quarta-feira, fevereiro 27, 2008

Um exemplo


Carlos Coelho é Deputado Europeu pelo PSD e o grande impulsionador de acções de formação como a nossa Universidade de Verão. Não é novidade. Que tem um site também não o é. O seu site tem 25 mil internautas registados. Brutal! Porquê? Porque se trata de um espaço de extraordinário valor.

Sempre interessante e actualizado, dispõe agora de uma área com 33 perguntas/respostas sobre o Tratado de Lisboa.

A Dra. Manuela Ferreira Leite disse um dia, num Conselho Nacional do PSD, que sabíamos todos mais sobre UE desde que o Carlos Coelho era Deputado Europeu.
Quando temos andado a falar de políticos pelos piores motivos, este post pretende falar de um deles pelos melhores.

17 comentários:

Paulo Colaço disse...

Breve nota lateral a este post: uns a quererem informar os portugueses acerca do Tratado de Lisboa e outros a pugnarem por ratificações parlamentares...

Nélson Faria disse...

Carlos Coelho foi das poucas pessoas que conheci na política que realmente interferiu com a forma como eu encaro a vida e a própria maneira de fazer política.

Mostrou-me que mais do que as nossas palavras, intervenções e discursos é o trabalho que fazemos o nosso verdadeiro legado, a nossa herança, a nossa marca.

Mostrou-me que só com rigor, com organização, com trabalho de equipa e com planeamento é que é possível atingir os nossos objectivos; ser capaz de improvisar é uma qualidade mas deve ser a excepção no nosso trabalho político, não a regra.

Mostrou-me que não podíamos estar com meia vontade, meio empenho e meia força; é necéssário total entrega, toda a vontade, todo o empenho e toda a força para chegar às pessoas e fazê-las pensar.

Mostrou-me que nunca ficamos mal quando defendemos o que acreditamos e não o que nos é conveniente defender, que é através do debate desabrido e descomprometido que crescemos, que é sem ter medo da nosso própria opinião e de nos enganarmos que melhor servirmos o que nos rodeiam.

É um exemplo vivo de dedicação à causa pública, à coisa pública e ao trabalho supra-partidário.

Mostrou-me

Tiago Sousa Dias disse...

A postura de Carlos Coelho na politica não é explicável a quem o não conhece; a quem nunca participou numa actividade organizada por ele. Mas eu dou um exemplo de postura.
Na Universidade de Verão... penúltimo dia às 4 da manhã. Estava toda gente encharcada na piscina ou no bar; Carlos Coelho não foi excepção. Também foi ao charco por vontade própria... :)
Estava eu no bar quando me lembrei que ainda havia um JUV para sair que alguém estaria a faze-lo enquanto todos se divertiam. Fui então fazer um pouco de companhia ao autor deste post hehehe. Estavamos então na sala das conferências eu, o Colaço, a Margarida, a Joana Barata Lopes e o Carlos Lopes quando aparece o EURODEPUTADO Carlos Coelho. Em calções e de tronco nu, encharcado da piscina e com uma tolha ao ombro. Entrou na sala e pouco disse, começando a arrumar tomadas, microfones, cadeiras e papelada para que no dia seguine a sala estivesse arrumada...
Não é muito, mas para nós foi porque sejamos realistas, para um politico comum seria muito mais cómodo ficar a beber um whisky e mandar o staff arrumar. Ficamos todos a olhar uns para os outros, levantamo-nos automáticamente e fomos ajudar timidamente. Verdade ou não Colaço?
É apenas um exemplo de carácter que aqui deixo.
A dedicação de Carlos Coelho à formação interna é de facto inesgotável.

Tiago Sousa Dias disse...

Ok não sei o que se passou mas estive a escrever para o tecto porque o meu comentário anterior não está completo. Vou adicionar algumas deixas.

Acções em que participei onde tenha estado Carlos Coelho no último ano. UPL 3 dias (eu só ía à parte da noite pois não me podia inscrever ainda). Universidade de Verão 10 dias. 2 debates. Univ. Europa 3 dias. Passei 18 dias a ser formado pelo Carlos Coelho no último ano e o Carlos Coelho passou 18 dias pelo menos a formar...

Mas o que mais devemos agradecer vendo a coisa mais distanciados é à disponibilidade. Numa altura em que tanto se fala da distância entre os cidadãos e a politica e entre os cidadãos e a Europa, a constante preocupação de Carlos Coelho em combater esta distância é exemplar e única.

Carlos Carvalho disse...

Tem, de facto, um trabalho notável e assume a responsabilidade de fazer chegar a Europa aos europeus. É um organizador e um motivador.

Depois da UV07, em que fui aluno, percebi que ainda existem participações positivas na política e que, com a formação de qualidade, se pode fazer mais e melhor.

Gosto e admiro.

Elsa disse...

Se tivesse que caracterizar Carlos Coelho numa só palavra escolheria HUMILDADE. Carlos Coelho foge dos elogios, mas faz, diariamente, através do seu exemplo por merecê-los.

É um exemplo do que é estar em politica com espirito de missão, dedicação e consciência de que cada dia que passa é menos um de que se dispõe para trabalhar em prol do bem comum.

A si Carlos Coelho, obrigada por me ter provado que também em politica é válido o provérbio árabe que diz: "Quem quer fazer algo arranja um meio. Quem não quer arranja desculpas."

Tânia Martins disse...

Caracterizar Carlos Coelho com palavras é muito complicado, só quem teve a honra de poder participar nas suas iniciativas e acompanha o seu empenho em tudo é que compreende. Um senhor extraordinário, humilde com já referiram, informado e empenhado na transmissão dessas informações. Enfim, é um formador puro, daqueles que fazem muita falta em Portugal.

