quinta-feira, julho 31, 2008

Aceitam-se apostas...

Cavaco vai hoje falar ao país.
O Presidente da República interrompe assim as suas férias para uma comunicação oficial feita a partir de Belém e a ser transmitida pelas televisões.
Fonte próxima do nosso PR assegura que se trata de um assunto verdadeiramente importante. Será a situação geral do país? O chumbo do Estatuto Político-Administrativo dos Açores? Ou o veto de alguma das leis que esperam a promulgação de Belém?

Uma coisa é certa: faltam já poucas horas para ser desvendado aquele que será o mais curto tabu de Cavaco.

27 comentários:

Margarida Balseiro Lopes disse...

Eu aposto no chumbo do Estatuto dos Açores. Dada a proximidade das eleições regionais, a situação pode complicar-se agora.

jfd disse...

Será algo, espero eu, que fará corar de vergonha o "fogo amigo"!

PS - foto horrível!

Margarida Balseiro Lopes disse...

Se calhar tens razão Jorge.

O Gabinete de Imagem de Sócrates trabalha bem melhor que eu. ;)

jfd disse...

Não me leves a mal! :*

Margarida Balseiro Lopes disse...

;)

Carlos disse...

Eu espero bem, que seja para por fim ao escandaloso fluxo de publicidade gratuita que o governo continua a promover. A do primeiro portátil português apresentado ontem, que inclusivé já existe aqui em Londres desde o ínicio do ano é demais!!

xana disse...

O que sei é que há muito boa gente preocupada com esta comunicação ao país.

Pessoalmente, isto tem estilo de ultimato. Deixa assim um país em suspenso para dizer o quê? O que interessará ao país neste momento? Que motivo leva o PR a interromper férias e utilizar um meio que não faz o seu estilo?

Temos que esperar para ver.

Dizem que poderá ser sobre o Estatuto dos Açores, mas para mim seria mais um erro e mais uma machadada na confiança dos portugueses neste PR. Sei que Cavaco não é brilhante neste relacionamento, mas ao menos que o seu gabinete saiba o que é um "flop" quando está perante um.

De Cavaco não espero aquilo que deveria fazer: falar aos portugueses sobre que caminho estamos a seguir e que a todos preocupa imenso, e devolver alguma esperança a este barco que mete cada vez mais água.

Ouve-se dizer que será um motivo sério. Faltam pouco mais de 3 horas para sabermos...

jfd disse...

A Xana levanta um ponto importante. Mas atenção, a histeria acerca deste comunicado vem dos media, e não da fonte.
Ou será que não??? ;)

Paulo Colaço disse...

Ao contrário do primeiro tabu que demorou meses, este será apenas de algumas horas.

Cavaco já demonstrou várias vezes ser uma pessoa equilibrada pelo que não espero nada de inoportuno.

Já monstrou também que não entende o cargo presidencial como plataforma de oposição ao Governo, pelo que não espero nenhum pontapé a Sócrates.

"Açores" não me pareceria descabido, "vetos futuros" também não, embora sou menos defensor de uma comunicação formal para este assunto.

Afigurou-se-me uma possibilidade de algo "sujo" quanto ao caso Moderna que possa abalar as instituições do Estado, mas acho-o demasiado mirabolante.

Creio que a comunicação de ACS será "apenas" um aviso à navegação, um cuidado para com os portugueses sobre o estado do País.

Dito isto, tudo o que vier é lucro... ;)

Luís Nogueira disse...

Vou esperar para ver. Se bem que gostava de ouvir "um puxão" de orelhitas ao Sócrates ;)

Marco Mendes disse...

Será que o nosso PR vai falar da medida do AJJ na Madeira ao invés dos Açores ;)

Vamos aguardar pela comunicação, mas parece-me realmente, como aqui já foi referido, demasiado "fogo de vista" dos media.

A questão dos Açores pode merecer uma intervenção do PR, pública. No entanto a questão que deixo é, será que vamos assistir a um PR mais interventivo que até agora, talvez até, sair um pouco da linha da cooperação com o governo?

Margarida Balseiro Lopes disse...

Dentro de dez minutos saberemos ...

jfd disse...

GRANDE CAVACO!!!!

jfd disse...

Parabéns Manuela Ferreira Leite!!! pela antecipação do assunto!!!

jfd disse...

...
Fiquei contente. E depois fiquei parvo quando vi a cara dos meus colegas a olhar para mim como quem diz "Hã?!?!?"...

Marco Mendes disse...

E pronto, lá tive eu de esperar aqui em Espanha que a RTP emitisse online o Telejornal para saber o que se passava ... em relação aos Açores.

