terça-feira, fevereiro 12, 2008

Este Governo fechou-nos a porta!

Para os que não puderam estar no lançamento da campanha da JSD que critica o programa Porta 65, eis o vídeo.

Já aqui tinha trazido este problema ao divulgar um abaixo-assinado, hoje trago-vos uma juventude partidária.

www.jsd.pt

52 comentários:

Paulo Colaço disse...

Vejo que a JSD está totalmente empenhada em usar na plenitude as mais recentes formas de dispersão da comunicação.

Dou os parabéns ao Pedro e à sua CPN. Da Jota não esperamos apenas as melhores propostas: esperamos igualmente eficácia. Pelo menos na comunicação.

Creio que estamos no bom caminho.

Tânia Martins disse...

A causa dá nas vistas o que se traduz num maior conhecimento da problemática.

Parabéns à JSD por tudo isto.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Genial!
Desde a estrondosa campanha de Verão, aos outdoors, passando por este fantástico vídeo, o trabalho que a JSD tem feito em torno dos (des)incentivos ao arrendamento jovem é verdadeiramente notável. Estamos a fazer “jus” ao nosso hino: há muito que era preciso refrescar! ;)

Filipe de Arede Nunes disse...

Afinal a CPN da JSD existe!
Acho, particularmente, que o outdoor está mal conseguido.
Seja como for, ao contrário das palavras do comentário precente, não acho que a campanha estaja a ter um grande sucesso ou a ser muito falada...
Estou desiludido com esta liderança. Perdoem-me o desabafo...
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Filipe de Arede Nunes disse...

Errata:
não estaja, mas esteja!
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Bruno disse...

A liderança da JSD (ou de outra juventude partidária) não se mede apenas pelo que é visível na comunicação social.

Não sei se o Pedro Rodrigues e a sua equipa estão a fazer um bom trabalho no que diz respeito à vertente interna do trabalho mas isso é também muito importante! A formação política e técnica é também muito importante. A motivação e preparação de toda a estrutura são fundamentais para se poder ir para a rua.

Posto isto, penso que a actual CPN até tem tido algum protagonismo mediático. Eu também queria mais mas devo dizer que não é fácil. O Pedro Duarte foi o Presidente que mais conseguiu passar para a Comunicação Social nos últimos tempos e ainda assim só ao fim de muito trabalhinho e não nos esqueçamos que era deputado e oposição a um Governo desgastado. Sim, mais desgastado do que este!

Em relação a esta campanha - que, não esqueçamos, é o tema do post - penso que o posicionamento da JSD está a ser excelente. Até porque é uma vergonha o que o Governo fez e parece que mais ninguém se quer dar ao trabalho de lhes dizer isso. O Pedro está a fazê-lo, bem acompanhado pela sua equipa. Mostra dinâmica e é um Presidente que não nos envergonha!

Bruno disse...

Peço desculpa pelas repetições de palavras no 2º parágrafo mas interromper a escrita várias vezes dá nisto...

Paulo Colaço disse...

Caro Filipe Daniel,
quando dizes que não te pronuncias sobre matérias relativas ao Direito, Bastonário, processos em curso, não sou dos que insistem contigo: lá terás as tuas razões, alicerçadas ou não no normativo competente.
Nesses temas, admito ambiguidades e omissões. Neste, desculpa-me, quero mais que meros "acho", "não acho", "estou desiludido" ou "desabafo".

Dizes que o outdoor está mal conseguido. Pergunto-te: está mal tecnicamente? Graficamente? A mensagem está errada? Não se percebe o conteúdo?

Dizes que a campanha não está a ser muito falada nem a ser um sucesso. O que é para ti ser um sucesso? Tempo de antena na televisão para a JSD? milhares de pessoas a ter conhecimento do cartaz? milhares de pessoas com acesso às ideias e críticas da Jota sobre este tema?

Isso sim, seria sucesso. Ora o lider da Jota foi a SIC Notícias falar do tema, o youtube (veiculo universal) contém uma nota sobre isso, milhares de pessoas passam em frente do cartaz da Jota, milhares de veraneantes souberam que se tratava de uma preocupaçao da JSD (eu estive numa das acções de verão e percebi como a Jota moveu multidões).

A onda laranja também passou pelo teu distrito. Tenho a certeza que tu, como militante interessado e informado, sabes do que falo.

Quanto à desilusão e ao desabafo, és livre e tens aqui espaço para nos dares conta das tuas reflexões.

Aguardamos. Um abraço amigo e expectante.

