segunda-feira, junho 30, 2008

Tratar da Saúde à oposição!







Escrevo sobre um caso particular. Um episódio, profundamente lamentável, que ocorreu durante a última sessão de Assembleia Municipal do concelho da Lourinhã (28 de Junho). Na Lourinhã a Câmara é PS e a Presidente de Mesa da Assembleia Municipal, em exercício desde 2005 e independente pelo PS, é a Drª Ana Jorge que, por acaso, é também a actual Ministra da Saúde.

No decorrer da dita Assembleia e perante a inacção da Presidente de Mesa, Drª Ana Jorge, os vereadores eleitos pelo PSD e CDS/PP viram-se forçados a abandonar os trabalhos, como resposta ao coro de insultos de que eram alvo por parte da bancada socialista.

Infelizmente, o tom insultuoso em que decorrem estas Assembleias não é inédito. Mas sim, pratica reiterada por alguns membros da Bancada do Partido Socialista. O que também não é inédito é o silêncio ensurdecedor em que a Drª Ana Jorge se refugia, a sua total passividade, ainda que, interpelada para o efeito.

Pode ler-se em declarações prestadas pelos vereadores do PSD á imprensa:
“Desta vez, o tom das ofensas e insultos proferidos excedeu todos os limites, na forma e no conteúdo, violando grosseiramente as mais elementares regras de boa educação: o senhor "defecou-se", é um "moleque", são "garotos", "crianças", "vernáculo" (cf. gravação da Assembleia) foram das expressões proferidas.”

Lastimo que existam autarcas eleitos, neste caso do Partido Socialista, que não saibam ser exemplos para as suas populações do que é viver em democracia. Mas lastimo, sobretudo, que quem preside a esta Assembleia, e exerce simultaneamente um cargo de relevância nacional, não saiba moderar uma reunião dentro dos limites da civilidade, não saiba fazer valer valores democráticos. Não saiba dar o exemplo!

Este exemplo, que lamentavelmente não será caso isolado, leva-me a pensar que pode estar aqui, uma das mais fortes razões para o gradual afastamento dos cidadãos no que respeita á politica. A credibilidade e o respeito não se exigem ou impõem, conquistam-se!
E conquistam-se, em muito, pelo exemplo, que ao contrário dos contra-exemplos que proliferam e em nada enaltecem a democracia, parecem, ainda, estar confinados ao rótulo de bem escasso.

Ressalvo que o objectivo deste post não é avaliar o trabalho da Drª Ana Jorge, enquanto Ministra da Saúde do actual Governo. Neste ponto, que se deixe, primeiro, a Drª Ana Jorge trabalhar e tentar mostrar os resultados das suas politicas, e apenas depois se teçam considerações.

11 comentários:

jfd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jfd disse...

Fui rápido demais no comentário anterior ;)

Realmente Elsa fazes bem em relatar este facto.

E infelizmente, os exemplos de autarcas menos próprios proliferam pelo país e em todo o espectro político...

Diogo Agostinho disse...

Um mau autarca, com estas práticas e esta passividade só pode dar num mau ministro.

Ana Jorge, é Correia de Campos de saias e mais afável. Um pouco mais sorridente, mas completamente passiva.

João Marques disse...

E aqui vai mais um: em Braga, as Assembleias Municipais são vergonhosas. O eng. Mesquita Machado, que é já um fóssil e não um autarca, dá-se ao desplante de só aparecer no órgão fiscalizador da autarquia durante o período da ordem de trabalhos. Tudo o que surja antes, por maior relevância que tenha é por ele ignorado. Esta é uma clara atitude provocatória que se repete no final. Quando chega a vez dos cidadãos falarem, o presidente da câmara desaparece.

Por um lado são os vícios de mais de 30 anos de poder que lhe dão a aura de que pode tudo, por outro até me dá alguma satisfação ver aquele pavonear novo-riquista. É que, vendo a cadeira vazia, logo me lembro que é uma questão de (pouco) tempo até que alguém com a dignidade que o posto merece apareça. Em Braga Ricardo Rio é já uma certeza, espero que na Lourinhã tenham a sorte de ter um(a) candidato(a) com a mesma qualidade para restaurar a república...

