sexta-feira, julho 04, 2008

Boa ou Má Imagem


Analisando o Barómetro Político Marktest relativo ao mês de Junho, vemos aquilo a que podemos chamar "mais do mesmo": Cavaco desce pelo segundo mês consecutivo, Sócrates atinge o valor mais baixo de sempre, Jerónimo e Louçã mantêm-se como os únicos com saldo positivo...

Só um dado novo: a presença de Manuela Ferreira Leite. A nova Presidente do PSD não começa "do zero". Começa "abaixo de zero". Apesar disso, bem acima da última prestação de Menezes que teve 19,8% negativos contra os -4,8 que Manuela agora apresenta.

Esta tendência negativa, contraria os dados do Barómetro de Abril, em que os portugueses foram menos severos com a generalidade dos líderes políticos, excepção feita ao então Presidente do PSD, Luís Filipe Menezes que já na altura parecia caminhar para um final pouco feliz...

Se quisermos podemos partir destes dados para uma reflexão sobre o porquê da manutenção desta opinião negativa que os portugueses continuam a ter em relação aos políticos. Ou então, pelo menos, para o facto de Manuela Ferreira Leite, apesar da credibilidade que lhe é reconhecida, ter que arrancar com um score negativo. Ou ainda, quais as razões que levam os políticos mais demagogos como Louçã e Jerónimo a serem os únicos com imagem positiva...

13 comentários:

Bruno disse...

Cavaco a descer (apesar do saldo ainda muuuito positivo): talvez o facto de o país não sair da crise se esteja a reflectir na imagem do PR independentemente de este ter responsabilidade ou não...

Sócrates no pior valor de sempre: ao menos isso! Que as pessoas saibam reconhecer que este senhor não tem mostrado competência depois de já ter mostrado não ter vergonha na cara...

Manuela Ferreira Leite com imagem negativa: nada que não esperasse! Manuela não tem uma boa imagem, tem "cara de má", está associada a medidas difíceis e com reflexos directos na carteira dos portugueses. Mas a sua ideia não é o sucesso fácil ou fugaz. É alicerçar o partido numa imagem de credibilidade e saber fazer. A seu tempo as pessoas perceberão que dela para Sócrates vai uma diferença como da água para o vinho! E não acredito que passe pela cabeça de alguém dar o Governo do país a um dos dois senhores que se seguem...

Louçã e Jerónimo com saldo positivo: só consigo perceber isto pelo facto de as pessoas acharem que eles são "enraçados"... Senão, como é possível que dois líderes partidários que não apresentam uma ideia coerente com a outra, que mais não sabem do que defender teorias utópicas e irresponsáveis tenham ainda assim melhor imagem do que a sua votação justificaria?

Portas: a nova máscara do líder do CDS não pegou... o novo posicionamento do CDS (ao centro-direita) também não... as pessoas são humanas e por isso também se cansam. PP continua a ser um grande orador, um excelente parlamentar, dá luta a Sócrates na Assembleia mas... não chega!

Tété disse...

Louçã e Jerónimo dizem as coisas que as pessoas querem ouvir. Falam sobre assuntos que causam efeito directo nos Portugueses. Refiro-me ao dinheiro que têm no fim do mês, porque é o bolso DELES enquanto pessoa individual/familia. Refiro-me também a questões como desemprego, questões sociais.

Dão um ar de que estão realmente preocupados com situações muitos especificas e tendem a ser defensores dos mais fraco.

É disso que o povo gosta.

Nélson Faria disse...

Louça e Jerónimo são user friendly. Todos os líderes das pequenas forças devem ter saldos positivos.

Bem como o líder da oposição, ainda que nunca seja fácil por ser constantemente desvalorizado e colado à imagem do este fala, mas é igual ao que lá está.

Tem havido sondagens diferentes desde que MFL ganhou. Não dou relevância a nenhuma. Só depois das férias poderemos começar a perceber como as pessoas realmente encaram a realidade politico-partidária portuguesa.

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Louçã e Jerónimo são user friendly.

Mas que grande eufemismo para "demagógicos", Né ;)

Paulo Colaço disse...

Alguém me explica quais são os dados medidos e trabalhados nesta sondagem?
O que é a popularidade?
Que saldo positivo/negativo é este?

Mais pessoas a dizer mal que a dizer bem (ou o inverso?).

Sinceramente, para mim as sondagens indicam pouca coisa. Teríamos de conhecer os seus passos, um a um, para lhes podermos dar crédito.

Só têm, para mim, um dado realmente relevante: é o impacto que conseguem (ou não) junto do eleitorado.

E o pior é que eu acho que tem sido esse o objectivo de muitas sondagens políticas:
- não pretendem mostrar a realidade: querem moldá-la!

Bruno disse...

Colaço, "os dados medidos e trabalhados nesta sondagem" estão disponíveis no link que coloquei no post para o site da Marktest. A ideia ao colocar o link foi essa mesmo: que quem quisesse saber mais sobre o estudo o pudesse fazer porque ele não é meu nem eu quero fazer dele uma verdade absoluta.

