segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Qual dos democratas será candidato?


Hillary Clinton Barack Obama
Pledged: 924 Pledged: 986
Superdelegates: 224 Superdelegates: 135
Total: 1,148 Total: 1,121


Entre inerentes e eleitos, estão já apurados 2295 dos 4049 delegados à Convenção Democrata em Agosto. Surpreendentemente, tudo está em aberto...

149 comentários:

jfd disse...

Depois de ouvir o Meet the Press, Face The Nation e o This Week, reparo que algo se passa do lado Democrata nos EUA. Donna Brazile, a chefe da campanha Gore-Lieberman 2000, lidera a opinião já há algum tempo, de que os super delegados não poderão ter a decisão final na convenção democrata. Não poderão porque, a seu ver, não representam o voto popular nem os delegados que estão a ser ganhos pelos dois putativos. Donna é negra, e a meu ver uma grande apologista de Obama para candidato. Faz-lhe espécie que Obama tenha vitórias atrás de vitórias, mas Clinton tenha do seu lado a maioria dos funcionários do partido que são super delegados e fazem a diferença...

Estes super delegados vão ser agora apaparicados por ambos os lados... Será a perverção do sistema? Ou será uma forma de serem representados os votos eleitorais?

Ora o Partido Democrata criou esta forma de nomear os seus putativos para realmente haver debate, para haver taco a taco e para haver nervos e emoção até ao último momento, até à convenção. Nos tempos que correm talvez não seja tão bom... Com tudo filmado ao milímetro, passado nas televisões, analisado na Internet, exposto em emails... Só poderá ajudar John McCain...
Mas fazia sentido no antigamente. E Convenções houve, cujo resultado só se soube no último momento.
Mas nos tempos que correm, os media são condicionantes de tudo...
Deverá o Partido Democrata fazer o que dizem os manuais, ou mostrar aos americanos e ao mundo que não nos devemos comprometer, e levar as nossas convicções até ao fim, custe o que custar?

jfd, de volta com o comentário informado documentado e humano ;)

fontes para este comentário:
http://www.donnabrazile.com/
http://www.msnbc.msn.com/id/3032608
http://abcnews.go.com/thisweek
http://www.cbsnews.com/sections/ftn/main3460.shtml
http://news.bbc.co.uk/1/hi/world/americas/7238179.stm

jfd disse...

Clinton despediu a Latina que lhe geria a campanha...

(CBS/AP) Democratic Sen. Hillary Rodham Clinton replaced campaign manager Patti Solis Doyle with longtime aide Maggie Williams on Sunday, engineering a shake-up in a presidential campaign struggling to overcome rival Barack Obama's financial and political strengths.
(...)

http://www.cbsnews.com/stories/2008/02/10/politics/main3813943.shtml

A ex chefe que de campanha é esta http://www.latina.com/latina/latinalife/latinalife.jsp?genre=feature&article=inspiringlatinapattisolisdoyle

jfd disse...

Patti Solis Doyle announced that she is stepping down as the campaign manager for the presidential campaign of Sen. Hilary Clinton, D-N.Y., ABC News has learned that this afternoon.

In a note she sent to her staff, Solis Doyle announced that this week Maggie Williams, Clinton's chief of staff when she was first lady, "will begin to assume the duties of campaign manager." Solis Doyle, 42, said she would remain as a senior adviser to the campaign.

http://abcnews.go.com/Politics/Vote2008/story?id=4269776&page=1

Paulo Colaço disse...

Também nós temos disso por cá: o peso das inerências!
O peso dos "funcionários" e dos "pesos-pesados".

Compete a Obama uma de duas coisas:
- ganhar o que houver a ganhar nos caucus e restantes processos de primarias
- ter argumentos para conquistar os super-delegados.

Eu aposto num misto: ganhará tantos delegados que os super-delegados serão conquistados. Porquê? Porque preferem um Obama que sem eles perderia o Congresso mas ganharia a rua, a apostar numa Clinton que só ganharia o Congresso com ajuda extra mas que na rua não tem hipóteses...

Tiago Sousa Dias disse...

Colaço:
A tua análise é perfeita e bem visível nos resultados actuais. Hillary leva uma pequena vantagem mas apenas à custa dos expectáveis superdelegados apoiantes. Não é fácil "virar" os superdelegados, mas julgo que a maré de Obama pode virar surpreendentemente os resultados.
Obama está novamente na Rua, com força e dinheiro para a campanha. Hillary está na penúria.

jfd disse...

Tiago uma das questões que a campanha de Obama tem posto na ordem do dia são so $5 milhões que HRC emprestou à sua campanha... De onde veio o dinheiro??? (é importante saber de onde vem o dinheiro que é gasto na campanha)Ele realmente, continua a angariar montes de $$$ na internet.

No que toca aos Super Delegados, eles também estarão nos boletins de voto no dia das eleições... Por isso têm de ponderar muito bem o que vão fazer.
Mas também estarão sob uma pressão que nunca sentiram em nenhuma outra eleições. Como dizia um do comentadores, não me recordo de qual programa, as listas serão públicas como nunca foram, e cada um sofrerá pressão directa das campanhas...
Seja o que Deus quiser :)

Tiago Sousa Dias disse...

JFD: percebi mal ou deixaste aí uma réstea de esperança na máxima "nas urnas o voto é secreto"?

jfd disse...

LOL
Olha aí está uma coisa para se perguntar a insiders!
Não sei como é a votação na convenção! Acho e reforço o ACHO! que é em grupo ou mão no ar...
Lá se vai o secretismo :)

Mas sabe-se sempre quem votou em quem... Lembro-me de ler sobre uma Convenção em que quase se matavam por causa da divisão entre a ala esquerda que queria o fim da guerra do Vietnam e a ala mais à direita. Ganhou aquela :) Não quero arriscar a data, pois tenho memória de galinha ;)

Nélson Faria disse...

A razão de ser dos super-delegados não é bem a de fomentar o debate: os super-delegados são criados após uma convenção em que o partido estava tão dividido que não se conseguia chegar ao candidato (não chegavam ao número mágico).

Entendeu-se então dar à estrutura (salvo seja, porque estes super-delegados são ex-presidentes, ex-vices, governadores, membros do capitólio e líderes de opinião, não é bem a estrutura que estamos habituados, os anónimos caciques) uma forma de equilibrar a coisa; havendo um compromisso pseudo-secreto de eles equilibrarem as coisas para o lado que reúne o maior número de voto popular.