Anónimo disse...

Eh pá voçês desculpem, mas há aí partes do video em que mais parece uma acção dos fulanos do Bloco.
Parecem uns mal vestidos, sem a camisinha vestida e os pull-overs pelas costas.
Dava-vos aquele toque "betinho" que é tão original na malta da JSD:)

diogo agostinho disse...

Subscrevo o Colaço em tudo.

A campanha está muito interessante, a ideia do teatro é apelativo, se o cartaz está mal conseguido apenas o título poderia mudar de cor, mas a ideia ataca um dos pontos fulcrais que os jovens se deparam nos dias de hoje. Lembro-me da medida da Dra. Manuela Ferreira Leite com o fim do empréstimo à habitação bonificado ou jovem bonificado.

Esta medida deve ser combatida e bem.

No que diz respeito à projecção, parece-me que a JSD começa a aparecer mais e demonstrar um maior dinamismo. Se chega? Não queremos mais! Mas já aumentou relativamente a tempos anteriores!

Estamos na Geração gato Fedorento e Youtube! Adaptarmo nos e entrarmos nos jovens é o objectivo. Cada vez mais assistimos a um distanciamento dos jovens relativamente à política!

Nós somos já algumas excepções!

Bruno disse...

Diogo, "entrarmos nos jovens" salvo seja ;)

Elsa disse...

"Parecem uns mal vestidos, sem a camisinha vestida e os pull-overs pelas costas.
Dava-vos aquele toque "betinho" que é tão original na malta da JSD:)"

Caro anómimo, ainda tenho a memória fresca do dia em que me filiei, e portanto também do dia em que li os estatutos da JSD onde constam os meus direitos e deveres enquanto militante. Não me lembro de ter lido nenhum artigo onde fosse sugerido um dress code. Talvez os tenha lido com mais atenção que eu, e por isso se o encontrar desafio-o a publicá-lo!

Em tu o resto, subscrevo o Paulo.

Numa altura em que muitos outros tentam fechar a porta a debater esta questão, Parabéns por mais esta iniciativa que insiste em deixa-la bem aberta.

Com os devidos salvo seja;) o Diogo tem razão no que diz. Para além das formas "convencionais", se queremos chegar a outros jovens temos de pensar fora do quadrado e isso passa em muito pela aposta nas tecnologias. A internet é hoje um poderoso veiculo de comunicação, menospreza-la seria pouco avisado!

Nélson Faria disse...

E agora? O Bruno e o Colaço já disseram bastante, mas convém realçar que:

- a estrutura está a ser reanimada (o Pedro e o João estão constantemente no terreno) é um trabalho de formiguinha à qual dou muita importância;

- em formação, para além da UV, tivemos a Universidade do Poder Local e agora a Universidade da Europa (obrigado Carlos Coelho);

- para além disso, houve acções de formação a pedido das distritais (sei de Algarve, Guarda ou Castelo Branco, Aveiro);

- um novo site (já apresentado em conselho nacional, em breve será lançado);

- a jsdtv no youtube;

- em breve uma revista...

E não chegámos a metade do mandato nem eu falei de tudo o que se fez. A mensagem não passa? É um problema distinto, veremos o que se consegue fazer.

jfd disse...

É bom ver mudança, é bom ver as coisas acontecer.
Mas felicitar cada passo, por apenas o ser, é criar entropia, é quebrar a inovação e o elan...

A JSD TV é um facto.
Quantas views tem cada video?
Todos os videos?
No seu total não chegam aos 1000...
É como diz-se por aqui, é preciso passar a mensagem! Para fora!

Filipe de Arede Nunes disse...

