terça-feira, maio 13, 2008

Apito esquizofrénico



Soube-se na semana passada o resultado das investigações do caso Apito Final (a versão softcore do Apito Dourado, diga-se que quem escolhe estes nomes devem ser os mesmos que traduzem os nomes dos filmes).

Independentemente das maiores ou menores qualidades da decisão tomada, finalmente há culpados, finalmente há rostos para os crimes, finalmente os brandos costumes passam a penas reais.

E eis senão quando vêm os paladinos da verdade dizer que afinal do que se trata é de bodes expiatórios, que isto é só fachada, que é região x contra y.
Pasme-se, chegou-se ao ponto de afirmar que comportamentos eticamente reprováveis, que configuram em qualquer caso da vida normal situações de para-criminalidade e que no futebol pela natureza de que se reveste o desporto são ainda mais graves, "têm de ser entendidos no contexto da natureza humana" (José Guilherme Aguiar). Pudera, até a pedofilia ou o homicídio têm de ser enquadrados nessa perspectiva, como aliás todos os actos do "bicho Homem".

Portanto, não interessa se há mais culpados, interessa é desculpar os que o já são.

Afinal que porra de país queremos???

20 comentários:

Nélson Faria disse...

É de facto impressionante esta história do Apito Final.

Perguntas legítimas que, asseguro, nada têm a ver com o clube a que pertenço (ainda que reconheça que pensem o contrário ;):

- Pinto da Costa é suspenso mas mantém em actividade. Simplesmente não representa o FCP na FIFA, UEFA, FPF e Liga, nem pode assinar cheques. E então?

- Porque desce o Boavista e mais ninguém (esta admito que faça por falta de informação)?

- Porque sai o caso na última semana do campeonato? Porque não começa o FCP o próximo campeonato com pontos negativos em vez de retirarem 6 já este ano? É isto uma pena com o avanço que têm (e merecido)?

- Porque não retiram o título ao FCP?

Eu compreendo que pensem que seja ressabiamento benfiquista. Mas digo-vos desde já: não estou de todo seguro que não venha cair qualquer coisa na Luz; e falo com a quase certeza de vir a ter o José "Filho do Dragão" Veiga a suceder a LFV.

É a vida ;)

Bruno disse...

Realmente, João, também fico revoltado ao ver as presentes tentativas de branquear os factos que se foram apurando nestas investigações. Mas não digo que fique espantado ou surpreendido porque são conversas que vêm de especimens como o já citado Zé Guilherme...

Em relação às perguntas do Né, deixem ver se posso ajudar: supostamente, só o Boavista leva a pena de descida de divisão porque foi o único a prevaricar o suficiente para tal.

O FCP e o Leiria são culpados de "Corrupção" mas a descida de divisão não se consuma por não ter havido resultados dessa acção (ao que parece, porque não venceram os jogos em que se provou que praticaram tais actos).

Já o Boavista foi considerado culpado por "Coacção", acto que é considerado mais grave (o que até tem a sua lógica pois envolve ameaças, por exemplo) e que, mesmo sem resultados práticos, leva à descida de divisão.

Tudo isto faz parte de uma série de "coincidências" estranhas neste caso:

- O FCP perde 6 pontos quando já tem 20 de vantagem...

- O Leiria perde 3 quando já tinha descido...

- O Boavista desce de divisão quando atravessa uma crise gravíssima e provavelmente não iria sequer conseguir reunir as condições financeiras para competir na Primeira Liga...

- Ao que parece em todos ou quase todos os jogos em que se conseguiu provar que os clubes e agentes desportivos andaram a brincar aos mafiosos, o cluber prevaricador nunca ganhava... (esta é a melhor de todas!)

O Né reclama penas mais pesadas e eu concordo! Os árbitros foram punidos de forma bem mais severa, alegadamente porque têm responsabilidades acrescidas e devem estar acima de qualquer suspeita. Bonito não é? Vê-se logo que foram os clubes a fazer os regulamentos...

Paulo Colaço disse...

Nota prévia: sou benfiquista.

Saúdo a decisão, ainda que fraca.

Acho que a alma e o ser dos portugueses ficaram gravados no velho Tratado de Evoramonte, símbolo dos nossos brandos costumes.

