terça-feira, maio 29, 2007

Eu estou aqui a lutar pelo meu futuro...

Watch and learn!

segunda-feira, maio 28, 2007

Não bate a Ota com a perdigOta II


3. A Ota é um pântano e encontra-se sobre uma falha sísmica. Para consolidar o terreno precisamos, para além da terraplenagem, de melhorar 118ha instalando 235.617 colunas de brita (2600km). Parte desta obra custará €87 milhões... só para melhorar um pouco de terreno. Porquê construir na Ota?

4. O custo total é de €2.102 milhões, com apenas 7% previsto... para imprevistos (€131 milhões). Esta verba não inclui obras fluviais (a Ota é um leito de cheias), desvio das linhas de alta tensão - 7km e custo superior a €30 milhões -, a relocalização do parque de combustível de Aveiras de Cima (250 mil metros cúbicos de combustíveis vários) e o custo da plataforma (€480 milhões, cerca de 23% do custo total). Se nada disto está previsto, porque prevemos construir na Ota?

5. É-nos impossível expandir a Ota, é-nos impossível construir de forma faseada - as terraplenagens e a regularização hidráulica impedem-no-, é-nos impossível começar o aeroporto sem as obras preliminares, de sobreposição impossível, que aumentam em 3 anos o prazo de execução, é-nos impossível garantir a resistência a um sismo, já que é aí que se localiza a falha que originou o terramoto de 1755 e o de Benavente em 1909... porquê a Ota?
P.S. Agradecer ao Eng. Luís Leite Pinto, licenciado pelo IST e especialista em Estruturas (CHEC Paris) pelo magnífico artigo no Expresso umas semanas atrás.

Não bate a Ota com a perdigOta I


Vou tentar que seja curto... mas eis coisas que o Governo não explica quando fala do deserto da margem sul ou das pessoas que têm cancro no pulmão.
1.Em 1969 começam os estudos do novo aeroporto: 5 localizações, todas na margem sul. Em 1982 passam para 12 localizações, 7 na margem Norte, e conclui-se que a margem sul é melhor. Em 1998, a ADP - os que gerem o aeroporto de Paris - analisam somente 3 hipóteses: Super-Portela (ilusão), Ota (demasiados obstáculos) e Rio Frio (a melhor hipótese). Em 1999 o Ministro, perante estas 3 hipóteses, prefere a Ota por razões ambientais.
Porque não se estudou mais localizações, se em 1982 havia 12 a serem estudadas? Porque se manteve apenas uma hipótese na margem sul a ser estudada (e logo Rio Frio, que já na altura se conhecia os entraves ambientais), quando em 1982 se alegou que um aeroporto na margem sul era preferencial?
2. Se o relevo é um obstáculo - fraca aptidão para a instalação de plataformas extensas e niveladas -, se os movimentos de terra implicam a terraplenagem de 1100ha - a disparidade vai entre 76m acima do nível do mar e os 2m -, se tal nos vai custar mais de €310 milhões e irá levar cerca de dois anos e meio com uma intensidade de trabalho de 90h\semana, porque não ponderamos outra hipótese?

domingo, maio 27, 2007

Papa recebe pais de Maddie


Este desaparecimento, para mim, atingiu o cúmulo da irritação quando temos um papa que vai receber os pais da criança. Uns pais que foram negligentes ao deixar a filha sozinha no quarto enquanto se divirtiam e jantavam. Todos os dias o aparato da comunicação social se reflecte na Maddie e na rotina dos pais desta. E ninguem se lembra que isto começou com a sua negligência em relação aos filhos.
Já para não falar de tantos miudos portugueses que desaparecem e não tem as mesmas regalias que esta inglesa tem, inclusive a recepção do papa. Será que é necessário ser turista para a nossa PJ trabalhar mais?

Talvez achem que estou a ser radical de mais mas este desparecimento e o aparato que a comunicação social lhe dá já me causa alguma "comichão". E os amigos psicoticos que pensam disto?

sábado, maio 26, 2007

Ser "tuga"


Para quem acha que Portugal é um país 3º mundista e que o que é tuga não presta:


- Sabem o que é que a NASA, a Agência Espacial Europeia, o Metropolitano de Londres, os caminhos de ferro holandeses, noruegueses, dinamarqueses e finlandeses têm em comum?

Todos usam software português para evitar que os seus sistemas informáticos vão ao ar e as coisas comecem a fazer BUM!


- Sabem o que é que a Samsonite, a Nokia, a Mercedes e a Porsche têm em comum?