Colaço.
Vamos por partes:
1.º O outdoor está graficamente mal conseguido. Olhando para ele, alguém que não tenha ouvido falar da campanha, não o entende. Talvez porque seja uma mensagem dificil de passar num outdoor.
2.º Eu sou um fã dos outdoors. A JSD Seixal tem alguns espalhados pelo concelho e acho que é a melhor maneira de passar a mensagem de uma forma abrangente.
3.º A entrevista do Presidente na SIC noticias é importante naturalmente. Gostava no entanto de saber qual foi o share da mesma. Eu confesso que não vi. Num sábado de manhã, gostava de saber quantos jovens viram.
4.º Relativamente à campanha de verão, que passou sim senhor pela Costa da Caparica, entre outras praias do país é uma boa ideia em teoria. Não conheço os números da participação e não sei qual a mais valia que se retirou. Honestamente, eu ando entre as pessoas - tenho muitos amigos fora da política - e ninguém ouviu falar da campanha de verão da JSD!
5.º Todas as mensagens são boas mensagens, mas só quando passam e se tornam do conhecimento público.
Talvez a situação hoje em dia seja objectivamente muito diferente do passado. As Jotas perdem, a nível nacional, importância. Acho que existe um declinio evidente nos quadros da estrutura. Tome-se como exemplo o último congresso nacional onde a qualidade das intervenções foi sofrivel. Quero deixar claro, que me incluo nessa mediocridade e que reconheço em alguns - poucos - oradores qualidades acima da média.
A JSD Nacional percorre, desde há bastante tempo, um caminho dificil, quase que como uma travessia do deserto. Tem tido presidentes com pouca capacidade de expressão e de galvanizão. É preciso acreditar, e a política faz-se, na maior parte das vezes de paixão. Os tecnocratas na política funcionam muitas vezes, mas é dificil encontrar tecnocratas competentes e com provas dadas nas juventudes partidárias.
O Nélson diz, e com razão que é preciso fazer o trabalho de formiguinha que muitas vezes não é feito. Concordo.
No entanto, acho que a JSD não pode ser uma fábrica de formação de políticos, mas antes, uma fábrica de descoberta de talentos e de ideias.
As pessoas no geral, e os jovens no particular, reveem-se em lideranças fortes e pujantes. Não acho que esta liderança tenha o carisma necessário para chegar aos jovens do nosso país.
Seja como for, estou amplamente disponível para mudar a minha posição. Para tal, a JSD e o Pedro Rodrigues só tem de conseguir mais do que conseguiram até agora.
É fantastico conseguir agradar à estrutura, mas a política serve acima de tudo o resto para encontrar soluções para os problemas reais das populações. Pode ser que a campanha da Porta 65 seja uma dessas soluções, mas se ninguém souber dela, tirando alguns - poucos - dos seus militantes, então não vai servir de nada.
Fico agora Colaço, à espera da tua tréplica!
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Paulo Colaço disse...

Caro Filipe,
obrigado pela réplica.
A tréplica virá, mas a desoras porque o dia não tem sido leve.
Abraço

Tiago Sousa Dias disse...

Uma perspectiva pessoal:

Acho que o Psicolaranja é um Blog de sucesso. Muito sucesso.

No entanto não abrimos todos os telejornais todos os dias. Em bom rigor não só nunca abrimos telejornal nenhum como nunca aparecemos em televisão nenhuma.

O que quero dizer com isto? O sucesso de uma iniciativa da J tem de ser medido com a dimensão da J. A JSD é uma estrutura fundamental na defesa dos interesses dos jovens portugueses. Mas á importância da J não corresponde o espaço mediático que gostariamos e que talvez fosse mais justo. Perante isto não podemos esperar que o Presidente da JSD apareça todos os dias na TV ou que milhares de pessoas venham para as ruas entoar o nome da estrutura em apoio a uma qualquer iniciativa. Objectivamente estas campanhas da JSD têm sido um sucesso. É um orgulho hoje dizer que o Pedro Rodrigues é o Presidente da JSD, porque pensa, pensa bem, fala, fala bem e é eficaz na mensagem que transmite.
Já agora eu não me pude candidatar a um arrendamento porque vivo em Lisboa num T1 e o preço da minha renda não está dentro dos limites legais. Nada de espantoso. O espantoso é que eu sou apenas um entre milhares de jovens como eu.

Tiago Sousa Dias disse...

Elsa:
Estatutos da JSD
Art.º 666º -
1- O Presidente da CPN deverá apresentar traje a rigor, salvo quando a situação for informal caso em que deverá apresentar-se em todo caso de gravata para não parecer jovem porque vestir à jovem é vestir-se á Bloco de esquerda;
2- Se o Presidente da CPN for mulher deverá apresentar-se sempre em mini-saia.

Não me digas que não conhecias este artigo?

Paulo Colaço disse...

Elsa, esta falta de rigor a ler os estatutos nem parece tua.
:)

Elsa disse...

É verdade Colaço, que falta de atenção a minha, mea culpa, mea culpa;)

Tiago, agora percebo a tua foto, tudo a bem do cumprimento dos estatutos, muito bem, muito bem :P

Caro anónimo, desculpe, parece que afinal tinha razão no dress code. Eu é que costumo prestar mais atenção ao conteudo que á embalagem.