O problema é que com um convenção completamente louca como já não se via há imenso tempo, e com um candidato a somar apoios e apoios no lado do voto popular e outro a dominar a estrutura isto pode ficar feio :)

big mamma disse...

que lição é que a nação pode dar a um partido que escolhe um candidato apenas devido às inerências?

Alguma vez houve casos de presidentes que escolheram vice-presidentes de outra força política?

Nélson Faria disse...

Os votos em convenção costumam ser comunicados por speakers de cada Estado.

A mesa pergunta, por exemplo, ao Estado de Nova Iorque quantos votos tem para candidato x e este responde.

Giro é na segunda volta, em que deixa de haver "pledged delegates".

A Donna Brazile de que o jfd fala ameaça mesmo abandonar o Democratic National Comitee (DNC) caso os super-delegados "dêem" a nomeação ao candidato com menos votos ou menos delegados ganhos (primeiro falou em abandonar o partido)

Diz o Colaço:

Eu aposto num misto: ganhará tantos delegados que os super-delegados serão conquistados. Porquê? Porque preferem um Obama que sem eles perderia o Congresso mas ganharia a rua, a apostar numa Clinton que só ganharia o Congresso com ajuda extra mas que na rua não tem hipóteses...

Era o que falávamos na tertúlia.

Nélson Faria disse...

Entretanto, esqueci-me de responder ao post em si:

O candidato é imprevisível. Primeiro era Hillary de certeza, depois Obama podia ameaçar, Hillary começa a mostrar as suas garras e ganha uns estados e, na Super-Tuesday, os democratas dividiram-se.

Grandes Estados ganha a Hillary, mas na maioria dos Estados ganha Obama, já para não falar deste fim de semana em que ganhou Louisiana, o Nebraska, o Estado de Washington (não confundir com a capital, que só se disputa esta terça) e o Maine.

0 (zero) vitórias para Hillary.

Há, sem dúvida, uma Obamamania. Será suficiente? Maryland e Virginia, bem como District of Columbia (aqui sim, Washington D.C.), serão disputados esta terça. Obama lidera as sondagens por larga maioria em Maryland e Virginia (21% e 17.3% respectivamente).

É muito complexo, e o mais provável é chegarmos à convenção sem nenhum dos candidatos ter atingido o número mágico.

Howard Dean (Presidente do DNC) já fala em adiantar a convenção para Junho (para que os democratas não andem à bulha enquanto os republicanos passeiam o seu candidato) e assumiu, categóricamente, que caso haja uma broken convention, isto é, um imbróglio tão grande na convenção que parece mais um pântano que outra coisa, vai falar com os dois para convencer um a desistir.

Dias giros!

Nélson Faria disse...

Para verem como os super-delegados são inconstantes, no Sábado Hillary tinha, supostamente, 197 super-delegados (perdeu apoios com a super-tuesday) e agora volta a ter mais.

A maior parte dos super-delegados contados como apoios é informação das campanhas, não tanto pessoas que já disseram em quem votavam. Daí o jfd falar da preversão do sistema e do constante assédio a estes super-delegados.

Tiago Sousa Dias disse...

Né mas não achas que as consecutivas vitórias de Obama "na Rua" pode facilitar a tarefa dos superdelegados? Não há como negar as evidências. Obama leva uma vantagem de 62 delegados eleitos. Hillary controla a máquina. Não achas que os superdelegados, à medida do desenrolar dos actos eleitorais, podem quer sacudir as mãos de criar um conflito interno no partido ao indicarem como candidato aquele(a) que foi menos votado nas urnas?

Nélson Faria disse...

Acho que sim, e daí ter subscrito o Colaço quando o citei e ter afirmado que falámos disso na tertúlia.

A Obamamania contagia todos, e na tertúlia até falámos no instinto de sobrevivência da estrutura.

Cuidado é com o clã Clinton.

Nélson Faria disse...

OS CAUCUS

Depois da tertúlia comecei a investigar melhor este sistema... e os seus delegados são do catano.

Depois de eleitos, eles têm de ir a uma convenção estadual (se não tiverem de ir a uma convenção do condado) defender a sua dama.

O que acontecia era que quando estas convenções chegavam já havia um candidato que se tinha afirmado (Abril\Maio). Desta vez é diferente... e estas convenções estaduais nos estados em que se fizeram caucus alteram o número de delegados, pois só nesta convenção os delegados ficam irremediavelmente ligados a um candidato.

P.S. Daí as contas de delegados aparecerem diferentes em várias fontes (eu sempre usei a CNN por ter o sistema mais user-friendly).Eu, ignorante, sempre pensei que eram diferenciais de actualização. Uns contam com caucus outros não. Giro.

P.S.S. Outro sinal de desespero para Hillary: o Bill anda a movimentar esforços para fazer com que as primárias da Florida e do Michigan tenham delegados. Por terem antecipado a discussão, a DNC retirou-lhes os delegados. Hillary ganhou e agora quer os votos.

jfd disse...

Não me expliquei bem.
O fomentar de debate não está na existência de super delegados, mas sim na existência de um sistema que permite que HRC e BO estejam taco-a-taco a lutar plos estados, mesmo depois da Super Tuesday.

Um sistema que permite que HRC vença o Nevada e Obama tenha mais delegados, por exemplo.
E o adientar da convenção, aproveitando a dica do Né, é também para evitar que a mesquinhez do debate que se avizinha tenha muita exposição; Exemplo os delegados do Michigan e da Florida. A HRC quer a todo o custo que eles contam, quando se sabia desde o inicio que não iriam contar. Mas alegam que a culpa é da campanha de Obama que abriu as hostilidades ao passar anúncios de TV nesses estados. Campanha esta que alega não ter culpa, pois foi descuido de quem lhes vendeu pacotes de inserções nacionais.
Enfim, vai ser uma lavar de roupa suja que em nada ajuda. Mas que pensando bem, penso ser necessário.

Se bem que, tirando o sistema de saúde, os dois são papel químico político um do outro.

Nélson Faria disse...

Mais acima disse que dificilmente um candidato chegaria à convenção com o número mágico de delegados: 2025.

Fui fazer as contas: há 1348 deelgados em disputa por primárias ou caucus até dia 3 de Junho, data do último evento eleitoral democrata (primárias do Montana e South Dakota).

