domingo, julho 20, 2008

Política, convívio e História

Ainda decorre a festa do 34º aniversário da JSD.
A Figueira da Foz é o palco, o cenário é a praia.
Estão/estiveram por cá centenas de militantes de todo o país.
Festa, convívio, intervenções políticas, entre as quais a de Manuela Ferreira Leite, e História.
Foi hoje lançado um "pequeno livro" sobre os antigos líderes da JSD.
Já fazia falta um documento assim!
E viva a JSD!

88 comentários:

Paulo Colaço disse...

E estão por cá 9 psicóticos.

Tem sido um fim-de-semana agradável, com reencontros de amigos, tertúlias sobre o País e o Partido e muita animação.

Gostei da intervenção de Manuela Ferreira Leite: ignorou o Governo, sem deixar de o ferroar, soube adaptar o seu tom grave ao momento veraneante, sem perder autoridade, esteve animada e certeira nas punchlines.

Estou a gostar.

Paulo Colaço disse...

do Público:

A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, considerou ontem à noite, na Figueira da Foz, "totalmente desadequadas" as políticas de juventude em Portugal, manifestando-se contra a "política assistencial" de ajudas e subsídios aos jovens.

"Há uma política errada no que respeita à juventude. Não pode ser uma política assistencial, de ajudas, subsídios e patrocínios que começa na família e acaba no Estado", disse Ferreira Leite durante a comemoração do 34º aniversário da JSD.

"Tem de ser uma política de apoio ao empreendedorismo dos jovens, de apoio à sua iniciativa privada", defendeu.

A política das ajudas "é aquilo que resolve no momento mas não o vosso futuro", disse, dirigindo-se a várias centenas de jovens social-democratas.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Eu adorei a comemoração deste 34º aniversário.

Desde as actividades desportivas, às brochuras com a história da JSD, ao reencontro de amigos, este fim de semana foi brutal.

O incansável Fred preparou uma grande festa que juntou quase mil pessoas na praia da Claridade, na Figueira da Foz.

Parabéns JSD e a todos os que ajudaram a colorir o areal da Figueira da Foz!

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

"Há uma política errada no que respeita à juventude. Não pode ser uma política assistencial, de ajudas, subsídios e patrocínios que começa na família e acaba no Estado", disse Ferreira Leite durante a comemoração do 34º aniversário da JSD.

"Tem de ser uma política de apoio ao empreendedorismo dos jovens, de apoio à sua iniciativa privada", defendeu.


Ah! Finalmente alguém que diz que o que os jovens de hoje precisam não é de mais subsidios nem de "politicas activas de emprego" [sempre 'adorei' essa expressão] mas sim de serem incentivados a uma cultura de risco e iniciativa privada.

No entanto, não sei se vai colar... Ser pago para fazer pouco ou coisa nenhuma é sempre melhor... e Portugal vive desta cultura "assistencialista".

Quanto à Figueira da Foz, não fui, mas pelo que "ouço" perdi uma grande festa ;)

Bruno disse...

Gostava de poder dizer se a festa foi boa ou má mas sinceramente não consegui sequer ter essa noção... Deu para ouvir a parte dos discrusos e aí tivemos uma Presidente do Partido em grande forma e um Presidente da JSD cheio de conteúdo, como é normal.

Para além de um Jaime Soares que pediu para que o rebatizassem uma vez que não gostava que o seu nome fosse "JS" e quis passar a ser JSD. É que assim poderia ser JSD para sempre! A jota não se fez rogada e respondeu com um "Salta Jaime" tendo sido corrigida pelo Presidente da Distrital de Coimbra: "Jaime não! Sr. JSD!"

De resto, não há dúvida que a JSD de hoje pensa em grande! Foi um evento a sério com muitas actividades paralelas e que movimentou uma estrutura assinalável. O Fred é um trabalhador incansável e as suas forças vão para além do que consideramos "humano". Espero que a JSD saiba reconhecer e acarinhar este "miúdo" e outros como ele!

Quanto ao "pequeno livro" lançado por ocasião deste evento, gostei muito! Grafismo agradável a enquadrar os textos de um tal Paulo Colaço. Belo documento histórico que nos ajuda a compilar informações soltas e apreender outras que desconhecíamos.

Ah! PARABÉNS JSD!!!

Daniel Geraldes disse...

E a JSD concentrar-se em fazer política, isso é que era, em vez de se falar á boca fechada que se vai empurrar o congresso lá para 2010 por causa das directivas do Partido, para se chegar a algum lado eleitoralmente, isso é que era simpatico.

Tiago Mendonça disse...

Daniel, não posso acreditar que a CPN sonhasse tão pouco fazer tal coisa. É de uma gravidade extrema, iria contra todos os ideais democráticos e seria uma machadada profundissima na credibilidade da própria estrutura. Seria o exemplo acabado, de utilizar a estrutura para servir os interesses e uns, ao invés de uns servirem o interesse da estrutura. Não me passa pela cabeça que estejamos a ser liderados pelos piores, e não pelos melhores.

Tiago Mendonça disse...

E já agora, uma pequena nota:

Eu, que não era o fã nº1 da anterior CPN, tenho que lembrar que também por ocasião do aniversário da JSD, realizou um evento similar a este. Com canoagem, insufláveis, concertos, num registo muito idêntico a este. Não é uma ideia nova. Mas claro que as boas ideias devem ser seguidas.

A grande diferença, é que enquanto este evento foi realizado na Figueira da Foz, local mediático e de fácil acesso, o anterior evento foi feito no Interior, no Concelho de Soure, onde o PSD vivia um problema local grave, com o Presidente de Câmara, do PSD, a filiar-se no Partido Socialista.

Quanto ao livro, acho uma ideia boa.Percebi pelo post, de quem era a autoria.

Um abraço a todos.

Daniel Geraldes disse...

Caro Tiago é o que me consta, porque o mandato esta quase a acabar, e dentro um ano já tens eleições, se sair uma directiva do Partido a dizer que não se pode fazer actos eleitorais dentro da própria estrutura antes das eleições, só podes fazer depois e tendo em conta que 2009 vai ser um ano de eleições, é só fazeres as contas, mas por outro lado podes antecipar o congresso, para a actual CPN fazer mais um mandato, só que a idade no 2º mandato já ultrapssa os nossos estatutos dos 30 anos.
É uma questão de esperar-mos,mas mais do que aquilo que eu conjuturo que irá acontecer, é esperar-mos por aquilo que vai ser, eu já tenho o meu palpite, agora espero é enganar-me redondamente.

Anónimo disse...

Fred é 5 estrelas!!! Um exemplo p muitos. Continua assim jovem!

Ana

Bruno disse...

Oh Daniel, tu que és do meu distrito hás-de ir um dia destes comigo a uma tasca porreira porque não sei o que andas a comer mas está a dar-te uma azia quase permanente ;) Grande Abraço!

Quanto a esse tal outro aniversário da Jota em Soure, tenho pena de não ter sabido. Ai ai esta jota e este partido e a suas falhas de comunicação...

Nélson Faria disse...

Magnífico fim de semana e magnífica festa!

Um agradecimento especial aos "trabalhadores" Zé Baptista, Bruno Ribeiro e Frederico Carvalho. Principalmente aos dois últimos, que tanto amor e empenho colocaram no projecto ao longo de semanas.