João Marques disse...

Ah, claro, tudo isto perante o olhar beneplácito do presidente da Assembleia Municipal, o dr. António Braga, "excelso" sec de estado das comunidades. Um senhor que em vez de andar a elogiar os méritos democráticos de Chavez, deveria preocupar-se com os fechos ilógicos das representações diplomáticas portuguesas por todó mundo.

jfd disse...

Realmente João, ouvem-se estórias de Braga de arrepiar. É o Reinado do Mesquita.
Oxalá cheguemos lá ;)

Paulo Colaço disse...

Este post da Elsa, para além de denunciador do que se passa na Lourinhã, está a servir para chorarmos as mágoas das nossas terras.

Em Rio Maior tenho um presidente que faz da Câmara Municipal a prateleira das suas frustrações.
Sem aviso prévio, assume funções incompatíveis, suspende, regressa, remete tudo para o seu vice-presidente, enfim, um caos.

Mas aproxima-se o dia da reviravolta. O PSD está a crescer. Felizmente.

Filipe de Arede Nunes disse...

Poderia também aqui referir-me ao que se passa na Assembleia Municipal do Seixal e no geral em todo o concelho, mas já o tenho feito várias vezes e não vos quero aborrecer mais.
Seja como for, esta parece ser uma triste realidade que se passará um pouco por todo o país e estou certo que existirão também por aí alguns autarcas do PSD que se comportam de forma semelhante.
Enfim, é o estado da nossa democracia!
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Fernanda Marques Lopes disse...

Em primeiro lugar, felicitar a Elsa pelo post. Enquanto lourinhanenses sentimos sempre o peso de sermos olhados de lado, por vezes, por sermos sociais-democratas.

Depois, dizer-vos que faço parte da bancada do PSD na AM da Lourinhã e que dormi muito bem após a atitude colectiva que tomámos. Basta de faltas de educação. Já fomos mimados com epítetos como "palhaços", "tacanhos", "mentecaptos", entre outros.. enfim. uma verdadeira diarreia verbal.. Aquele dia foi o transbordar do copo.

Sugiro-vos a leitura do 24 Horas de hoje! Temos de começar a denunciar publicamente e na comunicação social o que se passa!!

Página 11, salvo erro.. dêem uma espreitadela.. ou então em http://www.24horasnewspaper.com/fotonews/
2882/pdf/11

Um Abraço laranja a todos,

FML

Nélson Faria disse...

A arrogância de quem está no poder é recorrente. E outros apresentariam comportamentos menos próprios de autarcas nossos.

Para Braga, sei que está bem entregue: nunca privei com o homem, mas do que li e ouvi dele, têm em Ricardo Rio um grande candidato e uma esperança para o partido.

Não conheço a realidade da Lourinhã, mas como "adepto" de mesas respeitáveis e respeitadoras, entendo ser uma vergonha não haver, sequer, uma aparência de insenção.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Lamentável. Mas não é uma situação isolada, Elsa. Eis o meu relato da última AMMG:

"Fui ontem assistir, pela primeira vez, a uma sessão da Assembleia Municipal da Marinha Grande.
Mixed feelings: muita falta de civismo e de educação, com constantes apartes que interrompiam quem estivesse no regular uso da palavra. Ouvi muitos "epa cala-te", com a passividade do presidente da Mesa.

Mas, a bancada do PSD é sem dúvida a que mais e melhor justifica a confiança depositada pelos munícipes."

"Três horas.
PS e CDU trocaram impressões sobre a queda do muro de Berlim, o comunismo, o socialismo, Marx, etc.
À meia-noite, apercebendo-se que já era tarde acordaram adiar a sessão para a semana seguinte. Faltava apenas discutir um ponto da ordem de trabalhos. O PSD, através do seu líder de bancada, advertiu que os elevados custos do adiamento da sessão podiam ser evitados com uma maior contenção dos deputados municipais.
Mas não. Afinal, com 1500€ faz-se uma outra sessão. E, claro, com o município a pagar..."