em 1992 é eleito Secretário-Geral do PS.

Nenhum destes tinha exercido funções governativas, mas todos eles eram conhecidos do público, eram reconhecidos como líderes, andavam há muito a mostrar a sua mensagem.

PPC não tem isso. Não temos tempo para experimentar algo novo, algo que não sabemos como funciona ou se funciona.

Esta é a minha opção. Quero um valor seguro para segurar o Partido e ganhar o País.

jfd disse...

LOLllllllllllllllllllllllllllllll
Cartilha toda estudada :)
Parabéns Né ;) É que nem li. Acredito que esteja tudo certo.
Começa-me a preocupar que se perca tanto tempo a repudiar uma candidatura como a de PPC. Ainda por cima por parte de quem está à frente... Afinal, o que temem? :)

Diogo,
o Gordon Brown, como dizia a imprensa europeia deste fim de semana, não é material de nº1. Foi um excelente nº2. Mas para nº1 não serve! Não sabe liderar!

Né,
disseste:

P.S. Nas últimas directas também escolhemos o líder que mais facilmente ganhava eleições. Em 2004 também escolhemos o líder que mais facilmente ganhava eleições. Gostaram do resultado? ;)


Nas ultimas directas eu escolhi aquele que acreditava ser o melhor para o país e para o psd (nesta ordem). Em 2004 infelizmente não tinha voto na matéria, mas aquela não teria sido a minha escolha.
Notamos aqui um padrão? hihihihihihihihih

Nélson Faria disse...

JFD,

Não se repudia a candidatura, nem entendo que seja uma perca de tempo quando se discute. Tenho medo que uma mentira dita muitas vezes se torne verdade. :)

O plural foi usado para 2004 e 2007 por sermos um partido e, como tal, termos responsabilidades partilhadas. Como disse o Rio: a culpa é de todos, sem excepção. :)

jfd disse...

Ok repudiar é palavra forte.

O Rio que diga o que quiser. A culpa minha não foi:) Era o que faltava. Eu fiz a minha parte. Reclamei a quem de direito. :P

Nélson Faria disse...

Limpa-te das tuas responsabilidades :) Esta gente... só são do partido quando corre bem ;)

jfd disse...

Ai ai ai
Não comeces já de manha!
Fui, sou e estou.
Corra mal ou corra bem.

Esse pedido de desculpas mental? Foi aceite :)

jfd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nélson Faria disse...

Hã? Tava a brincar tolo... relax!

jfd disse...

DUhhhhhhhhhhhhhhh ;)

Anónimo disse...

Há sempre uma tendência de os apoiantes de determinado candidato(a) fazerem uma apologia dos seus líderes exacerbando as suas capacidades. Não se deve evidentemente levar a mal...

Compará-los com outras grandes figuras, referentes da história mais próxima ou antiga é outro dos "truques" utilizados...

Ambas se resumem a uma só coisa: criar nas pessoas a convicção de que quem apoiamos se vai revelar uma e outra coisa. O resultado é, na maioria das vezes, um só: a DESILUSÃO.

Desilusão nossa enquanto apoiantes da candidatura que se vem a revelar um fracasso.

Desilusão dos nossos companheiros nos quais criámos uma aura de esperança à volta da nossa candidatura.

Desilusão dos cidadãos que vivem fora da órbita partidária mas estão interessados em dar luta ao Primeiro Ministro e encontrar uma alternativa política sólida de governação.

Nem MFL é a nossa Dama de Ferro, nem PPC é o nosso Barack Obama e muito menos SL o nosso Berlusconi. O líder do PSD, seja ele qual for, vai ser um de entre os seus pares. não esperemos nem queiramos que ele seja mágico, que transforme de um dia para o outro a nossa imagem e relação com os cidadãos. É impossível. Só com todos e cada um a dar o seu contributo será possível.

O nosso Partido tem um passado do qual se pode orgulhar. Foi construído e assente em lutas bem mais fratricidas que as que nós temos conhecido. Essas lutas dividiram mas souberam também fortalecer e enriquecer os que por elas passaram. Tiremos ilações com eles e saibamos também nós hoje ajudar o futuro líder a apresentar-se ao país com um projecto verdadeiramente estruturante.