Paulo Colaço disse...

AHAHAHAHAHAH
ROTFL (esta aprendi com o JFD)

Nélson Faria disse...

A campanha deveria ter mais impacto: certo. Felizmente, não sou eu que decido o que dá na tv ;)

É o melhor outdoor? Eu gosto, mas aceito que poderia ser melhor. Preciso é que me lancem ideias.

Formação para mim é essencial mas, realmente, só serve com pessoas de valor envolvidas. Nunca deixei de descobrir novos valores da jota em todos os eventos de formação a que fui.

A JSD Tv ainda não foi lançada oficialmente... é informação privilegiada ;)

Será lançada com o novo site. E já que falamos de trabalho que aí vem, destaque para um evento de ensino superior e para o congresso do interior (nome mais que provisório, é um WIP) a decorrer um em Março, outro em Abril.

José Pedro Salgado disse...

É verdade.

Aliás, eu ainda tenho um processo a decorrer na jurisdicção porque fui a uma iniciativa da JSD de t-shirt.

Anónimo disse...

Meus Caros

Apenas fiz este comentário (com um smile no fim) na intuição de ver a vossa reacção ao comparar-vos com um movimento de esquerda.

Na verdade, não poderia ser pior.”Este anónimo está a ofender-nos”. Foi isso que pensaram, sentiram e prontamente dispararam em todas as direcções.
Faz-me lembrar quando um fulano interveio numa tertúlia politica lá para os lados de Coruche dizendo: “Se Deus à terra viesse, votava era no CDS:”
E não é que queriam linchar o homem!

Penso que há que saber ouvir, (neste caso ler) compreender e acima de tudo respeitar.
Esperava que me dissessem, “ eh pá isso não é bem assim e tal…”
E se algum de vós por acaso chegar a candidato a PM e oposição começar a mandar uns “bitaites” de pila e larilas como fizeram com o Sócrates?
O que fariam???
Isto só demonstra da vossa parte falta de calo, inexperiência e de que não estão minimamente preparados para os combates políticos a que se propõem.

E para si minha Prezada Elsa, embalagens há muitas e conteúdos também há muitos, e politica não é uma coisa nem outra. Fazer politica é uma arte (!), é uma coisa séria e não está ao alcance de quem quer mas sim de que sabe. Só mesmo por cá é que politica é sinal de coisa pouco séria, irónica e demagoga.
Talvez um dia, quando for mais crescidinha o consiga perceber.

Por ultimo, lamento tê-los deixado tão “inflamados” e peço desculpa se ofendi alguém.

jfd disse...

Olha olha, teve uma replica e já manda bitaites destes?
E logo à Elsa?

Caro anónimo, abra um dicionário e consulte:

humor, sarcasmo, boa disposição!

Volte sempre, pois comentar é também uma arte :)

José Pedro Salgado disse...

Caro Anónimo:

Isso é preso por ter cão e preso por não ter.

Encarando o seu comentário com boa disposição foi porque nos ofendemos.

Se tivessemos reagido com ira provavelmente seríamos umas prima donnas.

Se não tivessemos respondido (esta digo eu) éramos pura e simplesmente mal educados, visto que respondemos sempre a quem intervem na discussão de uma forma ou de outra. Mes mo àqueles que gostam de utilizar a caixa de comentários para experiências sociológicas e (convenhamos) pouco acrescentam ao argumentário.

Tiago Sousa Dias disse...

Lagalhé!

Elsa disse...

Prezado Anónimo,

O rigor cientifico de uma análise onde se têm á partida definidas as conclusões parece-me duvisoso. Ainda assim respeito a sua metodologia.

Porque sei ouvir e respeitar a pluralidade de opiniões expressas neste espaço não me senti ofendida.

Para mim as pessoas valem pelo que são. Pelo seu caracter, valores. Pelo que dizem e, sobretudo, pela forma como agem. Não pela roupa ou qualquer outro atributo fisico. É uma questão de principio que se sobrepõe a qualquer outra.

"Brinquei" com os estatutos da JSD para sublinhar, que a JSD dá a cara por causas e aponta o dedo aos problemas dos jovens portugueses. Repito de todos os jovens portugueses. É o do seu (nosso) futuro que se trata, e ele é importante demais para que nos calemos. O que talvez fosse sociologicamente interessante de perceber é o laissez faire de outros.

