segunda-feira, agosto 18, 2008

A UV 2008

A Universidade de Verão de 2008 tem início no próximo dia 1.
Para além das diversas sessões diárias de trabalho dos grupos, realço estes eventos como sendo os mais relevantes da 6ª edição. O programa integral pode ser consultado aqui.

Segunda-feira
- Jantar com o Presidente da CM Castelo de Vide e com o líder do PSD/Açores, Carlos Costa Neves

Terça-feira
- "Economia portuguesa: Porque não crescemos?", com António Borges
- "Um MAR de oportunidades", com Tiago Pitta e Cunha
- Jantar-Conferência com Leonor Beleza

Quarta-feira
- "Falar Claro", com Carlos Coelho e Rodrigo Moita de Deus
- "A Europa no Mundo", com António Vitorino
- Jantar-Conferência com Pedro Passos Coelho

Quinta-feira
- "Ambiente e Energia: o que temos de decidir já!", com José Eduardo Martins
- Jantar-Conferência com Alexandre Relvas

Sexta-feira
- "Políticas sociais: respostas urgentes e sustentadas", com Isabel Mota
- "Obama versus McCain", debate entre Armando Marques Guedes e o Gen. Garcia Leandro
- Jantar-Conferência com Arlindo Cunha

Sábado
- As Fronteiras do Direito: Direito, direitos e questões moralmente controversas", com Miguel Poiares Maduro
- Exercício de simulação de Assembleia
- Jantar-Conferência com José Pacheco Pereira

Domingo
- Sessão de Encerramento
Carlos Coelho, Director da Universidade de Verão
Pedro Rodrigues, Presidente da JSD
Manuela Ferreira Leite, Presidente do PSD

26 comentários:

Paulo Colaço disse...

Será um privilégio acompanhar a turma de 2008 durante a sua temporada em Castelo de Vide.
É uma tarefa que venho exercendo com muito gosto desde 2003.

Tal como em todas as edições anteriores, este ano haverá aulas sobre temas de fundamental importância: economia, europa, solidariedade e políticas sociais, ética, expressão em público, ambiente, energia e política internacional.

E sem esquecer as sessões com personalidades que bem conhecemos e respeitamos.

Vais ser em grande. Como sempre!

Carlos disse...

""Economia portuguesa: Porque não crescemos?"com António Borges"

Os temas e os oradores parecem-me fantásticos excepto aqui a fraude que irá falar sobre economia. O discurso de António Borges sobre a economia é o mesmo desde à 5 anos. Claramente uma personagem sobrevalorizada no universo do PSD.

jfd disse...

Sucesso para a classe de 2008 !!!

Carlos define fraude...

Nélson Faria disse...

Eu acho que está uma selecção excelente, tendo apenas dúvidas em relação à presença o painel "Obama vs McCain". Mas precisava de lá estar para as retirar.

Grande estrela desconhecida: Tiago Pitta e Cunha, o "pai" da política marítima europeia.

Quanto à provocação do Carlos em relação ao António Borges: também não se viu razões para se mudar o discurso nos últimos 5 anos ;)

jfd disse...

Né muito diplomático no reparo sobre o painel de sexta;)))

Boa dica para o Carlos ;)

Carlos disse...

Nélson,

Não é provocação é a constatação de um facto. Já o vi discursar 3 vezes em 5 anos, e o discurso é sempre o mesmo. Fazer o relatório da situação económica portuguesa é algo, que qualquer assistente estagiário de qualquer universidade portuguesa que leccione economia, faz de cor e salteado. A realidade, é que António Borges é por muitos apontado como um messias e como extraordinário economista... mas ouvir da parte dele alguma coisa de nova, é que nunca ouvi. E eu até sou daqueles que prefere um primeiro ministro que seja economista do que de outras áreas, mas este senhor sinceramente não. Atenção, que não ponho em causa o seu curriculum (que é impressionante), mas acho que é um muito bom banqueiro, mas não trás nada de novo no que toca à economia.

Relativamente ao estado da economia, as suas análises vão muito para além do período temporal ao que me reporto, como facilmente se pode imaginar.

Nélson Faria disse...

Eu não considero António Borges genial. Compreendo que entendas que a sua fama vai para lá do seu valor.

Eu considero-o um bom economista, com análise sólida, com valor comprovado.

Penso somente que fraude é uma palavra muito forte. Acho que dará uma boa visão da economia portuguesa e que os uvianos 2008 terão muito a ganhar por ouvirem a sua análise.

Bruno disse...

É, mais uma vez, um painel de estrelas este dos "professores" da UV2008! Ao nível do que estamos habituados! Vou seguir com especial curiosidade todo o dia de 4ª feira e a aula de Isabel Mota sobre políticas sociais.

Já agora, deixo também uma nota relativa a Borges: vou ter oportunidade de o ouvir falar como economista, algo que não tenho feito. Já o ouvi falar como político e considero-o "fraquinho". Mas aqui poderá provar a sua utilidade que assenta nas capacidades técnicas.