Como os democratas não têm estados WTA (winner takes all), e como a corrida está disputada (apesar dos últimos dias, em que Obama ganha com largas maiorias), torna-se mesmo impossível alguém entrar na convenção com o número mágico... só mesmo com super-delegados.

Dias giros!

jfd disse...

** que eles contêm ;))

Nélson Faria disse...

Ok jfd.

De qualquer maneira fica a razão porque os super-delegados existem. Acho que forma criados em 1980 ou em 1982 por causa da convenção democrata de 1980.

Não tenho a certeza.

Nélson Faria disse...

Correcção:
"foram criados" e não "forma criados"

Nélson Faria disse...

O melhor (e mais claro) artigo sobre super-delegados: quem são e como Obama e Hillary estão a sondá-los.

Neck and neck, Democrats woo superdelegates
http://www.iht.com/articles/2008/02/10/america/10superdelegates.php?WT.mc_id=newsalert

jfd disse...

Mas muito mais interessante que isto tudo é o que se está a passar na direita!
A direita radical quer perder 2008 para ganhar em grande 2012. Não acham de doidos?!?!?

Nélson Faria disse...

Bush, oficialmente, anda a meter água na fervura.

McCain deverá ganhar os próximos estados (Virginia e Maryland), por isso este evento de fim de semana em que huckabee ganha estados deverá terminar.

McCain não é um verdadeiro conservador e o partido (os zealots, os activistas) quer castigá-lo por isso. Acham que se ele ganhar vão puxar o partido republicano para uma posição mais moderada (donde ele não deveria ter saído, mas isso são opiniões ;)

É o problema dos extremos: eles têm o voto militante, aquele voto base que se falha pode prejudicar o resultado. McCain precisa, muito rápidamente, de fazer as pazes com eles sem mudar o discurso (muito).

Esperemos que esta fase seja mais amuo que outra coisa

Tiago Sousa Dias disse...

Tenho uma dúvida porque não conheço o interior partidário americano.
Os delegados eleitos, em todo caso, não se encontram vinculados a votar. Certo.
Estes mesmos delegados podem ser substituídos por outros do mesmo Estado por onde foram eleitos caso o candidato entenda que aquele delegado poderá "virar o bico ao prego".Certo.
Dúvida: qual é a capacidade de infiltração de Obama nos delegados de Hillary e de Hillary nos delegados de Obama por forma a destabilizar as candidaturas?
Já imaginaram o que seria o interior mais profundo do partido à pancada por delegados e listas a serem corrigidas em catadupa?

jfd disse...

Olha discordo:)
Como se viu com o John Edwards, voltou-se a ver com Mitt Romney, os extremos já não têm o peso que tinham:) As pessoas estão mais à frente, ou então o peso que tinham os extremos, foi diluido com a vaga de novos votantes!

Claro que de fora ponho o fenómeno Huckabee que só é extremista q.b. e quando interessa :) Pois a sua governação do Arkansas não foi nada de extremos! Assim como a de Mitt do (nunca sei escrever) Massa.... não foi nada como ele se retratou nesta corrida. Aliás ele deve-se tar a torcer de raiva. Milhões de $$$ depois, se tivesse tomado a posição de Mitt o governador, teria estado lado a lado com McCain como o Republicano moderado.

JFD, mais uma vez, a surpreendente análise dos factos :)

jfd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jfd disse...

Tiago, não te sei responder... Estou farto de procurar por info fidedigna relativamente ao curso dos trabalhos da convenção dos democratas e nephias...
Aguardo que algum outro colega poste aqui qualquer coisa, com a devida fonte é claro :)

Tiago Sousa Dias disse...

http://edition.cnn.com/2008/POLITICS/01/02/delegate.explainer/index.html

Talvez isto dê uma primeira ajuda.

Na definição de delegados diz-se expressamente o que eu referi. Não se fala é do risco de confusão na luta pelos pleged delegates.

Tiago Sousa Dias disse...

Mais.
O cacique pelos pleged delegates é... later than sooner hehe. Quanto mais próximo da convenção mais dificil será de retirar a confiança a um delegado e substitui-lo. Logo, maior a confusão.

Paulo Colaço disse...

pergunta:
- Bush já manifestou (ainda que veladamente) preferência por alguém?

Tiago Sousa Dias disse...

Bush não apoia ninguém nas primárias, mas apoiará qualquer candidato republicano nomeado. Logo... apoia MCcain.

jfd disse...

Que eu saiba não apoia ninguém!
Sei DE FONTE SEGURA que não apoia nem Obama nem Hillary :)

Tiago Sousa Dias disse...

Bom...

Continuo com esta dúvida que transcrevo:

Os delegados eleitos, em todo caso, não se encontram vinculados a votar. Certo.
Estes mesmos delegados podem ser substituídos por outros do mesmo Estado por onde foram eleitos caso o candidato entenda que aquele delegado poderá "virar o bico ao prego".Certo.
Dúvida: qual é a capacidade de infiltração de Obama nos delegados de Hillary e de Hillary nos delegados de Obama por forma a destabilizar as candidaturas?
Já imaginaram o que seria o interior mais profundo do partido à pancada por delegados e listas a serem corrigidas em catadupa?


NÉ ou outros, dá aqui uma ajuda. Conheces o panorama? Sabes como podem disputar internamente neste aspecto?

Agora uma curiosidade.
Eis como a CNN define o papel dos superdelegados na parte relativa ao cacique:

"There is no official process to win superdelegates because they can vote for whomever they please. But a candidate can use whatever powers of persuasion they have at their disposal to win the support of a superdelegate." LOL
Politica de emprego agressiva não?

Nélson Faria disse...

JFD,

Já da outra vez tentei explicar e, pelos vistos, não me fiz entender:
uma coisa são as primárias, outra bem diferente são as eleições gerais.

Os extremos, por si só, não garantem a vitória nas eleições gerais, mas garantem a derrota se não estiverem mobilizados. Daí a preocupação dos candidatos em arranjar candidatos para VP que garantam ou o Sul, ou os apoios dos grandes lóbbis, ou que agrade à agenda conservadora ou que garanta os estados costeiros.

São dois fenómenos eleitorais diferentes.

Tiago,

Bush não apoiou oficialmente
ninguém (nem é da tradição), mas já disse publicamente que McCain é uma boa escolha e que tem a certeza que será um bom candidato para os conservadores.