Uma dos momentos altos foi, durante os discursos, ver o paredão da Figueira cheio para ouvir os intervenientes. Há que levar a política onde é necessária, para que as pessoas nos ouçam.

Bruno disse...

Estou certo que falo por toda a malta que trabalhou no evento quando digo que nos sentimos completa e perfeitamente cumprimentados nos agradecimentos que sejam personalizados no Fred! Mas agradeço o destque ao Né ;)

Agora, o que queria dizer é que fizeste muito bem em falar no paredão cheio. Lembro-me de olhar para lá várias vezes, durante o dia e noite e até na véspera, durante as montagens. Este evento causou mesmo grande impacto na Figueira e a frase que mais ouvimos Domingo nos restaurantes e comércio local foi "Quando é que voltam?".

Daniel Geraldes disse...

Oh Bruno a azia vem da incapacidade desta malta que se foi alojando na cupula da JSD, não quer dizer que seja melhor, porque obviamente não o sou, agora ser eleito para uma CPN e não fazer politica nem mostrar o minimo interesse pelos seus concidadãos, não ter uma estrategia para nada, e continuar a ver o país a afundar, chateia-me um bocado, mas só fico chateado.

Depois é olharmos paras as bandeiras da JSD,quando a grande bandeira da JSD é a Porta 65, algo vai muito mal no reino da JSD,não temos um pensamento para mais nada.
Ideologicamente somos o vazio completo, somos tudo e não somos nada, mas ao menos já temos politicos profissionais, menos mau.

Ninguem fala em Economia, educação, justiça, emprego ou segurança os vectores de qualquer sociedade.

Antes é preferivel fazer festas, visto que o ano politico desta malta foi muito intenso.

Podemos ir à redentora em Almada, mas como fizeste o convite.....
e podemos discutir tudo o que me começa a chatear na JSD, e no final tenho quase a certeza que vais concordar comigo, se é que já não concordas!!!

E vamos lá ver o congresso......

Tiago Mendonça disse...

Daniel, se o Presidente da CPN prelongasse o mandato 10 meses, de forma administrativa, para além de ficar recordado como um presidente muito pouco democrático, para além da constatação da sua apatia e habilidade para a distorção, não teria qualquer legitimidade e margem de discussão para o que quer que fosse, em qualquer um dos actos eleitorais.

Seria recordado como um presidente fraco. Já o é em actividade. Já o é em credibilidade. Mas seria recordado como fraco em democraticidade.

Tiago Mendonça disse...

Sobre as bandeiras, partilho contigo da falta de ideias e de uma agenda de causas. As questões ambientais; A necessidade de sustentar a economia um pouco menos no petróleo e um pouco mais em energias alternativas; A questão da uniformização dos vários estágios de ensino; O turismo como grande aposta de Portugal no século XXI; A questão da insegurança; A reforma administrativa. E claro, tomar posição sobre temas fracturantes : Adopção por casais homossexuais, energia nuclear em Portugal, Legalização das drogas leves e da prostituição, entre outras coisas. Nenhuma bandeira.

O que me custa não é as festas. São giras e mobilizam alguns. O que me custa é que seja uma festa e um camião as grandes iniciativas desta CPN.

Nélson Faria disse...

Tiago,

as grandes iniciativas, para mim, desta CPN foram a Universidade do Poder Local, a Universidade de Europa e o "camião" que suportou uma campanha contra o Porta 65 que levou à alteração da lei.

Isso é fazer política para os jovens: colocar um tema em cima da mesa quando ninguém falava dele e forçar o Governo a mudar.

Mudou como queríamos? Ainda não. Mas mostra trabalho e eficácia no trabalho.

Não fala de tudo o que queríamos? Verdade. Mas para uma juventude partidária na oposição forçar um governo com maioria absoluta a mudar políticas não é nada mau ;)

José Baptista disse...

Meus caros amigos e companheiros,

tive o enorme orgulho de prester o meu humilde apoio na organização deste mega evento JSD.

O Frederico Carvalho (grande abraço amigo!) foi o mentor desta grande iniciativa e de quem partiu o convite. A ele todas as glórias deste grande fim-de-semana!

Foi bom acompanhar com esta equipa as semanas de preparação do evento, mesmo que à distância de um click. Na figueira, o enorme cansaço valeu apena!

Fica reggistado que desde os comerciantes à população todos noos pediram para voltar e repitar....dizem que precisam de voltar a sentir a "emoção"! hehe

Um grande abraço a todos!

JBaptista

Bruno disse...

Daniel, pensava já ter publicado o comentário em que te respondia mas aqui fica:

Em vez da redentora vamos à Vianense que o Amigo Estevão trata-nos sempre bem!

Quanto ao concordar contigo no final ou já agora falaremos pois não me parece que a situação seja tão grave que justifique que um ex-militante que tenta ser respeitador da autonomia da JSD venha criticar publicamente os seus dirigentes.

Nota: admito que roubei esta ideia da situação não ser tão grave ao Rui Rio ;)

João Miranda disse...

Ola a todos.
Muito rapidamente destacar alguns assuntos.
O primeiro é que nós andamos distraidos a beber copos e a chutar uma bola enquanto outros pensam e fazem politica.
a culpa?
CPN
Segundo? estou permanentemente a receber documentação dos deputados da jota e não vejo o minimo acompanhamento pela CPN.
a culpa?
Pedro Rodrigues
Porque diabo uma estrutura partidária não pensa politica?
Porque é que não usa os melhores instumentos que são os dois jovens no parlamento que estão a fazer um grande trablaho?
Será ciumeira? medo?
arreeeee
abram os olhos

Nélson Faria disse...

João,

Eu sei que pelo menos um dos deputados não pensa assim. Quanto ao outro só estive uma mão cheia de vezes com ele e, por acaso, nunca falei desse tema com ele.

Mas da próxima vez questiono-o sobre o acompanhamento que a CPN faz do trabalho deles.

P.S. Para que vejam algumas das intervenções que os "nossos" deputados fazem vão a

http://www.youtube.com/user/jsdtv

E, já agora, aproveitem para ver o que tem feito e do que fala a CPN... para além de alguns vídeos humorísticos. Para manter a sagacidade.

Anónimo disse...

Viva,

Caros amigos, obrigado pelas palavras de carinho e amizade.

Realmente foram 4 dias no terreno exaustivos, que sem a ajuda preciosa de bons militantes e amigos, teria sido impossivel ter o sucesso que teve.

Os resultados do evento foram espectaculares quer a nível de imagem quer a nível politico.

Para não me alongar muito convido todos a visitar o rescaldo do evento em:

http://www.jsd.pt/34aniversario/noticias1.php?id=11

JSD FOTO em
http://www.jsd.pt/index.php?option=com_rsgallery2&Itemid=130&gid=29

e brevemente em JSDTV
http://www.youtube.com/jsdtv

Frederico Carvalho disse...

Assinado acima:
Frederico Carvalho

:)

Paulo Colaço disse...

Grande Fred!

Foste a alma do evento.

Para quem não conhece, o Fred é designer, organizador de eventos, jovem empresário, dotado de um enorme coração, muito sacrifício e paciência.

E é Psico-Designer.

Não passa despercebido tudo o que tens dado à JSD nos últimos tempos!

;)

jfd disse...