Para quem gosta de falar mal de tudo, a presença de Pasos Coelho (oposição interna) e António Vitorino (PS) deve ser uma alfinetada valente ;)

Mas o que interessa é que os alunos se divirtam e tirem proveito do que vão aprender e da troca de experiências com os colegas. Tendo estado presente desde 2005, tenho visto bons valores aparecerem na UV, outros confirmarem-se e espero que esta fornada seja mais um refresco para o PSD e Jota.

jfd disse...

Para quem gosta de falar mal de tudo, a presença de Pasos Coelho (oposição interna) e António Vitorino (PS) deve ser uma alfinetada valente ;)

Pronto lá está...
Primeiro porque estão os dois no mesmo saco...
E depois, porque consideras o ex-candidato oposição interna? Tens andado atento? :P
E ainda alfinetada porquê?

Bruno disse...

Tenho andado atento, sim, Jorge:

- PPC liderou uma lista ao Conselho Nacional no último Congresso e desunhou-se para que esta tivesse o máximo de votos;

- PPC mantém os seus apoiantes activos e interventivos;

- PPC criou ou está para criar um grupo de reflexão dentro do PSD...

Se isto não é ser oposição interna, então está bem ;)

Sobre o estarem no mesmo saco que Vitorino, só tu é que os colocaste porque eu fiz questão de os diferenciar dizendo que um era oposição interna e outro de um partido adversário.

"Alfinetada" porque como tu sabes, há muita gente que gosta sempre de falar mal e de dizer que este tipo de iniciativas são "censuradas" pelas direcções partidárias. No caso da UV não há qualquer censura que não seja a obrigatoriedade de serem grandes especialistas nas matérias de que vão falar.

jfd disse...

Assuntos distintos meu caro na questão dos alfinetes... Tá-me a parecer que o que se quer é sangue. Mas é melhor eu não fazer perguntas, para não ser ofendido de inocente :P

E para além do que enumeraste, não tenho estado então atento...
Tenho de ver que mossas é que o Passos Coelho tem criado no partido. É que foi nele que falaste, e não nos seus apoiantes.

Nélson Faria disse...

Ao contrário do que querem fazer pensar, não tenho qualquer tipo de problema com o senhor e até gosto de o ouvir falar. Ainda o LFM era Presidente e já eu dizia que devíamos ouvir o que este senhor tem para dizer. Mas o senhor tem alguma "partidarite" aguda, de quem tem muita estrutura e pouco mundo...

PPC fez um discurso no congresso a dizer que cooperaria mas seria vigilante, falou há umas 3 semanas de se sentir excluído do partido, acusou a CPN de não o ouvir, queixou-se de que precisava de um lugar no Instituto Sá Carneiro (isto no PPC é recorrente, a questão dos lugares), sentiu necessidade de criar um fórum de debate (gosto da ideia, irei comparecer, espero que seja mais do que politiquice).

Francamente: tirando o último, que é discutível, acham que alguns destes temas que tem levado PPC a manifestar-se interessam ao País?

Das duas uma: ou é oposição interna ou não sabe estar calado. Qualquer uma das duas, uns meses somente após as eleições, não é sensato.

Mas talvez fique feliz agora com o convite para a UV.

José Pedro Salgado disse...

Existem duas aulas que invejo. Uma o Nélson já disse. A outra é a de António Vitorino.

Quanto a "Obana vs. McCain", estou mais ou menos com o Nélson, mas diria a coisa de outra maneira:

A UV já nasce com qualidade na sua génese. Assim, não sei se vai cumprir as expectativas, mas se faz parte do programa, vou presumir que sim.

jfd disse...

Das duas uma: ou é oposição interna ou não sabe estar calado. Qualquer uma das duas, uns meses somente após as eleições, não é sensato.

Mas talvez fique feliz agora com o convite para a UV.


...

Paulo Colaço disse...

Este é um dos melhores programas de sempre.
Teremos figuras do PSD com muito peso (um dos objectivos da UV é promover o contacto entre os mais jovens e os dirigentes com responsabilidade no partido) e personalidades respeitadas da sociedade civil (um ex-comissário europeu, uma administradora da Gulbenkian, um alto "experto" em política dos Oceanos, um reputado gestor, um jurista europeu com carreira muito promissora, etc.

Mas também há expectativa no desenrolar dos trabalhos (individual e colectivo) que os alunos não esquecerão.

Quem viveu a UV e gostou (também há quem, legitimamente, não tenha gostado) percebe bem o entusiasmo e o sentimento de missão de quem, anualmente, colabora neste evento.

Espero que os alunos deste ano se entreguem como os seus colegas de 2003 para cá.

Luis Melo disse...

Desejo que todos os participantes da UV 2008, aproveitem ao máximo os excelentes "professores" que terão.

Os temas também são muito bem escolhidos, e encaixam na perfeição aos "docentes".

Quanto ao António Borges, uma coisa é ele perceber de economia e ser um economista de renome (disso ninguém tem duvidas) outra coisa é ser político.