E lanço mais uma acha para a fogueira ... TV de utilidade pública, mas que não transmite online nem na rede móvel 24x7!!!! Isso é utilidade pública? É para isso que se paga a factura de uma TV pública?

Marco Mendes disse...

Sim, porque pelo menos na minha factura de electricidade tenho lá a parcela de audio-visual... e sendo eu uma pessoa que tem TV por cabo, porque raio pago algo que depois não posso usufruir...

E peço desde já desculpa ao autor do post pelo meu devaneio e desvio do tema.

Quanto ao ACS, igual a sí mesmo, defendendo a sua posição e justificando a sua opinião, sem adicionar nada nem retirar nada.

Paulo Colaço disse...

Cavaco Silva podia escolher escrever uma missiva ao Parlamento.
Não lhe seria prejudicial.

Preferiu fazer uma comunicação mais aparatosa. Está no seu direito e, se o considerou imprescindível, está na sua obrigação.

E mais: só quem não se lembra do que Cavaco passou "às mãos" de Soares e o que achou das suas intromissões é que pode esperar um Cavaco opinioso, palavroso e interventivo.

xana disse...

Pois, a montanha pariu um rato. Aconselho o artigo do Jornal de Negócios do amigo Mendonça.

No comments...

Nélson Faria disse...

Sócrates comprometeu-se com Estatuto dos Açores

Carlos César só aceitou recandidatar-se depois de ter a garantia de que o PS iria apoiar a proposta que agora Cavaco criticou


http://clix.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/383980

Bruno disse...

Só para lembrar que Cavaco não interrompeu as férias e que não se pode dizer que este tipo de comunicações ao país não façam parte do seu estilo pois usou-as várias vezes enquanto PM.

Neste caso, acho que foi excessivo. Aliás, muita gente ficou sem prerceber de que raio estava ele a falar. Mas o PR achou que a soberania nacional estava a ser posta em causa e como tal...

Paulo Colaço disse...

Soares veio dizer que achou "inoportuna" a declaração televisiva de Cavaco.
Falou o homem das presidências abertas...

José Pedro Salgado disse...

Mário Soares fez comunicação ao país quando vetou o Estatuto dos Açores

Marocas, seu malandro...

Bruno disse...

Eu até nem achei que valesse a pena Cavaco fazer a intervenção que fez. Soares ao que parece não concordou comigo mas preferiu dizer que discordava de Cavaco só para criar confusão.

Nada a que já não estejamos habituados nesta figura...

jfd disse...

08 Agosto 2008 - 00h30

Inquérito - Grande bronca com a falha de som da RTP na comunicação de cavaco silva ao país dia 31
RTP quer ver uma cabeça na bandeja
Quinta-feira, dia 31 de Julho. O País está à espera de ouvir a comunicação do Presidente da República. A expectativa é grande. A especulação imensa.


Poucos minutos antes das oito, com o Palácio de Belém cheio de jornalistas e de técnicos de várias televisões, Cavaco Silva aparece na sala onde ia ler a curta comunicação e aceita fazer todos os testes de som e de imagem. A RTP, serviço público, verifica que está tudo nos conformes. Os técnicos até ficam agradavelmente surpreendidos com o profissionalismo de Cavaco Silva. Oito da noite.

O Presidente aguarda um sinal para começar a ler o seu discurso. E dá-se a grande bronca. O som da televisão pública tem enormes falhas, ao contrário da SIC e TVI, em que tudo corre bem. Num ápice a RTP fica sem 500 mil espectadores, que passam rapidamente para as estações concorrentes. Quando acaba a transmissão, alguém de Belém ainda desconfia da bondade da falha. Mas nada de grave.

O mesmo não se passa na Marechal Gomes da Costa. O presidente da RTP, Guilherme Costa, fica furioso com a avaria e manda de imediato instaurar um inquérito. Quer saber quem é o culpado. Seja como for. Exige saber tudo para ter uma cabeça na bandeja. Para oferecer ao Governo ou a Cavaco.

António Ribeiro ferreira, correioindiscreto@correiomanha.pt

Bruno disse...

Não sou muito favorável a cabeças a rolar ou em bandejas mas acho que neste caso se justifica uma análise detalhada ao que correu mal. Existem momentos em que nada deve falhar e em que é necessário que todos dêm o máximo do seu profissionalismo e concentração. Se foi isso que falhou é bom que haja consequências, principalmente tendo em conta que se trata do canal público e de uma comunicação oficial do Presidente da República.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Cavaco podia ter guardado para Setembro, mas quis fazê-lo antes de reapreciação do diploma. É legítimo. Até porque se estava em causa um precedente grave em matéria de autonomia, só o deveria ter feito.

Não deixo de concordar com os que defendem que a situação do país justificaria outro tipo de declaração.