P.S.(D) - Gostei do post. Os meus parabéns.

EM disse...

O PedroPassosCoelho é bastante conhecido na Jota e também dentro do PSD. Parece-me a mim que vai ser muito apoiado pela malta mais jovem. Eu tenho espírito jovem, revejo-me no PPC. Respeito a veterana Manuela, mas só vejo nela alguém que só é capaz de "arrumar a casa" ("arruma a casa, Manuela ...) e eu quero mais do que isso. E tenho direito a defender isso.

Não sou nem me passa pela cabeça andar a dizer que a Manuela não têm competência para ser primeiro-ministro, porque o futuro ninguém o pode prever. E também não admito que andem a dizer que o PPC não têm competência para o ser, só porque têm medo de alguém que é muito capaz de "limpar a eito" a elite política oportunista do PSD.

"Aos 14 anos aderiu à Juventude Social Democrata de cuja Comissão Política Nacional foi Vice-Presidente (1986-1990) e Presidente (1990-1995). Em 2005 foi eleito Vice-Presidente do PSD, na direcção de Luís Marques Mendes, demitindo-se em 2006. Foi ainda, entre 1991 e 1995, Deputado à Assembleia da República pelo Círculo de Vila Real. Foi Vice-Presidente e Porta-Voz do Grupo Parlamentar do PSD (1996-1999). Em 1997 foi candidato à Câmara Municipal da Amadora, tendo sido eleito Vereador. É, actualmente, Presidente da Assembleia Municipal de Vila Real. Fundou o Movimento Pensar Portugal, juntamente com Paulo Teixeira Pinto, entre outros. Lecciona, desde 2004, Economia Aplicada no ISCE, em Lisboa."

Não têm experiência? Nem capacidades? Deixem-se de coisas.

Bruno disse...

A culpa é de todos sim! Por exemplo, eu recebi um telefonema na altura em que se falava na sucessão de Barroso por Santana. Disse ao meu interlocutor que deveria haver um Congresso logo que possível e que tinha dúvidas se não seria melhor haver eleições, se bem que compreendia que não fazia sentido à luz da legislação.

Foi-me pedido que aceitasse partilhar uma determinada posição com algumas variações em relação ao que eu defendi. De acordo com o que foi argumentado fiz um pequeno esforço de solidariedade e aceitei partilhar essa posição. Assumi-a e assumo-a. Defendi a transição Barroso-Santana tal como ela aconteceu. Arrependi-me... e mais ainda me arrependi por não ter levado a minha opinião inicial mais longe.

Isto para dizer, Jorge, que podemos fazer sempre mais. Mas o importante é que fiquemos com a noção de que fizemos o que seria razoável fazer. O que seria mais apropriado. Desde que isso não implique - nunca! - mudar de opinião só porque dá jeito a alguém.

Bruno disse...

Caro EM, atente neste perfil:

Aos 14 anos aderiu à Juventude Social Democrata. Aos 16 foi eleito para a Comissão Política da sua Secção da qual foi posteriormente Vice-Presidente e Presidente. Foi ainda Presidente da Mesa do Plenário na sua Secção, membro da Comissão Política Distrital da JSD Delegado à Assembleia Distrital do PSD durante vários anos. Faz parte da Comissão Política de Secção do PSD já desde o mandato anterior. Já foi Deputado Municipal e é neste momento autarca na sua Assembleia de Freguesia.

A nível profissional, trabalha em Publicidade e Comunicação desde 1996 enquanto ainda frequentava a Licenciatura de Relações Públicas e Publicidade que viria concluir. Foi Gerente de 3 empresas e tem uma vasta experiência na área comercial que se estendeu a multinacionais como a seguradora Allianz ou a empresa de publicidade exterior líder na Europa JCDecaux.


Podia continuar mas para não ficar muito extenso digo apenas que estou a falar de um cidadão de Almada que, apesar de considerar que têm uma experiência política e pessoal interessante não considera ter a experiência suficiente para ser Presidente de Câmara...

Nélson Faria disse...