Num ponto estamos de acordo, fazer politica é ter a conciência da nobre missão que é governar um país( cidade, vila, ...), é uma coisa séria e deve ser encarada com responsabilidade. Não está, de facto, ao alcance de quem quer mas sim de que sabe.
"Só mesmo por cá é que politica é sinal de coisa pouco séria, irónica e demagoga." Também acho. Talvez porque enquanto uns se preocupam em passar uma mensagem séria outros se ocupem da arte de bem decorar embalagens!


A vida é constante aprendizagem. E, como tal, ainda tenho muito para crescer e aprender com ela. Todavia, uma coisa a vida já me ensinou: a não ter medo de dar a cara quando expresso as minhas opiniões!

Vermouth disse...

Na realidade este programa do Executivo é mau demais para ser verdade... Mais uma boa iniciativa da JSD! Parabéns!!!

Paulo Colaço disse...

Anónimo:
Todos nós percebemos o tom da sua resposta – quis picar e saiu picado.
A importância que lhe demos foi tal que passamos com as rodas por cima.
Como disse o Zé Pedro, é a velha história do preso por ter cão e preso por não ter. Neste caso, o nosso pecado foi a “indiferença jocosa”. Mas deixe lá: esta malta não fez por mal. Vou pedir-lhes que, a partir de hoje, passem a levá-lo mais a sério.

Paulo Colaço disse...

Caro Filipe,

Dizes que o outdoor está graficamente mal conseguido. Estás no teu direito de o perceber mal. Eu vejo uma miúda, um sofá, uma televisão, caixotes, etc, tudo no meio da rua, com um título elucidativo: este Governo fechou-nos a porta.
Não é preciso genialidade para perceber a acusação: estamos perante um Governo tirano! O símbolo da Jota está bem visível, pelo que se percebe tratar-se de uma campanha nossa. Mais desenvolvimentos estão no site.
Claro que há quem não perceba mas também há quem se ria das piadas do Gato Fedorento sem, contudo, as compreender.
Quereres que mal vejam o cartaz as pessoas percebam na íntegra as suas totais implicações é o mesmo que queres que ao ver um anúncio sobre a aspirina as pessoas saibam logo a sua composição química e como produzi-la na cave.

Desconheço qual foi o share da entrevista do Pedro Rodrigues. Foi bem menos do que merecia, é um facto, mas o tema não passou alheio à televisão. Já foi uma vitória, não?

É fácil dizer que “a campanha chegou a pouca gente”, ou que “a JSD passa pouco na TV”, ou “a mensagem não passa” e “conheço muita gente que nunca ouviu falar disso”.
Difícil é lutar dia-a-dia para ter as ideias que muita imprensa se esforça por não ter conhecimento. Difícil é reconhecer que o trabalho de formiguinha pode ser, por vezes, tão eficaz quanto uma manchete no Expresso.

Falaste da mediocridade do Congresso. Não ouvi a tua intervenção (admitindo que a tenhas feito) e admito que não tenhas ouvido a minha. Não podemos, portanto, avaliar as falas um do outro, mas acredita que ouvi em Espinho grandes intervenções. Mais que isso, li grandes moções. Não sinto a falta de qualidade. Aliás, nem tu devias sentir, sendo de um concelho que dispõe de quadros como o Pina Martins, o Mauro Santos e o Pedro Pólvora (cá está a fábrica de talentos e de ideias).

Dizes que a JSD não pode ser uma escola de formação de políticos: eu digo que tem MESMO de o ser. Não só isso, mas muito isso! Tem de formar políticos naquilo que a política tem de melhor: espírito de servir as pessoas, espírito de entrega a causas, espírito de respeito pelo próximo. E tem de formar no sentido mais prático: ensinar procedimentos, explicar o trabalho de formiguinha, dar terreno para se ensaiar os primeiros passos.

Filipe: a JSD foi a minha escola. Se hoje sou um deputado municipal que incomoda o poder, devo-o aos nossos plenários; se hoje sei fazer uma proposta ao executivo, devo-o às nossas comissões políticas; se organizei uma campanha eleitoral que venceu o PS ao fim de 23 anos de poderio na minha freguesia, devo-o à experiência de quase duas décadas de combate na JSD.

Tu exiges mais desta liderança. Estás no teu direito. Pela minha parte, a JSD que temos (liderança nacional e a generalidade das distritais e secções) em nade me envergonha ou apoquenta. Estão no bom caminho. Estivéssemos todos.

Tiago Mendonça disse...

Meus Caros,

Li atentamente o que foi sendo escrito ao longo deste post. Reti duas ou três coisas.

