quarta-feira, abril 02, 2008

Tributo


Hoje, dia 2 de Abril, é o Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil.
E que tal agradecer aos autores que fizeram as minhas delícias há uns 20 anos atrás?

Forem eles, sobretudo, a Enid Blyton, que escreveu as aventuras dos “Cinco”, o Júlio Verne e as suas páginas extraordinárias, e as lusas Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, com a colecção “Uma aventura”. Para não falar nos incontornáveis da BD (Disney em grande medida).

Pelo meio, li imenso Allan Poe, Conan Doyle, Agatha Christie e tantos outros, mas esses “não eram para a minha idade” ehehe!

E os Psicóticos e Psico-Amigos prestam tributo a quem?

21 comentários:

Francisca Soromenho disse...

Com menos uma década, presto homenagem aos mesmos autores. Acrescento, claro está, os irmãos Grimm, Sophia de Mello Breyner, Verne, Dumas e - também menos para a minha idade - as irmãs Brontë, Marion Zimmer Bradley e Kristen Britain.
BD, acrescento o Astérix.

Nélson Faria disse...

Bolas...

Todos os infanto-juvenis do colaço, o Astérix, o Lucky Luke, o Tintin, o Fantasma, livros de BD da II Guerra Mundial, livros de BD de cowboys...

Mais fora da idade Eça de Queirós e Camilo Castelo Branco.

Daniel Geraldes disse...

Eu agradeço as fantasticas cadernetas de futebol do Planeta Agostini, nomeadamente aquelas em que tinham o João Pinto do Benfica,na altura um grande jogador, livros só os da catequese.

Tânia Martins disse...

Eu presto homenagem aos livrinhos da colecção formiguinha: nomeadamente "A Pata Real"! Aos irmãos Grimm claro. A maior parte dos livros da minha infância são em francês de autores franceses, não me lembro dos seus nomes (e agora estão guardados em Torres Vedras), mas houve um que me marcou especialmemte, "raconte moi une histoire c'est soir", com várias histórias que se liam consoante o dia do ano. Era uma história por dia todo o ano. Como ainda não sabia ler era a minha mãe que me lia (foi obrigada a ler o livro dois anos seguidos eheh). Ah houve outro que me marcou, um de Educação Sexual que a minha madrinha me ofereceu aos 10 anos de idade!

Tânia Martins disse...

Ah que falha, esqueci-me de referir a grande Sophia de Mello Breyner, com: A Menina do Mar e o Cavaleiro da Dinamarca, fantásticos! E gostei de ler a obra simples de Ulisses, assim como Sexta Feira ou a Vida Selvagem!

Tété disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tété disse...

Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada sem menor margem para dúvida!

Eu durante a minha infância sofri imenso com os dentes e chantageava a minha mãe...ida ao dentista equivalia 1 livro. Cada vez que ia à consulta exigia 1 livro novo! Em 1 ou 2 horas devorava um exemplar de "Uma Aventura" ou de "Viagens no tempo", ambos das mesmas autoras.

Felizes aulas de português que tive no ciclo, em que tinhamos um clube de leitura. Todas as semanas leva 2 livros para ler.

Foi graças a essas aulas e a essas duas grandes autoras que hoje posso dizer, Adoro ler!

Bruno disse...

Também me lembro do Clube de Leitura das ailas de português. É que eu e a Tété andámos fizemos o ciclo preparatório na mesma escola: a saudosa Afonso de Paiva em Castelo Branco :P

Eu fui um consumidor quase compulsivo de Banda Desenhada: Disney, Turma da Mônica, Lucy Luke, Astérix... e lembro-me ainda da grande colecção Dom Afonsarilho e Santa Pança.

De resto - e confesso que estou a ser traído pela minha memória, que normalmente não me costuma falhar - mas não me esqueço d'Os Cinco.

Gostava muito de enciclopédias, jornais e revistas por isso os autores ficavam um pouco esquecidos.

Tété disse...

Ena, eu também tive essa colecção do Dom Afonsarilho e Santa Pança. Grandes gargalhadas dei à custa das aventuras da história de Portugal. Parece-me que ainda sinto o cheiro que essa colecção tinha.

Há pouco esqueci-me de falar de um livro que adorei ler e que qualquer dia volto a ler " Graças e Desgraças de El-rei Tadinho ". Mais uma vez Alice Vieira!!!

Rita Cipriano disse...

