domingo, junho 08, 2008

Finalmente!

E finalmente a Senadora HRC concedeu a vitória a Obama e despediu-se da longa e penosa campanha, que a meu ver e como já tinha dito muitas vezes, não fazia sentido já fazer parte. O inevitável haveria e acabou por acontecer. Tinha sido desnecessário ter criado tanto ódio contra si e contra o sistema e agora ter de fazer tanto controle de danos.
Foi um discurso bem sóbrio e bem-parecido àquilo que Hillary deveria ter sido nestes largos meses de campanha.
Segue-se o descanso antes do resto da campanha.
Será que haverá o tal dream ticket? É uma duvida muito grande. São só factores negativos contra Obama. E a decisão final não lhe pertence, mas sim ao congresso, ao contrário do que se julga!

Uma coisa é certa, pela primeira vez um negro tem 50% de hipóteses de liderar aquele que é considerado o país mais poderoso do mundo. E se isto não é um bom sinal de mudança, Deus, o que será?

29 comentários:

jfd disse...

Aqui está o link

http://www.youtube.com/watch?v=Lm5hQDFfRvA

Claro que está que não lhe retiro o mérito de ser uma máquina de guerra política e ter chegado onde chegou, sendo mulher. Também esse um excelente sinal de mudança!

Luís Nogueira disse...

"E se isto não é um bom sinal de mudança, Deus, o que será?" -"CHANGE". Será mesmo? Ou irá B.Obama transformar-se num Clinton? Veremos o que nos reserva o futuro... Uma coisa é certa, por mim B.Obama já tinha sido eleito como novo Presidente dos EUA.

A.Costa disse...

Caro JFD,
O Senador Obama não congregou muitas simpatias da minha parte na parte inicial da campanha (parecia uma cópia do "I have a dream...". Não que eu ache mal mas as cópias nunca são tão boas como o original. Nestas coisas de política ao mais alto nível se um candidato não tem uma mensagem e estilo próprio... e Obama aprendeu com alguns episódios que lhe foram sucedendo ao longo da campanha (sinal muito positivo) e de uma forma serena mas afirmativa saiu dos problemas "religiosos" e outras cascas de banana que lhe foram atirando.
Enfim, se assim continuar teremos de facto um Presidente dos EUA eleito pelo Partido Democrata.
Agora, os republicanos ainda têm uma palavra a dizer e não vão ser "favas contadas". É uma força que foi esquecida pela elevada dose de animosidade imposta na campanha interna democrata mas têm uma capacidade organizativa muito forte, conseguem capitalizar muitos fundos de campanha, representam alguns dos lobbies mais poderosos e influentes do país,... Os democratas, a meu ver desgastaram-se demais internamente e, quiçá, poderá haver uma factura a pagar por isso!
Cumprimentos,
A. Costa

Paulo Colaço disse...

Ontem estivew para fazer um post com os prós e contras da escolha de HCL para vice-presidente.

Principal contra: lembram-se das aulas de química? Lembram-se do que é o HCL? Pois: A senhora é ácida! Tentará corroer Obama durante todo o mandato!

Principal pró: é positivo que o vice-presidente tenha uma base de apoio complementar à do presidente, auxiliando-o a obter apoio (e compreensão) popular mais amplo.

Pelo meio, há a desilusão que seria uma dupla BO/HCL para os apoiantes do primeiro. Estes não comem HCL nem com molho de tomate (expressão muito usada pelo nosso Nuno Matias).

Por outro lado, mais facil seria o Congresso de Obama se lá entrasse de mãos dadas com a senadora.

Nélson Faria disse...

É na convenção que se vai apresentar o VP ;)

O congresso é outra coisa lol

Paulo Colaço disse...

Exacto, foi um lapsus linguae.

jfd disse...

Pois é A.Costa.
A senhora levou a maquina até à exautão. Só o tempo dirá se Obama sai chamuscado de morte ou não.

Paulo, HCL?

Né claramente no texto refiro-me a congresso, quero-me referir à convenção. Dizes que são duas coisas diferentes como assim?

No entanto oiçam todos o discurso, e vejam lá se não é uma audição para o job, além de um grande livro de deixas para os programas de hoje!
Basta estar com atenção ao Meet the Press, Face the Nation, Fox News Sunday e This Week...
Políticos... Iguais em todo o lado LOL

Nélson Faria disse...