Para quem vai limpar a eleito a elite oportunista, PPC sente-se muito à vontade entre eles.

Ninguém pode dizer que PPC é incompetente ou que não tem competência: mas posso dizer que não sei se ele tem competência para ser PM; de MFL poucos poderão duvidar que ela é competente e está à altura da função.

Do currículo apresentado concluímos que foi Deputado e Autarca. E então?

O País não o conhece nem o reconhece. Podemos mesmo arriscar desta forma a um ano e meio de eleições? Não devíamos apresentar o melhor dos melhores nestas eleições, alguém com provas dadas e reconhecidas? Alguém que recupere a imagem do PSD?

P.S. Aquilo a que chamam elites são as pessoas que me levaram a inscrever no PSD. Serviram o PSD, foram governantes de Portugal e são a nossa imagem lá fora.

jfd disse...

Isto para dizer, Jorge, que podemos fazer sempre mais. Mas o importante é que fiquemos com a noção de que fizemos o que seria razoável fazer. O que seria mais apropriado. Desde que isso não implique - nunca! - mudar de opinião só porque dá jeito a alguém.

Desculpa lá Bruno
Mas eu não partilho culpa de nada contigo.
Se eras dirigente. Eu não era.
Se comprometeste a tua decisão. Eu não. Tu tinhas voto. Eu não.
É simples. Certo?

Quanto ao Candidato a Presidente da Câmara, é triste que assim fales. É triste que uses essa comparação. Certamente que te elevarias à altura do desafio.
Triste seria, se deixasses que o teu passado te condicionasse.
Não percebo de onde vem esse cinzentismo. Acho isto tudo muito estranho. Muito mesmo...


Para quem vai limpar a eleito a elite oportunista, PPC sente-se muito à vontade entre eles

Tanta coisa que poderia dizer agora, mas seguirei (apenas neste comentário!) o vosso código de conduta ;)))

P.S. Aquilo a que chamam elites são as pessoas que me levaram a inscrever no PSD. Serviram o PSD, foram governantes de Portugal e são a nossa imagem lá fora.

Ainda bem que o assumes!
Que se mude essa imagem, antes que seja tarde, e seja difícil renovar.
Tu és jovem, sabes que tenho razão. Não podemos viver sempre do mesmo, e estar a capitalizar sempre às custas dos mesmo que tanto já deram ao País e ao Partido...

jfd disse...

Ontem ouvi um apoiante de PSL dizer porque o apoia.
Embora pense que a candidatura de PSL, vá fazer "chover na minha parada", é bonito ver pessoas com alma, garra e paixão.
Oxalá PSL se rodeasse exclusivamente de pessoas assim...

Nélson Faria disse...

Jorge,

Mudar por mudar? Sem saber para onde, para quê nem porquê? Eu não ando à procura de boleia de estranhos. Procuro liderança naqueles que eu conheço, que conhecem e honram o PSD, que não têm vergonha do partido a que pertencem.

Tu subscreves os ataques às elites? O problema do PSD são as chamadas elites? Quem nos dera!

jfd disse...

Enfim.
Eu fui claro. Não sou pastor. :)

Nélson Faria disse...

E responder às perguntas Jorge?

jfd disse...

Oh meu caro é que é já a seguir.

Há mandatários e pessoas que estão com a candidatura que apoias, que são aquilo que menos gosto na política. De certo modo, e para mim, isso representa as elites. O aparelho as conveniências. Não é um ataque, é a minha visão das coisas (de outsider).

Mudar? Maneira de ver as coisas, tratar as coisas, tratar as pessoas, ver as pessoas na estrutura. A tua candidata tem falado imenso no partido, o meu tem falado imenso no país. Prefiro o meu.
O problema do PSD já disse qual é no post Vira Casacas, assim como qual é a minha postura perante o partido, não me vou citar eternamente ;) Viremo-nos para fora. Cansei de catarses.
Daqui a uns meses tenho uma batalha terrível na minha freguesia, e isso parece secundário. Não sendo!

Nélson Faria disse...

Sim, mas que mandatários?

É que essa questão é ridícula: PPC, para quem é tão recente, já anda com uns tantos demónios ao pé dele, não?