Dificilmente os delegados viram antes da primeira votação em convenção: temos de ter a noção que os delegados eleitos por um estado são, normalmente, os principais defensores das candidaturas. Falamos daqueles guerreiros anónimos que não cedem.

Só em segunda votação na convenção é que poderá haver uma tendência para virar (quem já foi a congressos já assistiu a isso, o micro-clima vivido e a pressão sobre as pessoas).

Quando um delegado dá sinais que poderá "virar o bico ao prego" antes da convenção é, normalmente, substituído.

Desconheço o processo, mas do que já li dos estatutos nacionais do partido democrata (e do regulamento da convenção) penso que seja um processo distinto para cada Estado pois nada de específico encontrei.

A alguém,

Tentei encontrar mas não descobri. Perguntaram se já houve casos de companheiros de corrida serem de partidos diferentes. Houve um caso citado no Standard por causa da sugestão de uma dupla McCain-Lieberman (sendo Lieberman democrata e candidato a VP com Al Gore em 2000) mas... não me recordo do nome dos candidatos e só posso dizer que perderam.

Alvíssaras!

Nélson Faria disse...

Para o Tiago,

A política agressiva de cacique consiste em oferecer lugares em agências federais, recondução no lugar que ocupa, lugares no governo (Secretary of State, Defense, Attorney-General, Surgeon General, National Security Adviser, Budget, Economic Affairs, Commerce entre outros são sempre lugares apetecivéis) ou mesmo embaixadores, entrada na carreira diplomática.

Tiago Sousa Dias disse...

Mais uma dúvida mas referente aos republicanos:

- De onde vem o mediatismo mais visivel de Obama? Por ser negro. Liberdade, igualdade... valores mediáticos na américa.

- De onde vem o mediatismo mais visivel de Hillary? Por ser mulher. Liberdade, igualdade...

- Por isso: porque é que Mitt Romney foi esmagado pela imprensa por ser mormon? Onde está aí a liberdade e igualdade. Será o povo americano mais intolerante no que diz respeito à religião? Será que isso tem que ver com o mito das guerras religiosas pós-11 de setembro?

Tiago Sousa Dias disse...

Soundbyte: será caso para dizer que no caso os democratas são mediáticos e os republicanos medianos?

jfd disse...

Mitt foi esmagado, a meu ver, pela arrogância e arzinho mete nojo de betinho bem penteado e bem comportado ;)
Nada a ver com o facto de ser Helder, isso só seria factor, nas eleições gerais.

Né,

Veremos nas gerais a importância dos extremos. Sendo que por extremos, entenda-se de um lado os dailykos e CIA e do outro os pró vida fundamentalistas e a ala louca desvairada da NRA.

jfd, a caminho do primeiro dia do último semestre! weeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!

Tiago Sousa Dias disse...

http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2005/06/13/AR2005061301461.html

Colaço :
à tua pergunta responde o Washington post com um texto de 2005. Vê o artigo no link acima.

diogo agostinho disse...

No lado Republicano existe um problema claro! A falta de novidade.

Os democratas apresentam dois candidatos diferentes e que conseguem de uma maneira ou de outra galvanizar e entusiasmar.

Os republicanos ressentem se de 8 anos no poder e de candidatos antiquados e sem imagem clara.

Para mim, parece-me claro que só existira da parte dos republicanos uma candidatura que poderia entusiasmar, galvanizar e criar um furor maior que Obama e Hillary.

Essa pessoa seria Condi Rice!

Uma mulher negra. Uma pessoa que reúne as duas novidades democratas e que tem um discurso e uma força muito próprias!

Falta Condi nestas eleições! Aí sim seraim de longe as melhores eleições de sempre!

Obama cativa, Hillary tem por duma máquina e um marido que paga promessas por adultério.

Mas o efeito republicano restringe-se a um pouco entusiasmante McCain que é credível mas não proclama Mudança!

Porém, atrevo-me a dizer que os Democratas com Obama podem sonhar com a vitória, com Hillary Vs MsCain será mais do mesmo.

A Condi faz falta! Muita falta!

E atenção já se fala da continuação de repartição das familías Bush e Clinton no poder até muitos mais anos.

já existe um tal de George P. Bush, sobrinho do actual Presidente dos EUA e que daqui a 8 anos depois de Hillary poderá ascender a Presidente e depois, Chelsea Clinton está sempre em acções de campanha e tem dois pais bem ambiciosos.

Seria interessante o fenómeno de monopólio de duas famílias apenas. E interessante assistir a Bill Clinton ser o homem que mais tempo passava na Casa Branca como Presidente, Primeiro Cavalheiro e Pai de Presidente!!!

Tiago Sousa Dias disse...

Mas o efeito republicano restringe-se a um pouco entusiasmante McCain que é credível mas não proclama Mudança!

A grande mudança é que MCcain não proclama mudança nenhum. Um Estado como está mas mais vigoroso. Mais duro. Acho bem; é uma boa mensagem.
Eu acho que a mensagem da mudança só cola com Obama. A própria Hillary repete vezes sem conta "Eu tenho a experiência e o conhecimento adquirido necessário para Governar bem". Apela aí á sua experiência, á inexperiência de Obama mas também acaba por concretizar a mensagem de Obama porque essa experiência foi adquirida quando o marido era Presidente. O mandato dela não será/seria muito diferente de Bill.

jfd disse...

Diogo,

Percebo-te perfeitamente.
O programa de rádio do Bill O'Reilly na quinta feira foi sobre isso...

Nele vários especialistas diziam que ela tá cansada e que McCain precisa de alguém jovem e que cative novos eleitores para o partido dos Elefantes...

A meu ver CR tem escrito na testa, duma ponta à outra, N E O C O N S E R V A D O R I S M O e disso não se livrará nunca, para o bem e para o mal.
:)
Agora é que é, té log!

jfd disse...

Ai que não me calo!
McCain em si é uma grande mudança!
O facto de ele estar onde está neste momento é uma grande mudança!
Roma e Pavia....
Tenham calma....
Os Elefantes estão a mudar, por dentro, devagarinho... Aprenderam??? Será??? Para bem do mundo espero que sim!!!

Será desta????

jfd, over and out!

Tiago Sousa Dias disse...