Borges ainda tem muito que provar até ser considerado politico. Ter sido candidato a uma AM não chega. Ainda não passou por nenhum governo e por isso devia abster-se de falar em certas ocasiões.

Leandro Esteves disse...

Lá estarei para tirar as minhas ilações sobre os oradores. Contudo quero desde já sublinhar que o programa me agrada, e que os oradores foram bem escolhidos em função dos temas que vão abordar.

Apenas um painel me deixa reticente: o General Garcia Leandro a falar "Obama vs McCain" mas vou tirar as minhas conclusões.

Qaunto ao mais dia 1 de Setembro lá estaremos para o inicío das hostilidades.

Margarida Balseiro Lopes disse...

O programa é muito bom. As figuras que mais gostaria de ouvir talvez sejam Alexandre Relvas e Tiago Pitta e Cunha.

Que a qualidade do evento se mantenha e que os 100 alunos seleccionados aproveitem ao máximo aquela que será, certamente, uma das melhores experiências das suas vidas.

Lá nos encontraremos ex-uvianos! :)

V. disse...

É realmente um programa de fazer inveja. Estarei la UV pela primeira vez e realmente tenho algumas expectativas.
Devo no entanto relembrar que o General Garcia Leandro tem um historial bastante interessante de análises políticas, sendo que a carreira militar que lhe deu a ele, como a McCain, uma visão e experiência bem diferente do normal e a sua constante indignação com o que de mal se vai passando e o seu apelo à mudança, como Obama tem feito, o coloca numa posição deveras interessante.
Esta é de resto uma das intervenções que, à partida, mais me cativa.

Vasco Galhofo

Paulo Colaço disse...

Caros Leandro e Vasco, desejo-vos uma excelente UV.
Vemo-nos em Castelo de Vide.

Nélson Faria disse...

Leandro e Vasco,

boa sorte para a UV.

Agora com o comentário do Vasco +e imprescindível que lembremos as pessoas de uma coisa: lembram-se de um militar que escreveu um artigo, insinuando que se poderia fazer um golpe militar em Portugal? Foi o General Garcia Leandro :)

Só me lembrei porque guardei o primeiro parágrafo de uma crónica do MST sobre o assunto e andei a vasculhar ;) Ei-la!

O general Garcia Leandro publicou aqui no Expresso, no sábado passado, uma espécie de protopronunciamento militar deveras interessante. Em substância, o general diz que o país está minado pela corrupção e pelo mau governo dos políticos e que só não avança para encabeçar um 'movimento de indignação', conforme muito solicitado, porque vivemos hoje na União Europeia - onde estas aventuras 'venezuelanas' deixaram há muito de ter viabilidade. Mas essa não é, em boa verdade, a única razão que trava o general nas suas generosas intenções, se é que ele não o sabe: a outra razão é porque o país acolheria hoje com uma gargalhada devastadora qualquer ridícula tentativa de pronunciamento militar. Com a extinção do Conselho da Revolução, algures na década de 80, livrámo-nos de vez da tutela militar e já ninguém, nem a novíssima geração, leva a sério um militar que queira salvar a pátria. Aliás, o próprio texto do general Garcia Leandro - confirmando que os textos de justificação dos pronunciamentos militares jamais ficarão para a história da literatura universal - é, em si mesmo, incapaz de arregimentar até um quartel de bombeiros, tão frouxas e tão confusas são as razões aduzidas.

E esta, hein? Naturalmente, não partilho da opinião do Vasco sobre o senhor General. Mas também nunca o ouvi (ou li, o que é estranho) a falar de Presidenciais norte-americanas. Pode ser que possa surpreender.

Bruno disse...

Muitos oradores da UV foram para mim até hoje surpresas. Uns porque não conhecia, outros porque deles não esperava tanto. Um ou outro, ainda, porque esperei mais.

Sobre o senhor General posso já dizer que se MST não gosta dele, então eu defendo-o, hehe! É que se há alguém que me irrita profundamente é o mal encarado de serviço da comunicação social portuguesa.

Acima de tudo, acho que o debate Obama vs. McCain é importantíssimo pois é um tema da actualidade e as horas/páginas de notícias que nos chegam são muito dedicadas ao folclore e pouco à informação séria sobre quem são e o que pensam os candidatos. Como diziam na altura das primárias, o Pedro Rodrigues e o Nuno Matias: se quero saber notícias das eleições americanas vou ao Psico!

Vasco e Leandro, que a vossa participação seja o melhor possível e que apreveitem bem! Até lá.

Carlos Carvalho disse...

Gosto dos temas. E gosto da generalidade dos oradores.

Mas tenho de deixar uma nota: a UV é mais que um programa, vai muito além de um qualquer planeamento. Baseada numa organização sensacional, consegue, realmente, ser uma universidade.

Não tenho dúvidas de que vai ser, realmente, grande.

Paulo Colaço disse...

Precisamente Carlos.
Subscrevo-te.

Marco Rodrigues disse...

Três palavras: Até já Uvianos ;)

Paulo Colaço disse...

Outras três: cá nos vemos!