domingo, junho 29, 2008

Amigalhaços

Se BO e HC fizerem dupla, o que pensará o eleitorado?

Que ele se vendeu e ela se rebaixou?
Que se tratou de mero pragmatismo incontornável?

27 comentários:

Paulo Colaço disse...

Continuo a querer que Obama ganhe mas já começo a ver a máscara a cair...

Daniel Geraldes disse...

Eu penso mesmo que eles fizeram politica!!!

Margarida Balseiro Lopes disse...

Reparem bem na gravata de Obama e no fato de Hillary...

Trata-se de um pragmatismo incontornável...

Paulo Colaço disse...

Nos EUA, tudo é milimetricamente definido.
Desde a consonância de cores nas roupas até ao sorriso n.º 23.

Está em curso a campanha de conciliação dos dois eleitorados e a preparação da opinião pública.

Teremos a víbora a tomar conta dos ovos de pata.

Sim, caro Daniel, its politics.

Bruno disse...

Colaço, diz-me uma coisa: o que te revolta é que não gostas de Hillary e por isso não querias que fosse VP?

A verdade é esta possível dupla pode ter vantagens e defeitos: se para alguns é o super-ticket para outros há o receio de que um negro e uma mulher na Casa Branca seja mudança a mais ao mesmo tempo.

A minha opinião é que não será nada de estranho que Hillary possa vir a ser Vice de Obama. Afinal, como se diz no PSD no final de eleições internas, é muito mais aquilo que os une do que aquilo que os separa. O adversário de ambos é o Partido Republicano e é natural que tentem potenciar o eleitorado de cada um contra McCain.

jfd disse...

Obama e HRC encontraram-se no dia anterior em DC onde Obama, simbolicamente deu-lhe $23 para começar a pagar a sua divida de campanha. Ele não mexerá num tostão do dinheiro que conseguiu para a sua própria campanha, mas irá pedir aos seus doadores com mais dinheiro para ajudarem a HRC.

No que toca ao encontro do dia seguinte, em público, foi political stunt.
Foi um comicio na cidade Unity, onde anbos tiveram, se não me engano, 107 votos certinhos cada um nas primárias. Bonito.

No que toca a VP, HRC pode tirar o cavalinho da chuva, pois Obama não tem discursado nesse sentido, mas nunca se sabe.

Obama tem tido uma semana muito difícil; muitas inconsistências de discurso e muitas acusações de ser um político igual a todos os outros.

Karocha disse...

Eu penso que o pensamento vai cair para um dos lados do post!
Na minha opinião o problema vai ser que o Obama, não é o Martin Sheen e isto não é uma série!
É a vida real e a governação da maior potencia mundial.

Nélson Faria disse...

Há quem queira apostar forte no dream ticket...

Não sou um desses, mas só por enquanto. Obama contratou para chefe de gabinete de um VP que ainda não escolheu um membro do staff de Clinton que foi dispensada em Janeiro em ruptura. Há quem tenha lido isto como um sinal. Obama só irá para Clinton se tiver problemas em unir o partido.

E não está a tê-lo! O problema de Obama não é o de McCain: McCain precisa rapidamente de segurar o sector conservador; Obama está a conseguir controlar o eleitorado democrata - a mensagem "McBush" ajuda, e muito - terá de usar o VP para a área que não domina nem lhe reconhecem valor: política externa.

Bill Richardson? General Petraeus? Não faltam opções, resta apenas um receio: que se tome a decisão demasiado cedo, o que poderá tornar o VP inócuo.

ptavares disse...

Não acredito que BO vá escolher HC para vice. Acredito e aposto em Caroline Kennedy... Parvoice minha? Talvez. É um feeling.

jfd disse...

Obama contratou para chefe de gabinete de um VP que ainda não escolheu um membro do staff de Clinton que foi dispensada em Janeiro em ruptura.

Quem?

Acredito e aposto em Caroline Kennedy...

Esse seria um interessante twist!!! Muito mesmo ;)

Nélson Faria disse...

Isto é "very old news"... já tem 15 dias ;)

Meanwhile Monday, Obama sent a strong signal that he was not considering Clinton as his running mate: He announced that Patti Solis Doyle, who was ousted as Clinton's campaign manager in February, would be chief of staff to the future vice presidential candidate.