JFD mensagem quase encriptada.
Não me parece que MCcain por algum motivo seja represente uma mudança. É mais pelo oposto. A seriedade e credibilidade do discurso dele vem do facto de não prometer a resolução de todos os problemas no mundo.
Reconhece que os EUA estão numa má fase mas que é resoluvel ainda que não no espaço de um ou dois anos. Mantém a postura republicana relativamente ao Iraque. Mantém...mas reforça.

Nélson Faria disse...

Não precisas de esperar pelas gerais: vais ve-lo nas escolhas de vice-presidentes (a preocupação naturalmente).

É daqueles truísmos, o Salgado é minha testemunha, e a sétima série do West Wing é pródiga nessa discussão: impossível ganhar eleições sem sossegar primeiro os extremos.

Ignorá-los é perder o voto militante.

Obama e Hillary são mais mediáticos que os Republicanos porque variadíssimas razões: o ciclo eleitoral é democrata; são ambos grandes candidatos (goste-se ou não deles); arrecadaram imenso dinheiro; é uma luta entre David e Golias.

Eu gosto de McCain, mas do lado republicano a luta é mais pela alma do partido do que pela Casa Branca.

Subscrevo o JFD no que toca a Romney e às expectativas em relação ao futuro do partido republicano.

Nélson Faria disse...

McCain consegue ser mais mudança que Hillary por exemplo: sempre foi um "maverick", isto é, um solitário que não faz o jogo do partido.

Tem os seus temas e não se verga por modas e ar dos tempos (daí ele ter uma óptima penetração no eleitorado democrata e independente - dois dígitos). Não gosta de Bush nem Bush gosta dele. Mas têm de se gramar: McCain precisa de Bush para ganhar e Bush precisa dele para legitimar o seu mandato.

Tiago Sousa Dias disse...

NÉ:
Bush precisa dele para legitimar o seu mandato.

Não concordo. Qualquer presidente fará um mandato melhor que Bush. Vindo da ala republicana só fica o mandato de Bush subestimado para a História tanto mais que seria uma forma de MCcain dizer: "estão a ver? em 2000 deverião ter-me escolhido a mim e não a ele."
A única razão que leva Bush a apoiar MCcain é porque MCcain será o candidato republicano. A vontade de Bush em apoiar um republicano por esta altura fosse Huckabee ou MCcain (e muito menos ainda Romney) vem exclusivamente do facto de mais uma vez querer seguir as pisadas do pai e manter a longa manus sobre o partido após a sua saída.

Tiago Sousa Dias disse...

deveriam

Nélson Faria disse...

Concordas, concordas. Não sabias era que concordavas.

A melhor forma de Bush legitimar o seu mandato é garantir que o candidato da sua área vence, que um homem forte no que toca na guerra ao terrorismo e defensor da questão Iraque vence as eleições.

Mostra que ele não perdeu as eleições, que os americanos concordam com ele.

Se os republicanos ganharem a glória é de McCain, mas a era Bush sai reforçada.

jfd disse...

Né,
A opinião do Salgado não sei ;)
A série tenho aqui toda! (era gira uma maratona um destes dias!)
O meu point é que há uma mudança. A série está no passado.
Poderei estar errado, eu e todos os que estão a pensar como eu e eu como eles :) Logo veremos. A escolha para VP será feita, como bem dizes, nesse framework.
A prova ver-se-á no dia depois das eleições, nas Exit Pools que tanto gostas. E aí veremos quem votou em quem, quem se deu ao trabalho de votar, e quem deixou de votar.
É o que acredito.

jfd, a querer mudança!

Tiago Sousa Dias disse...

Né essa do concordas mas ainda não sabes das duas uma: ou tiraste de um filme e achaste que ia ter piada ou é pretenciosismo. Sendo a primeira hipótese ahahah; sendo a segunda não percebeste minimamente o que eu disse.
Não fora a vontade de manter uma aurea familiar e Bush desejaria mesmo lá no seu interior que os democratas ganhassem.
MCcain não só não legitima o mandato de Bush se vencer como ainda desgastará mais a imagem de Bush. Nota: nós por cá temos uma imagem apalhaçada de Bush por azares dele. Mandou duas ou três gaffes seguidas e eis que temos o animador mundial. Na realidade o povo americano gosta muito mais de Bush do que possas pensar. Não te esqueças que Bush esteve à beira de um impeachment e nenhum democrata teve coragem de ir em frente. Porquê? Sabia que perdia. Bush conseguiu a continuidade do mandato em 2005 4 anos depois do inicio da guerra no Afeganistão. O que acontece hoje é um fenómeno social. Quando alguém leva um estalo e o agredido manda 5 murros o que é que se diz? Levou e foi bem feita. Não tinha nada que dar um estalo. Mas se em vez de 5 murros começar a espancar e a fazer com que o agressor jorre sangue o que dizem? Que exagero e separam as águas. É o que se passa nos EUA. Pronto ele fez bem mas já chega. Vamos tratar de nos retirar ASAP. Já não existe Saddam e Bin Ladden não será encontrado, perdeu a graça e já estamos lá a mais. O tempo passou a vingança já aconteceu. MCcain perdeu pontos ao reforçar a ideia da manutenção no Iraque e ainda mais quando Bush disse obrigado. Mas a mensagem foi bem acolhida porque foi transmitida com um tom paternalista. He will stand for us é a mensagem que passa pela cabeça de cada americano depois das palavras de MCcain.
MCcain quererá de certeza o apoio da familia Bush; não acredito que Jep venha a integrar sequer o Governo MCcain caso ganhe as Presidênciais. Mas de certeza te digo: Bush ainda controla muito do aparelho e é bem capaz de conseguir a ajuda que falta a MCcain para se lançar contra os tubarões democratas: galvanização na convenção. Apoio massivo independentemente das circunstâncias. É por isso que Huckabee está a ser incómodo; é por isso que acredito que Romney está calado (no âmago de cada um as motivações são diferentes, o segundo está a ajudar o partido, o primeiro não).
Get it?

jfd disse...

Tiago, eu diria aqui no fim do teu comentário, as coisas de uma forma um nadica diferente; cada um está a ajudar o seu partido!
Cada um vê o elefante como lhe convém!!!!

Curiosidade:
Estava o povo contente a contar os votos em Washington (lá no canto superior esquerdo dos EUA), quando vem uma ordem do Partido para não contarem mais. Ficava como estava. McCain, Huck e Paul. E esta hein? Lembra a Florida de 2000 né? Este Elefantes LOL

Anónimo disse...