Em primeiro concordo com o Tiago Sousa Dias sobre o Psico ser um blogue de sucesso. É sem dúvida alguma. Mas um blogue pressupõe notoriedade na blogosfera. No mundo virtual. E essa existe e com uma intensidade enorme, para além, da já alguma notoriedade presencial com as actividades ou mesmo mediática com a referência no Público. Agora uma juventude partidária, a maior de Portugal, pressupõe alguma visibilidade. É importante sabermos que a JSD acha que agora o Zé faz falta mas calado, mas é importante vermos mais mensagens da JSD na rua. Esta é uma campanha, que me parece vir já um pouco desenquadrada, ainda que seja um tema que possa sempre estar na ordem do dia. Mas é preciso mais, muito mais. É preciso olhar mais para fora. Fazer mais coisas, pelos jovens.

Sobre os atributos do Pedro, não teço comentários. Se não tivesse nenhuma virtude, dificilmente seria presidente da JSD. Como qualquer pessoa tem coisas boas e más. Lamento é perguntar a qualquer pessoa fora da JSD, e a muitos dos militantes base da JSD quem é o Presidente da JSD e ninguém saber quem é. Acho muito má a desconexão entre os jovens e a estrutura. O culpado não será só o Pedro, mas como presidente terá a sua quota-parte.

Nélson discordo contigo num ponto. Enumeraste ai um conjunto de questões que a JSD já fez. Vejamos. Universidade de Verão e da Europa e acções de formação em distritais. Não reconheço grande inovação, mas até posso admitir um relativamente bom trabalho em sede de formação. De resto uma revista, um site e uma JSD/TV. Tudo isto ainda ha-de vir, ou seja não se pode assinalar como feito pela CPN e logo não entra nas contas, pois assim entraria duas vezes, ou seja no segundo ano, sendo essas as actividades iriam ser contabilizadas de novo. Por outro lado um site e uma revista ou jornal qualquer secção faz. Vídeos no youtube, qualquer presidente de secção coloca, até mais vistos, talvez, do que entrevistas do presidente da Nacional.

Ou seja, o último ano, resume-se a pontuais momentos de formação. É curto, muito curto. Não esqueço o camião, agora a porta 65, a questão da educação sexual. Mas continua a ser curto. Onde está por exemplo a coordenadora do ensino secundário? Quantas reuniões existiram, por exemplo, com os coordenadores das distritais ? Quais são as propostas no campo da economia da JSD? Qual a grande actividade ambiental que está a ser pensada ? Quais os passos que estão a ser dados no sentido de reformas internas que permitam a aproximação da estrutura à sociedade civil ?

Moscavide, em dois meses, com 1/100 do dinheiro da JSD-Nacional, mete um site, uma revista e uns videos no you tube.

Queremos mais, muito mais.

Filipe de Arede Nunes disse...

Caro Colaço.
Acho - e acredito que concordas comigo - que esta é uma questão que deve ser discutida.
Vou voltar mais tarde para responder a um ou dois pontos que me parecem que não ficaram bem claros.
Seja como for, quero dizer-te que vi, atentamente, as tuas intervenções no Congresso e que o não faço a avaliação geral do mesmo pela qualidade - amplamente reconhecida inter pares - do teu discurso.
Falei ao Congresso, sim senhor. Levei uma moção e permitiram que falasse às 3 da manha de sexta-feira depois de um dia de trabalho e mais de 300km de viagem.
Virei mais tarde, até porque o Tiago Mendonça teve aqui uma intervenção na qual me revejo em grande parte.
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Paulo Colaço disse...

O importante é a troca de opiniões e se o Psico servir para que ela se faça ficamos orgulhosos.

Aguardamos a tua perspectiva, Filipe. Aliás, já to disse: aqui estás em casa!

Anónimo disse...

“se organizei uma campanha eleitoral que venceu o PS ao fim de 23 anos de poderio na minha freguesia, devo-o à experiência de quase duas décadas de combate na JSD.”

Realmente aqui o trabalho do Paulo está de parabéns, então a nível de comunicação e imagem esteve excelente.
Mas quero dizer-te que, se as pessoas soubessem o que sabem hoje, não teriam ganho a freguesia.

No entanto desejo ver-te por cá nas próximas autárquicas ;)


Saudações Riomaiorenses

Luciana Antunes disse...

