sexta-feira, julho 11, 2008

ai fone?? qué isso?!?


Será que sou eu que sou careta? Estúpido? Retrógrado? Invejoso? Pobre? Idiota? Atrasado mental? Não entendo a loucura, a falta de racionalidade e falta de senso comum e de ligação com a dura realidade.
Estamos todos, ninguém escapa, rendidos a esta sociedade de consumo. Eu sou um vitima, tu és uma vitima. E ontem ao longo do dia e pela noite dentro, chegou a nova droga.
Estamos perdidos. É a República das Bananas.
Como podem os serviços noticiosos gastar tanto tempo com esta treta?
Quem me explica?

Cambada de carneiros...


31 comentários:

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Não somos "caso único"... é mais uma demonstração de brilhante gestão de marca da Apple: metes um design novo em tecnologia "antiga", juntas uma maçã e vendes com margem de 50 por cento ;)

Nélson Faria disse...

Eu sou um daqueles resistentes retrógrados: nem iPod tenho, quanto mais iPhone. Mas sei trabalhar com ele, pois tive de ajudar a mana a carregar músicas lol

E se me irei render ao iPod um destes dias, ao iPhone duvido. Não gosto dessas brincadeiras. O telemóvel não é para brincar, é para trabalhar :)

Espero que a malta se divirta com o iPhone, mas não é coisa para mim :)

luis melo disse...

É este o país em que vivemos. Há uma crise social imensa, todos se queixam. Mas chega um aparelho que custa 500 a 600 € e todos ficam em alvoroço querendo ser os primeiros a ter um. Sinceramente não entendo...

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Rock in Rio esgotado, iPhones a sair quem nem pipoca quente...
se calhar a crise social não é tão grave e é mais "queixume tuga" que outra coisa!

Mas eu também sou o porco liberal, por isso ;)

Luís Nogueira disse...

Epah... estou a sentir-me mal :$ lol Isto porque não tenho ipod, não tenho iPhone, não tenho um MAC e nunca esperei ardentemente pela saída de mais um brinquedo tecnológico...

jfd disse...


O iPhone mais caro da Europa
Os portugueses que queiram adquirir o iPhone 3G, lançado mundialmente às 00 horas de hoje, vão ter de pagar os terminais mais caros da Europa. No limite, para um telemóvel com um PVP de 129,9 euros, q exige uma mensalidade de 64,9 euros e uma fidelização de 24 meses, o utilizador pagará no final 1687 euros. A Vodafone e a Optimus organizaram festas para a distribuição dos primeiros aparelhos (de 8 e 16GB) que custarão 499,90 e 599,90 euros, respectivamente, para quem quiser falar à vontade e não estar preso a um plano tarifário. Para os terminais subsidiados, a oferta varia de acordo com a mensalidade (que vai de 29,9 a 64,9 euros), com planos fidelização obrigatórios de 24 meses. Várias casas de investimento apontaram o facto de a "subsidiação não ser tão elevada como o esperado", o que vai obrigar a um redobrado esforço financeiro da parte dos clientes. Outro factor que leva a o encarecimento do iPhone é o IVA praticado em Portugal e que recai sobre os terminais e chamadas. A taxa de 20% é a mais elevada quando comparada com os 16% de Espanha, 17,5% em Inglaterra ou 19% na Holanda. A carga fiscal impede uma oferta mais "agressiva", como a paraticada em Espanha. A Telefónica lançou o iPhone para novos clientes a zero euros, submetendo-os a um plano de fidelização de 24 meses, com consumo mínimo de voz de 60 euros e uma tarifa plana de 25 euros por mês. Em França, a Orange lançou o iPhone 3G de 8GB a 124,6 euros com uma tarifa mensal de 41 euros (4horas conversação) e um plano de fidelização de 24 meses.


Naturezas disse...

É por isso que quase nem vejo televisão...Um meio que podia ser tão bem usado para informar , ensinar, entreter,e é mais publicidade que outra coisa qualquer, o que safa é o canal 2.

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Eu pessoalmente não compraria o iPhone: para smart phone prefiro novo Blackberry Bold ;)

Pedro disse...

Bolas... eu pensava que pensava mas afinal... tenho um mac, um ipod... carneiro... talvez me cure a gritar: PSD! PSD! PSD!

Naturezas disse...

Ouvi dizer que o Sócrates agora vai dar ai foones nas escolas.
ahahahah (na brinca) :D

Margarida Balseiro Lopes disse...

Eu não sabia deste lançamento. Não tenho nenhum tipo desses equipamentos, para alguns verdadeiras maravilhas tecnológicas. E verdade seja sita: não me têm feito falta... ;)

Margarida Balseiro Lopes disse...

E verdade seja dita: não me têm feito falta... ;)

Paulo Colaço disse...

Não fui dos primeiros a ter telemóvel. Os primeiros tinham um tijolo.
Não fui dos segundos: esses tinham comandos de televisão.
Fui dos terceiros. Em 1996, creio.