Parece que não sabemos cortar a direito! Parece que não temos firmeza nas nossas decisões.

Para fechamos uma porta temos sempre de abrir uma janela?

Quando se pune um prevaricador, não se mostra os dentes!

Quando eu ralho ao meu cão, não lhe faço festas a seguir!

Mas nós temos pena. Ou medo, que é pior.

Esperemos que a instância de recurso tenha tomates (exactamente, e sem aspas!) para manter a decisão.

E esperemos que agora se saiba: se o tubarão foi punido, a sardinha também pode vir a ser.

jfd disse...

Não seria fiel à minha pessoa, se aqui não viesse dizer:
Que se lixe a porcaria no futebol, e que vão todos dentro!

Cansa-me a energia gasta neste país à volta destas tretas.

PS - Outra coisa que me irrita, completamente ao lado... Nos anúncios da Galp, de apoio à selecção Nacional não vi ainda uma pessoa que não seja Branca (ou temos de esperar pelo jingle cantado em rap???... Bela forma de celebrar a sociedade multicultural. BAH Hipócritas!

Paulo Colaço disse...

Hummm.
Uma reflexão: uns acham que o eticamente correcto multiculturalismo nos anúncios é hipocrisia. Outros acham que não mencionar a diversidade nos anúncios é racismo.

São duas perspectivas. Eu não digo "negro", digo "preto". Acho ridículo termos de usar palavras mitigadas ou ter medo das palavras.

Se eu fizesse um anúncio para TV (tal como dirijo as peças gráficas da Punch) não teria essas preocupações apenas pelo eticamente correcto.

Senão teria de meter um árabe, um asiático, um velho, um novo, um aleijado, uma grávida, um careca, um míope, um cangalheiro...

jfd disse...

Não falei em racismo.
E nem é preciso extremos.
Se fazes um anuncio que representa o Amor que uma Nação tem à sua Selecção, sendo ela dirigida por um estrangeiro, e tendo várias origens encerradas em si, não deveriam os figurantes reflectir um pouco disso?
É simples, não vale a pena complicar!
:P

Paulo Colaço disse...

Não é uma questão de complicar, Jorge.
Acontece é que os entendimentos quanto a isso são muito diferentes.
E vemos, muitas vezes, problemas ou motivações escondidas onde, quanse sempre, há apenas acasos.

Diogo Agostinho disse...

Champions: FC Porto pode ter a participação em risco

Ex-director executivo da Liga de Clubes, o advogado Cunha Leal defendeu, esta quarta-feira, que a presença do FC Porto na próxima edição da Liga dos Campeões pode estar em dúvida, devido à condenação do clube no processo «Apito Final».
A notícia faz manchete na edição desta quarta-feira do jornal A Bola, que acrescenta que Cunha Leal baseia a sua opinião no inscrito na Alínea D do Regulamento Disciplinar da UEFA.

Criada em Janeiro de 2007, esta determinação visa impedir a repetição de situações como a que ocorreu com o AC Milan, que, condenado na sequência do processo Calciocaos, tendo inclusivamente perdido pontos no campeonato italiano, não deixou de participar nas competições europeias desse ano.

O jornal revela ainda que os clubes portugueses interessados no assunto, como o V. Guimarães (entraria directamente na Champions), o Benfica (jogaria a 3.ª pré-eliminatória), o Sp. Braga (iria à Taça UEFA) e o Belenenses (poderia suscitar a questão da Taça Intertoto), estão na disposição de pedir uma clarificação sobre a matéria junto da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), levando o organismo a pedir um parecer à UEFA.

Noticia de hoje!!!

Diogo Agostinho disse...

O Bruno colocou no ponto todas as questões.

São coincidências a mais...

Acho que neste caso há mérito de um senhor que passou por caduco: António Dias da Cunha

Falou do sistema e deu os nomes da cara do sistema. Pinto da Costa e Valentim Loureiro.

Mas gosto da ideia do Né!!!
Porque não perde o título?:)

Paulo Colaço disse...

Não perdeu o título, pois não?

Um... faz-me lembrar um excerto do bíblico do Livro de Jo: "Até aqui chegarás, não mais além".

Estranho que algumas decisões parece não avancem mais.

jfd disse...

