quinta-feira, abril 10, 2008

Quem é o infractor?


"Não vou pedir eleições, nem fazer guerrilha interna contra o Dr. Menezes. Não contribuo para a ingovernabilidade. Essas iniciativas só beneficiam o infractor.", Pedro Passos Coelho dixit.

17 comentários:

Nélson Faria disse...

No seguimento dos comentários anteriores: tu sabes que eu sei que ele sabe de quem está a falar ;)

Agora mais sériamente: a última sondagem do Expresso mostrava o PSD a descer (bem como o PS); a sondagem desta semana do CM coloca o PSD abaixo do pior resultado de Marques Mendes (26%, o pior de MM na sondagem CM foi 26,2%).

LFM ganhou as eleições internas com uma forte aposta numa linguagem de força, mudança e alternativa. Eu, publicamente, não deixei de esconder que o seu discurso me dizia mais do que o de MM.

Meses depois, com tanto tempo para arrumar casa e reestrurar o partido, não temos mensagem, não temos fio condutor nem prioridades para lá do discurso tipo de Oposição bota abaixo.

Aprendi uma coisa nos últimos 2 anos: um fio condutor e mensagem, ainda que tímida, é melhor que mensagem nenhuma.

Os últimos dois Presidentes do PSD obtiveram os melhores resultados nas sondagens quando estavam calados. Este não foi o LFM da campanha... como disse Pedro Lomba: tenho saudades do Menezes.

Nélson Faria disse...

Quem comenta, na edição do site do CM, o mau resultado da sondagem é Pedro Passos Coelho.

E para um liberal como eu é com gosto que vos sugiro, sem entrar em euforias de apoios e trálálá, que ouçam a entrevista de PPC à Rádio Renascença.

http://www.rr.pt/InformacaoDetalhe.aspx?AreaId=11&SubAreaId=110&ContentId=241862

Nélson Faria disse...

Este vídeo de 3 minutos mostra exactamente o que o Colaço cita do PPC: é possível ser-se oposição interna sem ser oposição ao partido.

Frase-Chave
Os mandatos, em circunstâncias normais, são para levar até ao fim. E acho que se deve respeitar a vontade que os militantes expressaram... e não tenho nenhuma tentação de "salvar" os militantes da sua escolha

http://www.rr.pt/PopUpMedia.Aspx?&FileTypeId=3&FileId=413825&contentid=241862

Diogo Agostinho disse...

"Passos Coelho diz que irá "apresentar uma alternativa ao Governo do PS""

in DN.

É uma afirmação interessante.

Não digo que Pedro Passos Coelho não seja um político de futuro, mas afirmações destas não são guerrilha?

Se tem alternativa porque não propõe? Porque não fala com Menezes? Acredito que Menezes tem andado apagado...eu não diria apagado, mas talvez sozinho! Sozinho e a precisar de apoio!

Parece-me claro que agora vem aí ou uma paz podre ou a guerrilha!

E na actual conjuntura não sei o que será melhor...

Nélson Faria disse...

Não considero guerrilha: a haver conflito será uma guerra, já que PPC já assumiu que é candidato caso se convoquem eleições.

Ele não se oferece para ajudar LFM porque não concorda com ele... afinal, se nem LFM concorda consigo como pode esperar que os outros o ajudem ;)

Penso que PPC está a fazer um caminho interessante na sua afirmação como alternativa. Mas mantenhamos os pés na terra.

http://www.dn.sapo.pt/2008/04/10/nacional/passos_coelho_avanca_menezes_marcar_.html

Tiago Sousa Dias disse...

Não tenho palavras para este post... É de génio e subscrevo o silêncio à pergunta como resposta, a directa e a mediata. :)
Dos melhores posts de sempre.

Filipe de Arede Nunes disse...

Pois... Lá andamos nós outra vez a precisar de um D. Sebastião. Mantenho a minha ideia quanto a presidentes do PSD e a putativos candidatos ao cargo: mostrem as ideias que têm para o país; não quero saber mais do que querem para o partido, porque é a estrutura do PSD que o está a destruir junto das pessoas que deveria, mas não consegue servir.
Venham as ideias - boas - porque o Menezes só diz asneiras. Infelizmente não é, é de agora!
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Luís Nogueira disse...

Por momentos pensei que estivessem à procura do Wally lol Mas enfim, "vocês sabem, que eu sei, que sabem" quem é o infractor... Afinal o combate político aproxima-se a passos largos. Estaremos a entrar no periodo de avaliação, reflexão e de posterior decisão, que Jardim falava no Congresso?

Adriana disse...