The announcement outraged Clinton supporters, who said it proved that Obama was not taking Clinton seriously. Solis Doyle, who worked for Clinton most of her career, is barely on speaking terms with her former boss.

"It's a slap in the face," Susie Tompkins Buell, a prominent Clinton donor, said Monday. "Why would they put somebody that was so clearly ineffective in such a position?" She said it was a "calculated decision" by the Obama team to "send a message that [Clinton] is not being considered for the ticket."

Solis Doyle is the most prominent person allied with the Clinton campaign to join the Obama team; so far, no one who stayed with Clinton until the end has made a similar leap. Since clinching the Democratic nomination two weeks ago, Obama has sought to win over Clinton donors and is now facing a challenge by Sen. John McCain (R-Ariz.) for her female supporters.

Clinton insiders said picking a fired Clinton staff member would not help ease the transition.

Solis Doyle is blamed by some close Clinton loyalists -- and reportedly the candidate herself -- for not keeping the campaign in order heading into Iowa.

Officially, Clinton campaign spokesman Mo Elleithee praised Solis Doyle. "Patti will be an asset and good addition to the Obama campaign," Elleithee said. "After nearly two decades in political life, she brings with her the ability to tap an extensive network that will be a huge asset to Sen. Obama. As Sen. Clinton has said, we're all going to do our part to help elect Sen. Obama as the next president of the United States."


http://www.latimes.com/news/nationworld/washingtondc/la-na-campaign17-2008jun17,0,6668686.story

jfd disse...

LOL Né, só queria saber o nome, para dar a minha opinião.
Patti Solis Doyle, é mulher e é hispânica. Ela tinha um lugar muito importante na campanha de HRC, e os lugares importantes na campanha de Obama estão quase todos ocupados. Aí está ela num lugar de destaque ;)
Figura de consenso, pois pode levar a leituras com duplos sentidos, e quando duas forças contrárias mas de igual intensidade, chocam entre si, o que acontece? Fica tudo na mesma! Não se sabe se a intenção é arreliar ou agradar HRC e as/os seguidores ;)

Nélson Faria disse...

Eu tenho a certeza que quando contratamos alguém despedido por outrém é para lhe agradar:

Solis Doyle is blamed by some close Clinton loyalists -- and reportedly the candidate herself -- for not keeping the campaign in order heading into Iowa.

Estamos a falar da mulher a quem Hillary culpou pela sua derrota no Iowa. Não é coisa pouca Jorge.

Tiago Sousa Dias disse...

Continuo a não acreditar neste ticket, continuo a achar que Pelosi seria a melhor candidata a Vice e continuo a achar que já terá sido sondada e a resposta será "O PAI JÁ VAI".
Será uma incógnita a Vice-Presidência de Obama, mas a verdade é que vão-se traçando mais perfis de mulheres do que homens. Essa da mudança a mais não me convence. McCain poderia era antecipar-se com Condoleeza...

Reparem que no eleitorado feminino Obama vai largamente à frente de McCain. Não precisa de uma mulher para conquistar eleitorado nenhum a menos que esta tenha mais penetração no urbano onde ele ainda vai ficando mais para trás. Pelosi cumpre tudo sem excepção. Tem poder, é urbana, controla a máquina, experiência, é mulher tudo. A única fatia onde se sobreporia a Obama é no eleitorado imigrante.
Além do mais seria mais dificil a McCain combater uma vice que quando quer lá se esquece do charme e se torna algo hóstil. A indelicadeza cai mal.
A minha dúvida é se Obama opta por jogar ao ataque ou à defesa. Obama vai à frente em todos os idicadores importantes excepto eleitorado masculino, Iraque, capacidade de liderança e urbano. Para ganhar terreno deve atacar aqui nestes indicadores; para segurar a vantagem joga à defesa.
Já para McCain digam-me uma coisa? Só se falou uma vez da hipótese anedótica do novo Bush ou alguém continua a brincar às barbies nos jornais?

jfd disse...

Atenção ao reportedly.
E atenção a quem é o reporter!

Era necessário um bode expiatório.
Water under the bridge

Mantenho o que disse, a sua "nomeação" serve a ambivalência da posição.

