domingo, julho 06, 2008

Playground

O Conselho de Justiça manteve decisões que anteriormente colocaram Boavista no escalão inferior e Pinto da Costa suspenso dois anos. Com toda a polémica gerada, igualmente muito jurídica, será que isto ainda faz parte do futebol?

18 comentários:

jfd disse...

Diz-me tu Paulo, se isto ainda é Justiça. Não era tua opinião anterior que ganhar na secretaria, é na mesma ganhar?

Paulo Colaço disse...

Não sei se gostas de baralhar ou se te baralhas a ti mesmo.
Muito rápido que o cinema não espera por mim: as questões são essenciais num Estado de Direito.

É o que nos separa, muitas vezes, das ditaduras, em que os fins justificam qualquer meio.

Se o Porto tinha razão quando dizia que o processo foi faltoso, em que lhe seja reconhecido. Se o acusador tem razão quantos aos factos, então que se faça justiça, mas dentro da "forma" que a lei estipula.

Neste post venho perguntar aos especialistas o que acham e se, com tudo isto, ainda acreditam no nosso futebol.

Luís Nogueira disse...

É também por este tipo de situações que já nem vou aos estádios. Só existe uma palavra para descrever o que se passou - (uma) vergonha. Só não compreendo o facto de ter sido provada uma aparente tentativa de corrupção e esta apenas ser punida pela justiça (desportiva) portuguesa...

jfd disse...

Pois se calhar devo é estar baralhado.
Baralhado com tanta porcaria que ainda está fora, e não dentro.

Nélson Faria disse...

Ainda bem que é para especialistas. Não percebo nada disto.

E ontem à tarde nem recorri à minha cláusula da "higiene mental" e dediquei uns 20 minutinhos ao tempo... entre leituras e TV.

Não percebi. Acho que criei uma resistência ao tema que me impede compreender.

O que importa é saber quem é que o Benfica ainda vai contratar ;) e quem vai Quique dispensar :) E quem vai ganhar o torneio do Guadiana...

Isso é que é importante ;)

Nélson Faria disse...

dediquei 20 minutinhos... ao tema lol

Manuel Monterroso disse...

O que é mais interessante nisto tudo é que o caso referido apenas foi analisado desportivamente porque estava a decorrer um processo no tribunal civil! Ora o tribunal civil já disse que não havia matéria de facto para condenar o Pinto da Costa mas os magistrados nada isentos nem imparciais do CJ resolveram de forma ilegal pronunciarem-se sobre um facto que para eles (e só para eles estava consumado há muito tempo). Eles poderiam de facto reunir-se uma vez que tinham quorum mas esqueceram-se de uma questão muito importante: a reunião tinha acabado e só o presidente pode convocar outra reunião...
O que mais me preocupa nesta matéria é que temos magistrados que são corruptos e nada isentos como é o caso da MJMorgado e destes senhores que não conseguem abstrair-se das suas cores clubísticas e tomarem uma decisão em consciência...
Não percebo como as pessoas ainda continuam a acreditar na justiça tendo ela cometido tantas injustiças e sendo ela tão falsa e obscura..
Tenho dito.

Paulo Colaço disse...

A pressa originou uma gralha.
Há pouco, no meu segundo parágrafo escrevi: "as questões são essenciais num Estado de Direito." quando queria ter escrito: "as questões processuais são essenciais num Estado de Direito."

Daniel Geraldes disse...

O problema da corrupção no futebol tem destas coisas, desta geram-se estas quezilias á volta da lei, e com tanta informação e contra-informação, eu já não percebo quem é que inocente e culpado, e sinceramente no futebol só me interessa saber se o Benfica ganha, perde, ou empata. A corrupção e falta de etica deixa-a para os dirigentes, já que vimos que não os conseguimos condenar.

Nélson Faria disse...

O Benfica nunca perde Daniel... às vezes não ganha.

Grande abraço

Manuel Monterroso disse...

Nélson: Nunca digas Nunca!...:D

Paulo Colaço disse...

Off-topic: visitem
http://jsd-faro.blogspot.com/2008/07/nlson-prometeu-cumpriu.html

Diogo Agostinho disse...

Esta imagem que passa é de uma tremenda palhaçada. Não teria sido mais nobre a demissão em bloco de todos os membros?

Isto é legal? Marcelo Rebelo de Sousa disse que não...

Bruno disse...

Não sei se o Colaço está a perguntar aos especialistas em Direito ou em Futebol. Como não sou nem uma coisa nem outra, não tenho respostas mágicas...

O que tenho é uma forte impressão: se o Presidente do CJ tentou afastar um Conselheiro, se os restantes conselheiros acharam que quem devia ser afastado era o Presidente, se não se entenderam e prosseguiram uma reunião que o Presidente quis dar por terminada... só posso concluir que tem havido pressões!

Não sei de onde vêm essas pressões. Acredito que de várias partes. Acredito - chamando os bois pelos nomes - que venham do Benfica, do FC Porto, do V. Guimarães, do Sporting, da Direcção da FPF, da Liga... até Platini - indirectamente - já pressionou!

O problema é que os agentes da Justiça, seja ela desportiva ou de qualquer outro ramo, não podem ser pressionáveis, influenciáveis e muito menos decidir em função de interesses. Mas parece que não temos gente suficiente de qualidade neste país...

O futebol português ainda não bateu no fundo. Bem pelo contrário. Suspeito que muita água (para não dizer pior) ainda vai correr por baixo da ponte e a porcaria vai cheirar cada vez pior...

Paulo Colaço disse...

Freitas vai liderar a investigação...

Bruno disse...

do Amaral?

Bruno disse...

Já vi(li) que sim. Não se pode dizer que a FPF não se tenha empenhado em encontrar um nome forte. Esperemos que como especialista em Direito Administrativo dê uma solução rápida a este imbróglio. O facto de não ser lgado ao futebol é positivo pois não é associado a nenhum clube em específico.

Mas pode haver quem o ache uma ma escolha. Paulo Portas e Pedro Mota Soares, por exemplo ;)

Margarida Balseiro Lopes disse...

Uma vergonha para o futebol português. Troca de acusações entre o presidente e os membros do CJ. Esperemos pelo parecer de Freitas.