Estes Psicóticos só podem ser funcionários públicos, ou estudantes que não estudam. Digamos que como qualquer típico jotinha, não é? A ocupar tacho, ou wanna be com muito tempo livre, porque conseguir deixar aqui 53 comentários num único dia é obra.

Ou então, e visto que são mais os rapazinhos que aqui escrevem, falta-lhes gaja para ocupar tempo.

Força rapaziada. Toca a invadir o PSD que já têm a escola toda.
E papem umas meninas pelo caminho, ou vai continuar a parecer que não fazem mesmo nada.

Baia disse...

Caro "anónimo", eu não sou psicotico nem ando na politica, muito menos ando a fingir que estudo (tou a terminar a minha licenciatura) nem funcionário publico, como tal não me sinto afectado pelas suas palavras. No entanto, permita-me dizer-lhe que admiro a sua coragem! É de Homem e demonstra um rico palmarés (qual Zézé Camarinha) como devorador de mulheres, identificar-se como anónimo num blog onde pessoas com formação académica e civica defendem e comentam assuntos da actualidade. Se bem calhar já deve ter as mãos ocupadas enquanto navega por sites de "funcionárias publicas" Brasileiras, ou pode dar-se o caso de ser um labregolas que nem categoria tem para usar um par chifres, pois não arranja quem os ponha. Tenho a convicção de que apenas navegou por este blog e postou porque o obrigaram, talvez com uma arma apontada a cabeça, imagino o sacrificio que não terá sido! Sendo assim, já que não gosta de "jotinhas" porque não vai acarinhar e incentivar noutros blogs ou sites?!Há uns com um logo rosa que são bem porreiros para a sua raça. Já agora...apresento-me para ficarmos quites: João Lopes e assino neste post como Baia

jfd disse...

LOl Thnx Baia :)

Caro Anónimo espero que as nossas conversam o possam continuar a entreter, e que participe mais vezes!
:)

Tiago Sousa Dias disse...

Hehe grande Baia mas desanimaste-me. Eu que estava cheio de força para mandar uma ripada rendi-me. hehe Quem fala assim não é gago. Anónimo... os meus pêsames.


JFD - link para a info sobre washington

Tiago Sousa Dias disse...

Reproduzindo uma curiosidade alertada por Vitor Gonçakves:

Democrata ou republicano, o próximo Presidente dos Estados Unidos será um senador. É a primeira vez que tal acontece desde 1960.

jfd disse...

Heys Tiago, tens razão:

http://youdecide08.foxnews.com/2008/02/10/huckabee-challenges-washington-caucus-results/

http://www.mikehuckabee.com/?FuseAction=Blogs.View&Blog_id=1419

http://www.preemptivekarma.com/archives/2008/02/huckabee_dubiou_1.html

Aproveito para esta noticia de Huck que continua a ignorar quem o manda parar!!!
http://apnews.myway.com/article/20080212/D8UOFJ0O0.html
Grande Huck ;)))

jfd, o comentário tem sempre uma fonte, e aqui é sempre revelada!

jfd disse...

Curiosidade:

Falei da HRC ter despedido a sua Chefe de Campanha Latina... Não vou contei é que a substituio por uma Negra :))))
Já tinha sido a sua Chefe de Gabinete na Casa Branca. Mas dá que pensar no timing e na conveniência política né? :)))

jfd disse...

College Junior Breakfasts With Chelsea Clinton

21-Year-Old Wisconsin Super Delegate Gets Face Time With Former First Daughter

By KAREN TRAVERS
Feb. 11, 2008

Jason Rae is a typical junior in college.

He spends several hours a day in class at Marquette University in Wisconsin where he is majoring in history and political science. He is closely following the Marquette basketball team and has the Golden Eagles' schedule memorized.

Story
The Note: Barack's Big RollBut not many 21-year-olds start their Monday with a personal breakfast with Chelsea Clinton, as Rae did this morning at the student union at the nearby University of Milwaukee.

Rae got the one-on-one treatment from the former — and possibly future — first daughter because he is a Democratic National Committee member from Wisconsin and thus a "super delegate," one of the 796 free agents who can back any candidate in the race for the Democratic nomination.
(...)
http://abcnews.go.com/Politics/Vote2008/story?id=4273078&page=1

Continua nesse site...
E o pobre do reporter da MSNBC continua suspenso, só porque disse que os pais estavam a (nem sei a tradução do calão que ele utilizou, mas será algo do tipo chular ao contrário) a filha para ela ganhar votos dos super delegados, e outros ;)Os Clinton tomaram de ponta a MSNBC, mas andam a piscar o olho à FOX NEWS?!?!?!?! O mundo tá louco?!!?
LOL

http://www.mediabistro.com/fishbowlDC/television/hillary_slams_msnbcpraises_fox_77235.asp

jfd, comentários com muito interesse, algum interesse, interesse q.b., nenhum interesse e desenecessários !

jfd disse...

In Maryland, Barack Obama leads Hillary Clinton among men 57% to 34% (43% of likely Democratic primary voters) and Obama leads Clinton among women 54% to 40%. Clinton leads Obama among white voters 49% to 41% (60% of likely Democratic primary voters) and Obama leads Clinton among African American voters 79% to 17% (37% of likely Democratic primary voters). 14% of likely Democratic primary voters say they would never vote for Hillary Clinton in the Democratic primary and 23% of likely Democratic primary voters say they would never vote for Barack Obama in the primary.

In Virginia, Obama leads Clinton among men 59% to 35% (45% of likely Democratic primary voters) and Obama leads Clinton among women 53% to 40%. Among white voters (67% of likely Democratic primary voters), Clinton is at 47% and Obama is at 45%. Obama leads Clinton among African American voters 82% to 16%. 17% of likely Democratic primary voters say they would never vote for Clinton in the primary and 15% say they would never vote for Obama in the primary.

(...)

http://americanresearchgroup.com/

Tiago Sousa Dias disse...

Curioso é DC ter mais superdelegados que pleged...

Não encontro projecções para D.C.

Tiago Sousa Dias disse...

Né procurei opiniões sobre isto mas a única que encontrei foi esta e cito:
O partido democrata interpretou a intervenção de Bush como uma intenção futura de brigar por um terceiro mandato.

"O presidente Bush confirmou que um voto em McCain seria um voto em favor de um terceiro mandato de Bush", avaliou Luis Miranda, porta-voz do partido democrata.