Bem pelo contrário. É apenas um indicador e é por isso que tem todo o cabimento falarmos sobre ele. Porque nos permite conjecturar, extrapolar, opinar... dizer o que pensamos, essa coisa tão psicótica ;)

O que eu acho interessante nestes barómetros é que - ao que julgo saber - são feitos com uma amostra que é estanque no tempo. Ou seja, se estiver bem escolhida permite-nos saber a evolução da opinião de um grupo que é representativo da opinião pública. E repara que aquilo que eu mais foco no post é exactamente isso: a evolução da opinião...

Paulo Colaço disse...

Com a pressa não vi o link :(

Percebo o teu ponto de vista mas repito: eu tenho olhos e ouvidos na forma como o trabalho é feito ou não lhe dou crédito.
Interesso-me mais pelo impacto que pelos números. Sejam eles bons ou maus para nós.

Sim, eu sei: estou estupidamente céptico ;)

Bruno disse...

Não diria estupidamente! Até porque céptico também eu sou. De resto, sei como são muitas vezes feitos estes estudos e por isso não tenho ilusões.

Mas é como dizes: quanto mais não seja, ainda que não espelhem a opinião pública, influenciam-na.

Neste caso, como disse, não me custa acreditar que, por exemplo os números de Manuela Ferreira Leite estejam correctos. O que quer dizer aquilo que sempre pensei: o PSD não tem de apresentar soluções fáceis ou imediatas. Tem de apresentar soluções que funcionem, que tenham "cabeça, tronco e membros" e que possam apresentar resultados hoje, amanhã e depois!

E eu tenho esperança que as pessoas percebam a importância de MFL e do PSD. E aí, nem todos os "barómetros" do Mundo vão ter capacidade de mostrar outra realidade.

Diogo Agostinho disse...

Vale o que vale, mas para já, dá-nos algum alento.

De facto, Sócrates começa a descer e sente-se já há algum tempo, Manuela Ferreira Leite por pior ou melhor imagem, é novidade.

Acredito no prazo que o Nélson coloca aqui: depois das férias. Este país hoje acordou depois do Europeu para a realidade, mas agora já iremos ter os Jogos Olimpicos e as praias deste paraíso a levarem os pensamentos para bem longe. Até Setembro não tem impacto, depois ou é a subir ou...é a subir.

Rui disse...

Concordo, quando dizem que tanto Louçã como Jerónimo estão "positivos", porque falam de assuntos que interessam ao bolso dos Portugueses e o PM está tão em baixo devido às desigualdades sociais e com o aproximar do limiar da pobreza para muitas famílias Portuguesas.

Concordo, também, quando o caro Colaço diz que as sondagens indicam pouca coisa e só interessam para se verificar o impacto que estas conseguem no eleitorado.

Não é preciso ficar viciado em sondagens, mas é necessário ver a evolução do eleitorado. E se repararem a Projecção de Voto para a Assembleia da República, no barómetro político da marketest, vemos que o PSD obtém a (quase) mesma intenção de voto quando mudou de líder. Foi o que aconteceu em Outubro de 07 e em Maio de 08. Ao analisar isto, vejo que com uma oposição séria e fiscalizadora, juntamente com um programa eleitoral credível e realista (sem a fantasia que o PM gosta de impor e que os portugueses estão fartos) é possível ganhar as próximas legislativas e até quem sabe com maioria...

Luís Nogueira disse...

"Louçã como Jerónimo estão "positivos", porque falam de assuntos que interessam ao bolso dos Portugueses".
.
Será? São notóriamente os candidatos da ruptura, seja ela qual fôr, que apontam para um conjunto de medidas "perfeitas", que cativam qualquer pessoa menos esclarecida e em maior dificuldade, que espera ver uma solução imediata para os seus problemas, sem se preocupar com a exequibilidade da proposta. Daí ficarem na retina...
.
Quanto á negatividade ou positividade dos responsaveis políticos em causa, meto sérias dúvidas neste tipo de inquéritos, pois para além de imprecisos, são demasiado voláteis...

Bruno disse...

O Luís tocou no ponto: Louçã e Jerónimo, no seguimento das suas ideologias utópicas e perfeitamente impossíveis de aplicar como a falência do Leste Europeu provou à saciedade, apresentam que não são exequíveis mas não se preocupam com isso pois sabem que nunca serão Governo.

De que servem então estes políticos??? É isto que o povo português quer? Estará quem fala verdade condenado a ser "mal-visto"?

Inês Rocheta Cassiano disse...

Sempre notei uma dicotomia de sentimentos relativamente a Manuela Ferreira Leite: por um lado a sua notória competência e ética de trabalho e, por outro lado, a sua austeridade e por vezes arrogância. O povo gosta do "tipo porreiro". Por isso esta posição de MFL não me surpreende. (Recomendo que vejam o sketch dos Contemporâneos da última semana sobre a nossa líder).

Quanto a Sócrates, pode ser que finalmente o seu narcisimo e prepotência venham ao de cima. Porém uma sondagem realizada para a SIC mostra que se as eleições fossem hoje, o PS ganharia com maioria simples. Uma boa máquina de campanha justifica tudo?

Uma pequena nota sobre Louçã, sempre o considerei um excelente utilizador da retórica, um grande orador. Como já aqui disseram, diz aquele que os portugueses querem ouvir, e mais, faz o seu discurso do pont de vista do espectador para a identificação e a relação seja mais fácil.

Esperemos que aquando das eleições em 2009, os resultados sejam um pouco diferentes...