Conheci o Fred em Bruxelas.
Grande amigo realmente.
E cheio de boas intenções.

Um grande abraço, e parabéns pelo teu esforço!

Daniel Geraldes disse...

Caro Tiago e João Miranda,

eu não sei se a culpa é do sujeito A ,B,C,D ou mesmo minha, o que eu sei é que temos de nivelar a JSD por cima e ultimamente esta tem sido nivelada por baixo.

Uma juventude partidaria tem de tomar posições e de ter opiniões, coisa que ultimamente não tem tido.

Em relação ao congresso, e para responder ao Tiago, basta que o Partido lance uma directiva, visto que nos estamos a aproximar de eleições europeias,legislativas e autarquicas,que durante os 6 meses que antecedem estas eleições não poderá ser feito nenhum acto eleitoral dentro da estrutura, assim é logo chutado para canto o congresso e admnistrativamente são dadas competências para a actual CPN prosseguir.

E em relação aos temas fracturantes, são temas que não me aquecem nem arrefecem e são temas de sucesso instântaneo, que não pode ser a politica da JSD, mas esta é uma opinião muito discutivel, eu sei disso.

Filipe de Arede Nunes disse...

Talvez o Bruno e o Daniel permitam-me que me junte a eles nessa tasca em Almada! Também tinha umas coisas a dizer sobre este assunto, porque muito honestamente, se eu quisesse que a JSD fosse uma comissão de festas, tinha-me mantido afastado!

Até agora, esta CPN ainda não demonstrou talento para mais nada!

Seja como for, não acho que seja assim tão estranho que o mandato se prolongue até 2010 tal como já aqui foi dito pelo Daniel Geraldes. É fazer as contas! Ou alguém pensa que o Congresso vai ser em Abril/Maio/Junho?

PS: Eu posso ser crítico desta CPN, uma vez que além de ter votado na lista do Pedro Rodrigues, tenho o meu presidente de secção entre os eleitos! É porque por vezes parece-me que o Psicolaranja é pouco sensivel a críticas à CPN!

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Nélson Faria disse...

Filipe,

O Psicolaranja não é sensível a nada. O Psicolaranja nunca emitiu uma opinião sua.

Os bloggers do Psicolaranja raramente estão em concordância. Só mesmo quando redigimos moções a apresentar em Congresso é que atingimos algo próximo disso, e mesmo assim é muitas vezes um longo caminho a trilhar.

Não há no Psicolaranja grandes opositores da CPN? Talvez. Mas também não andamos por aqui preocupados em preencher quotas.

Cada um tem a sua opinião: livre, franca e aberta. Deveria ser sempre assim.

Filipe de Arede Nunes disse...

Nélson,

Digo-o, porque o sinto!

Naturalmente que posso estar equivocado, e se tiver noção disso sou o primeiro a reconhece-lo.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Paulo Colaço disse...

Caro Filipe,
como sabes, o Psico é um espaço plural.
Não me lembro de nenhum tema em que os próprios psicóticos tenham estado todos de acordo.

As direcções nacionais do PSD e da JSD são dois dos temas de maior polémica, com gente de um lado e do outro nos diversos congressos desde que o Psico existe.

Tu fazes prova do nosso gosto pela crítica e troca de galhardetes: és dos comentadores mais controversos do Psico (tens divergências de ideias com muitos dos Psicóticos) e foste convidado para escrever um texto.

Claro que há temas mais consensuais que outros mas isso não afasta daqui a diferença.

Desde que a linguagem seja séria, a luta de argumentos é o prato forte deste espaço.

Bruno disse...

Alguém disse um dia que "A política sem um lado sério é uma vergonha. Sem um lado lúdico é uma chatice". Acho muito importante que as juventudes partidárias não esqueçam isto até porque considero que o convívio é fundamental no fortalecimento de um verdadeiro espírito de grupo!

Não sei se a JSD tem sido apenas uma comissão de festas porque não tenho estado assim tão atento. Penso que tem feito também outras coisas como por exemplo a formação que é uma área importantíssima.

Não me compete a mim avaliar a actual CPN e - como já disse - só o faria se achasse que estava a ser ou muito boa ou muito má. Isso não quer dizer que não me insurja quando vejo alguém escrever injustiças!

Posso também dar uma opinião sobre o possível adiamento do Congresso até porque essa "moda" já existia no meu tempo de Jota e sempre me fez confusão. Eu acho que o mínimo que se exige é que as pessoas tenham respeito umas pelas outras em qualquer acto eleitoral. Se não for assim não são sequer dignas de serem dirigentes de uma juventude partidária. Por isso sempre me fez confusão estas histórias de se adiarem os actos eleitorais internos por causa de eleições autárquicas ou legislativas ou outras quaisquer. Ainda que perceba e por isso acho que deverá - sempre! - imperar a razoabilidade.

Filipe de Arede Nunes disse...

Colaço,

Respeito e concordo com a tua visão de uma realidade que é factica.

O meu sentimento provém da forma como as coisas são postas e não tanto do seu conteudo.

Seja como for, nunca me inibi, como bem sabes, de dizer o que penso ou o que deixo de pensar. Se não considerasse o Psicolaranja um espaço plurar e livre, já cá não andava.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Tiago Mendonça disse...

" A política sem risco é uma chatice, a política sem ética é uma vergonha".

Sintetizando, eu não acho mal que a CPN organiza uma festa na praia, para juntar alguns militantes. Não acho mal que patrocine um convívio a nível nacional. Até acho bem!

Não acho é bem que isso seja o ponto mais visivel de todo um mandato.

E acho mal não ver nesta CPN, uma agenda de causas. Repito : A Questão Ambiental e as políticas energéticas alternativas, o modelo fiscal e as medidas do crescimento económico, as questões da Educação, a Insegurança, a Desertificação no Interior, o Urbanismo erróneo e a (pouca) mobilidade nas cidades e alguns temas fracturantes que já acima referi.

A CPN não deve ser um trampolim, administrativo ou não, para ninguém. O Cargo de Presidente de uma CPN deve ser encarado com seriedade e com responsabilidade.

O Nélson falou em formação. Eu concordo. Acho importante a Universidade de Verão, da Europa e do Poder Local. Acho mesmo. Mas acho que a Nacional, para além de disponibilizar um conjunto de formadores que se deslocam às secções, deveria tomar a iniciativa de contactar os presidentes de secçao e agendar em todo o país acções de formação. Não deveria ficar à espera.

Havendo fundos para outdoors, será que deviamos em tipos com o dedo na boca? Fazer Oposição ao BE? Não poderiamos utilizar esses fundos para lançar ideias e marcar a nossa posição em relação a determinados assuntos?

Sinceramente, ainda não vi esta CPN fazer mais do que uma qualquer Associação Académica de uma boa Faculdade faz.

A CPN, tem que estar num nível de actividade muito acima de qualquer distrital. E sabemos, goste-se ou não, que não o está.

Termino, dizendo que acredito que o Presidente da CPN, caso venha a ser estatuída uma directiva interna que impeça actos eleitorais na JSD/PSD em ano de eleiçoes externas, a antecipar as eleições para Novembro ou Dezembro deste ano. É mais democrático antecipar 3 meses do que atrasar 10. O Pedro Rodrigues que se re-legitime e então de pleno direito represente a JSD no dificil ciclo que temos pela frente.

Paulo Colaço disse...