Eu nem fui tão incisivo mas se leres o artigo todo perceberás o que quero dizer quando digo que um mandato de MCcain seria apenas necessário e não tão útil quanto ele desejaria. Acresce que as taxas de aprovação do mandato de Bush não estão nos 30% como se diz mas na ordem dos 26%. É o efeito by gone; o mesmo que levou à reprovação do plano económico apresentado por Bush recentemente. "O homem está de saída vamos cortar com o passado"
Se Bush realmente pensa num regresso ou na tal longa manus que eu falava, terá que fazer muito neste quase 1 ano que lhe falta (11 meses dos quais 2 em gestão) para apresentar propostas que serão repetidamente reprovadas. Esta estratégia não é nova. Faz-se trabalho para ser chumbado ficando na cabeça do eleitor que o homem até tinha boa vontade e era trabalhador mas (lembrem-se de Cavaco...) "não o deixaram trabalhar".

Tiago Sousa Dias disse...

esqueci-me do link:

http://www.afp.com/portugues/news/stories/080211203035.s6ohqxrr.html

Tiago Sousa Dias disse...

Mais uma dúvida: quem é que Nancy Pelosi apoia?
E se Obama a indicasse como futura Vice? :)
Porque é que ela está a passar despercebida?

jfd disse...

Tiago, lembro-me de ter visto num programa um dos pundits dizer que o Congressista da Califórnia apoiava o Obama, e que isso poderia ser o mais próxima a um apoio velado por parte da speaker, que por razões obvias não se pode expressar por agora!
Diz quem sabe que esse congressista e a senhora Nancy são unha e carne :)


http://firstread.msnbc.msn.com/archive/2008/01/10/567260.aspx

jfd, (quase) sempre na crista da onda!

jfd disse...

PS - A meu ver, a "reinado" dela está a passar despercebido pela positiva. Pela negativa têm tido várias noticias. Não conseguem fazer frente aos republicanos, não conseguem evitar os filibusters, nem passar legislação de acordo com o que os elegeu para o Senado, e acima de tudo, não levaram o Bush ao castigo. Porquê?
Falta de tomates políticos. Medo de abanar o barco em tempos de eleição. E também porque do outro lado o marketing político foi muito bem jogado, e um passo em falso e o povo americano via-os logo como não patriotas. Foi o jogo do medo. Ela não o soube jogar. Perdeu!!

Tudo o que é de mau no partido democrata vem ao de cima perto de eleições.

Filibuster????
http://www.senate.gov/reference/glossary_term/filibuster.htm

Sondagens sobre o Congresso Democrata (Agosto de 07)->
http://edition.cnn.com/2007/POLITICS/08/15/bush.congress.poll/index.html

Tiago Sousa Dias disse...

http://firstread.msnbc.msn.com/archive/2008/01/10/567260.aspx

Jorge este deveria ser o link que querias colocar. :)

Se Nancy Pelosi apoia Obama e se Obama lança ligeiramente a suspeita de que pode vir a ser sua Vice: 1- Lá se vai o controlo de Hillary sobre os superdelegados e 2- lá se vai a áurea de "mulher ao poder" de Hillary.

Era lindo.

Por outro lado Nancy sózinha era capaz de vencer MCcain com uma perna atrás das costas. Lá se vai o mandato republicano.

jfd disse...

Thnx Tiago, mas os links aparecem sempre trunkados num xei porquê...

É impressão minha, ou pensando bem, esse anónimo não parece assim tão anónimo????

Tiago Sousa Dias disse...

Pois o meu tb apareceu truncado lol
Quanto ao anónimo não faço ideia...

Tiago Sousa Dias disse...

Cada vez tenho menos dúvidas. Barak Obama vai limpar as primárias contra Hillary. Acho "Hilaryante" este excerto:
Mrs. Clinton held a buck-up-the-troops conference call on Monday with donors, superdelegates and other supporters; several of them said afterward that she sounded tired and a little down, but determined about Ohio and Texas. And these donors and superdelegates said that they were not especially soothed, saying they believed she could be on a losing streak that could jeopardize her competitiveness in Ohio and Texas.

“She has to win both Ohio and Texas comfortably, or she’s out,” said one Democratic superdelegate who has endorsed Mrs. Clinton, and who spoke on condition of anonymity to share a candid assessment. “The campaign is starting to come to terms with that.” Campaign advisers, also speaking privately in order to speak plainly, confirmed this view.

Duas observações:

1- Hillary Clinton sabe que perde em toda a linha hoje;
2- Hillary está cansada (já?)
3- Um superdelegado apoiante de Hillary falou na condição de anónimo!!!!!

Será o primeiro de alguns sinais de que o partido, mesmo internamente, está a virar para Obama rendendo-se às evidências???

http://www.msnbc.msn.com/id/23119050/

Tiago Sousa Dias disse...

Óbviamente não sei contar, são 3 observações não duas.
Entretanto começa a feroz corrida aos superdelegados:
http://www.msnbc.msn.com/id/23091820/

Hillary já percebeu que a coisa não corre bem nas urnas e recorre ao lobying e pressão interna. A coisa começa a ficar suja:
http://www.msnbc.msn.com/id/23119050/

Acho piada que os operacionais da candidatura de HC estejam já a passar a mensagem que não interessa quem tem mais votos nas urnas, o que interessa é exclusivamente quem tem mais aptidão para ser Presidente (mensagem esta dirigida aos superdelegados). Claro que isso é fundamental, mas sem os delegados não iria muito longe.

Veja-se este excerto:
Some of them (os superdelegados)said that they, like the hundreds of uncommitted superdelegates still at stake, may ultimately “go with the flow,” in the words of one, and support the candidate who appears to show the most strength in the primaries to come.

Ao que a campanha de Hillary responde:

Clinton advisers have said that superdelegates should support the candidate who they believe is best qualified to be president.

Estamos nos bastidores meus amigos. Barak Obama está na Rua a vencer nas urnas. Acho que está imparável e o apoio interno virá por consequência.

Nélson Faria disse...

O presidente Bush confirmou que um voto em McCain seria um voto em favor de um terceiro mandato de Bush

Sim, concordo... só não percebo onde discordamos.

Bush precisa que McCain ganhe para sair legitimado, para dizer que a linha política dele estava certa, que ele tomou as opções correctas e que a malta continua a concordar com ele.

Precisa que McCain ganhe como qualquer outro republicano.