O congresso é um órgão de soberania, a convenção é um evento partidário.

Paulo Colaço disse...

Ups, o HCl foi parar a outra caixa de comentários.
HCl é o símbolo de Ácido Cloridrico.
É um dos ácidos mais fortes que se conhece.

jfd disse...

Eles também têm congresso?
A convenção é apenas um evento?
Não te estou a entender

Nélson Faria disse...

O congresso é o equivalente ao parlamento. Todos os Estados têm Congresso e ainda temos o mais famoso US Congress.

Está dividido em duas câmaras: a Câmara de Representantes e o Senado.

jfd disse...

Duh Jorge!
Finalmente! indeed

Ok Falava eu da Convenção.
É aí que se aprova/escolhe o candidato a VP.

José Pedro Salgado disse...

Já não era sem tempo.

'bora Barak, contra a batata frita!

Margarida Balseiro Lopes disse...

Ó Jorge eu até comentava o teu post: mas com esta tag?? ;)

jfd disse...

Tens bom remédio ;)

jfd disse...

Guida aqui vai!
Aquando do último comentário estava sem tempo!;)

Adeus ó chata foi para ser simpático.
A senhora e o seu marido foram muito maus para o Partido. E para o seu companheiro de luta.

Ela armou-se em boa desde o inicio. Conseguiu as doações dos grandes contribuintes do partido, estabeleceu um plano de campanha, e lá foi, convencida que tava tudo no papo depois da Super Tuesday.
Ora, nós sabemos o que acontece... E qual foi a reacção? A reacção foi;
- denunciar acordos de comércio livre feitos pelo seu marido, calcula!!!
- trazer ao de cima medos intrínsecos nos chamados blue colars
- por o marido a falar de raça, raça e mais raça, sempre a por os pés pelas mãos
- até falou num possível assassinato de Obama!

Entre muitas outras coisas que fui tendo oportunidade de vir aqui descrever.
Por estas e por outras, adeus ó chata!!!

Deus queira que Obama se livre dos Clinton para sempre.

É difícil que Obama chegue a Presidente. Tudo depende de como seguirá a campanha. De como segurarão os democratas o seu candidato e quão sujos, porcos e nojentos serão os republicanos.

E sim as minhas palavras são fortes. Tanto fortes quando a campanha nojenta que fizeram contra o seu nomeado de 2008, em 2000, quando tinham como intenção nomear Bush filho, para instaurar o neo-conservadorismo nos EUA. O resto foi história! E que bom que foi! :P

Guilherme Diaz-Bérrio disse...

Então e como comentas as mais recentes declarações de Obama:
- Um Irão nuclear nunca;
- Israel tem direito à existencia enquanto estado; e mais importante na minha opinião,
- Jerusalém é a "capital de Israel" e manter-se-á como tal e indivisivel...

Curiosa "gaffe", dado que a capital de Israel é Tel-aviv, mas é um statement com o seu peso não achas? Em especial tendo em conta a principal reivindicação palestineana ...

Será a tentativa dele mostrar que não é "OBambi"? :P

Se fosse dito pelo Bush filho já tava tudo a saltar à goela do homem por "laivos neo-con e belicismo americano" ;)

jfd disse...

Mixef feelings
Não têm que ver com ele nem com o que tem dito.
E porque estão no contexto "Deixa lá agarrar os da Hillary que se podem converter para o McCain"...

Mas assim como McCain saiu do centro, assim como HRC se transformou numa proteccionista, Obama está numa de catch all partys as soon as I can

Nélson Faria disse...

Ou seja, Obama nada traz de novo à política.

O tempo veio a confirmá-lo como mais um político oportunista que navega ao sabor das marés.

É fácil falar bem... ter ideias próprias é que é mais complicado ;)

É a diferença entre entrar na corrida completamente solto e depois perder-se pela ambição de ir mais longe. É compreensível, mas não é o tal fôlego que se estava à espera (e que eu esperei que fosse).

jfd disse...

AHhahaHAHAhAhAhahA

Estas palavras que proferes Nelson, ainda te hão-de perseguir!
Andas com muitas certezas! E muito esquecido!
Ha pois andas!