Ahhh, mas essa forma tem a ver com a liberdade que nos damos a nós mesmos.
Se a damos aos nossos visitantes, reservamo-la também para nós.

Falando só em mim, sou daqueles que dá logo a sua opinião no post.
É uma forma de marcar a minha opinião, lançando também o debate do "contra vs a favor".

Com sal tem mais sabor.

teofilo de braga disse...

Os meninos que deambulam pelos corredores da monotonia e das fotocopias de cadernos eleitorais não olham mais nada à volta senão o umbigo e o chãozinho por onde pisão.

Estranho é como é que se critica e depois não se aparece nos eventos ou nas iniciativas quer politicas quer lúdicas.

Mas algum dos que criticam a JSD Nacional já se chegaram à frente a dizer: "Meus amigos, precisam da minha ajuda para alguma coisa?"

Isto de mandar bocarras, sem sequer consultar o portfolio já grande de iniciativas politicas da JSD não mostra só burrice. Mostra ignorância.

E aos que aqui falam, tenho-vos mais em conta do isso.

De uma vez por todas, cheguem-se à frente.

Nélson Faria disse...

O momento alto desta CPN foi a última campanha de Verão que levou, com o desenrolar de outras iniciativas, à alteração de um diploma de um governo de maioria absoluta.

O tema não existia na agenda mediática e foi a JSD que o colocou.

Poderia fazer mais? Claro que sim. Mas está longe de ser o vazio ou uma comissão de festas.

Eu faço um balanço positivo. Armado em Marcelo, dou um 14 a esta CPN ;) e ainda falta um pouco para acabar o seu mandato.

P.S. Para quem acha que o aniversário nada tem de político, não sei se se aperceberam que foi uma forma de inteligente de roubar um pouco do palco à JS e a José Sócrates. Houve ponto e contraponto no último fds.

Daniel Geraldes disse...

Bem Nelson,

com o país em polvorosa, no ano quente de 2008 que mete toda a "gente" a reclamar, sindicatos,enfermeiros, polícias, militares, função pública, autarcas, políticos, ciganos, negros, brancos, classe média, empresários, patronato, advogados, bastonarios, juízes, trabalhadores, ambientalistas, jornalistas, professores,

e se esta CPN tem 14, então acho que temos 2 concepções muito diferentes de fazer politica e o que é um bom trabalho politico.

Não há um unico documento em que esta CPN proponha um modelo de gestão diferente para o país.
Não há um unico individuo na JSD que pense o país.
Não há um unico individuo que escreva um comunicado de imprensa sobre o que quer que seja.

E o contra-ponto deste fds foi da Dra. Manuela Ferreira Leite, não foi da JSD.

A JSD tornou-se nos ucranianos do sistema, que servimos para fazer o que os outros não querem.

Eu pretendo que se mude isto, acho que não estou a pedir muito,e se alguem o quiser fazer, eu estou disposto a colaborar, não com esta CPN que é a CPN do Jorge Nuno de Sá, do Fangueiro e do Pedro, curiosamente os piores anos de sempre da JSD.

Para este peditorio, eu não contribuo mais.

Tiago Mendonça disse...

Já um dia destes se falou aqui de notas...;). Em limite um 7 ou 8 para ir a Oral, isto é, para provar até ao fim do mandato que é melhor do que tem mostrado. Caso contrário, ou muito me engano, ou terá um chumbo :)

Quanto ao que o Teófilo Braga disse aqui, acho que a JSD, está bem repartida em circunscrições. A Nacional trabalha para os jovens de todo o país, as distritais para os jovens do distrito, e as secções para os jovens do concelho ou do conjunto de freguesias que representem. E acho que o melhor contributo que um presidente de secção pode dar à JSD, é precisamente cumprir com isso e fazer o seu trabalho interno, para e pelos jovens da sua área de secção. Se todos cumprirem com a sua parte, a "coisa" funciona.

Filipe de Arede Nunes disse...

O Tiago Mendonça é um benemérito e o Nélson é aquilo a que eu chamaria um Professor muito fixe!

Esta CPN não está presente nos momentos importantes: má nota na assiduidade!

Esta CPN chega atrasada quando aparece: má nota na pontualidade!

Esta CPN não faz os trabalhos de casa: má nota nos trabalhos de casa!

Esta CPN não tem um bom teste escrito: má nota nos testes!

Esta CPN é fraca quando fala: má nota da oralidade!

Segundo o meu ponto de vista, esta CPN não tem direito sequer de ir à oral! Durante todo o primeiro ano não demonstrou ter capacidade suficiente para tal. Vamos ver se recupera no segundo ano. Mas se começa já com as festas, provavelmente as coisas vão correr mal!

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Felipe,
Quando é que sais da JSD?

Nélson Faria disse...

Daniel,

Mas quem proporcionou o momento e fez o calendário foi a CPN. Não foi um momento vazio de calendário político.

Quanto às ideias alternativas para o País, desafio-te a ler a moção apresentada no último Congresso. Se quiseres posso-te enviar.

É uma CPN que aposta na formação, que escolhe os temas e consegue resultados.

Eu gosto do mandato. Voçês não gostam.

E os protagonistas são sempre os mesmos. É uma discussão velha ;)

Nélson Faria disse...

Filipe,

tens toda a razão. Eu sou um daquels professores porreiros. À Marcelo ;)

Tiago,

tens toda a razão também. Se todos fizerem a sua parte, a coisa funciona.

Daniel Geraldes disse...

Bem Nelson,
conseguiste alterar tudo o que eu dizer.

O que eu quero dizer, é que escrever uma boa moção e redigi-la qualquer um consegue, até o Ventura fez uma e entregou-a num CD rom, o que eu falo é o país real.

O que eu falo são propostas, é acompanhar o momento politico quando ele acontece, é saber criticar o nosso ensino, é dizer ao Ministro MAI que os graficos deles tão invertidos, é pedir ao governo que pague o que deve as PME´S em vez de irmos para um aeroporto ou TGV que vai ser a nossa geração a pagá-lo, é acabar de vez com a perda de jovens para o BE, é tentar chamar mais jovens para o "activismo politico", são um numero grandioso de coisas que esta JSD não se preocupa nem quer saber.

Esta geração dos ultimos 10 anos da JSD é lastimavel, é feita de politicos profissionais, que querem posicionar-se a jeito para eleições nem que para isso tenha de eleger um Daniel Fangueiro que é face mais visivel de uma JSD que era mediocre e passou a ser pauperrima.

Esta JSD,não pode ser nem a minha JSD nem a tua.

Para este peditorio e com estes protagonistas eu não contribuo mesmo.

Filipe de Arede Nunes disse...

Há aqui um anónimo que pergunta quando é que o Felipe sai da JSD.

Caso o Felipe seja eu - existem semelhanças no nome - devo dizer que será dentro de aproximadamente 4 anos!

É que o facto de eu não concordar naquilo em que a JSD se tornou, não significa que eu esteja disposto a ir-me embora sem luta!

Parece que aind vão ter de me aturar durante mais algum tempo.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

teofilo de braga disse...

Tiago, reforço o que disse à pouco:
"Os meninos que deambulam pelos corredores da monotonia e das fotocopias de cadernos eleitorais não olham mais nada à volta senão o umbigo e o chãozinho por onde pisão.