Todas concordam que Portugal está no topo do que melhor se faz na indústria dos moldes, e recorrem frequentemente ao talento e à engenharia portuguesa para muitos dos seus produtos.


- Sabem que marcas o que é que as marcas Fepsa e Vicri têm em comum?

Para além de serem portuguesas, são as marcas preferidas de Tony Blair, do Rei de Espanha, e de Bill Clinton. E ainda de Hugh Grant, Ben Affleck e do nosso Luís Figo.
Mas não para por aqui:Lanidor, Dielmar, Diniz e Cruz, Ímpetus, Salsa Jeans são todas marcas em crescimento das quais ainda muito se vai ouvir falar.


- Sabem o que é que noventa milhões de pessoas por todo o mundo têm em comum com o George Lucas?

São fãs do calçado português. De facto, não só Portugal é um dos países da linha da frente na tecnologia do calçado (inventámos, por exemplo, o sapato à prova de bala) sendo o 3º maior exportador da Europa, como foi a marca portuguesa Swear a fornecer os sapatos para os filmes "Guerra das Estrelas". Isto sem falar de marcas como a Fly London, a Yucca e a Aerosoles que também estão a crescer.


- Sabem o que é que a Mobycomp, a Quadriga, a Ydreams e a Portugal Telecom têm em comum?

São consideradas das mais inovadoras no seu sector em todo o mundo. De facto, não só foi em Portugal que se inventou o pré-pagamento por multibanco, como as três primeiras são as responsáveis pelo software de diversas empresas conhecidas como a Adidas, a Vodafone ou a Nokia.


- Sabem o que é que a Vista Alegre/Atlantis tem em comum com as 10 principais marcas de porcelana em todo o mundo?

Pertence a elas. E não só. Spal, Topázio, Cutipol ou Sátira são todas marcas portuguesas conhecidas em todo o mundo.



Tuga? Sou. E ainda bem...

quarta-feira, maio 23, 2007

O Deserto do Lino

Olá! Chamo-me Bruno Ribeiro, e sou uma das muitas pessoas que vive na Margem Sul. Ou se calhar não...

Estudei na Escola Secundária Anselmo de Andrade que fica na cidade de Almada. Ou se calhar não...

A minha Avó foi recentemente operada no Hospital Garcia de Orta, aqui na Margem Sul. Ou se calhar não...

Há pouco fui ao Centro Comercial. É grande, tem muitas lojas. E há mais uns quantos aqui na Margem Sul. Ou se calhar não...

Não sei bem, estou com algumas dúvidas... Se calhar convidava-vos a virem cá ajudar-me a perceber isto. Podemos encontrar-nos na cidade da Costa da Caparica, em frente ao hotel. Pode ser?

Ah! Se calhar não... é que ouvi há pouco um senhor Ministro dizer que aqui para os meus lados não há gente, nem cidades, nem escolas, nem hospitais, nem comércio, nem hotéis...

terça-feira, maio 22, 2007

A Turquia na UE?

Estou a desenvolver na disciplina de Área de Projecto um trabalho sobre a possível entrada da Turquia na UE. Criei então o blog http://www.uerquia.blogspot.com com o intuito de dar a conhecer os passos que vou dando para a sua execução e daí resultar um debate sobre o tema. Estando já na recta final do trabalho, gostaria de saber a opinião do Psico sobre esta questão tão controversa.

domingo, maio 20, 2007

O erro de Portas

O regresso de Paulo Portas prometia o nascer de uma direita como nunca a tínhamos visto e como precisávamos, uma direita descomplexada quanto ao passado e vibrante no que toca aos desafios do futuro.

A sua entrada de rufia no Conselho Nacional de Alcobaça acabou com o capital acumulado ao longo de alguns anos de governo. Indesmentivelmente, Paulo Portas foi dos poucos agentes políticos que não sai chamuscado da coligação PSD\PP, tendo inclusivamente usado esse período para se afirmar como homem de Estado

A sua precoce militância na JSD comprova algo que Portas passou metade da vida a desmentir: o poder que o poder exerce sobre ele. Não é censurável que alguém almeje o poder, o que é censurável é que se desminta e negue tal fascínio quando ele é tão gritantemente evidente.

Com o regresso de Portas nem a direita ganhou um novo líder nem a oposição encontrou liderança. Portas quer ser o Presidente de um partido ocupando a presidência de outro – é um ocupa! Do largo do Caldas ele pretende ocupar o espaço reservado à Rua de S. Caetano à Lapa, recorrendo ao discurso que os militantes deste outro partido desejam ouvir.