Caros militantes,
quero felicitar a psico pelo espaço de debate que oferece.
Relativamente ao tema da campanha "Este governo fechou-nos a porta!" tenho algumas coisas a dizer: discutir o grafismo são questões meramente de design, mas na qualidade de apreciadora tem uma mensagem eficaz e serve bem os propósitos, e para mim isso é indiscutível. Nestas questões de campanha temos que ver quem é o público alvo. Se esta mensagem despertar o interesse a quem se destina por si a campanha é um sucesso!
Relativamente ao trabalho da CPN, esta tem procurado ser moderna aproveitando o que as inovações tecnológicas têm para oferecer, e utilizam o veículo de informação a que os jovens recorrem. Mas este trabalho para ter mais visibilidade depende das secções locais. Estas deverão procurar atrair os jovens, conhecê-los, caracterizá-los, saber os seus problemas, discutir medidas, etc... Tomar iniciativas em prol da nossa sociedade juvenil e criar espaços para discutir os seus problemas é uma forma de dar maior visibilidade e credibilidade à Jota. Sugiro que comecem a olhar para o trabalho das várias secções do nosso país, saberão do que falo!

Bruno disse...

Ai, ai, ai Luciana! O grafismo não é uma questão "meramente" de nada. É fundamental para transmitir uma mensagem. Uma boa peça de comunicação é melhor que o código postal porque é bem mais do que meio caminho andado para as pessoas compreenderem e serem impactadas pela nossa mensagem. Faça favor de não dar cabo do emprego à malta das empresas de comunicação ;)

Em relação às críticas aqui feitas ao grafismo do cartaz, não subscrevo! A imagem é boa, chama a atenção e isso é um passo importantíssimo. A frase é feliz, podia estar maior mas aí corríamos o risco de matar a imagem. Já falaram aqui no target. Pois é: isso é que é importante! Cada mensagem tem o seu alvo e, neste caso, acreditem que os jovens que precisam de casa e não têm resposta neste programa estúpido e ridículo percebem a mensagem. E como percebem!

Talvez a mensagem não fosse para ti, Filipe. Não sei se estás à procura de casa para alugar. Não sei se já pensaste nas opções que tens nesse campo. Quem já pensou, percebe e bem este cartaz!

Poderás dizer que é pouco. Impactar apenas as pessoas que falei poderá não justificar o investimento e com isso prejudicar a eficácia da campanha. Talvez. Para isso precisava de fazer uma análise mais cuidada com dados que não tenho disponíveis. Posso fazer uma análise superficial, falando com as pessoas e esperando um pouco mais para perceber esse impacto. Mas nunca faria a análise irresponsável de condenar uma coisa sem dados objectivos.

Bruno disse...

Sobre as críticas à CPN, eu não queria envolver-me muito porque já nem sou militante da jota. Mas acho que o julgamento que aqui está a ser feito é injusto. Percebo que se exija sempre mais mas não podemos querer tudo ao mesmo tempo.

Ajudem o Pedro e a sua equipa. Façam a vossa parte. Só estarão a fazer o vosso papel de militantes responsáveis. E terão muito mais moral para chegar ao próximo acto eleitoral e dizer: falharam!

Tiago Mendonça disse...

Amigo Bruno,

Eu tentei. Até estive para fazer parte da dita C.P.N, mas outros valores mais altos se levantaram no próprio dia do congresso. Mantive a disponibilidade para em vez de nº1, ser nº2, nº3 o que fosse. Mas parece que essa coordenadora ainda nem está formada. Eu tento ajudar a CPN, e tentarei. Mas parece que não querem ser ajudados.

Aliás eu tento ajudar a CPN como a CPDL como a comissão política do meu partido. E para quem defenda, que depois de tudo, pessoas como eu devem contribuir com ideias pa CPN, também devem achar que tem o dever de contribuir com ideias po plano de actividades da CPDL, ou na execução do programa do partido nas suas secções.

Votos de boa continuação.

Tiago Mendonça disse...

Amigo Bruno,

Eu tentei. Até estive para fazer parte da dita C.P.N, mas outros valores mais altos se levantaram no próprio dia do congresso. Mantive a disponibilidade para em vez de nº1, ser nº2, nº3 o que fosse. Mas parece que essa coordenadora ainda nem está formada. Eu tento ajudar a CPN, e tentarei. Mas parece que não querem ser ajudados.

Aliás eu tento ajudar a CPN como a CPDL como a comissão política do meu partido. E para quem defenda, que depois de tudo, pessoas como eu devem contribuir com ideias pa CPN, também devem achar que tem o dever de contribuir com ideias po plano de actividades da CPDL, ou na execução do programa do partido nas suas secções.