Nélson Faria disse...

De todo ando esquecido.

Fui eu o primeiro a postar sobre Obama e a lançar o tema presidenciais. Mas também não escondi que nunca o apoiei para candidato.

E há algum tempo que aviso que Obama é mais fogo de vista que outra coisa.

Eu tenho uma óptima memória Jorge. E tu?

jfd disse...

Eu tenho a memória que me vier à memória!
Não a que começa por "fui eu(...)"

Toma lá mais um; enfim!

Nélson Faria disse...

Claro Jorge, mas que a tua memória é selectiva e esporádica já nós sabíamos lol

Mas agora questões sérias: em vez de atacar as palavras, porque não rebater com argumentos?

Onde está a genialidade do zig-zag Obama? O que oferece de novo Obama que os americanos não estejam já fartos?

Explica-me.

jfd disse...

Ora muito bem,

Partindo do principio que um politico será sempre um politico.
Podemo-nos concentrar no caminho que levou Obama desde o seu primeiro mandato no Senado a presumível nomeado pelo Partido Democrata.

E só nesse caminho Obama já tem muito a ganhar.

É o primeiro que leva e encerra a esperança de uma melhor vida para milhões de negros americanos. E quiça por todo o mundo.
É a primeira campanha que traz para si a força da juventude e os trata como iguais, não os ostracizando ou utilizando como porta bandeiras.
É a campanha que faz o verdadeiro uso da união faz a força e é algo comprovável através das doações em valores pequenos, que no total ultrapassaram em muito, as doações de sempre, feitas pelos mesmos, ao partido.
É a campanha que leva a voz da esperança, e faz com que cada um sinta que através do seu voto, e do seu potencial voto essa voz também lhe pertence. Quase que como um esquema de marketing em pirâmide, todos são "donos do candidato" e da sua mensagem...


Aguardo pelo primeiro rebate!

Nélson Faria disse...

Essa imagética é bonita, e foi isso que vendeu Obama e foi isso que me fez aproximar e gostar de Obama. E continuo a dizer que recusar em perceber o fenómeno político Obama é fugir à realidade.

Mas na altura das decisões devemos optar por quem tem o perfil e o projecto. E Obama tem o perfil, mas falta-lhe o projecto.

Nas últimas semanas parece estar a cometer o erro de Kerry: abdicar das suas bandeiras para ganhar votos.

E as pessoas tendem a premiar a genuinidade. E bem, na minha opinião.

jfd disse...

Deitas os foguetes muito cedo Nelson!
Ainda é muito cedo. Parecendo que não, falta muito para Novembro!
E levaste uma eternidade para chegar até aqui!

Acredita que em Novembro vais-me dizer; Jorge, tinhas razão, a campanha de Obama surpreendeu-me pela positiva, desde o Verão até aqui! Vença quem vencer!

Não passes certidões antes do segundo round começar!

Nélson Faria disse...

Deitar foguetes? Deitaria foguetes se dissesse que com este candidato McCain já ganhou.

Eu não sei quem vai ganhar as eleições em Novembro, mas posso garantir uma coisa: Obama mudou demasiado para ser considerado da nova política, daquela que precisamos.

De líderes fortes, obstinados, que sabem o que dizem e não se importam de o dizer mesmo que isso custe votos. Não precisamos de quem anda a correr atrás da população a perguntar-lhe o que ela pensa.

Eu não estou a festejar, estou-me a lamentar.

jfd disse...

Assim seja.
Sou corrigido e te digo, não te lamentes. Vais-te surpreender!

Bruno disse...

Não gosto de Hillary! Nunca gostei (enquanto candidata a candidata pelo Partido Democrata) e por isso fico satisfeito que o nomeado venha a ser Obama.

Agora, vamos ver se gosto de Obama. Até aqui, gostei do espírito, gostei do tom, gostei da frescura, da juventude, da diferença. Se ele se mostrar, como teme o Né, igual aos outros, então vou gostar menos...

E continuo a lembrar-me que há um Sr. McCain que apesar de tudo me parece ter ideias mais próximas das minhas... Como diz o Jorge, até Novembro ainda falta muito. Temos tempo. E eu até nem voto nos EUA ;)