Estranho é como é que se critica e depois não se aparece nos eventos ou nas iniciativas quer politicas quer lúdicas."

A ti acenta que nem luva.
Ainda por cima referes que "A Nacional trabalha para os jovens de todo o país, as distritais para os jovens do distrito, e as secções para os jovens do concelho ou do conjunto de freguesias que representem."

A meu ver, todos devem e têm que se ajudar. Essa é a minha visão da Jota.
Mandar uns galhardetes para o Ar para criticar é muito giro e eu tambem sei fazer.

Foi como disse, à pouco...
E tu já te chegaste à frente?

Tiago Mendonça disse...

Teofilo de Braga,

Se estivessemos numa assembleia, só não pediria a defesa da honra, pois não lhe atribuo importância suficiente para tocar na minha honra!

Isso das fotocopias dos cadernos eleitorais e outras coisas que tais, não se deve estar a referir a mim de certeza absoluta. Mais, dito isso, neste contexto, alguns ainda pensam que se refere a alguns dirigentes de topo da CPN. Está mesmo desenquadrado!

A sua visão da JSD não coincide com a minha. Acho mesmo que cada órgão serve para uma coisa e se encarrega de cada tarefa. Não me cabe a mim, presidente de secção, realizar uma actividade nacional, como não cabe ao Pedro Rodrigues vir dialogar com o presidente da associação de estudantes da escola secundária de Sacavém. Isso seria uma visão anárquica da coisa.

Chego-me à frente, trabalhando, e olhe que não é pouco, para fazer mais pelos jovens das 10 freguesias constituintes da minha área de secção. Fico feliz por, no Distrito de Lisboa, todas as secções afirmarem que Moscavide é das secções que mais trabalha.

Acho de louvar que alguns militantes, ajudem a CPN ou a CPDL ou outra qualquer circunscrição. Acho isso positivo. E ajudo. Ainda, na segunda-feira me manifestei pronto a ajudar no que for preciso, a Distrital de Lisboa. Quando a Distrital chamar por mim, lá estarei. O Pedro tem o meu número, se precisar do meu contributo lá estarei. Mas tenho é que concordar com as coisas que se fazem.

Se o Pedro Rodrigues,o Bruno Ventura ou o meu amigo, me pedissem para ir defender o SIM ao Aborto, mesmo que fosse uma bandeira da JSD, eu não o faria. Por convicção. Precisamente porque acho que se deve estar pelas ideias e pelas convicções. Precisamente porque não me rendo às lógicas aparelhisticas e dos cadernos eleitorais que fala.

Mas sim Teófilo de Braga, já percebi que, efectivamente, acha giro e se diverte a mandar uns galhardetes para o ar e a criticar sem saber. Lamento que seja assim.

Tânia Martins disse...

Finalmente de férias!

Fred,
tu e o teu staff estiveram muito bem, muito empenhados, muito responsáveis! Parabéns por esta magnífica iniciativa!

Quanto à CPN, não tem estado adormecida. Tem lutado por causas importantes no que toca aos jovens e consequentemente ao país, a porta 65 como referiram, foi uma delas!

A JSD está de parabéns!
A CPN está de parabéns!
O Staff do Fred está de parabéns!

Rita disse...

Quero felicitar o Fred por todo o empenho, dedicação, responsabilidade e trabalho que dedicou a este evento. Já tive a oportunidade de o fazer directamente pelo msn, mas ainda não o tinha feito publicamente. Como fui falando com o Fred no msn ao longo destes meses... constatei que o Fred empenhou-se a 100% nesta tarefa... que não foi fácil... mas resultou em grande. É de gente com esta fibra que a JSD e Portugal precisam. Aproveito também p agradecer ao restante staff todo o trabalho que tiveram p proporcionar aos participantes um dia e uma noite fantásticas.
Que para o ano não sejam 1000 mas sejam 2000... até Julho de 2009, na Figueira ou noutra terra do nosso lindo Portugal!!!

No que respeita às críticas que têm a fazer a CPN acho que é positivo. As críticas construtivas são do melhor p fazer o mundo evoluir... q tal mandarem uns emails com o vosso descontentamento e com as vossas ideias p CPN ???

Rita Cipriano

Anónimo disse...

Para:
Filipe de Arede Nunes

Foste tu que no ano passado fizeste duas críticas ao jantar de Aniversário da JSD: 1º-Que a comida não prestava; 2º-Que se soubesses que o Fernando Negrão ia lá jantar, não tinhas ido lá.

O que na altura achei rídiculo.

Este ano nem sequer foste ao aniversário da JSD e só sabes é dizer mal... dizer mal de uma coisa que nem viste.

Oh, miúdo vai-te curar!!!!

Nélson Faria disse...

Daniel,

não alterei. Pediste comunicados de imprensa e posição sobre os problemas do País. E eu disse-te onde estavam.

Que qualquer um alinha umas ideias e mete no papel: verdade absoluta.

A qualidade vê-se no impacto que temos e nos resultados que obtemos. E a CPN já o fez.

Não gostas do carreirismo e dos aprendizes de feiticeiro. Eu também não. Mas muitos jurariam que é isso que eu sou e que só faço mal à JSD.

Há muito que não me precipito no julgamento de terceiros: olho para o que fizeram e tento avaliar (mais ou menos) friamente.

Partindo do princípio que todos foram uns carreiristas digo-te:

o Moreira da Silva deu novo fôlego Às políticas ambientais;

o Pedro Duarte relançou a JSD e meteu-a a mexer (não esquecer que a última revisão do PPJP ainda é do tempo dele);

o Jorge Nuno é o Presidente da UV e o Presidente da JSD que recusou um lugar na lista de deputados por entender que estavam a maltratar a instituição... o que não impediu que organizasse (com a ajuda de muitos outros) o melhor que a campanha de Santana teve: a juventude à sua volta;

o Daniel Fangueiro bateu como se não houvesse amanhã na temática do empreendorismo, bem como na formação descentralizada;

o Pedro Rodrigues teve, para já, o brilharete do Porta 65.

Pessoas sem carácter, horríveis, com todos os defeitos e muitos erros (quanto a este último tenho a certeza)... mas todos contribuiram para a JSD.

São visões Daniel. Eu sou apenas menos absoluto e menos pessimista que tu.

jfd disse...

**Empreendedorismo

Filipe de Arede Nunes disse...

Normalmente não respondo a comentários anónimos – são reveladores de muita falta de carácter e de coragem – mas aqui vai!

Sem me referir ao jantar de aniversário da JSD do ano passado - que por mero acaso achei lamentável - tenho no entanto de me referir ao outro ponto.

Em lugar nenhum me referi ao aniversário da JSD deste ano. Não estive presente, como naturalmente não estaria numa festa que se realizou a 200 km da minha casa!

Seja como for, tenho como boas as opiniões das pessoas rectas que aqui escrevem, e acredito piamente que tenha sido uma grande festa!

Coisa diferente é a análise que se faz da política das CPN e dos seus presidentes.

Pessoalmente, vejo as coisas de uma forma muito diferente da do Nélson (a título meramente exemplificativo). Acho que a JSD nacional premeia o carreirismo, o carneirismo, a mediocridade, a falta de ideias, iniciativas, capacidade de execução e que resumir um ano de mandato a uma campanha sobre a porta 65 (que a meu ver foi mal executada) e à festa de aniversário é revelador da realidade em que a JSD vive submersa.