Qual é o risco? O delírio em agradar aos militantes do PSD produzirá três resultados: perderá o seu eleitorado, mais ideológico que pragmático; não ganhará o eleitorado do outro, por ele ser sempre um ser estranho ao partido, um agente externo; perderá o eleitorado que ganha eleições, o centrão, ao qual a linguagem virada para dentro dos partidos não interessa.

Portas não é líder do PSD nem é bom para a direita que ele se afirme como mais um sniper que debita opiniões para dentro do PSD. Mutatis mutandis, o espaço dele é o do homem novo, do líder da nova direita… é o da direita de Aznar - Barroso tentou mas falhou - a direita de Sarkozy e, quem sabe, a direita de Cameron.

É por um homem destes que o país anseia e a direita necessita… é este homem que os partidos teimam em não dar.

sábado, maio 19, 2007

Lá vai Lisboa...


António Costa, o antigo n.º 2 do Governo socialista, é o candidato à Câmara Municipal de Lisboa.
Há quem diga que é o melhor candidato que o PS podia apresentar. Um prestígio para Lisboa, tão significativa terá sido a aposta dos socialistas. Mas há quem veja por outro prisma, e reconheça neste acto, mais uma vez, a astúcia política de Sócrates.
O panorama não podia ser melhor para o PS, a oposição está de rastos, e só a candidatura de Helena Roseta e um forte candidato do PP poderá animar a disputa. Fala-se em António Lobo Xavier, mas Paulo Portas é bem capaz de dar a cara e avançar, como cabe a um líder.
Mesmo assim, a vitória está já anunciada, vamos ver é porque números, o que significará uma vida mais ou menos tranquila para Costa como edil de Lisboa.
E esperemos que a campanha não se torne tão difícil que tenha que recorrer a certos “números”, sejam eles corridas de burro e de Ferrari ou mediáticos mergulhos no Tejo...

terça-feira, maio 15, 2007

Mortífero

Santana Lopes sobre a recusa de Seara:


É estranho que este partido, ainda por cima não estando no Governo, não tenha mais ninguém para ser candidato que não um presidente de câmara em funções noutra autarquia.

Não há ninguém da brigada da ética que esteja disponível para este desafio?
Ferreira do Amaral já recusou por ter sido deixado uma semana à espera. Já se tentaram lançar os nomes Azevedo Soares, Miguel Macedo e Manuel Lencastre. Não pegam...

Isto vai de mal a pior! Porque é que Marques Mendes não foi, desde logo, candidato?

segunda-feira, maio 14, 2007

25 de Abril Sempre? Mas mesmo Sempre!


E não só quando nos dá jeito…

Desde há muito me faz confusão a forma como a esquerda, e principalmente o PCP, se tentam apropriar do exclusivo da Liberdade (ideia que, felizmente, já vai sendo desmistificada) mas não se cansam de dar provas que têm algumas dificuldades em conviver com esse valor. Bastará lembrar por exemplo a forma como tem tratado alguns dos seus militantes que ousam discordar da política seguida pela Direcção ou as “eleições de braço no ar”.

Mas não é só! Eu, que sou autarca num concelho que sempre foi dominado por uma maioria CDU (Almada), sou testemunha da forma autoritária e pouco respeitadora das diferenças de opinião como os autarcas comunistas se comportam. Mas como é óbvio a paciência tem limites! E foi isso que aconteceu no Seixal, onde a JSD local decidiu não compactuar com atitudes pouco respeitadoras da liberdade de expressão e que só demonstram o desconforto do PCP em ter que conviver com outras forças partidárias e com o direito à opinião que tanto reclamavam antes de Abril.

A Câmara Municipal do Seixal decidiu mandar retirar um cartaz colocado pela Jota por este se encontrar “em solo composto por relva e outros vegetais” o que, no entender da edilidade, afectava a estética o ambiente e a paisagem. Pois bem, a Comissão Nacional de Eleições que é – essa sim e não qualquer Câmara Municipal – a entidade responsável por decidir sobre estas matérias, achou que não! E sustentou-o dizendo que uma demonstração disso mesmo era o facto de no mesmo local se encontrarem várias estruturas com publicidade comercial autorizada. Autorizada pela Câmara Municipal que, como se sabe, aí sim tem poder de decisão. Mais ainda, criticou a atitude da CMS por esta interpretar a lei de forma restritiva no que diz respeito a "direitos, liberdades e garantias".

