sexta-feira, julho 04, 2008

A nossa floresta... quo vadis?


O Nemátodo da Madeira do Pinheiro (NMP), cujo nome científico é Bursaphelenchus xylophilus, é um verme microscópico que mede menos de 1,5mm de comprimento, sendo considerado um dos organismos patogénicos mais perigosos para as coníferas a nível mundial, pois é o agente causal da doença da murchidão dos pinheiros, originando a morte das árvores afectadas.

Perceberam? Eu também não. Afinal não fui eu que escrevi, este texto é apenas um copy paste de uma boa acção deste Governo que na sua página publicou FAQ´s depois da "epidemia".

Até que ponto conhecemos a terra que calcamos? Diz-se que o NMP é trágico para a floresta portuguesa e que não há volta a dar... O que significa isso? Vão ficar com febre e cair? E já agora o mar? Conhecemos o nosso mar? Usamo-lo?

Eu preocupo-me imenso, sou um ecologista... tirando quando me esqueço. Acho que cada um de nós é um pouquinho responsável por tudo de mal que fazemos à nossa natureza. Uns cometem o crime por dolo, outros por negligência.

4 comentários:

Paulo Colaço disse...

Eu, culpado, me confesso.

Cometo crimes contra a natureza sempre que, ao barbear, gasto mais água do que preciso, sempre que deixo o carregador do telemóvel preso à tomada após a carga concluída, sempre que a luz fica acesa.

Já o disse numa Assembleia Municipal de Rio Maior: se não defendemos o planeta por convicção, que o façamos por interesse.
Ou seja: poupemos recursos na consciência de que estamos a poupar dinheiro.
Ou a não pagar multas!

Nélson Faria disse...

Eu tento não cometer muitos crimes contra a natureza... mas reconheço o pecado do littering :(

O mais estranho quanto a este nemátodo é não perceber a dimensão desta epidemia: tanto ouço autoridades comunitárias a dizer que estamos perdidos e contagiados, como o Ministro que afirma que são só algumas árvores.

Cidália disse...

E a incompetÊncia também é crime?
O minuscúlo bichinho já foi detectado há muito tempo, os alertas para a necessidade de se proteger os pinheiros foram dados, o que é que tem sido feito? Medições para saber a que distância um pinheiro infectado infecta outro pinheiro???.
Haja paciência...
O tratamento passa, não só mas também, pelo derrube e queima das àrvores afectadas, deve ser por isso que já começaram os incêndios nas florestas...

Margarida Balseiro Lopes disse...

Eu também admito não ter comportamentos amigos do ambiente.

Tento poupar na luz, mas esqueço-me do portátil ligado à corrente durante dias.

Tento separar o papel, mas não tendo ecopontos ao pé de casa, vai tudo para o mesmo "saco".

E ainda por cima, sou da Marinha Grande, fortemente ligada ao Pinhal do Rei, e supostamente, à Natureza.

Shame on me!

Talvez o sistema de multas (saindo do nosso/meu bolso as consequências da nossa/minha falta de consciência ambiental) fosse remédio santo para o problema ambiental. ;(