Perdoe-me aqueles que acham que este tem sido um mandato positivo e que os anteriores também o foram, porque a realidade é que não foram!

A JSD nacional (acredito que em algumas distritais e em algumas secções ainda se vai fazendo alguma política com cabeça, tronco e membros) é uma organização que precisa de uma profunda reforma.

Actualmente, e apesar de ser ainda a maior organização juvenil portuguesa, a JSD encontra-se desnorteada e sem rumo e o problema é que a maior parte das pessoas prefere assobiar para o lado e fazer de conta que não se passa nada!

E de facto, em algumas coisas teremos de concordar. Efectivamente não se passa nada!

Finalmente digo o seguinte: se os níveis de expectativa que temos para os nossos dirigentes são aqueles que aqui tenho visto escritos, então o futuro será negro.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

PS: Acho este, porventura, o assunto mais premente de ser discutido relativamente à JSD.

Nélson Faria disse...

Obrigado Jorge, pela correcção. É o que dá escrever às 4 e meia da manhã: como sílabas :) Se invocar o acordo ortográfico, será que me safo à gralha? lololololololol

Filipe,

a CPN não fez só duas iniciativas. Falámos do ponto alto. Nem os mandatos anteriores se resumem aquele trabalho.

Apenas quis exemplificar que estes "carreiristas", esta "gente ruim", estes "crápulas", afinal até fizeram algumas coisas pela JSD.

Digo o que sempre disse: para mim as palavras têm muito peso. E com todos os defeitos que encontro em todos eles, alegar que todos foram uma nulidade e que nada fizeram pela JSD e apenas o fizeram por interesse pessoal é, para mim, ir demasiado longe.

Bruno disse...

Daniel, se o Filipe não vai a festas a 200 km de casa já vimos que temos é que ir jantar a uma tasca em Valença do Minho para ele não se colar, hehe! Brincadeirinha, Filipe Daniel. Não te zangues ;)

Concordo que esta discussão sobre a valia do trabalho da JSD nos últimos anos é interessantíssima. E não tem fim por uma simples razão: há visões diferentes sobre aquilo que queremos e esperamos de uma juventuda partidária e da nossa em concreto!

Pessoalmente vejos as jotas com funções concretas:

- Ser a consciência crítica do partido: é um grande chavão mas não penso que o devamos deixar cair! É muito importante continuarmos a ser plíticamente incorrectos quando for preciso;

- Fazer política de forma irreverente: na sequência do que disse anteriormente, as jotas podem e devem aproveitar a possibilidade que têm de tomar algumas atitudes que não ficariam bem aos seniores para chamar a atenção sobre alguns problemas e provocar impacto mediático;

- Representar os jovens: é óbvio que este papel não pode ser posto de parte (o que não quer dizer que não se possa tomar posição sobre temas não exclusivos da juventude). As jotas são importantíssimas para levarem os anseios e problemas dos jovens dos seu país até aos corredores do poder;

- Contribuir para o crescimento e implementação do partido: vejo isto como um papel muito importante. O partido precisa de pessoas! O PSD é bem o sinónimo disso pois tem uma massa humana fantástica que carrega o partido às costas mesmo quando não há lugares para oferecer. As jotas são fundamentais para recrutar jovens e trazê-los para a vida política activa.

Bruno disse...

Queria ter dito vejo as jotas com 4 funções concretas

Filipe de Arede Nunes disse...

Nélson,

Já nos conhecemos há alguns anos e saberás que para mim as palavras também têm peso.

Utilizo sempre palavras que procuro que se adeqúem ao que penso.

Nunca tive qualquer problema em levantar o dedo ou em fazer um elogio. Não são coisas diferentes e o facto de serem opostos reflecte a necessidade de ambos.

Tu dizes assim: "Apenas quis exemplificar que estes "carreiristas", esta "gente ruim", estes "crápulas", afinal até fizeram algumas coisas pela JSD."

Eu digo que fazer algumas coisas pela JSD não é suficiente. É preciso fazer algumas coisas com muito valor, com muito impacto, com muita originalidade, com muita qualidade, com muitos resultados!

Poderemos vir aqui discutir cada um dos últimos 3 mandatos das CNP's da JSD (só falo daqueles que conheço) e provavelmente, se a discussão for séria, chegaremos a conclusões semelhantes.

A JSD é hoje como o Benfica! Vive das glórias do passado. O que eu vejo é incompetência, é falta de qualidade, é carreirismo, é carneirismo, é ausência de ideias, falta de propostas, incapacidade de concretizar projectos!

Temos de sair deste grupo e procurar o que as pessoas pensam lá fora. Se a JSD não consegue chegar ao seu público-alvo, então é porque falha redondamente.

Se o que querem para a JSD é aquilo que esta CPN representa, então efectivamente muito mal vai esta estrutura. Se a ambição é tão reduzida e limitada, então mais vale fechar a porta e poupar uns cobres ao partido.

Eu quero uma JSD diferente. Mas sabes Nélson, eu tenho andado por aí, conheço a realidade de alguns sítios, leio jornais, conheço algumas pessoas, e não consigo ter fé. E não consigo ter fé, porque alguns dos que ocupam lugares de maior destaque dentro desta estrutura, não têm qualidade para ocupar as funções que ocupam. É que não é ganhar eleições internas que faz um bom político, mas sim a sua capacidade de pensar e de exteriorizar o seu pensamento de forma metódica e organizada.

A JSD não premeia a meritocracia, a JSD não premeia a qualidade. A JSD premeia sim o compadrio, a calunia e o número de votos que cada tipo vale.

Podem então perguntar-me: porque não te vais embora?

Não me vou embora porque acredito que ainda posso mudar alguma coisa e fazer a diferença. Nem que seja apenas na minha secção através do trabalho que vou realizando diariamente. Ademais, ir embora seria fazer um favor a esses incompetentes que grassam amiudadamente por aí, num círculo infindável de passeios de cortesia.

Como diz o meu amigo Daniel Geraldes. Para esse peditório, eu não dou!

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Daniel Geraldes disse...

Pah oh Filipe,

criticares-me a jota ainda vale agora o Benfica é que não,

Nelson,

2 coisas que tenho uma perspectiva diferente da tua,

1º no Porta 65, quem eu vi ter algum protagonismo foi um movimento criado chamado Movimento Porta 65, que pelo que percebi era apartidario,e o nosso outdoor alusivo ao tema não era mau, era pessimo.

2º vai ver o site da JSD agora, e vê la o que é que eles promovem. apenas unica e exclusivamente a festa da Figueira.
Isto para uma juventude partidaria não é engraçado, é ridiculo e compara com o da JS no mesmo momento.
Num fala-se numa festa, no outro dá-se destaque a um sem numero de temas politicos.

Diogo Agostinho disse...

Caro Filipe,

Aí está o problema da JSD:

"É que não é ganhar eleições internas que faz um bom político"

E o saco de votos de cada um! São estas lógicas que afasam as pessoas. As lógicas do cacique e de ter Xs votos e muito poder sem saber ler nem escrever.

Directas na JSD urgentemente!

Bruno disse...

Eeeeehhhhhh láááááááá! Agora - como dira a claque de seminaristas - pijastej' o risco Filipe!

