sexta-feira, julho 11, 2008

Será que Sócrates é o mesmo?

Quercus acusa: carros eléctricos estão isentos de imposto automóvel, ao contrário do que disse Sócrates

Durante a campanha eleitoral, Sócrates era mansinho. Agora verte arrogância por cada poro.
Antes, sabia camuflar as suas falhas. Agora são imensamente crassos os seus disparates.
Antes, os benefícios prometidos abrangiam muitos. Agora promete coisas que já temos.

Será que no lugar de José Sócrates está um duplo muito mal documentado?

14 comentários:

jfd disse...

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=967123


Governo admite erro em informação divulgada por primeiro-ministro

Hoje às 12:12

O Governo admitiu que errou ao indicar ao primeiro-ministro que os carros eléctricos iam ser sujeitos a impostos, quando uma lei em vigor prevê a isenção. A correcção surgiu no dia em que a Quercus anunciou que ia pedir esclarecimentos sobre a questão.

Francisco Ferreira explica que a lei já prevê isenção de imposto para os carros eléctricos

O Governo admitiu que errou ao informar o primeiro-ministro de que os carros eléctricos vão ser sujeitos a impostos, uma vez que uma lei que entrou em vigor já durante a governação socialista isentava estes veículos de impostos.


O gabinete do primeiro-ministro indicou que a informação fornecida a José Sócrates tinha como base o regime geral relativo ao imposto automóvel, que prevê excepções incluindo para os automóveis eléctricos.


A correcção do Governo surgiu no dia em que a Quercus anunciou que iria pedir esclarecimentos sobre a questão, já que os ambientalistas lembram que «um veículo eléctrico está isento tanto de Imposto sobre Veículos como de Imposto Único sobre Circulação».


«Se se comprar um carro eléctrico o imposto é pura e simplesmente, na nossa opinião, e bem, pelas vantagens que ele representa em termos de ruído, eficiência energética e qualidade do ar, zero», adiantou Francisco Ferreira.


Este dirigente da Quercus explicou ainda que o primeiro-ministro deu a entender que ao falar em 30 por cento de impostos para estes automóveis estaria a «criar um imposto automóvel para estes veículos que gozam do regime de isenção em ambos os impostos».


Na quarta-feira, no dia da assinatura do protocolo entre o Governo e a Renault-Nissan sobre a comercialização destes veículos, Sócrates anunciou que se estes veículos já existissem apenas pagariam 30 por cento de imposto.


«O Governo está disponível para criar um quadro fiscal ainda mais atraente», acrescentou o chefe do Governo nessa ocasião.

Filipe de Arede Nunes disse...

O homem anda cansado.
Não tenho simpatia por ele, mas isto de ser primeiro-ministro não é fácil e nem sequer há lugar a férias.
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

luis melo disse...

Comprei o meu Honda Civic IMA (Hibrido) em Dez 2005. Apenas paguei 30 % do Imposto.

Luís Nogueira disse...

Quando olho para o "Engº" José Sócrates, lembro-me de 3 aspectos deste duplo personagem:

1- Prometeu criar 150 mil postos de trabalho - nada fez por isso...

2- Prometeu baixar os impostos - e fez exactamente o contrário

3- Prometeu referendar o Tratado de Lisboa - e o resultado foi o que se viu...

Acho que a arrogância e a irritabilidade de José Sócrates esconde uma liderança fraca, difusa e confusa no que confere ao verdadeiro rumo para o país.

É por isso que devemos "falar nas linhas", ser crediveis e termos a coragem política necessária, para sermos a alternativa a este actor duplo que finge ser um Engenheiro.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Não sei se Sócrates mudou de assessores. Mas é estranho que nos últimos tempos, haja tantos erros facilmente evitáveis.

A baixa da taxa de IMI para os mais carenciados, quando estes já estão isentos actualmente. A questão semelhante do IRS. Agora isto.

Cá para mim, Filipe, não é ele que precisa de férias. Os seus assessores é que estarão de férias. ;)

Paulo Colaço disse...

Filipe e Guida, não creio que se trate nem se cansaço pessoal nem se azelhice dos assessores.

Acho que é a aplicação do venho adágio: "Podemos enganar toda a gente, podemos enganar a todo o tempo, não se pode é enganar toda a gente todo o tempo".

O homem anda gasto. E esta chegada de MFL à liderança do PSD, se for bem aproveitada, dará cabo dele.

Bruno disse...

Vou ser muito sincero. Não estou a aproveitar para dar uma alfinetada a Sócrates. Acho mesmo que ele estava a ver se passava...

EM disse...

É isso mesmo. O Socas é um azelhas, um interesseiro, um mentiroso, um arrogante, um cobardolas. Continuem a dizer mal do tipo. Assim vão ganhando o respeito e a admiração de Portugal.

Nota: Estou a ser sarcástico, pessoal. Já alguém se lembrou de analisar o impacte desta medida política na vida da sociedade? Não, foram atrás do "mensageiro" porque o gajo é "cor-de-rosa". Pessoalmente, estou-me lixando quem é o PM, interessa-me mais as políticas do governo.

Nélson Faria disse...

O facto político é o erro de Sócrates.

Se falasse a correr podia ter escorregado. Numa intervenção de fundo, com pompa e circunstância, inserido num discurso encadeado, a coisa torna-se grave.

Foi uma distracção. Com Santana seria uma "imensa trapalhada".

Paulo Colaço disse...

Não Né: com o PSD seria uma trapalhada.

Ao nosso Partido ninguém dá folgas.

Temos uma imprensa de esquerda. Ou melhor, que acha "in" ser de esquerda.

Um pouco como aqueles miudos que usam t-shirts do Ché e usam cachecóis "arafats".

José Pedro Salgado disse...

Por acaso acho que é precisamente ao contrário.

O "animal feroz" entrou em jogo num super-hiper-mega-ri-estado-de-graça.

Isto permitiu-lhe montar a sua casa de Barbie com todos os acessórios para encher o olho, como convém a qualquer bom político de pástico.

O palco estava montado.

Mas o problema é que, qual prova de corta-mato/maratona, o cansaço começa a desgastar, a mostrar falta de cuidado, o que não é auxiliado pelo excesso de arrogância exacerbado pelo falso sentimento de segurança de já lá estar há uns tempos.

Por tudo isto acho que o clone já lá esteve. Agora é Sócrates que lá está.

Manuel Monterroso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuel Monterroso disse...

A nossa imprensa é "sentidamente" socialista. Quando assim é, um facto político que poderia desgastar e desmascarar o Governo e o PM, não passa de MAIS um lapso ou de mais uma incorrecção que, com tranquilidade, acontece no governo PS...
Basta ler os jornais, ver os debates televisivos. Basta ver quantos comentadores há na TV de direita e quantos comentadores há de esquerda...

Diogo Agostinho disse...

A nossa imprensa é de facto de esquerda. Muito por culpa do 25 de Abril. Após a revolução, parece ser crime alguém se assumir como de Direita.

Eu sou e com muito orgulho.