Ao menos com MFL sabemos quem manda?

Nas últimas horas só vejo PPC falar é de quanto custa a campanha dele... anda um bocado off-message

PPC faz a campanha dele, tem de explicar o que pensa e porque o pensa. MFL luta pelo partido, não anda ao sabor de novas modas ou política espectáculo.

Até certo ponto já percebemos estas eleições: há 2 grandes candidatos e o outsider, que pelo factor novidade ganha força.

E temos 3 escolhas para fazer:

Reforçar o Partido - MFL

Reformar o Partido - PSL

Renovar o Partido - PPC

jfd disse...

Well, mais uma vez, virado para dentro ;)
Valente abraço, vou para as aulas!!!

PS - Quanto aos demónios, sabes melhor que eu.

Nélson Faria disse...

Para quem é livre e não tem responsabilidades e se gaba de o dizer, parece recear imenso dizer nomes.

Um mandatário, só um, que envergonhe MFL?

Ninguém me viu com medo de dizer que os apoios da ala dura menezista são um mau sinal.

Ninguém me viu com medo de dizer que a escolha do filho de LFM para mandatário distrital é uma vergonha.

Cara Nova, velhos hábitos

E era isso que te devia preocupar... preocupo-me eu por ti, deixa tar :)

teofilo de braga disse...

para os meninos que gostam do santana...

espero que estejam a ver o discurseco de candidatura do homem.

Eu estou a acompanhar, gosto destas coisas.

Mas pelo amor de deus... que enforcamento

jfd disse...

Né,

Sou livre e não tinha.
Obrigado pela preocupação.

Não tiveste medo? Fixe para ti!!!
Emprestas-me a tua bicicleta?:)

Enfim!

Nélson Faria disse...

Como sabes, não gosto de meias palavras.

Em vez de ignorares, responde lá à pergunta:

Um mandatário, só um, que envergonhe MFL?

Sabes que as discussões aqui são para ser levadas a sério, e sei que não queres que isto fique marcado por insinuações.

Quem é o filho do menezes que Manuela Ferreira Leite tem como mandatário?

EM disse...

Bruno.

Não é propriamente um currículo que esteja ao mesmo "nível" que o de PPC. Este foi deputado na A.R. Há alguma falha na comunicação ou é "ruído"?

Nélson.

Antes renovar que quebrar. E antes quebrar que tornar-se populista.

Eu não considero o filho de Menezes uma vergonha (não o conheço pessoalmente mas sei de quem se trata). O teu argumento é dos mais ... que conheço.

Embora não goste de Menezes e do seu estilo, não passo a responsabilidade dos seus erros de liderança para o seu filho.

O mesmo se pode dizer da Helena Lopes da Costa, que é uma política incompetente, mas não penso que o seu filho que conheço, António Lopes da Costa, seja também um incompetente. Fazer isso é extremamente ingrato e só é explicável vindo da tua parte porque achas que "vale tudo" para defender a MFL. Lamento isso.

A elite oportunista que me estava a referir era Rui Gomes da Silva (o tal que gosta de "bater em mulheres"), Pedro Santana Lopes (o tal que "prefere outros colos"), e mais uns quantos deputados a contas com a justiça (António Preto por exemplo).

Nélson Faria disse...

Caro EM,

Talvez não tenhas lido a primeira vez que me referi ao tema Luis Menezes.

Desde o primeiro momento que digo: não conheço, e posso estar a cometer a maior injustiça do mundo, mas porque terá sido escolhido Luis Menezes para mandatário distrital do Porto?

Não é uma coisa pessoal.

Entendo apenas que, como sinal político, um candidato de ruptura não deve indicar como mandatário alguém porque é filho de LFM, numa clara tentativa de fidelizar votos no Porto.

PPC foi questionado directamente por esta escolha por uma jornalista. Resposta: "apesar de não ter currículo na política activa, é um jovem de futuro".

Não vamos negar o óbvio: o móbil foi ganhar votos despudoradamente. Desiludiu-me.

Nélson Faria disse...