Há quanto tempo é que o Benfica foi campeão??? E o Sporting??? Quem é que vive do passado?

;)

Diogo Agostinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nélson Faria disse...

Filipe,

concordo em absoluto contigo... excepto, claro está, em não partilhar uma visão tão negativa da JSD.

A JSD é o choque entre a Visão e a Realidade: devemos lutar com a Visão como móbil, mas garantir que do choque com a Realidade não vença esta última.

Eis uma forma mais prazenteira de abordar o mesmo problema, evitando o exagero da maldade absoluta:

Fico surpreendido com o número de representantes eleitos - até mesmo os bons - que perdem tanto tempo a falar da mecânica da política, e não sobre o que é realmente importante. Estão munidos de uma mentalidade falaciosa, de um interesse galopante em manter os lugares ou em fazer progredir as respectivas carreiras...

Barack Obama

Diogo Agostinho disse...

E trofeus tirando a taça da Amizade do Benfica qual foi o último?

Diogo Agostinho disse...

É esse o encanto de Obama, apresenta-se aos olhos da população livre, sem as lógicas de votos, sem máquinas!

Se é verdade ou não? Não sei, mas ele consegue passar essa imagem

Nélson Faria disse...

Daniel,

o Movimento Porta 65 não era apartidário: era supostamente apartidário.

E até neste blogue foi publicitado, pela minha pena, antes de ser Movimento: começa com o Porta 65 Fechada, ligado ao BE (senão me engano).

Mas quem coloca o tema na agenda foi a JSD, pois este não encontrava eco até à nossa campanha de verão.

Quanto ao site: nós tivemos a festa de aniversário agora; eles tiveram o fim do ciclo Pedro Nuno.
É natural que cada um dê destaque a eventos diferentes. Mas entra no site, aproveita o site, e vê o trabalho que se tem feito.

Bruno disse...

Sim! E aproveita que é um belo site ;)

João Miranda disse...

Nelson,
Não concordo que tenha sido a CPN e o Pedro Rodrigues os grandes críticos do Porta 65!
Para além dos movimentos que se geraram à volta e contra esta medida, julgo que os deputados da JSD tiveram um papel muito mais importante na causa!
E bastou estar atento!

Quanto ao Pedro Nuno levou a sua maior porrada no Parlamento.. é so seguir o convite do Nelson e ver os videos....
Os que a JSD permite...porque já soube que "censura alguns"

JM

Frederico Carvalho disse...

Carissimo João Miranda,

Como responsável pela JSD TV e JSD FOTO, podes ter a certeza que não existe qualquer tipo de censura.

Alias, o objectivo é rechear o património criado com o máximo de fotos/videos que existam espalhados por aí, centralizados num espaço de comunicação activo e dinâmico.

Muito do já inserido deveu-se a muitas horas de pesquisa no youtube, vimeo, sapovideo e sites da estrutura mas tambem de emails à sic e à rtp para envio de peças jornalisticas.

Tudo aquilo que os Deputados (e outros) enviarem sobre a sua actividade política para web@jsd.pt será colocado!

Nélson Faria disse...

JM,

o distanciamento entre os deputados JSD e a CPN medirei da próxima vez que estiver com eles. Mas não me parece que estejam assim tão longe, nem que seja estratégicamente.

Que a primeira vez que o tema é lançado foi pela campanha de verão da JSD não tenho dúvidas. Que fomos os únicos a ter uma campanha com princípio, meio e fim também não.

E aí está o momento alto desta CPN.

João Miranda disse...

Fred:
Pesquisa melhor!

Nelson:
Talvez... mas não é o que se consta.....

JM

Bruno disse...

Hehe! Oh Fred, dás muita confiança e depois há malta que pensa que o teu trabalhao é andar a passear pela net o dia todo ;)

Inês Rocheta Cassiano disse...

Chegando já muito tarde a este post, quero deixar apenas algumas notas.

Foi um grande aniversário da JSD, em que fomos brindados com a presença da nossa Presidente que esteve ao seu mais alto nível na sua intervenção.

Melhor que isso, foi passado entre amigos. VIveu-se um verdadeiro espírito de amizade. Um agradecimento a todos que fizeram parte desta festa.

Quanto à discussão sobre a qualidade e trabalho da actual CPN, faz mais que muitas secções, faz menos que algumas secções. Se tem mérito? Tem. Não é preciso explicitá-lo. Já aqui foi feito exaustivamente.

Agora o que é realmente importante é o ponto focado pelo Diogo: directas na JSD urgentemente! Os órgãos eleitos em Congresso, mais concretamente o presidente da Comissão Política Nacional representa todos os militantes. Não só aqueles delegados ao congresso e que votam. Porque mesmo esses podem não representar amplamente as suas próprias secções.
A verdade é que as directas implicam responsabilidade, formação e conhecimento.

A nossa representação na sociedade deve ser escolhida por nós e não deixá-la nas mãos de outros.

Tiago Mendonça disse...

Apenas dizer que concordo com a ideia de Directas na JSD!

Bruno disse...

Se querem "entrar nessa" das Directas na Jota e quiserem ouvir uma dica de um "mais velho" que sempre defendeu essa alteração estatutária extensível à JSD então não façam o mesmo erro do partido e promovam verdadeiras directas!

Anónimo disse...

Não sou nem mais velho nem mais novo: sou apenas um realista.

No dia em que houver directas na JSD esta ficará ainda mais refém do exterior. Nomeadamente do PSD e barõezinhos com dinheiro para financiar campanhas.

Já no último congresso se viu a força do dinheiro na campanha para o voto dos delegados.

Vejam isso multiplicado se obrigarem os candidatos a terem verbas para mailings e tudo o que é preciso para organizar uma campanha.

Querem mesmo criar directas, sabendo que nem todos teriam hipótese sequer de dizer que eram candidatos?

Nélson Faria disse...

Mixed feelings em relação às directas na jsd: por princípio sou a favor... mas ainda não sei.

Uma das vantagens que as directas têm no partido é a exposição e debate públicos em torno dos candidatos.

Quem é que, até há um ano atrás, realmente conhecia Pedro Rodrigues ou Bruno Ventura? Não que muitos delegados conhecessem, mas apesar de ser mais alargado não sei se seria mais "democrático" lol

Repito, por princípio sou a favor, mas não tenho certezas.

Filipe de Arede Nunes disse...

Quanto ao assunto das directas, estou absolutamente de acordo com o Nélson.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Diogo Agostinho disse...

Directas, com dia de eleição no Domingo de congresso. Em que os senhores congressitas votassem no local do Congresso.

É certo que é preciso dinheiro para montar uma campanha, mas com directas parece-me mais legítimo para os candidatos e não existirão negócios de apoios de distritais e secções, pelo menos podem existir e não servir para nada.

Ah e gostaría de perceber qual o impacto eleitoral com os dirigentes de topo das distritais e secções fisicamente no conclave da JSD.

Parece-me o modelo mais justo e que tem o objectivo de alargar a base eleitoral.

Permitia a que qualquer militante da JSD avançasse e existisse um debate efectivo com os militantes e não com os dirigentes de topo apenas.

Tiago Mendonça disse...

Basta ser feito o exercício, tendo em conta os resultados das directas do Partido. Pedro Santana Lopes teve 30% de votos. Em congresso teria, seguramente, menos. Manuela Ferreira Leite teve 38%dos votos. Em Congresso teria seguramente mais.

