quarta-feira, junho 04, 2008

blogosfera Fenomenalis



Que fenómeno é este da Blogosfera? Porque é que "todos" nós temos um blogue, e que influência tem nas nossas vidas..... Sim, porque actualizar um blogue não é tarefa fácil...... E na vida dos outros??
A blogosfera é novo meio de fazer jornalismo. De cada pessoa ser "um jornalista". Cada um tem o seu próprio "jornal"...... As opiniões são emitidas. Posteriormente, há a possibilidade de abrir a discussão a outras pessoas, que pertencem ao "jornal" ou não. É esta a grande novidade e vantagem dos blogues. A possibilidade de haver uma discussão posterior áquilo que foi escrito.
Será que um blogue é capaz de influenciar os outros?
Será que ter um blogue é um meio para atingir um fim? De ir a uma eleição?
Ter um blogue, é possuir um meio de comunicação nas nossas mãos. De construir a nossa própria opinião e de a partilhar com os outros. De nos podermos mostrar que também possuímos capacidade para "escrever" e "falar" sobre aquilo que nos rodeia. E de criticar sem quaisquer restrições.
Será que é o Quinto Poder? Até onde irá este fenómeno?

11 comentários:

xana disse...

Francisco,

Não quero parecer o tiago mendonça (que francamente ataca os posts quando eles não acompanham o seu pensamento), mas este post até não era um mau post zzzzz (uma óbvia alusão a diácono remédios) mas não percebo a foto que puseste aqui...

mau gosto? lol

Tiago Mendonça disse...

Tive oportunidade de ler o quarto poder de Jeffrey Archer. Um livro interessante e que recomendo vivamente.

Considero que a blogosfera é hoje um meio de comunicação muito importante na nossa sociedade, com especial incidência para a área da política.

Há 10 anos, o debate político, público, por exemplo, ao nível de uma distrital, fazia-se de 3 em 3 meses num conselho distrital. Hoje, com a blogosfera é mais fácil ficarmos a conhecer as posições uns dos outros e dar a conhecer o que pensamos a todos. É também um importante instrumento no debate político. Acredito, que se faz política pela blogosfera. E acho que pode ser utilizado este meio de forma positiva.

Xana,

Vale a pena comentar?

Francisco Castelo Branco disse...

nao vi que outra foto tinha que meter lol

que foto esta relacionado com este tema

teofilo braga disse...

"por exemplo, ao nível de uma distrital, fazia-se de 3 em 3 meses num conselho distrital. Hoje, com a blogosfera é mais fácil ficarmos a conhecer as posições uns dos outros e dar a conhecer o que pensamos a todos."

De repente posso acompanhar igualmente esse raciocinio, mas
1) Nem todos (directamente ligados a um conselho distrital jsd) falam na blogosfera.

2) Curiosidade sabendo a opiniao de 1 ou 2 , há pessoas que moldam depois a sua opinião conforme vêem as nuvens passar, e o meu amigo Mendonça sabe do que falo.

3)Se calhar os encontros entre militantes deveriam dar-se mais do que 4 vezes por ano...

Tiago Mendonça disse...

Teófilo Braga,

Concordo com os três pontos. Na primeira alinea tem toda a razão, apenas dei um exemplo, mas a blogosfera abarca muito mais coisas e serve para outras tantas. Quanto às pessoas moldarem a opinião pelo que um ou dois dizem, de facto é uma realidade, mas apenas com os fracos de espirito. Suponha que alguém diz, eu recuso-me a conhecer tal pessoa, fico-me pela opinião que me chega de outrem. Isso é muito negativo. Mas pior é aqueles que moldam a sua opinião conforme o que lhes dá mais jeito. Não há credibilidade.

Sobre os encontros concordo consigo. As secções, umas mais que outras, vão fazendo esse trabalho. Mas as estruturas distritais e nacionais deveriam promover mais reuniões/conselhos para promoverem a troca de ideias.

Eu se fosse presidente da nacional, tentaria fazer, ao longo do mandato, um conselho nacional por distrito. Já não era nada mau!

Anónimo disse...

O que nos descansa é que nunca vais ser presidente da nacional.

