terça-feira, julho 08, 2008

Quem decide?


"Rui Rio recandidata-se à Câmara do Porto, anunciou hoje o líder da distrital do PSD, que garantiu não ter pedido autorização à direcção nacional do partido para negociar com o CDS/PP a renovação de coligações nas autárquicas. "
«Era o que mais haveria de faltar eu esperar por indicações nacionais», afirmou o dirigente do Porto"

Algumas análises:

Rui Rio é um bom candidato contra Elisa Ferreira?

O processo de decisão deve partir de quem? Distrital ou Nacional?

E Lisboa? Carlos Carreiras decide?

21 comentários:

Filipe de Arede Nunes disse...

Se os meus estatutos não estão desactualizados, compete às CPS a proposta da escolha dos candidatos, às CPD a aprovação dos candidatos e à CPN a homolgação de tudo isto!

Assim sendo, quem decide? Depende. Se as CPS's tiverem autonomia política são estas que decidem. Se as CPD's tiverem autonomia política são estas que decidem. Se só a CPN puder decidir, então parece-me que terão de ser estes!

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Filipe de Arede Nunes disse...

Em relação à outra pergunta: Rui Rio é o Presidente de Câmara. Só não é candidato que assim o entender...

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Luís Nogueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno disse...

Marco António tem razão: não precisa de esperar por indicações nacionais. Arrisca-se é a ver as decisões dos órgãos distritais e concelhios chumbadas por uma não ratificação da CPN.

Quanto ao ser ou não um bom candidato, é sim senhor! e não o é contra Elisa Ferreira ou qualquer outro adversário. Isto porque ele é Presidente de Câmara e portanto os outros é que são candidatos contra ele e não o inverso. Rio tem um trabalho que tem falado e continuará a falar por si.

Se Carreiras decide em Lisboa, já não sei... É importante, em alturas de Autárquicas, que as estruturas distritais tenham uma liderança forte e - acima de tudo - competente! Que saiba ouvir as bases e seduzir os melhores a avançarem para os desafios mais complicados.

Luís Nogueira disse...

Muito bem visto Diogo. Acabei mesmo agora de ler a noticia no Público.
.
Estou certo que Rui Rio a aceitar esta recandidatura será uma mais valia não só para a cidade do Porto, como para o PPD/PSD distrital e nacional, sendo que na minha opinião, "na equipa que ganha, pouco ou nada deve mudar" e se a oponente fôr Elisa Ferreira, poderemos esperar um bom resultado.
.
Quanto aos processos de decisão e anúncios dos mesmos, não sei se deverão partir dos próprios candidatos ou das CPD ou da CPN. No entanto estranho este anúncio por parte de MAC.*
.
Relativamente a Lisboa e ao seu distrito tenho pouco a dizer. No que me toca, gostaria de saber se o Prof. F.Seara se recandidata ou não. Veremos... Mas claro está, caberá sempre em última análise a escolha, quer ao coordenador autárquico do partido como ao Presid. da Distrital.
.
PS(D):* Não confundir com o capitão MAC... :)

Daniel Geraldes disse...

Já agora quem é que decidiu o Fernando Negrão???

Bruno disse...

Oh Daniel, tu és mau ;)

Paulo Colaço disse...

Segundo os estatutos, eis os passos para uma correcta indicação de candidatos:

- A Comissão Política define os candidatos
- A Assembleia de Secção dá parecer e aprova o Programa Eleitoral
- A CPS propõe à Distrital as listas
- A CPD aprova os nomes apresentados

(a ordem dos 3 últimos não é obrigatoriamente essa).

O que significa que a única distrital que toma a dianteira no processo é a de Lisboa, pois não havendo secção única na capital, deve ser a CPD a conduzir o processo.

No Porto, só não será a CPD a conduzir se o volante lhe for roubado das mãos.

Quanto a Marco António Costa, acho bem que vá aparecendo e dizendo umas coisas deste jaez. Se o fulano tiver visibilidade fica mais fácil explicar às pessoas quem é ele.

Paulo Colaço disse...

Quanto a Fernando Negrão, foi escolhido entre a CPD/Lisboa e a CPD.

Foi um processo complicado pois os potenciais nomes do PSD fugiram. Não se quiseram comprometer.

Lamentável.

Quando Marques Mendes chutou Valentim e Isaltino do barco, nada se passou.
Fazendo o mesmo com um executivo que todos os dias tinha capas de jornal por motivos relacionados com a Justiça, aqui d'el Rei que matam o Mestre d'Avis.

Foi um mau candidato? Foi péssimo.
Alguém o adivinhava? O homem tinha todos os requisitos para fazer uma boa candidatura mas os candidatos são como os melões... só depois de abertos se sabe o que valem...

Bruno disse...