Não concordo que seja a procura do wally. Todos sabemos a quem o paulo colaço e o pedro passos coelho se querem referir. Só é pena que para uns sejamos filhos e outros enteados.... Quando coloquei o post do Alberto Jardim fui bombardeada por criticar o meu partido. Agora banaliza-se LFM.. este não é o primeiro post e duvido que seja o ultimo. Não estou aqui em defesa dele porque sei que não precisa de mim para isso. Somente comentei porque sinto desiludida com as pessoas. Para que fazerem parte de um partido se nao aceitam o lider e nao o ajudam a liderar....Sejam coerentes, consistentes, lutadores, evoluam e sejam capazes de mostrar que sao diferentes. não critiquem so por criticar....

Paulo Colaço disse...

Sou pela estabilidade dos mandatos mas nunca serei pelo silêncio cúmplice.

Né, concordo com a tua apreciação do mandato do actual presidente.

E sim, “é possível ser-se oposição interna sem se ser oposição ao partido”. Aliás, grande parte das oposições internas provém de gente que quer o melhor para o seu partido. No entanto, quem dirige os partidos acaba sempre por dizer: “quem está contra mim está contra o partido”.

É o tal problema de confundir “Zé Germano com Género Humano”. Criticar o líder não é o mesmo que criticar o partido, mas fazer o líder entender isto é mais difícil…

Diogo: paz podre e guerrilha são ambas nefastas mas acho que PPC não quer nem uma coisa nem outra. Em minha opinião acabou foi com ambas: acabou com a paz podre e deixou de fazer guerrilha: avançou para a guerra pura.

Ups – acabo de ler o comentário do Né, que diz o mesmo que eu. Enfim, aqui fica a repetição.

Caríssimos Filipe e Luís: D. Sebastião e Wally são nomes simpáticos para aquilo que procuramos – um rumo! Que bom seria que o ganhássemos com o actual líder: era sinal de não ter havido injustiça nem precipitação nas últimas Directas.

Adriana, tens a certeza que sabes a quem me estou a referir?
Vieste aqui defender LFM com a mesma legitimidade com que outros fazem o inverso. Aliás, tenho a certeza que o actual líder do PSD, esse exemplo de coerência, seria o primeiro a dizer-te que criticar o presidente do Partido não tem mal nenhum…

Quanto ao comentário do Tiago, eheheh, fica a resposta para um jantar de psicóticos, com francesinhas feitas pelo próprio!

Nélson Faria disse...

Sinto-me tão à vontade para criticar LFM como para criticar MM... e quando concordo nunca deixo de o salientar. E mesmo que discorde mas reconheça que fizeram bem menciono-o.

Uma coisa é criticarmos as ideias e o rumo ou falta dele, outra é dar voz à campanha caluniosa de terceiros sem a repudiar. Foi essa a questão do outro debate Dri... eu já critiquei muitas vezes AJJ, mas com aquele post não concordei.

E, quando não concordo, falo ;) é a minha maneira de contribuir. Assim como também te sentes à vontade em criticar a campanha da nacional em relação à Rússia. É positiva a troca de ideias e de impressões... só o silêncio incomoda.

EM disse...

Este Menezes é a desgraça do PSD.

Anónimo disse...


o infractor é menezes. ele não nasceu para a política na campanha para as directas. há quem o conheça há mais de 30 anos, pessoalmente e sem os filtros mediáticos. é o que sempre foi. é instável pessoal e politicamente, é inconsistente, é incoerente e tem um conceito pessoal estranho de lealdade (evitei a palavra desleal). foi sempre assim e continuará a ser assim. a maioria dos comentadores, assim como a maioria dos inscritos (evitei a palavra militantes) no psd, não conhecem menezes. não têm culpa, simplesmente não calhou conhecerem-no (excepto o tiago que tem obrigação de conhecê-lo!). mas estão a descobri-lo agora. cada vez mais tarde. quase, quase, demasiado tarde.


estou muito enganado, ou quem agora pede que ajudemos menezes, há alguns meses não lhe pediram que se limitasse a ajudar marques mendes?

a.m.

Filipe de Arede Nunes disse...

