terça-feira, fevereiro 19, 2008

Também me cheira mal...




O presidente do PSD estranhou a existência, ultimamente, de diversas suspeitas a dirigentes dos Governos PSD/PP.

«Ouvimos falar de histórias” mas não passam da fase incipiente de inquérito. O pior é que são demasiados inquéritos, alvitrou (e bem) Menezes.

22 comentários:

Paulo Colaço disse...

De onde vêm estas suspeitas?
De onde partem?
Baseadas em quê?

Tão mal fundamentadas, algumas delas...

Vasco Neves disse...

Pois, mas de certeza que existem por ai muitos rabos compridos!! Infelizmente para o PSD e pelo estado de graça da classe politica, qualquer suspeita é considerada como uma verdade. Vivemos dias em que uma pessoa é culpada até que se prove a sua inocencia. Papeis invertidos não?

Daniel Geraldes disse...

Epah eu penso de maneira precisamente diferente. A Somague hoje foi condenada a pagar 600 mil euros de uma factura de uma 250 mil euros a uma empresa de marketing ou algo parecido. Já é Hora de perguntamos ao nossos politicos de onde é que vem tanto defice, tanta derrapagem orçamental em grandes obras publicas que por vezes ultrapasasam o valor inicial de custo da obra em 2 ou 3 vezes, tanto escandalo de trafico de influencia. Eu acho que no Estado em que o País se encontra temos mesmo de inverter o ônus da prova.

Anónimo disse...

As suspeitas, o boato, a calúnia e outras formas de influenciar negativamente a comunidade existem, sempre existiram e continuarão a existir.
É necessário que as reacções sejam serenas e lúcidas porque se não o forem servem os interesses de quem tomou tais atitudes.
Ninguém, nenhuma instituição, nenhum partido é perfeito ou impoluto. Outra verdade é que as sociedades não devem baixar os braços e lutem para que a liberdade e diferença de opinião sejam respeitadas!
Cumprimentos.
António Costa

Bruno disse...

A nossa opinião pública é muito "carneira". Veja-se o caso "Maddie" para se perceber que tanto choram baba e ranho pelo sofrimento dos papás como, de uma hora para a outra, os vaiam e insultam por se ter posto a hipótese de terem constituídos aqrguidos.

Posto isto, deverá haver, da parte da comunicação social, a noção de que, ao levantarem uma suspeita sobre alguém, estão a provocar uma pré-condenação. Eles não têm culpa, mas sabem que as pessoas são assim e podem ter um de dois comportamentos:

- Denunciam tudo, na tentativa de fazer barulho, lançar a confusão e vender papel (e som e imagens) ao desbarato;
- Apostam na investigação, aproundam as questões, procuram ser justos, na tentativa de serem eles próprios mais credíveis e, acima de tudo, ficarem de bem com a sua consciência.

É claro que ainda há aqueles que podem andar ao serviço de uns e tentarem "fazer a folha" a outros...

Luciana Antunes disse...

Na minha opinião acredito que estas acusações têm apenas um objectivo, descredibilizar o PSD. Com o PS a governar em maioria e um mandato a acabar, esta é a forma mais fácil de arrasar a oposição.
Já repararam que o processos crime associados ao PS estão pendentes?
Isto "também me cheira mal..."
Esta é a estratégia tradicional portuguesa mais utilizada. "subir às custas da queda do outro".

Nélson Faria disse...

O caso mais chocante de instrumentalização política é a Moderna, sempre ressuscitado quando Portas regressa à ribalta.

A judicialização da política é perigosa, principalmente pela morosidade da nossa justiça.

Não venho com isto dizer que há virgens injustiçadas no campo politico-partidário, mas que há coincidências demasiado coincidentes para serem coincidências.

Paulo Colaço disse...

Pegando nas palavras do Né, "virgens injustiçadas" é coisa que há pouco hoje em dia.
No entanto, quero chamar a vossa atenção para uma acusação feita pelo Público: há assessores do Governo a vasculhar blogs.