Paulo Colaço disse...
Quanto a Fernando Negrão (...)
Foi um mau candidato? Foi péssimo.
Alguém o adivinhava?


Eu conheço pelo menos um militante que sim! E tu também o conheces mas não nos compete estar aqui a revelar conversas privadas sem o consentimento das pessoas.

Já que se aborda este tema, tenho de dizer isto: a escolha de Fernando Negrão foi um erro tremendo! Por um lado, escolheu-se uma pessoa que não estava bem preparada para um desafio que não era brincadeira. Por outro lado, roubou-se um bom candidato a Setúbal que, não sendo brincadeira, é bem menos exigente do que Lisboa.

E Marques Mendes perdeu muito com esse processo. E o partido também! Perdeu meses e meses com a indefenição natural do processo que se seguiu com a convocação de Directas e depois ainda com a liderança de Menezes.

Tiago Sousa Dias disse...

Rui Rio nunca disse que se recandidata e essa deve ser a primeira palavra. Marco António esteve mal ao avançar com uma coisa que não sabe... ou terá sido propositado?

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Por acaso tenho em mente que Rui Rio sempre disse que tinha projecto para 3 mandatos - ele vai no segundo - o que implicava uma recandidatura... mas posso estar enganado...

António Prôa disse...

Com certeza que a distrital do PSD do Porto tem legitimidade, no âmbito das suas competências estatutárias, para conduzir o processo autáquico no distrito do Porto. Com certeza que as estruturas do PSD, no respeito pelas suas atribuições, devem desenvolver actividade política com autonomia.

Mas sejamos claros: o que o presidente da distrital do PSD fez ontem foi sobretudo uma provocação à nova direcção do PSD (que ele não apoiou). O episódio de ontem foi apenas um desafio à liderança do PSD.

Felizmente que a capacidade de induzir uma imagem de fragilidade ou de desarticulação no seio do partido depende da credibilidade dos actores...

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Curioso desenvolvimento:
'O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, clarificou hoje que em nenhum momento anunciou a sua recandidatura ao cargo nas próximas eleições autárquicas, a realizar em 2009.

"Não produzi, em parte alguma, qualquer afirmação sobre essa matéria", afirma, em comunicado, o autarca do Porto.

Rui Rio acrescenta que "há, seguramente, um tempo para tudo".'

Nuno disse...

O sr. Marco António Costa pensa que pode condicionar as decisões dos outros.

Enganou-se no alvo. Rui Rio não se deixa pressionar, a sua decisão saber-se-á quando ele quiser e como ele quiser.

O tempo das trapalhadas acabou embora para alguns ainda seja difícil perceber isso.

Daniel Geraldes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Geraldes disse...

Se algum do PSD não fosse dominado pelo cacique o Marco António Costa nunca chegaria a lado nenhum, mas a democracia tem destas virtudes.

E quanto ao Fernando Negrão, ao menos garantiu o lugar de Deputado.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Mas sejamos claros: o que o presidente da distrital do PSD fez ontem foi sobretudo uma provocação à nova direcção do PSD (que ele não apoiou). O episódio de ontem foi apenas um desafio à liderança do PSD.

Não poderia estar mais de acordo. Esta foi uma clara provocação de Marco António à actual liderança. Independentemente das exigências estatutárias, o que Marco António tentou fazer foi afrontar MFL.
Gostaria muito de saber como foram escolhidos os candidatos à câmara?

Espero que tenham recorrido ao malfadado documento basista, da lavra de Seara, que dava aos militantes o poder de escolherem os seus candidatos às câmaras.
Devem ter utilizado o mesmo género de sondagem, em cascata, que utilizaram para as directas: aliás os resultados demonstraram-no, no dia 31 de Maio.

Nélson Faria disse...

Diogo,

a pergunta se Rio é um bom candidato contra Elisa Ferreira está feita ao contrário ;)

Elisa Ferreira é uma nortenha, uma regionalista, uma senhora do norte. Será, sem dúvida, um desafio para Rio. Mas penso que o senhor vence.

Bruno disse...

Nou outro dia vi Elisa Ferreira aniquilar Aguiar Branco num debate na RTPN. Pareceu-me ter sido mais demérito de Aguiar Branco (sinceramente pareceu-me mas não quero perseguir o homem...) do que valia da socialista mas não duvido que será um bom desafio para o nosso Rio.

Mas também Assis era um grande trunfo para o PS...

Paulo Colaço disse...

Um pouco atrás, quando disse "No Porto, só não será a CPD a conduzir se o volante lhe for roubado das mãos" queria dizer "No Porto, só não será a CPS a conduzir se o volante lhe for roubado das mãos"

Ou seja, Marco António usurpou funções da CPS para provocar Rio e MFL.

Mas cá está: seja o copo a bater na pedra, seja a pedra a bater no copo, quem se parte é o copo.