A história toda está documentada numa nota informativa da CNE, relativa ao ponto 2.1 da Sessão nº64/XII. Quem estiver interessado em mais pormenores poderá consultá-la. O que interessa a todos - penso eu - é que, mais uma vez, a Liberdade Venceu!

segunda-feira, maio 07, 2007

O valor do dinheiro


José Sócrates, assim como o líder da bancada parlamentar do PSD Luís Marques Guedes, entre outros, doaram hoje células estaminais de medula óssea. E bem!
Lembraram uma causa. Deram o exemplo.
Por força da idade, o nosso primeiro ministro teve de efectuar o pagamento da quantia de 110euros para poder fazer a doação.
Claro que uma vida não tem preço! Mas, tendo em conta que é quase um terço do salário mínimo nacional, a frase do Sr. Engenheiro soa malzito:
"Afinal, são apenas 110 euros!". J.S.

domingo, maio 06, 2007

Europa: Novos Desafios

Até onde vão as fronteiras da Europa? Que fazer com o Projecto de Tratado? Que reforma institucional se fará? Quais são as prioridades políticas da Comissão Europeia?

Disto e muito mais se falará amanhã, dia 7, pelas 21h na sede da Secção B (Campo Pequeno Nº16 3º), com a Prof. Graça Carvalho, membro do BEPA - Bureau of European Policy Advisers -, gabinete encarregado de recomendar políticas ao Presidende da Comissão Europeia e seus Comissários.

Mais uma iniciativa promovida por psicóticos.

sexta-feira, maio 04, 2007

COMO OPINAR SEM OFENDER


“Um homem de 85 anos estava a fazer o seu check-up anual. O médico perguntou como ele se estava a sentir, ao que o velho respondeu: - Nunca me senti tão bom.
A minha nova esposa tem 18 anos e está grávida…, espera um filho meu. Qual a sua opinião a meu respeito doutor?
O médico reflectiu por um momento e disse: - Deixe-me contar-lhe uma história: eu conheço um tipo que era um caçador fanático, nunca perdeu uma única época de caça. Mas, um dia, por engano, enfiou o seu guarda-chuva na mochila em vez da arma. Quando estava na floresta, um urso repentinamente apareceu na sua frente. Ele sacou o guarda-chuva da mochila, apontou para o urso e..., BANG.............., o urso caiu morto.
Disse o velhinho:- HA! HA! HA! Isso é impossível…, algum outro caçador deve ter dado um tiro no urso.
Exactamente!!!”

Continuo a apoiar o Dr. Marques Mendes, respeito aqueles que tem opinião diferente mas acho que deve haver um pouco mais de respeito pois, quer se goste quer não, foi ele que a maioria dos militantes do nosso partido escolheu para líder.

quinta-feira, maio 03, 2007

Sweetest?



N'A Grande Entrevista de hoje, o líder do PSD, Dr. Luís Marques Mendes, não quis pronunciar-se sobre qual o candidato que quer ver disputar as eleições intercalares à Câmara Municipal de Lisboa. Tendo mesmo admitido que neste momento é um assunto tabu.

Ora, para nós no Psico não há temas tabu.

E eu estou curiosa para saber quem é que os companheiros psicóticos acham que se perfila.

terça-feira, maio 01, 2007

Adjectivos de Conveniência


Caiu um mito: ser independente de partidos é sinal de competência imensurável e capacidade divina. Não, não o é. A ocupação de cargos públicos por cidadãos sem militância partidária não é sequer sinónimo de ausência de ruído, suspeitas e acusações.

A irrelevância do estatuto de arguido para Fontão de Carvalho face à posição do partido pelo qual foi eleito é uma ausência de tudo: raciocínio lógico-dedutivo, equilíbrio no juízo, bom senso. Só superou as expectativas numa categoria: esperteza de vão de escada.

Sem comparação é a pálida imitação feita por Carmona do episódio cavaquista Pulo do Lobo nesta sua deslocação ao estrangeiro para uma exposição, ou a inusitada incursão pelos meandros da Maçonaria numa putativa e injustificada doação de um Palácio à Loja Regular. Mais uma esperteza de vão de escada.

A excelência técnica per si não é igual a capacidade de liderança ou a bom trabalho. O que faz falta a Portugal são bons políticos, militantes ou não, mas nunca tipos -que - dizem - não - ser - políticos - mas - que - adoram - as - objectivas - e - detestam - militâncias - partidárias (excepto - no - que - toca - aos - jogos - que - o - permitem - estar - sob - as - objectivas - durante - mais tempo).

Não há lugares para independentes e outros para políticos; ser independente não é carimbo de excelência, ser político não é o equivalente a nepotismo e ausência de critérios adequados na escolha pública.

Só precisamos de um tipo de Homem na política portuguesa: o Homem certo! O resto são adjectivos de conveniência.