A minha infância foi marcada pelos livros da Anita de Gilbert Delahaye e pelos irmãos Grimm, claro!
Mais tarde, "Uma Aventura" que sinceramente não adorei. De seguida, triângulo Jota de Álvaro Magalhães que li e reli :-)

Rita C

Nélson Faria disse...

Grande exercício de memória...

A caderneta de cromos que mais gostei de fazer foi uma de '86 ou '90 que tinha todos os plantéis de todas as selecções campeãs do mundo. Essa e a do Mundial de '94, o melhor mundial que já vi (do tempo em que Portugal raramente chegava lá, quanto mais meias-finais).

A colecção formiguinha e a Sophia de Mello Breyner também são grandes. A "Viagens no Tempo" também, o Clube Jota nã "curtia" tanto.

GRANDE BRUNO: o que eu me remia com o Dom Afonsarilho... :)

Margarida Balseiro Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margarida Balseiro Lopes disse...

Na minha infância, pela “mão” de Sophia de Mello Breyner percorri os caminhos da Dinamarca e conheci “a menina do mar”. José Mauro de Vasconcelos fez muitas das minhas delícias, muito por causa do “meu pé de laranja lima”. Nunca fui muito adepta d’ “Aventura”, preteri-a pelos contos do Eça. Ainda tive uma ténue “Aparição” de Vergílio Ferreira, numa qualquer “Manhã Submersa”, numa “Esplanada sobre o mar”.

“Pasmei-me” ao ler Gonçalo Torrente Ballester e os obscuros mas deslumbrantes caminhos do século XVII. Com ambas as mãos colhi os frutos de Eugénio de Andrade.

Lisete Rodrigues disse...

A imagem que ilustra o post do Colaço é parecida com aquela que religiosamente guardo na casa da minha mãe......só agora lhe dou a real importância que teve na minha infância, e por isso ando a tentar recuperar todos os que agora me faltam da fantástica colecção de Hans Christian Andersen...e que volta e meia ainda dou por mim a os reler...o Abeto, O Patinho Feio, A Caixinha de Surpresas, Os Sapatinhos Vermelhos, O Pequeno Cláudio e o Grande Cláudio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei e A Princesa e a Ervilha...é o imaginário e o sonho de criança que renasce sempre que os folheio pela enésima vez...

José Pedro Salgado disse...

Disney, Turma da Mónica, Calvin & Hobbes, Garfield, Asterix, Lucky Luke, Hum Pá Pá, Salamão e Mordatela, Tintin.

Sem ser BD, destaco Moby Dick, A Ilha do Tesouro, O Último dos Moicanos, Quo Vadis, Ben-Hur, David Copperfield, As Minas de Salomão e tantos outros que fizeram as minhas delícias, e que só se podem ler na idade certa.

Dos que não eram para a minha idade destacam-se Sherlock Holmes, Hercule Poirrot, Miss Marple ou Ellery Queen.

Paulo Colaço disse...

Alguém me consegue explicar quem é esse Afonsarilho?
Não estou mesmo a ver quem é!

Bruno disse...

Mano Colaço, quando for a casa da minha Mãe vou ver se ela ainda por lá tem os livros e depois mostro-te :P

Do que te posso ecplicar o D. Afonsarilho era uma caricatura de D. Afonso Henriques. À imagem do mítico D. Quixote tinha um fiel escudeiro que aqui se chamava Santa Pança em vez de Sancho. A sua Rainha era a Dª Nafralda de Alfazema o que faz com que ainda hoje chame Nafralda à Mafalda de Évora, hehe!

O D. Afonsarilho era um duro e fartava-se de aviar porrada nos adversários. Era assim uma espécie de Asterix à portuguesa mas sem necessitar da poção ;)

António Pessoa disse...

Lucky Luke e Tintin claro. Aos que não tem "luck" ou não tem "tintins", estas são óptimas recomendações. lol

Paulo Colaço disse...

Não tenho "isto" de lembrança de tal personagem.
Ainda seria muito novo ou já muito velho?

Nélson Faria disse...

Lindo António.

Quanto ao Colaço: eu lia os livros do Afonsarilho na casa de duas primas mais velhas que o je. Penso que ambas estarão agora a chegar aos 30, logo é malta do teu tempo.

Foste excluído desse movimento... digo-te que era uma grande BD.

Paulo Colaço disse...

ehehehe
Só há dois movimentos em que quero estar incluído: o de Rotação e o de Translação :)

Os restantes depende dos respectivos princípios programáticos!

ehehe (não resisti a este comentário monty python)