Tiago Mendonça disse...

Sim, concordo consigo caro anónimo. A menos que a política levasse uma grande volta. Se continuar a predominar a lógica do saco de votos, do aparelho, da mercearia, o tudo se comprar e tudo se vender, então eu, realmente, nunca terei hipóteses. Nenhumas mesmo.

O que me deixa descansado a mim, é precisamente saber que não o serei, neste estado actual de coisas.

Há...e também me deixa descansado o comentário ter sido feito por um anónimo ;)

Filipe de Arede Nunes disse...

Resumir a blogosfera ao debate político e ao proto-jornalismo parece-me uma visão redutora.
A blogosfera é uma porta para a liberdade, para a criatividade, para a democracia e para o conhecimento.
São tantos os blogs literários onde se fomenta o exercício da escrita como experiência, a crítica literária, a discussão sobre autores e livros.
Existem também muitos blogs que se limitam a publicar fotografias, imagens, comentários a imagens.
A política e o proto-jornalismo aparecem de facto também em grande destaque. Talvez sejam até estes os blogs mais conhecidos - ou pelo menos aqueles que NÓS mais lemos - mas estou em dúvida se serão a democracia.
A título pessoal, devo dizer que escrevo em três blogs que versam sobre temáticas completamente diferente: política local - o blog da JSD Seixal - critica literária - o blog onde falo dos livros que leio - e um outro que serve para publicação de textos avulsos.
Seja como for, acredito que a blogosfera deve continuar a ser incentivada.
O exemplo do Psicolaranja é um caso paradigmático de que é possível encontrar um conjunto de pessoas com ideias, elevação e capacidade para discutir política.
Bom post!
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Nélson Faria disse...

Estas são os chamados posts meta-bloguísticos.

No Verão de 2003 a blogosfera fervilhou com eles.

A melhor blogosfera está na análise política, mas não na partidária.

E a melhor das melhores blogosferas está num registo que não acompanho muito: a literária e a biográfica, como o Filipe apresentou.

A blogosfera tem um impacto superior ao que os seus detractores imaginam, mas muito menor que aquele que os bloggers imaginam.

É um pequeno grande mundo.

Paulo Colaço disse...

A minha relação com as novas tecnologias de informação mudo de 8para 80.

Já tinha amigos que usavam a internet e eu nem telemóvel tinha ainda.

Em pouco tempo tornei-me gestor de conteúdos de sites institucionais.

Hoje tenho uma empresa que, entre outras coisas, cria sites e trabalha com o futuro.

Com os blogs foi o mesmo. Resisti a isso, até que criei e alimentei um blog que servia de jornal humoristico para a minha primita e colegas da escola.

Depois criei o blog de que mais gosto: o Puro Nonsense. Infelizmente está parado.

O Psico é diferente. Sendo um blog com pessoas muito diferentes acaba por não ser um blog. São 16 blogs num único espaço.
Cada Psicótico é um blog dentro deste blog, cada Psico-Convidado dá também ao Psico um cunho pessoal, e depois os nossos comentadores, que acrescentam o seu pensamento e a sua "agenda" ao Psicolaranja.

São muitos blogs juntos, com a sua democraticidade interna (sempre que os estatutos não permitem alguma ditadura) e amplitude de posicionamentos.

Não sei se os melhores blogs são os de opinião política ou os "diários" pessoais mas sei que a política mudou com o imediatismo com que hoje se dá a conhecer uma opinião.

Quando estiver na Punch faço uma citação de José António Saraiva (é lá que está o livro) sobre este tema.

José Pedro Salgado disse...

Acima de tudo os blogues são um efeito da cultura de massas e da meritocratização da sociedade.

Existem famosos que têm blogues que nem por isso são mais frequentados. E existem Zés Ninguém com blogues com imensa saída.

Todos podem escrever o que quiserem quando quiserem. E a adesão que essas publicações têm provocam um efeito bola de neve (eu comento, tu comentas, ele comenta...) que torna o blogue famoso só pelo que é feito.

Tiago:

Se gostas de Jeffrey Archer aconselho a leitura do "Primeiro entre iguais". Absolutamente indispensável para quem gosta de política.