Já o tenho dito aqui várias vezes, mas o comentário da Adriana obriga-me a dize-lo de novo.
É uma idiotice achar que o PSD é um fim em si mesmo, porque na realidade é um meio, escolhido por pessoas, para vincular uma determinada posição política (o conceito de politica deverá ser lido lato sensu). O que seria de nós agora apoiar Luís Filipe Menezes só porque ele é Presidente do PSD... A este respeito concordo com o Nelson e faço minhas as suas palavras "Sinto-me tão à vontade para criticar LFM como para criticar MM... e quando concordo nunca deixo de o salientar." A minha única divergência face às palavras do Nelson reside no facto de ainda não ter encontrado pontos em comum com o Luís Filipe Menezes!
Sabem, os partidos devem ser o reflexo mais aproximado das nossas ideias. O caminho que tem vindo a ser percorrido pelo PSD de Menezes afasta-se, a cada uma das intervenções do líder, cada vez mais das minhas próprias ideias, convicções, forma de estar na vida e na política.
Se for esta a verdadeira cara do PSD, então eu saberei seguir o meu caminho e não tenho qualquer receio de dizer adeus a um conjunto de políticas e de pessoas com as quais estou em profundo e completo desacordo.
Colaço: D. Sebastião ou Wally tanto me faz. O PSD sente-se perdido porque não existe capacidade de encontrar um rumo, como bem referes. O problema é que cada dia que passa encontrar o rumo se torna mais complicado. A desmotivação grassa entre as pessoas sérias, e a motivação só existe para quem pensa usar o PSD para obter algum proveito! Como diz o outro. Agora, provavelmente, só mesmo à bomba! É que infelizmente, ao final de alguns anos de militância, já conheço mais ou menos o partido e a estrutura. Cada vez está mais conspurcada de incompetentes, aparelhistas e leais servidores dos seus reais interesses.
Aceitem, os meus cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

antónio pessoa disse...

Criticar por criticar não é apenas um desporto nacional: é um direito!

LFM chegou a presidente do PSD fazendo-o.

Cavaco Silva chegou a líder do PSD assim.

António Guterres chegou a líder do PS assim.

O Bloco de Esquerda fez carreira assim.

Ainda ontem vimos que foi assim que alguns ambientalistas ganharam espaço aqui neste blog.

É uma hipocrisia condenar aqueles que criticam criticando-os! A Adriana, aqui neste blog já criticou muita coisa e isso foi levado a bem, com excepção do post desastrado sobre o Alberto João.

Vamos a ter calma e aceitar a crítica. É preciso respeitar quem ganhou mas isso nao significa fazer vénias ou assumir a lei da rolha.

jfd disse...

Mais uma vez fico contente por concordar a 100% com o Filipe. Realmente vinha escrever algo na linha do que ele disse, não vale a pena duplicar. E nunca é demais exaltar esta característica neste partido; eu e o Filipe não nos revemos na nossas posições Europeias, mas no entanto, neste assunto, pensamos o PSD da mesma forma.

O Tiago também foi feliz neste seu comentário, que remete para a felicidade do post! E eu não sou nada de elogios deste género. Pois onde eu vejo Genial! alguém pode ver So What? LOL, Mas desta tinha de ser ;) Este AB tem um timming aguçado de perfeito:)

Diogo, precisa de apoio? Então e o aparelho? E os votos? E a esperança dos militantes que há anos não votavam e saíram de casa para o fazer?

Né não ouvi a entrevista, mas já tinha ouvido a conversa com a Flor Pedroso. Coerente.
Foi a pessoa que me inspirou para este partido. A ver vamos se não me desilude. Gostei particularmente da tua classificação de “interessante”! Partilho contigo a cautela:)

Bruno disse...

Ainda não percebi bem o que algumas pessoas acham de Pedro Passos Coelho. Eu acho que ele tem uma característica importantíssima em qualquer político: capacidade de liderança!

E por isso gosto dele. Não concordei sempre com ele, não apoiei sempre os mesmo que ele, não achei que tivesse sempre tomado as melhores atitudes ou escolhido os melhores caminhos. Mas gosto dele, tenho confiança nele e até defendo o seu nome para Presidente desde que Cavaco saiu (sim, é verdade! eu já bato mal da bola há muitos anos, hehe!).

Centrando-me na pergunta/título do post: penso que a expressão "beneficiar o infractor" se usa quando queremos dizer que em determinada situação "o crime compensa". Ou seja, quando alguém fez mal mas apesar disso acabou por ter uma "pena" menos severa do que devia ou mesmo "nenhuma pena".

Assim sendo, neste caso, penso que Pedro Passos Coelho está a recorrer à velha máxima de que "o nosso inimigo está lá fora e chama-se Partido Socialista". Interpreto as suas palavras como "guerrilha interna será enfraquecer o partido e isso só irá contribuir para fotalecer o PS e Sócrates".

Cá ficarei à espera de PPC. Para saber quais as causas em que diverge de Menezes, o que pensa que pode fazer diferente e melhor, porque razão se posiciona desta forma, o que o levou a sair da CPN no passado... Mas, principalmente, qual é o seu projecto para o futuro do país.

Por isto podem ver que não estou encantado com esta liderança de Menezes. Não acredito que ele consiga fazer frente a Sócrates e convencer os portugueses de que é melhor que o actual PM. Sou mau militante por causa disso? Acho que não. Apesar de já não ser da JSD posso gabar-me de ter consciência e ser crítico é sempre positivo desde que saibamos o que dizemos.