Paulo eu falo em factos! Obviamente com um propósito!

Diogo, no dia que isso acontecer, volto a acreditar que isto afinal não é um ninho de vigarices!:)

Bruno disse...

Eu gostava de saber mais sobre o Calciocaos. Foi um caso histórico e como quase sempre, infelizmente, acontece foi mal explicado na comunicação social portuguesa...

Sobre este Apito Final/Apito Dourado, temos que viver com os regulamentos que temos... E, neste caso, parece que só se podem retirar pontos e não são muitos porque não foram assim tantos os casos em que se deu como provado que houvesse acções reprováveis.

A questão é saber se o facto de se ter prevaricado num jogo que seja não deveria ser suficiente para que esse prevaricador levasse uma pena à séria. Por isso digo que gostava de saber mais sobre o caso em Itália. Lá acho que a punição também foi em pontos mas não conheço bem os contornos. Será que as penas foram mais pesada só porque foram detectadas mais ocorrências?

Por mim, penso que qualquer clube que tenha nos seus quadros um agente que se meta neste tipo de "porcaria" deveria ser fortemente punido para que os seus associados saibam que devem ter cuidado com quem elegem.

E não tenho dúvidas de que viciar ou tentar viciar um jogo que seja deveria anular imediatamente todos os títulos desportivos obtidos nessa época e dae descida de divisão! É que é só isso que dói a esta malta. E assim já não tínhamos que aturar a bazófia do "ex" de Carolina Salgado a dizer que não vão recorrer dos 6 pontos porque têm 20 de vantagem...

Bruno disse...

jfd disse...
(...)
Nos anúncios da Galp, de apoio à selecção Nacional não vi ainda uma pessoa que não seja Branca

Então e o Quaresma pá? (brincadeirinha pa ver se vocês descontraem, hehe!)

Bruno disse...

Diogo Agostinho disse...
(...)
Acho que neste caso há mérito de um senhor que passou por caduco: António Dias da Cunha
(...)

Tem razão sim senhor! O que não quer dizer que ele não seja mesmo meio "lélé da cuca".

Puxando a brasa à minha sardinha lembro que também Luís Filipe Vieira teve um papel importante ao pressionar a Liga e a Federação para que os culpados fossem mesmo punidos em termos desportivos. E não me esqueço que foi apanhado numa das escutas dizendo ao Major que não estava interessado em escolher árbitros para os jogos do Benfica porque preferia outro caminho.

João Marques disse...

A questão que o Bruno coloca é fundamental, QUALQUER clube que tenha gente desta deve repensar-se e isso não excepciona ninguém. Eu estou para ver se há mais culpados, mas menos sei que não há, tenho a certeza absoluta.

O meu post é também de revolta, porque o que se passa no futebol é indicativo do ambiente que se respira em Portugal. Devemos ser dos países que menos gente condena por casos de corrupção e tráfico de influências. São muitos e vários os casos famosos que por aí passam e que depois desvanecem na espuma do tempo. Seja por falta de meios ou de vontade continua a imperar a impunidade, e esta, como se sabe, é o ninho onde pernoitam a fraude e a mentira.

Choca-me este estado de coisas e chocou-me profundamente ver, no Prós e Contras de Segunda-feira, um Portugal que sorri perante a impunidade e a desvergonha. Mas choca-me mais ainda que uma pessoa com a formação da Fátima Campos Ferreira termine o programa bajulando o Major Valentim Loureiro dizendo-lhe que é preciso muita coragem para "enfrentar as feras" (palavras minhas) daquela maneira.

Nem ela percebeu que a ele já só lhe interessa o julgamento da opinião pública, o único onde pensa poder ganhar e abrir caminho a mais um mandato autárquico.

"Tudo isto existe,
tudo isto é triste,
tudo isto é fado!"

Luís Nogueira disse...

Nem mais João...
.
Quando dizes que o teu post "é também de revolta, porque o que se passa no futebol é indicativo do ambiente que se respira em Portugal", palavras para quê?

Nélson Faria disse...

Vinha falar da notícia de hoje sobre FCP e Champions mas o Diogo antecipou-se.

Isso sim é punição. Bem como a perda do título, que faria com que o Sporting fosse campeão nessa época.