Eu pergunto: será verdade? a ser verdade, quais são os objectivos? Defender a sua dama? Participar na contra-informação? Lançar boatos? Usar meias verdades para fazer correr mentiras plausiveis?

Seria disto que falava Menezes?

jfd disse...

Paulo Colaço, sobre o post tenho para mim que pior ainda seria suspeitar de suspeitas... É dar-lhes palco. As suspeitas existem. E não há inocentes. Não sejamos incoerentes. Vamo-nos recordar do que dizíamos (PSD) aquando da Casa Pia e da "cabala" contra os Socialistas... Para mim, demos um tiro no pé.

O problema da Justiça é que todos dão palpites na esperança de a influenciar, e ela não mostra inequivocamente que não é influenciável. É vergonhoso que se demore anos como arguido, que se demore anos com acusações, que se tenha um Primeiro Ministro que minimize um processo pendente a uma Ministra. Isso sim.

Quanto às pessoas que vasculham os blogues... Se “blogamos”, pretendemos exposição pública, se temos exposição pública estamos sujeitos! Ponto final. Não vale a pena conspirar ou entrar em estado de paranóia ou sequer dar importância, pois a meu ver, isso é a rendição pretendida por quem lança esses boatos.

Quando à Moderna. É a minha Universidade. Tem problemas financeiros que persistem. Continua massacrada na comunicação social. Aguarda-se à 8 meses o relatório da avaliação por parte do gabinete do Ministro Mariano Gago. Quer ser comprada pela Fernando Pessoa. Tem um novo reitor, ex-reitor da Universidade de Lisboa. Há muito que nada tem relacionado com Paulo Portas.

Estamos muito mal como partido, quando a única oposição que temos para fazer é responder passivamente, reagindo ao poder instalado.

Tiago Sousa Dias disse...

A subtileza da imagem do post está GENIALLLLL!!!!!!
Já farei um comentário (elaborado) ao tema.

Paulo Colaço disse...

Acabo de ler no Público:

« O presidente do PSD, Luís Filipe Menezes, demarcou hoje a sua liderança do partido da ilegalidade financeira cometida em 2001 no caso Somague, quando Durão Barroso assumia o cargo de chefia dos social-democratas.
"Independentemente de o PSD ser só um, este meu PSD não tem nada a ver com isso". »

Se ontem me posicionei ao lado de Menezes quando escrevi este post, agora estou incrédulo com esta frase do presidente do meu partido!

Eu sou contra a escravatura, contra a pena de morte, contra a queima de judeus, contra as penas infamantes mas nunca direi "o meu Portugal não tem nada a ver com isso"...

Há formas mais elegantes de um lider se demarcar do legado de outro.

Bruno disse...

Elegante...
Menezes...

Definitivamente não combinam, Colaço ;)

jfd disse...

Colaço, quando pensamos que já vimos e ouvimos tudo... :(

Paulo Colaço disse...

É inqualificável!

Bruno disse...

Nem o Vieira tratou tão mal o Vale e Azevedo ;)

jfd disse...

Mas pronto, unidos venceremos :)

Paulo Colaço disse...

Unidos a quem, Jorge? Ao PPM? Ao MPT? Ao Unidos da Cascalheira?

Raios!

jfd disse...

Unidos, a nós.
Às nossas convicções. Ao que pensamos ser correcto. E talvez consigamos infiltrar o mainstream do momento...
Tás a ver o quero dizer???

Paulo Colaço disse...

Percebo-te, mas eu estava a ser irónico. Também acho que o PSD só precisa de si, mas se continuar a ser desajudado pelo maestro, a banda em vez de tocar uma marcha triunfal, toca uma fúnebre...

jfd disse...

Paulo, não apanhei o teu tom desculpa!
Compreendo o teu pessismo, mas olha, tem esperança!
Nada se perde, tudo se transforma, lembras-te!?!? :)

YES WE CAN
lol

Nélson Faria disse...

É daqueles exercícios aborrecidos. Às vezes mais vale deixar os cães ladrar...

Paulo Colaço disse...

Né, é sobretudo aborrecido porque nos toca a nós.