Nélson Faria disse...

Está bem Jorge. Dá uma volta pela opinião publicada e vê a interpretação majoritária, de democratas e republicanos.

Não é causa excludente, mas é um mau sinal para Hillary.

Tiago,

Eu tenho a sensação que nem se fala muito de mulheres para VP. Tendencialmente são homens, governadores ou militares. Mas esta é uma sensação, é um dado a priori.

Para se ver que tipo de candidatos são mais falados remeto-vos para um lúdico Democratic Veepstakes 2008.

http://www.msnbc.msn.com/id/24764369/

jfd disse...

Ele não quererá HRC como VP.
Por isso não interessa se é bom ou mau sinal para a mesma. Daí a minha posição que advém da observação directa dos acontecimentos. A opinião escrita e publicada tem muito que se lhe diga, e até é divertido ver como é tratada a mesma informação nos diferentes meios de comunicação.

Estas são as primeiras eleições Americanas verdadeiramente globais.

Nélson Faria disse...

Jorge,

quando disse para veres a opinião publicada era para veres outras análises do mesmo facto. Para veres que há uma certa unanimidade na avaliação de que isto é um mau sinal para Hillary (se esta de facto quiser ser VP).

Mas não é excludente. Ela pode ser VP de Obama. Mas é mais a imprensa que quer barulho à volta disto, os candidatos continuam muito reservados. E bem.

jfd disse...

(...)Para veres que há uma certa unanimidade na avaliação de que isto é um mau sinal para Hillary (se esta de facto quiser ser VP).

Hummm, unanimidade? Não me apercebi de nada... Ainda não ouvi os programas de Domingo. Não li os editoriais de Domingo. Mas pronto, se o dizes...

Nélson Faria disse...

Tinhas de voltar umas semanas atrás Jorge. Isto foi tema na semana de 15 a 20.

Acho que andavas em exames na altura.

jfd disse...

Esquece lá isso então!
Realmente há aí umas 2 semanas que ainda tenho que me inteirar do que se passou. Mas o aipodes guarda tudo. A seu tempo, saberei tudo ;)

Diogo Agostinho disse...

Obama e Hillary Vs McCain e Condi.

Que luta interessante. Seria certamente o melhor cenário em termos de ciência política e a delícia de todos os comentadores e analistas.

Paulo Colaço disse...

Bruno, a ideia que Obama deixou é o pragmatismo oportunista de HCL e a cegueira belicista de Bush seriam arredados da sua forma de fazer política.

Os seus principais apoiantes não se reveem na senhora Clinton.

Daí a surpresa para os seus votantes.

No entanto, eu sempre disse que, no final de contas, Obama não é assim tão diferente dos outros.

Não me espantaria que HCL fosse a escolhida. Fico é com mais certezas do que fui afirmando sobre Obama.

jfd disse...

Obama está perigosamente a aproximar-se do centro...
E digo perigosamente porque está a tornar-se num igual, como diz o Paulo, e muito bem, e ao mesmo tempo está a abrir o flanco para que McCain renasça o ímpeto reformista da sua campanha, com laivos daquilo que já foi em 2000, roubando a tag da mudança (change)...

Ha pois é!
Obama tem 3 ou 4 anos de Washingthon... E eu não quero acreditar que por "pureza" que se tenha, o sistema acaba sempre por nos apanhar. Por isso, ainda tenho esperança.

Paulo Colaço disse...

Exacto: como te lembras Jorge, foram várias as vezes em que disse - "estou com Obama por ele ser diferente mas não creio que se mantenha diferente por muito tempo". (não muito literal mas foi isto, no essencial)

jfd disse...

Esperemos que a força que o trouxe até aqui, o faça seguir pelo caminho certo de novo...

Ou acreditas que o "sistema" é mais forte?

Paulo Colaço disse...

Jorge, acredito na teoria do bom selvagem.
Acredito também nas excepções.
Não acredito é que Obama seja uma delas.

O seu discurso é, de tal forma, "anti-sistema" que o vejo mais facilmente a tropeçar. Por vezes vale mais ser realista e pragmático.

Nesse pormenor, acho o seu adversário bem mais preparado para resistir ao que não gosta. O pior é que ele gosta de muita coisa que eu não.