E, correndo o risco de não ter lido outros escritos meus EM, permita-me que lhe diga:

gosto de PPC, gosto do seu discurso. Penso apenas que se está a perder nesta campanha em coisas menores. É o problema de quem começa uma campanha para perder, sem vergonhas, e entende a meio que pode ganhar... tornando-se igual a qualquer outro.

Não ataco PPC, nem sequer PSL que hoje fez um bom discurso de apresentação, mas não deixo de questionar.

jfd disse...


Em vez de ignorares, responde lá à pergunta:

Um mandatário, só um, que envergonhe MFL?

Sabes que as discussões aqui são para ser levadas a sério, e sei que não queres que isto fique marcado por insinuações..


Da minha parte, fica exactamente como ficou. Classifica como quiseres.

Nélson Faria disse...

Não classifico, concluo: mais uma vez, acusações sem fundamento e pudor em admitir que erraste.

Agora o Scolari:

E o arrogante sou eu?

eheheh

jfd disse...

"É quando nos vemos ao espelho no nosso próprio jogo, que a coisa nos sabe mal!"

jfd, 6 de Maio:)

EM disse...

Sim , Sim, estás a cometer uma injustiça. Foi o filho de Menezes que quis aderir ao movimento de PPC, porque:

a) Luís é da JSD.
b) É um jovem gestor e é bastante conhecido na JSD do Porto.
c) PPC representa para ele, tal como muitos da JSD embora tu não o queiras admitir, o líder que eles querem à frente do PSD.
d) PPC atacou politicamente o pai dele mas manteve o nível.

E para ser mais exacto, Luís Menezes é mandatário para a juventude no distrito do Porto.

Acho "muito baixo" esse tipo de associações. É como se tivesses a dizer que PPC é "Menezista" só porque um mandatário distrital para a juventude é filho de Menezes. É como chamar homossexual a um tipo só porque ele namora com uma miúda que têm um irmão gay. Sinceramente. Onde é que está a lógica? Porra, pá!

EM disse...

Dizes isto, Nélson:

"Não ataco PPC ..."

Antes disseste isto:

"Não vamos negar o óbvio: o móbil foi ganhar votos despudoradamente. "

Se isto não é um ataque então é o quê?

Nélson Faria disse...

EM,

não é um ataque, é uma evidência.

E neste ponto estou desiludido.

Não nego, nem nunca neguei que há muita JSD que defende o PPC. Que Luis Menezes seja um dirigente conhecido do Porto.... e eu conheço bem o Distrito do Porto EM.

Foi uma jogada política. Nunca classifiquei PPC de menezista, mas esta jogada fica-lhe mal. Não precisava.

Nélson Faria disse...

ERRATA

EM,

não é um ataque, é uma evidência. ;)


É de facto o que eu acho. A tua resposta era a que eu esperava de PPC... mas na rtp2 dia 25 de abril o desconforto de PPC foi mais que evidente.

E não precisava

jfd disse...

... e dura, e dura, e dura....

EM disse...

Então o que achas, evidência ou não, é de facto, uma crítica negativa a PPC, porque achas que ele não devia ter escolhido o filho de Menezes porque podia dar má impressão, na tua opinião.

Estou esclarecido. Para ti, um candidato não pode ter como mandatários qualquer um dos 20% dos militantes do PSD que votaram em Menezes, e quanto mais próximo de Menezes pior. OK.

Só falta dares o seguinte passo e começares a dizer que PPC não deve pôr o pé em Lisboa como candidato porque MFL têm muitos apoios no distrito de Lisboa. Super.

Discordo completamente da tua opinião porque pretende limitar a liberdade de um candidato escolher quem bem quiser para seu mandatário.

Nélson Faria disse...

O problema não é ter votado, apoiado ou ter sido mandatário de Menezes.

Infelizmente, e digo-o sinceramente, PPC dá um péssimo sinal quando escolhe alguém para mandatário da juventude no distrito do porto cuja notoriedade se deve ao seu pai.

Nas palavras de Herman José:

Não habia nexexidade

jfd disse...

Já li e li de novo!
E do que percebo, dá um péssimo sinal porque, quando lhe colocam essa questão, ele não respondeu da melhor forma?
É isso?
Ou há outra resposta?