Não tenho iPod nem serei dos segundos ou terceiros a ter.
Sorry.

Serei resistente a coisas novas ou será que sou apenas um tipo que prefere adquirir apenas quando precisar e quando os preços já não forem para apanhar "precoces"...

Paulo Colaço disse...

Essa do queixume tuga é que é!
A malta está mal, mas encontra sempre folga para ir comer "àquele sítio", comprar "aquele brinquedo", blá blá blá.

E reclamam de quê? Preço da gasosa? Andem de transportes públicos. Já lhes permitiria umas extravagâncias...

Tânia Martins disse...

Eu tenho um MP4 :p! A loucura pela moda faz estas coisas. Muitas pessoas não vêem a fronteira entre o que querem e o que podem e depois as dívidas cresecem sem parar. O mais incrível é que quem não pode adquirir bens tão caros rende-se à tentação esquecendo-se das verdadeiras necessidades! Um iPod ou um iPhone não é uma necessidade primária e esta imagem só me faz lembrar imagens dos livros de História das pessoas que, em tempo de guerra, faziam fila à porta das mercearias para poder comprar pão.

Jorge: República das Bananas não me parece, optaria por chamar República dos cabeça de Côco!

Bruno disse...

Eu acho muito bem que a malta aproveite estes gadgets e comprem todos e mais algns. (quase) Todos eles têm uma utilidade. A cada consumidor caberá medirem essa utilidade em função do preço.

O último telemóvel que comprei foi mais caro do que eu queria. Isto porque um telemóvel para mim precisaria de cumprir determinados requisitos que me são fundamentais para trabalhar. Mas só são fundamentais porque me habituei a eles. Senão lá teria que andar com uma agenda de papel e canetinha atrás a fazer rabiscos sobre os compromissos e tarefas.

Também não me parece que os meios de comunicação social estejam assim tão enganados ao noticiarem estes lançamentos. Se são coisas que mobilizam milhares de pessoas... que têm impacto em todo o mundo... não quero dizer que abram noticiários mas lá que têm algum interesse...

Agora, o que me choca mesmo(!) é que, num país como o nosso, em que todos os dias ficamos a saber que há mais pessoas com dificuldade para pagar as contas ao final do mês, haja tanta gente com 500€ para gastar num... brinquedo!

xana disse...

Não é queixume tuga, é ainda pior que isso.

Primeiro, temos que constatar que os ricos estão cada vez mais ricos, e ainda existem uns quantos neste país à beira mar plantado que sucumbem facilmente aos caprichos das suas criancinhas.

Em segundo, também é um facto, que muitos existem que compram este tipo de bens, caríssimos, e depois são capazes de poupar onde não deviam... é ou não verdade que o que há mais hoje em dia é pobreza engravatada?

Não tenho nada contra o facto de as tv's passarem este fenómeno, quem sabe para mostrar o estado esquizofrénico em que este país está!

E voilá! Estamos no verão! Acham mesmo que não vamos assistir a famílias a rumarem ao sul, a gastarem o que têm e o que não têm quando passam o ano todo a queixar-se...

Eu tenho um ipod... e um zen da creative! Gosto muito da apple, mas... não me apanham na loucura do iphone! Nem copia os contactos do cartão! Crap, crap, crap!

jfd disse...

Atenção, eu tenho um aipode! O fiel depositor dos meus podcats ;)

Também sou consumidor.

A minha cena com o aifone é a estupidez de comprar uma porcaria por €500, e gastar ainda mais para utilizar, quando não faz sentido técnicamente! Não traz nada assim tão especial!
:P
Mas são pontos de vista.
E como tudo, são debativeis ;)

Anónimo disse...

Eu acabo por concordar, parcialmente, com todos !!!

E a pergunta que se faz, é " mas como é que este louco concorda com todos ???"""

Pois, bem, tenho um iPod. Porquê? porque me ofereceram um, e admito, se assim não fosse teria comprado um. Tenho um telemóvel/PDA 3.5G do qual não uso nem 10% das suas funcionalidades. Mas algumas uso, além de receber e efectuar chamadas, utilizo tudo o que um PDA nos oferece, o que no meu caso, falando profissionalmente, é confortável.

Não tenho MAC, pois não tenho uso para ele, apesar de admitir que é LINDO e com um SO que não dá chatices ... se calhar devia de ter um ;)

Mas em relação ao iPhone :

- Se não tivesse gasto 150€ (que não gastei pois foi ofereceido), não os gastaria ... desconta

- Se não tivesse um QTek que na altura custou quase o preço do iPhone, não o comprava ... desconta

Moral da história ... e só parte pois tem GPS e por aí fora, com os €€€€ não gastos no restante, tinha uma bela máquina, estéticamente atraente, pois a isso a Apple nos habitou, e ficava contente ...

... mas, e há sempre um mas, é o que as operadoras nos obrigam. A assinaturas brutais que no final saem a preços que ninguém deve pagar!

Moral da moral da história. Com inteligência compram equipamentos que são melhores, fazem mais e saem bem mais baratos que este. Ex.: HTC Diamond!