Votos de boa continuação.

Bruno disse...

Tiago, não te posso falar daquilo que não sei e que não me diz respeito. Mas acho que sim: deves estar sempre disponível para trabalhar com os órgãos internos da Jota e do Partido. Isso não significa que sejas subserviente e que não possas defender outras ideias. A Jota e o Partido têm orgãos próprios para isso.

Mas eu continuo a achar que faz parte da função de militante, trabalhar no sentido definido pelos órgãos competentes. Com isso não digo que não compreenda a desilusão das pessoas que não vêm as suas melhores expectativas satisfeitas. Compreendo-o perfeitamente.

Tiago Laranjeiro disse...

Caros companheiros,

Antes de mais, queria dar os parabéns aos autores do blogue, que desconhecia.

Talvez aqui haja alguém que seja capaz de me tirar uma dúvida com que fiquei após ouvir o nosso Presidente Pedro Rodrigues no vídeo.

"Só 3500 jovens estão em condições de usufruir do regime Porta 65 quando, ao abrigo do IAJ - o nosso IAJ - tínhamos 24000 jovens."

"A seguir vamos fazer a nossa própria proposta. Vamos apresentar à Assembleia da República aquela que será uma proposta de iniciativa legislativa para que em Portugal, de uma vez por todas, se institua uma política séria, consistente e sólida ao nível do arrendamento jovem."

Então, o IAJ - "o nosso IAJ" - não era "uma política séria, consistente e sólida ao nível do arrendamento jovem"?



Cumprimentos,

Tiago Laranjeiro.

Nélson Faria disse...

Afastei-me da discussão por motivos "profissionais".

Registei as apreensões e irei levá-las a quem de direito. Aliás, para além deste espaço convido todos a contactar a CPN pois são eles (muito melhor do que eu) que poderão responder às vossas dúvidas.

A pergunta do Tiago é óptima. A resposta da CPN será dada em breve com a apresentação da proposta ;)

Paulo Colaço disse...

Caro anónimo Riomaiorense, sorri com o seu comentário:

- demonstra que está muito atento;
- que não lhe passam ao lado os meandros da política do nosso concelho
- que me conhece, o que é uma vantagem sobre mim que não o conheço (eheh).

Claro que nos vamos ver nas próximas autárquicas...

Paulo Colaço disse...

Grande campanha da JSD: no Verão encheu as praias de norte a sul com folhetos sobre os erros da Porta 65. No Inverno encheu as cidades de outdoors!
E ganhou!
Agora o Governo tem de mudar a lei. Espero que haja memória e se saiba sempre atribuir o mérito a quem identificou o problema e não teve nem medo nem preguiça de o tentar resolver. Força JSD!

Paulo Colaço disse...

Esta foi uma grande vitória da JSD. Fazer este Governo arrogante mudar de ideias só foi possível com muita razão e uma boa campanha!
Parabéns à JSD e uma palavra ao Governo: saber ouvir os outros não dói nada!

Paulo Colaço disse...

Saúdo o "parar para pensar" do Governo neste assunto.
Porém, é triste ver que teve de ser a pressão de uma juventude partidária, a JSD, a forçar o Governo a repensar o diploma.
Afinal, não há ninguém no Governo a pensar direito? As queixas dos jovens não surtem efeito algum?
Só à base de outdoors negativos é que este PS pára para reflectir?

Paulo Colaço disse...

Certamente já viram as notícias: a JSD vergou o Governo.
Estes três textos seguidos foram postados por mim nas caixas de comentários do Sol, CM e Publico, respectivamente.

Houve quem tentasse tirar à JSD a vitória no fim do SMO. Quem ninguém tire à JSD a vitória na revisão da Porta 65!

jfd disse...

Parabéns ;)
Siga em frente :))))
J S D!!!!!!!!!!!!!!!

Bruno disse...

Afinal produziu efeito. Fico satisfeito e descansado.

Satisfeito porque os jovens portugueses vão ter um apoio possivelmente mais adequado às suas necessidades.

Descansado porque, afinal, eu que disse que a campanha era boa não me enganei assim tanto. Até podia ter-me enganado mas para um profissional da área não era lá muito... reconfortante ;)

Paulo Colaço disse...

Nem sempre se premeia o empenho, nem sempre a melhor ideia vinga, nem sempre uma boa campanha resulta.

Mas uma coisa é certa: ter razão faz-nos sempre bem!

jfd disse...

É verdade sim senhor!