sábado, maio 24, 2008

Funcionários a menos, filas a mais?

Quem não passou horas no Governo Civil à espera para tirar o passaporte, ou na Loja do Cidadão para renovar o BI? A mim saiu-me o Euromilhões ontem quando passei três horas no Governo Civil de Lisboa para pedir o passaporte. E tinha esperado mais se tivesse feito um pedido normal, porque acabei por recorrer ao urgente para evitar tempo de espera (pelo menos mais uma hora e meia).
Todos os dias ouvimos que há excesso de funcionários na função pública. Sabemos que há milhares de funcionários públicos na mobilidade. Sabemos que uma das bandeiras deste Governo tem sido a reforma da Administração Pública. Qual é o verdadeiro impacto destas medidas na vida dos portugueses? Aparentemente o dia-a-dia do cidadão que precisa de recorrer a um serviço público, continua a enfrentar enormes filas de espera para ser atendido de forma breve e, por vezes, desadequada.
Chega de marketing e de medidas ocas e ineficazes. É urgente a verdadeira reforma da Administração Pública.

4 comentários:

Nélson Faria disse...

O problema é não se poder reformar a AP sem se pensar primeiro qual deve ser a função do Estado.

O Governo já fez coisas muito importantes ao acabar com os vários regimes especiais dentro da AP e as mais de 70 carreiras distintas.

A verdadeira reforma da AP só se fará depois da discussão mais adiada: quais são as funções do Estado.

Mas que partido quer falar disso em oposição?

xana disse...

O exemplo dos notários é paradigmático. A melhoria no serviço prestado ao cliente foi notória. E agora vê-se a opção governativa nesse sentido...

Acho que o grande mal quando se recorre a este tipo de serviços é mesmo o facto de não sermos vistos como clientes.
Há inúmeras falhas, desde organizacionais até às tão conhecidas falhas dos recusos humanos (mau atendimento para começar).

Paulo Colaço disse...

Secundo as palavras do Né.
O PSD tem de fazer uma grande reflexão em torno das funções do Estado e depois decidir-se pelas propostas a fazer ao país.

Depois saberemos se temos ou não funcionários a mais e como os devemos distribuir.

Francisco Castelo Branco disse...

é por coisas destas que o meu BI está caducado há um ano hehehe