As directas não são perfeitas. Continua, claro, a existir condicionamento. Continuam os dirigentes de topo a ter uma palavra importante. Mas não uma palavra total. Existem algumas oscilações que são possíveis em directas e que tornam todo o processo mais justo.

Não querendo de todo especular, mas em directas, o resultado das ultimas eleições pa CPN/JSD teria sido bem diferente.

Aliás é uma lógica antiga. Com todo o respeito pelo Pedro Rodrigues ou pelo Daniel Fangueiro, parece-me claro que não são os militantes mais bem preparados de Portugal para assumirem a presidência da JSD.

As directas favorecia o sistema do presidente da CPN ser o melhor militante do país. Mas claro, não é o sistema perfeito, como não é nenhum.

Acho que deve ser incutido num pacote de medidas que visem descentralizar a JSD e aproxima-la dos seus militantes e dos jovens. A livre militância, por exemplo, outra medida que deve estar no topo da agenda neste domínio. A descentralização dos Conselhos Nacionais e dos Conselhos Distritais, bem como das Comissões Políticas Alargadas. Entre outras.

Anónimo disse...

A eleição directa é um instrumento limpo: ganha quem recebe o voto da maioria dos militantes que foram votar.
Mas será a forma de eleger o melhor?
No PSD Marques Mendes e Luís Filipe Menezes foram eleitos assim.
Eram os melhores?
Um nao se conseguiu afirmar fora do PSD, o outro não se conseguiu afirmar nem dentro nem fora.

As directas elegem quem?

Tiago Mendonça disse...

Qualquer um dos candidatos que agora se apresentou era superior, muito superior a Marques Mendes, por exemplo. (Dúvidas, quanto a Patinha Antão, mas votaria neste e não naquele).

Também em directas. Julgo que se explica pelo momento do Partido e do País. Tem que ver com táctica.

Não é so no Partido e a nível nacional que isso acontece. Outros exemplos existem, onde alguns esperam outro momento, um melhor momento, para avançar, aparecendo outras figuras fazendo o frete do costume.

Já é costume.

Daniel Geraldes disse...

Eu acho que não há capacidade mediatica para eleger-mos um lider por directas.

Se muitos dos militantes não sabem quem é que são os 3 primeiros fundadores do Partido,ou quem é que foi o primeiro Presidente da JSD, como é que hão-de saber quem é o melhor lider para a JSD sem a ajuda do companheiro local :)

O Congresso é ainda a melhor maneira de eleger-mos o lider da JSD.

Tiago Mendonça disse...

Julgo que temos que inverter essa lógica, criar mecanismos para envolver mais as pessoas.

Por exemplo, em Lisboa, o trabalho que a Secção B desenvolve no sentido de levar muitos elementos aos Conselhos Distritais é positivo. Envolve as pessoas nas questões distritais.

Moscavide e a Secção D, por exemplo, também fazem muito isso.

Com as directas era uma tentativa de envolver as pessoas. De lhes conferir maior conhecimento.

A ajuda do companheiro local não tem problema. Se é líder (e o líder de secção é eleito em directas) é porque as pessoas se reveêm nele, logo, é bem possível que sigam a sua visão.

Filipe de Arede Nunes disse...

É impossível fazer directas na JSD, precisamente devido ao argumento que o Nélson levantou e que o Daniel reforçou.

Não existe mediatização suficiente para eleger um presidente numa estrutura juvenil de forma directa a nível nacional.

Ademais, se o caciquismo funciona no PSD, na JSD meus amigos, é multiplicável por 50!

Gosto no entanto da ideia do Diogo Agostinho no que se refere ao Congresso/Directas do PSD.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Bruno disse...

Um problema real das directas é obrigar os candidatos a percorrerem o país em sessões de esclarecimento pelas secções. Sem as directas basta-lhes ir a cada Distrito reunir com os líderes de opinião que a coisa resolve-se.

Este problema poderia sim levar a que alguns candidatos à JSD procurassem financiar-se para poderem realizar uma campanha e isso poderia levar a que se vendessem a alguém do partido. Quem fizesse isso não mereceria o meu voto! Não falo de quem procurasse financiamento mas sim de quem "se vendesse". Tenho este defeito de não gostar de vendidos...

Não acredito que um candidato sério e com um projecto credível não consiga reunir os meios necessários para fazer este périplopelo país... Sinceramente não acredito e por isso minimizo esse problema.

Por outro lado, pensem comigo: já há candidatos que gastam dineheiro nas suas campanhas! Ainda no último Congresso o Bruno Ventura investiu em material de capanha e num outdoor. A verdade é que "agitou as águas". Conseguiu os seus objectivos a 100%. Não falo dos objectivos eleitorais mas sim dos objectivos da comunicação: foi falado, teve protagonismo, mostrou força, assustou os adversários, dinamizou os seus apoiantes e terá conquistado indecisos!

Afina, está visto que também com o modelo actual os dinheiro conta mas não é tudo! Afinal, está visto que quem quiser "vender-se" poderá ter a ganhar com isso. Afinal - lembtando um outro post deste blogue - quem tem medo do lobo mau???

Bruno disse...

Né, quando dizes que "por princípio" és a favor, estás a repetir pelo menos dois grandes militantes desta estrutura: Pedro Duarte e Nuno Matias.

Do primeiro ri-me quando o ouvi dizer isso uma vez que sempre teve medo das directas enquanto presidente da jota. Ao segundo, que muito respeito - tal como tu - disse-lhe uma vez que melhor do que ser a favor por princípio era melhor ser a favor do princípio ao fim ;)

Eu não consigo perceber que alguém seja a favor de uma coisa mas que ache que ela não é aplicável. Ainda por cima tu que és de Direito arranja lá uma maneira de evitar que a malta deturpe o espírito das Directas e aplica isso na Jota pá!

Nélson Faria disse...

lol Bruno!

Não consigo ir até ao fim ;)

A ideia do Diogo A. faz lembrar uma converseta em guimarães entre mim, o bruno e o filipe daniel (acho eu). Seria estranho ver os senhores "donos de secção" a tentar "gerir" o processo eleitoral via wireless ;)

Julgo que temos que inverter essa lógica, criar mecanismos para envolver mais as pessoas.

Essa é a questão: sou um grande defensor das directas no partido por acreditar no voto livre. Não sou cego, sei que há influências, mas é dada a hipótese a cada um dos militantes a reflectir e a tomar uma decisão consciente.

A JSD não tem essa consciensalização mas... imaginemos uma JSD em que houvesse efectivamente uma base de dados digital, e que houvesse o hábito de trabalharmos TODOS dessa forma.

Imaginemos uma JSD com fóruns e com envolvimento de todos os militantes. Imaginemos uma estrutura viva, que respire e se mexa. Assim já era capaz de defender as directas, do princípio até ao fim ;)

Nélson Faria disse...

A citação foi extraída do comentário do Tiago Mendonça.

Manuel Monterroso disse...

Infelizmente não pude estar presente neste evento porque tive um casamento. No entanto, não posso ficar indiferente ao aniversário da melhor juventude partidária marcado por um discurso muito bom da MFL, pelas muitas actividades e pelo ambiente de festa que todos os presentes proporcionaram.
Viva a JSD. Viva Portugal.