É o exemplo de Política com P “grande”, e nós podemos agradecer-lhe muito, as muitas coisas que aprendemos com ele.

Diogo Agostinho disse...

Muito já foi dito!

Mas de salientar e apesar de estar longe e em Bruxelas, os dados do Colaço demonstram que é o Eurodeputado que está mais próximo de Portugal.

Quando pensamos em Bruxelas e Parlamento Europeu, o Português que acompanha minimamente os assuntos políticos lembra-se de Carlos Coelho como o homem que fala das causas europeias, que é um profundo conhecedor e um digno representante! Ofuscando por completo vedetas como Edite Estrela e Ana Gomes.

Depois, sim é humilde, é um exemplo de pessoa e de um político sério. Mas é mais! É exemplo de um profissionalismo a todos os níveis! E aqui não se denota nenhum sentido pejorativo, mas sim, a admiração que decorre depois do convívio e da proximidade que a UV oferece.
è o rigor e a organização que o Nélson refere é a coerência e credibilidade que apresenta.

Aliás, pedindo desde já desculpa a quem apoia Carlos Coelho na UV, a UV não existe se não for Carlos Coelho o Reitor.

A empatia que estabelece com os alunos da UV é bem demonstrativa e advém de todas as suas qualidades e capacidades!

Também o admiro! Muito!

Margarida Balseiro Lopes disse...

A primeira acção de formação em que participei foi organizada pelo deputado Carlos Coelho. Na Universidade de Verão respirei formação e transpirei aprendizagem. E tal como diz o Diogo, isso deve-se em larga medida ao Director. Carlos Coelho é um ingrediente de sucesso para qualquer iniciativa de formação.

Isto para não falar da Universidade do Poder Local, a Universidade da Europa e do magnífico trabalho na Revisão do Programa do Partido: Carlos Coelho é o guru da formação no PSD!

Quanto ao trabalho enquanto deputado europeu, para além de receber a newsletter é uma paragem obrigatória para trabalhos ou consultas sobre a UE.
Não há título mais apropriado para este “post”: um exemplo!

Anónimo disse...

E é a graxa geral! Colaço: o novo emprego corre mal, para parecer agora querer voltar para as saias do sr. eurodeputado?

Anónimo disse...

Olá!
Não conhecia, não posso dizer que conheço bem porque só tive breve contacto com Carlos Coelho na Universidade Europa 08 mas aquilo que posso dizer é que não deve haver muitos políticos com o MESMO calibre. Melhores políticos (humildade, profissionalismo, focados, pró-activos,...) desculpem-me todos os outros mas não conheço!
Muito obrigado por ter podido participar na Universidade Europa 2008.
Cumprimentos,
António Costa

Inês Rocheta Cassiano disse...

Ao pensar em Carlos Coelho, a primeira palavra que me ocorre é formação.

Confesso que nunca travei conhecimento com alguém que se preocupasse e fizesse (aqui está a diferença) tanto pela formação dos jovens e pelos jovens. Não se limita pela teoria, pelas ideias, vai para o terreno e concretiza-as, e com grande audácia.

A Universidade de Verão, a Universidade do Poder Local e a Universidade Europa são apenas exemplos do seu legado e que já afectaram cerca de 500 jovens (espero que as minhas contas não estejam erradas).

Mas houve em Carlos Coelho que me surpreendeu: a sua simplicidade. Temia que fosse daqueles que não descia do seu pedestal para falar com o povo. No entanto, provou estar disponível para falar, aconselhar e até para nos fazer rir. O seu sentido de humor é simplesmente delicioso.

Basicamente, Carlos Coelho fez-me de facto acreditar que somos uma elite, a selecção nacional.

Paulo Colaço disse...

Muita coisa foi dita mas quero acrescentar que o Carlos Coelho é o político português que mais respeito e admiro.
Mais como ele, menor a crise de produtividade e competitividade.

Quanto ao tiro ao lado do anónimo, duas notas:
- a imortalidade de um homem compõe-se de diversos elementos. A dor em cotovelo alheio é um deles.
- o novo emprego vai muito bem e cada vez melhor. Como deve saber, sou sócio e director criativo da Punchline. Caso pretenda design, web-design, comunicação, event-marketing ou algo similar, estamos no Saldanha (Av. Conde Valbom, n.º 6, 3º Piso).
Se o seu problema é emprego, oferecemos estágios, mas exigimos qualificação, o que não está ao alcance de todos. Sente-se à altura?

Tiago Sousa Dias disse...

Colaço esqueceste-te de dizer ao anónimo o significado de "qualificações" e de "candidatura". Não vá o senhor pensar que a punchline é uma Concelhia...

José Pedro Salgado disse...

Rigor, disciplina, capacidade de trabalho, competência, proactividade, e muitas mais são as capacidades que Carlos Coelho, mais do que deter, consegue inspirar aos restantes.

Tive o privilégio de já ter participado em diversas acções de formação com o seu crivo, e é fenomenal a "pica" com que a malta volta de qualquer uma delas.

Cabe-nos a nós dar corpo a essa energia e fazer algo de útil com ela mas, a par de tudo o que já foi dito aqui, mesmo que Carlos Coelho não fizesse mais nada da sua vida, já se pode orgulhar de incutir, mais do que metodologias de política, metodologias de trabalho a uma geração.

Gostava que um estudo houvesse, daqui a vinte anos, de quantos dos principais dirigentes nacionais foram pupilos do Sr. Reitor.

Paulo Colaço disse...

Ehehe, é verdade Tiago.
Já basta acharem que o Psico é uma distrital...

jfd disse...

O nosso Reitor sabe o que pensamos dele.
Espero e desejo que muitos mais hajam como ele.
Espero e desejo que todos nós, um dia, lá cheguemos!