Tal como aconteceu com o Inter em Itália.

Paulo Colaço disse...

Parece que não.
Creio que já vieram esclarecer esse assunto.
Parece incrível!

Anónimo disse...

A vantagem de discutir o apito final/dourado é alguma descontração que nos provoca e poder ouvir as mais altas considerações sobre o direito.

Mas mesmo assim permito-me deixar algumas dicas:

- O FCP não desce porque os regulamentos não prevêm descidas para a corrupção na forma tentada. O Boavista é acusada de coação na forma consumada.

Não acredito na justiça desportivo e digo-lhes porque:

- a Senhora Dona Carolina Salgado (essa mesmo que representa a classe representada na TIMES pelas mães de Bragança) começou por dizer que não sabia quanto havia no envelope, agora já sabe.

- Começou por dizer que Pinto da Costa conbinava no camarote presidencial com o Major, agora soube-se que o Major não via os jogos no camarote presidencial.

- Falou depois de encontros num restaurante, a cozinheira disse agora em tribunal que nunca lá viu o major almoçar com Pinto da Costa.

- Mas... esta mesma senhora dona escreveu um livro e mudou-lhe a redação final.

- Esta mesma senhora disse que era a mandante de uma valente sova no vereador bexiga e o caso... foi arquivado. Mas então o autor confesso não é punido?

Por fim, uma pequena nota sobre alguns comentários anteriores:

- O FCP não perde o título porque o campeonato em causa ja foi homolgado e daí perder 6 pontos que é figura que transforma derrotas em que já não se pode mexer por homolgação dos resultados.

- Os regulamentos quanto á participação nas provas da UEFA também são claros. Haver benefícios a equipa é punida na época seguinte, ou seja, a época em que beneficiou do acesso à UEFA, não passado 4 anos.

E por fim mesmo:) irrita-me ver o país a discutir casas pias, apitos dourados, aviões defumados e esquecer a educação, a saúde ou mesmo as finanças.

Este é problema. Deixamos o fado porque Amália morreu, esquecemos Fátima mas a porcaria do futebol... essa cá continua.

Se o povo quer circo... haja palhaços. Era assim o ditado, né?

Ass: President Pintas

Anónimo disse...

A vantagem de discutir o apito final/dourado é alguma descontração que nos provoca e poder ouvir as mais altas considerações sobre o direito.

Mas mesmo assim permito-me deixar algumas dicas:

- O FCP não desce porque os regulamentos não prevêm descidas para a corrupção na forma tentada. O Boavista é acusada de coação na forma consumada.

Não acredito na justiça desportivo e digo-lhes porque:

- a Senhora Dona Carolina Salgado (essa mesmo que representa a classe representada na TIMES pelas mães de Bragança) começou por dizer que não sabia quanto havia no envelope, agora já sabe.

- Começou por dizer que Pinto da Costa conbinava no camarote presidencial com o Major, agora soube-se que o Major não via os jogos no camarote presidencial.

- Falou depois de encontros num restaurante, a cozinheira disse agora em tribunal que nunca lá viu o major almoçar com Pinto da Costa.

- Mas... esta mesma senhora dona escreveu um livro e mudou-lhe a redação final.

- Esta mesma senhora disse que era a mandante de uma valente sova no vereador bexiga e o caso... foi arquivado. Mas então o autor confesso não é punido?

Por fim, uma pequena nota sobre alguns comentários anteriores:

- O FCP não perde o título porque o campeonato em causa ja foi homolgado e daí perder 6 pontos que é figura que transforma derrotas em que já não se pode mexer por homolgação dos resultados.

- Os regulamentos quanto á participação nas provas da UEFA também são claros. Haver benefícios a equipa é punida na época seguinte, ou seja, a época em que beneficiou do acesso à UEFA, não passado 4 anos.

E por fim mesmo:) irrita-me ver o país a discutir casas pias, apitos dourados, aviões defumados e esquecer a educação, a saúde ou mesmo as finanças.

Este é problema. Deixamos o fado porque Amália morreu, esquecemos Fátima mas a porcaria do futebol... essa cá continua.

Se o povo quer circo... haja palhaços. Era assim o ditado, né?

Ass: President Pintas