Moral da moral da moral da história:

Todos têm, com certeza, uma câmara digital. Se não têm um iPOD, algo parecido têm, e telemóvel têm de certeza.

Portanto, a coisa bem feita até nem é assim tão descabida. O GRANDE problema aqui, é que ninguém faz as contas que o autor deste tópico fez. É que já é caro comprar o equipamento, mas o mau é mesmo comprar e pagar todos os meses para o usar ao preço que nos cobram em PT.

Mas no final não deixa de ser mais do mesmo ... um objecto de design, tal como um carro e muitos outros que se deseja e se tenta tudo para ter. Depois soma-se a água, a luz, o gaz, a prestação da casa e do carro, os filhos (para quem os tem) e aí, sim, está a crise e a falta de bom senso dos Portugueses.

Moral da Moral da Moral da Moral ...

Eu mantenho o meu QTek que faz bem o que deve fazer, uso o Ipod que foi oferecido e assim não gastei um tosto ... pago as minhas contas e não devo nada a ninguém ...

Portanto, testamento após testamento, efectivamente esta gente não pensa ... mas fica giro chegar ao café e pousar o Ipod ... fica tudo a olhar ... o resto a malta queixa-se que está mal ...

Um psico-abraço

Marco Mendes

Anónimo disse...

Ah ... e efectivamente concordo com todos ...

A Apple faz bem o trabalho de casa, e o markting realmente faz vender.

Alguém se lembra da loucura que foi comprar as 1ªs PS3 que sairam no Japão? Dormiram na rua e esperaram.

Hoje é igual, pois se comprarem um dos novos IPhones, não o podem activar ... os servidores não aguentaram, tal não foram as vendas !!!

Um abraço

Marco Mendes

jfd disse...

iPhone quase esgotado em três dias
Quase esgotados. É assim que estão os stocks do iPhone 3G nos Estados Unidos, três dias depois do seu lançamento mundial. A corrida ao telemóvel provocou o caos nos servidores da Apple e deixou milhares de iPhones sem activação.


Diário Económico


Ai que o iPhone não funciona!
Muitos dos que acorreram em massa às lojas para comprar o iPhone 3G não conseguiram activar o seu telemóvel, isto porque o sistema de activação online da Apple foi abaixo, em Portugal e também em todo o mundo. Agora os compradores terão que esperar que a Apple resolva rapidamente o problema com os seus servidores.


24 Horas

Anónimo disse...

Eu se fosse Homosexual também tinha um IPhone . Assusta-me ver a quantidade de "techaddicteds" a comprarem Material da Apple .
Apple Inc. Gayware

xana disse...

A febre do iphone e a febre dos homofóbicos.

Hmmm... a segunda é mais patética!

EM disse...

Um gajo que é um gajo a sério anda com um Nokia. O N96 dá para ver TV Digital. O I - Gone, não.

Ah, pois, é verdade, só há TV digital em Espanha, Suécia, Finlândia, E.U.A., ...

Tânia Morais disse...

Pior que a febre consumista que nos assola, só mesmo a conjugação desta com a ausência de valores (religiosos, políticos...) que muitas das vezes nos protegem de nós próprios.
Ainda hoje conversava com uns amigos sobre isto... Caros, deixámos de ser para TER e PARECER. Há que mudar.

Paulo Colaço disse...

Cara Tânia, o TER e o PARECER são o SER dos fracos.

Para esses, só se "É" se se "TIVER" ou se nos "PARECERMOS" com quem nos queremos assemelhar.

Não será uma novidade de hoje, é uma verdade intemporal, embora creio que seja cada vez mais forte.

Como se combate? Não sei. Eu combato isso com um alerta de sempre dos meus pais: cuidado com as companhias. Não me dou bem com os fúteis do TER e do PARECER a que, bem, te referes.

O melhor remédio será a distãncia.
A mim poupa-me aborrecimentos :)

Já agora, continua a aparecer por aqui.

José Pedro Salgado disse...

Confesso que me ultrapassa.

Tenho uma relação paradoxal com a tecnologia. Se por um lado seria incapaz de viver sem ela, também tento (á lá Tyler Durden) que as coisas que possuo não acabem por me possuir a mim.

Assim, tecnologizo apenas na medida do necessário plus, recusando-me afastar muito dessa média.

ptavares disse...

Eu não percebo é porque lhe chamam iphone... afinal aquilo tem micro-ondas e até assa frangos... mas parece que para telefonar não é grande coisa. È que depois de ver TV, mandar mails, ligar à Net, fica-se sem bateria em 3 tempos...

Paulo Colaço disse...

Zé Pedro, dizes que tens "uma relação paradoxal com a tecnologia".

Pessoalmente não sei se devo chamar "relação" àquilo que tens com a tecnologia.

eheheh

José Pedro Salgado disse...

Colaço:

É uma relação amor-ódio no seu melhor: can't live with it, can't live with out it!

Anónimo disse...

Hi,

I begin on internet with a directory