sexta-feira, julho 04, 2008

Diplomacia? Não obrigado.

Numa operação relâmpago, os militares das forças governativas da Colômbia devolveram a paz a 14 reféns das FARC e à famosa Ingrid Betancourt.
Rude golpe nos esforços diplomáticos de Sarkozy, secundado por Chávez.
Uribe, presidente da Colômbia, conseguiu a eliminação do nº2 das FARC, Reyes, no passado dia 1 de Março. Foi uma feliz operação militar perto da fronteira com o Equador. No desenlace desta operação foram recuperados vários computadores portáteis que continham informações que levaram á conclusão de que as FARC e Chávez procuravam legitimar o movimento internacionalmente, pedindo o recuo das forças militares governamentais, e o seu grande trunfo seria a refém estrela, que não tencionariam libertar, nem por toda a coca do mundo!
Sarkozy fez figura de parvo, afinal desde há muito que a França tenta pela via diplomática, tendo mesmo pedido recentemente ao governo de Uribe que não lá fosse pela força! Hoje pretende receber a senhora no Palácio Presidencial.
Chávez imediatamente congratulou Uribe publicamente pela missão, lembrando os apelos públicos que tem feito para que os rebeldes depusessem as armas.
Betancourt, em Bogotá, apelou à crença nos militares da Colômbia, e que eles levarão o País à Paz merecida, tecendo um estrondoso elogio ao governo de Uribe. Não se esqueceu no entanto de agradecer à França e ao povo francês.
O Wall Street Journal, refere que muitas das ONG’s de direitos humanos falharam em distinguir entre a Colômbia da droga e da guerrilha que vive dos raptos e do terror, e a Colômbia do Governo eleito e imensamente popular.

Será que na América sabem alguma coisa que nós por estes lados da Europa não sabemos?
Só pela força é que se vai lá?

19 comentários:

Nélson Faria disse...

Como um adepto da política norte-americana ninguém se surpreende com a minha posição em relação a este caso: não se negoceia com terroristas ;)

Temos de os combater dentro da legalidade, sem Guantanamos ou políticas de forças especiais fora da lei a trabalhar para o Estado (Gonzalez em Espanha), mas combatê-los árduamente.

Os terroristas ou se derrotam ou dá-lhes razão. Acho que é melhor derrubá-los.
José Maria Aznar

P.S. McCain estava na Colômbia aquando da libertação. Já se tenta fazer aproveitamento político disso.

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Tiraste-me o comentário dos dedos ;)

"Não se negocia com terroristas"! Uma politica que subscrevo na integra.

Em especial quando, como as FARC, os terroristas usam tráfico de droga e raptos como forma de financiamento.

Será que na América sabem alguma coisa que nós por estes lados da Europa não sabemos?
Só pela força é que se vai lá?


Oh JFD, mas tu queres negociar com traficantes de droga que raptam tudo o que mexa em troca de um "bom" resgate?

O que é que eles sabem que nós não sabemos? Talvez a questão seja, o que é que a europa esqueceu que eles não...

Imagina lá se Churchill em 1939, em vez de declarar guerra à Alemanha Nazi, tivesse ido à sociedade das nações pedir sanções economicas pela invasão da Polónia, e fosse pedir com "jeitinho" a Hitler que não matasse judeus? ... Teriamos hoje se calhar um mundo muito curioso!

Sim é um exemplo "extremo" mas ilustra que às vezes negociar não é a solução quando sabes que o outro lado não te vai ouvir!

Toda a gente sabia que nem por toda a "coca" do mundo eles libertariam Ingrid Bettencourt [tuas palavras]. A solução era então continuar a negociar enquanto ela e outros reféns continuavam na selva!?

Paulo Colaço disse...

"Não se negocia com terroristas".

Situações extremas exigem medidas extremas. Dentro, claro, dos limites da legalidade democrática e usando toda a serenidade, eficácia e sensatez!

Boa operação de Uribe.

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Errata:
comi o "e":
"Não se negoceia com terroristas"

Paulo Colaço disse...

ups, eu, que fiz copy/past do Guilherme, incorri na mesma gralha!

Diogo Agostinho disse...

Excelente operação. Discreta e rápida.

O lema é o correcto: Não se trata de diplomacia, com selvagens não há hipótese de sequer se pensar em negociar.

Com terroristas não.

jfd disse...

LOL Guilherme, a pressa para discordares de mim, não te deixou perceber que fiquei desapontado com a táctica Europeia (na pessoa de Sarko ainda mais desilusão foi), e fiquei fã do ataque militar cirúrgico e preventivo.

E confesso que fiquei um cadinho impressionado com a malandragem de Chávez. O tipo é matreiro ;) Há que admirar a volta que deu à grande França!

Desilude-me uma Europa passiva, ONG's passivas. Tem sido recorrente este minha linha nas intervenções que tenho feito acerca das últimas grandes crises humanitárias.

Com este post ficou um exemplo de eficiência a prevalecer sobre a conversa de caracaca!

jfd disse...

Oh JFD, mas tu queres negociar com traficantes de droga que raptam tudo o que mexa em troca de um "bom" resgate?

Remeto-te, caro Guilherme, para o título do post ;)

"Diplomacia? Não obrigado."

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

LOL

Não foi pressa de discordar contigo... foi a impressão que me deu ao ler o post, e em especial a última frase!

Então estamos de acordo ;P

Diogo Agostinho disse...

"A delegação do PSD ao Parlamento Europeu propôs hoje Ingrid Betancourt como candidata ao prémio Sakharov, considerando que a ex-refém franco-colombiana é daqui para a frente «uma das faces mais visíveis do combate pela liberdade de expressão». "

Excelente ideia

jfd disse...

Pois estamos ;)

Rui disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui disse...

Apaguei o post anterior porque era igual ao do caro Diogo.

Também acho uma excelente ideia.

"Ingrid Betancourt é um exemplo de luta pela democracia, pelo respeito pelos direitos humanos, pelo Estado de direito e pelo combate à corrupção, representando actualmente em todo o mundo um exemplo de coragem, dedicação e inspiração a todos quanto se batem por esses valores previstos na Carta Europeia dos Direitos Fundamentais."

jfd disse...

Aqui está o core do que tentei passar com o que escrevi...
A Europa que fala, fala, fala...
E a América, que fez!

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Não me digas que estás à espera que o sr. Sarkozy e companhia que façam mais alguma coisa que não seja "falar falar falar"... ;) LOL

jfd disse...

Não sejas assim que estás tão desiludido com Sarko como eu ;)

O único esperto, que morreu na praia, foi o Chávez!

jfd disse...

O grande vencedor, Uribe!

Luís Nogueira disse...

Concordo com o "não se negoceia com terroristas". No entanto não se pode ser "monolitico" o suficiente, para pensarmos estritamente no uso da força. A pressão diplomática e o diálogo, deverão ser sempre as primeiras "armas" a utilizar. Pessoalmente defendo o uso da palavra e da força em simultaneo.
.
Sempre achei este caso meio estranho, um tanto a resvalar para o mediatismo de uma obra romantica... Enfim, a Sra foi salva das mãos das FARC e o Presidente Uribe acabou por ser o único a sair bem na foto.

jfd disse...

(...)obra romantica

Luís e que grandes obras nos tem dado aquelas latitudes!