segunda-feira, junho 09, 2008

Sei o que fizeste no Conselho Nacional passado


PROPOSTA DO PSICOLARANJA AO XXXI CONGRESSO DO PSD

Memória e Raciocínio são faculdades diferentes, mas só em conjunto se desenvolvem inteiramente. Rousseau


I
No PSD o órgão mais importante entre Congressos é o Conselho Nacional. Embora as suas reuniões não sejam públicas as suas deliberações devem sê-lo.

Não é tão determinante para a vida diária do Partido como a CPN e o Grupo Parlamentar, mas é essencial para a estratégia geral do PSD, sendo também o fiscalizador de toda a nossa actividade política.

É, por isso, fundamental aproximar o Conselho Nacional dos militantes, dar a conhecer as suas deliberações e permitir que se saiba o sentido de voto de cada Conselheiro Nacional em todas as deliberações que não sejam tomadas por voto secreto.

II
Assim, propomos a criação de um registo das deliberações, votações e declarações de voto em Conselho Nacional. Esta base de dados, gratuita e de livre acesso, possibilitará:
- criar um fundamental arquivo público do Conselho Nacional
- aproximar o Conselho Nacional dos militantes
- avivar a memória de cada sessão
- responsabilizar cada conselheiro eleito

O Conselho Nacional integra companheiras e companheiros que, dentro do partido, servem o país. A sua acção reflecte-se nas ideias e posições tomadas em consciência e no responsável exercício de funções. Esta proposta vem valorizar o seu trabalho.

III
Esta é uma proposta do Psicolaranja (psicolaranja.blogspot.com), blogue nascido em 2006, na sequência da Universidade de Verão do PSD, JSD e Instituto Sá Carneiro. Autores: Bruno Ribeiro (Almada), Carlos Carvalho (Amarante), Diogo Agostinho (Faro), Elsa Picão (Lourinhã), Francisco Castelo Branco (Cascais), Inês Rocheta Cassiano (Oeiras), João Marques (Braga), Jorge Fonseca Dias (Lisboa), José Pedro Salgado (Santarém), Margarida Balseiro Lopes (Marinha Grande), Nélson Faria (Amadora), Paulo Colaço (Rio Maior), Tânia Martins (Torres Vedras) e Tiago Sousa Dias (Porto).

Nota:
APOIE O PSICOLARANJA A APRESENTAR ESTA MOÇÃO NO CONGRESSO: CASO SEJA DELEGADO, FAÇA DOWNLOAD DA FICHA DE SUBSCRIÇÃO E REMETA-A PARA O FAX: 213136151

10 comentários:

Paulo Colaço disse...

"Sei o que fizeste no Conselho Nacional passado" é uma moção que apela à memória.
O Conselho Nacional, o órgão do PSD mais importante entre Congressos, deve estar mais próximo dos militantes:
dar a conhecer as suas principais deliberações e manter um registo de como votam os seus membros.

É a segunda vez que o Psico prepara uma moção para um Congresso do PSD. A primeira foi sobre formação de quadros.

Nélson Faria disse...

Em Portugal falha-se muitas vezes à palavra e há pouca memória, como diz Jorge Coelho.

E ainda que muitos dos conselheiros nacionais sejam desconhecidos do nosso comum eleitor, são eles que deveriam definir políticas específicas para o partido. E temos de os responsabilizar pelo que fazem e como o fazem.

Temos que ser exigentes "cá dentro" para que nos respeitem "lá fora". ;)

Bruno disse...

A Democracia só faz sentido se for do Povo, pelo Povo e para o Povo! Ou algo do género (não é?)mas em que a ideia é que os políticos desenvolvam o seu trabalho a pensar nas pessoas e não a esconder delas aquilo que fazem e decidem.

Por mim, sempre dei muito valor ao meu voto e por isso nunca o escondi e também nunca me envergonhei dele. Já algumas vezes me desiludi com sentidos de voto que assumi mas errar faz parte de tomar opções.

Por outro lado, a sugestão desta moção, a ser aprovada, permitirá uma maior proximidade dos militantes e simpatizantes com os Conselheiros Nacionais e as suas decisões o que tornará mais importante ainda a acção deste órgão tão importante no PSD.

Margarida Balseiro Lopes disse...

As últimas duas situações em que me interroguei sobre a publicitação das votações no CN foi a propósito do referendo ao Tratado de Lisboa e relativamente aos famosos regulamentos de 8 de Março.

Apelar à memória póstuma do Conselho Nacional parece-me um imperativo de credibilização e responsabilização daquele órgão.

Gonçalo da Costa disse...

O registo permite que certos "desvios" de posição sejam visiveis, pelo menos para nós que não estamos presentes no CN.

Concordo contigo Nelson, temos que tornar as tomadas de posição "cá dentro" mais transparentes.

Gostei muito da ideia. Aprovo e subscrevo. Podem contar com o meu fax na quinta.

Já Agora Nlson, não te esqueceste da folha de subscrição que te mandei?

Tiago Mendonça disse...

Acho louvável que o PSICOLARANJA elabore moções a apresentar em Congressos Nacionais. Não me recordo se também o fez no congresso da JSD, mas acho que faz sentido fazer nos dois órgãos.

Uma moção reflecte a identificação de um problema, o debate das soluções possíveis e a apresentação de forma ordenada, clara, e eficaz dessas mesmas soluções. Ora com o debate que aqui é feito poderia se fazer muito mais que uma moção.

Acho, é apenas uma opinião, que este tipo de iniciativas é mais importante do que os próprios psico-eventos ainda que considere que é nesses psico-eventos ( também) que surge o debate de ideias necessário para a elaboração das moções.

Não sou delegado, mas se precisarem, posso falar com os delegados da minha secção. É so dizerem.

Um abraço.

jfd disse...

Muito bem dito caro Faria;

Temos que ser exigentes "cá dentro" para que nos respeitem "lá fora". ;)

Tiago tá à vontade, que façam o download da ficha e a enviem por fax tal e qual está no post.

António Pessoa disse...

Esta vossa moção vai mesmo provocar a psicose de muitos candidatos a conselheiros nacionais. Tem tanto de irreverente como de perigosa...

xana disse...

Tenho um colega dessa grande instituição que é a Faculdade de Direito de Lisboa, que aquando do refrendo ao aborto dizia: "Não nos vão vencer pelo cansaço!". Este nosso amigo, que o Né e o Salgado também conhecem, é do CDS-PP e confiava que mais uma vez e quantas fossem preciso, se iria dizer Não no referendo.

Esta coisa das moções aos congressos da JSD e do PSD faz-me recorrer um bocadinho a essa frase. Bem sabemos que muitos que estão naquela sala não nos ouvem. Bem sabemos que muitos que votam favoravelmente nem leram as moções. Bem sabemos que as moções são quase sempre uma espécie de pro-forme para se ter "trabalhos" para o fim-de-semana em vez de lavagem de roupa suja.
Bem sabemos que depois de supostamente ouvidas, lidas e aprovadas vão para a gaveta.

Mas ainda bem que não vos vencem pelo cansaço!
Parabéns por continuarem esforçados por um partido melhor.

Paulo Colaço disse...

Já o tinha dito nas informações da coluna da direita, ao cimo, que a moção do Psico já tinha sido entregue.

Informo agora que foi aceite e será publicada em breve no Povo Livre.

Agradeço a todos os companheiros que subscreveram a moção do Psico: com a vossa ajuda vamos levar mais uma ideia ao conclave máximo do nosso Partido.