sexta-feira, agosto 29, 2008

Força Rui


Sim já acabaram os jogos olímpicos e mesmo assim aqui se escreve sobre desporto que não futebol.
Ténis.

Rui Machado joga hoje a 2ª Ronda do U.S. Open. Não parece motivo para festejar, mas a verdade é que caso Tiago ganhe passa para os primeiros 170 tenistas do mundo (fincando, entre os portugueses, apenas atrás de Frederico Gil - nº 86 do mundo) e torna-se no primeiro português de sempre a passar duas eliminatórias no quadro principal de um torneio do Grand Slam e o primeiro (estou a arriscar mas julgo que é verdade) a vencer, num torneio desta categoria, um cabeça de série (no caso o 13º do mundo Verdasco).


É verdade, chegar á segunda ronda, ou por outras palavras, vencer um único jogo, é o melhor que Portugal já fez. Em vez de esperarmos pelas próximas olimpíadas ou a taça Davis ou qualquer outro facto notório onde se exijam resultados, porque não se discute já a falta de condições para o desporto de alta competição em Portugal?


O que é feito das academias desportivas, dos incentivos às internacionalizações, da aposta no treino integrado, tudo?! Porque é que eu saí do ténis há 5 anos e actualmente tudo está exactamente igual?

10 comentários:

Tiago Sousa Dias disse...

Claro que quando falo dos problemas do apoio ao ténis é objectivamente extensivo a todas as restantes modalidades.

jfd disse...

O movimento Olímpico continua...
Está-se é tudo a cagar pra cena.
Afinal não é bonito de se ver.
Mas quando os nossos atletas "especiais" voltarem com as medalhas, lá estarão os discursos de circunstância, as televisões nos aeroportos e vai ser tudo lindo.

Quando ao tenista, boa sorte.

Tiago Sousa Dias disse...

É engraçado o que tu dizes Jorge. Há aí uma publicidade que fala dos atletas com deficiência e mostra as medalhas que cada um já conquistou, mas ou ando muito distraído ou não há transmissões televisivas dos paralímpicos. É triste.

xana disse...

Frederico Gil já está afazer história e de certeza absoluta que vai trazer muitas alegrias a todos, não só os que gostam de ténis. Agora o Rui! Bravo!

Pena é não ser dada a devida atenção pelos meios de comunicação. Quase que já é notícia o Quique Flores ir ao WC mas os tenistas portugueses a brilharem lá fora nem por isso...

Enfim...

Uma achega: vi a entrevista de Nélson Évora à sic ontem à noite. Aquilo sim é um atleta! Reparem nas "caganças" dos jogadores de futebol e depois é só comparar!

Luís Nogueira disse...

Apesar de não seguir regularmente os campeonatos internacionais de tenis, já tinha ouvido falar destes dois atletas e desejo-lhes as maiores felicidades para as suas carreiras desportivas.

Quanto à questão que colocas Tiago, acho que poderá ter uma resposta simples. "Porque não se discute já a falta de condições para o desporto de alta competição em Portugal?"

Porque, pura e simplesmente tens uma larga maioria da população portuguesa que apenas se interessa pela prática do futebol e assim, o interesse e o apoio que deveria ser dado ao desenvolvimento de outras modalidades desportivas de alta competição, acaba por ficar na gaveta.

Contrariamente ao que tentas transmitir, eu não acho que estejamos assim tão mal em termos de infraestruturas. Como já disse no passado, acho que a mudança passa por uma inversão nas mentalidades das pessoas responsáveis por pensar a prática desportiva em Portugal.

Francisco Castelo Branco disse...

tou a ver o jogo


2-2 em sets

1º set 7-6
2- set 6-7
3º set 4-6
4ºset 7-6

e vai agora iniciar-se o quinto set e com 3h42 m de jogo

fantastico jogo de Machado que ja salvou um match point e agora vai ser o set decisivo

força Machado!

Luis Melo disse...

Fui praticante de ténis e tenho muito gosto pela modalidade. Rui Machado tem estado muito bem, a par das recentes exibições de Frederico Gil. Perdeu em 5 sets com o 13º cabeça de série, parabéns!! Tal como Michele Brito tem feito noutros torneios, Rui Machado "brilhou" no US Open.

Com apenas uma grande diferença: Michele treina na melhor academia do mundo (Academia de Nick Bollettieri) e Machado com o nosso João Cunha e Silva.

Penso que o que falta em Portugal é mesmo isso, treinadores de nível mundial. Sem desprezar, o excelente trabalho de Cunha e Silva ou de Nuno Marques, que fazem até mais do que deviam pelos tenistas portugueses.

Mas para chegar mais longe, para cima do 100º lugar do ranking, têm de emigrar. E fazem-no, para as Academias de Espanha ou dos EUA.

Tiago Sousa Dias disse...

Luis, o próprio Rui Machado treinou uns anitos em Barcelona...
O Rui perdeu contra o Verdasco no 5º set por 6-0. Levar o nº 13 do mundo ao 5º set para mim só diz que o Rui é um grande jogador e há-de estar nos 50 primeiros se continuar a saga dele. Começou o ano como nº1111 do mundo e agora salta dos 200 para 170. Tem muito potencial.

Luis Nogueira
Já quanto a questões que levantei, como as infraestruturas, deixa-me dar-te um exemplo. Eu joguei ténis muitos anos, cheguei mesmo a fazer 3 torneios internacionais. Num deles na foz calhou-me um espanhol que nem sequer teve entrada directa no quadro e disputou o qualifying como eu. Quando entrei no court não sabia onde me havia de meter com receio de falhar de perder etc e o gajo não parava de me bombardear. Achas que algum clube aposta em psicólogos? Quanto às infraestruturas própriamente ditas. No meu clube (Estrela e Vigorosa Sport) treinavam entre outros Neuza Silva, Diana Costa (que na altura era a papa troféus tuga e que me lembre nunca perdeu com a Neuza) ou Zé Pedro Silva. E mesmo assim, sendo um dos melhores clubes de ténis do Porto (e quiçá do país já que ganhamos alguns interclubes) só ao fim de uns 6 anos de ténis de competição é que me apareceu uma sala com 3 máquinas de musculação para treinarmos fisico... 3 máquinas para 50 atletas. E acredita que era assim ali e muito pior na esmagadora maioria dos clubes.

Bruno disse...

Efectivamente, aposta-se pouco no Ténis em Portugal. E é pena porque somos um país que gosta da modalidade como já se viu pelos consecutivos sucessos que todos os anos são as edições do Estoril Open, bem como o grande espectáculo que foi a Master Cup há uns anos no Pavilhão Atlântico.

Será que devia invetir-se mais? Eu também acho que sim. Mas porquê? Não pode ser só porque eu ou o Tiago gostamos da modalidade... E não pode ser o Estado a bancar tudo, penso eu. Os clubes têm que se organizar e decidir o que querem fazer da modalidade, não?

Bruno disse...

Entretanto, não desejei "boa sorte" ao Rui porque, ao que parece, já tinha sido eleiminado. Mas como fez boa figura e parece que tem vindo a evoluir merece a nossa atenção.

Quando ele tiver a sua primeira grande vitória, o Tiago publicará um post apenas com o texto: Rui, estivemos contigo desde aqui com o respectivo link para este post onde agora comentamos...