Quanto ao mau momento de Hillary tenham cuidado. Os jornais adoram Obama, Obama vende. Como se costuma dizer nos "states": é mais popular que amor adolescente.

Não gosto de Hillary mas não quero lançar foguetes antes da festa. Não se esqueçam da diferença entre o que se escreve e o que acontece. Bush ia perder em 2004, estava a 20% de Kerry em Março... ganhou em Novembro.

Cuidado com as festas ;)

Nélson Faria disse...

Esqueci-me do JFD

Este ano de 2008 será completamente novo, ninguém precisará dos extremos porque estes não votam, as pessoas vão votar pelas ideias e nunca irão apoiar uma pessoa só porque é o seu partido.

Depois acorda-se e descobre-se que queremos ganhar eleições e que fazemos tickets para ganhar eleições :)

Como não preciso de terceiros para validar a minha opinião, ficas só com a minha palavra sobre o assunto lol ;)

Tiago Sousa Dias disse...

Né:
O presidente Bush confirmou que um voto em McCain seria um voto em favor de um terceiro mandato de Bush

Sim, concordo... só não percebo onde discordamos.

Esta noticia vinha na sequência de uma informação que corre que Bush poderá estar apostado em voltar a candidatar-se mais tarde e não na continuidade ideológica das suas politicas. Eu acho que essa teoria é muito rebuscada. Mas que quererá manter a mão poderosa da Familia Bush, provavelmente através de Jeb, isso não tenho dúvidas.

Nélson Faria disse...

Agora perdeste-me de vez.

Tu achas que Bush vai fazer tudo para McCain perder para se candidatar em 2012? Ou o seu irmão Jeb Bush?

Eu acho que Bush é o principal interessado numa vitória de McCain pelo que já disse. É política, nós queremos sempre que o nosso lado ganhe ;)

Tiago Sousa Dias disse...

Né: Tu achas que Bush vai fazer tudo para McCain perder para se candidatar em 2012? Ou o seu irmão Jeb Bush?

A noticia que eu coloquei e tu comentaste falava da perspectiva de Bush para 2012 ou adiante, sendo que para se candidatar em 2012 precisaria de manter um apoio sólido dentro do Partido(aí provavelmente através de Jeb que assumirá alguma relevância dentro do partido por agora a troco do apoio de Bush a McCain mas nunca entrar no Governo McCain). Este apoio de Bush a McCain existe não por ser a este homem, mas por ser republicano (pelo menos nisto estamos de acordo). Bush disse que McCain seria um bom candidato (pouco entusiasmante a forma como falou) mas que havia mais conservadores na corrida. Nessa perspectiva conviria a Bush que McCain ganhasse pois só assim conseguiria (garantidissimo aliás) o impeachment em 2012 promovido desde logo pelo interior do Partido Republicano. Ora, havendo impeachment Jeb Bush não poderá estar dentro do Governo McCain a menos que seja o próprio a promover (qual "mole"...) a queda de um Governo do maior e mais poderoso país do Mundo. Soa a filme e seria sempre acusado de traidor, tarjeta que, para um lado ou outro nunca sairia da sua lapela.
Não pertencendo ao Governo McCain é só esperar por 2012 e promover o impeachment, coisa que Bush não consegue garantir se o eleito for democrata porque não conseguiria os votos democratas a favor de um impeachment em 2012.

Eu acho que essa teoria é demasiado rebuscada. Acho que Bush quererá, claro está, manter o controlo aparelhistico sobre o Partido como o fez Bush pai. Nessa perspectiva a única coisa que precisa fazer é promover Jeb mantendo-o fora do Governo e mantendo nas mãos o poder da ameaça sobre um Governo McCain. As contrapartidas seriam poderosissimas.

Quando eu digo que no seu âmago Bush até gostaria que os democratas ganhassem era se ele não mantivesse ou a perspectiva pessoal (transmitida nesta noticia e com a qual eu não concordo) ou a perspectiva familiar na linha do horizonte. Puramente pensando Bush nunca quereria que McCain fosse eleito presidente por 2 motivos essenciais: 1- McCain será sempre melhor que Bush foi se tiver condições internas de Governação; 2- McCain trará à memória o ano 2000 e fazendo um bom mandato confirmará que deveria ter sido logo indicado para evitar o pesadelo Bush.

:s não arranjei forma mais complicada de explicar, mas tenho montes que fazer e não parei de escrever meio segundo para pensar no que disse. hehehe

Nélson Faria disse...

Vês, tirando a teoria rebuscada que ambos achamos mirambolante (o que não quer dizer que não exista), nós concordamos: Bush quer e precisa que McCain ganhe. Antes do excerto que usaste e eu referi, era essa a discussão.

Bush precisa de uma vitória de McCain. Por isso é que eu disse que concordávamos.

Tiago Sousa Dias disse...

Bush precisa de uma vitória de McCain. Por isso é que eu disse que concordávamos.

Ok. Percebi mal o que disseste então.

Nélson Faria disse...

Edwards anda a reunir-se com Hillary e com Obama... e esta hein?!

Tiago Sousa Dias disse...

Coisa gira. Estando Obama 27 votos atrás de Hillary (confiando nos números da CNN mas que são alteráveis dado incluirem superdelegados) e tendo Edwards 26ficaria ainda mais empatado. Com os resultados de logo Obama saltaria para a frente imediatamente.
Já Hillary daria um novo pulo. Mas continuo a achar. Edwards é um provável Vice de Hillary; não de Obama.
Nancy Pelosi é para mim a melhor escolha para Obama ao lugar de Vice.

Nélson Faria disse...

Não te esqueças que, com excepção do debate democrata da Carolina do Sul em que Edwards saltou em cima da Obama numa tentativa desesperada de ir buscar votos, Edwards sempre atacou Hillary e fazia dupla com Obama.

Ele defendeu Obama em vários debates contra Hillary. É um VP mais natural de Obama do que de Hillary (até porque, e já sabemos que o JFD não concorda, se Obama for nomeado precisa de alguém que agarre a esquerda do partido - Obama entra bem no centro e na direita, mas na ala esquerda tem problemas).

Para Hillary, por exemplo, Bill richardson seria um candidato bem mais útil: ela não precisa de ajuda na esquerda, mas um reforço nos latinos e sulistas é sempre bom.

P.S. Vi agora no programa do Dan Abrams que a última peça do NYT sobre Obama e consumo de coca alegava que, por falta de provas de efectivo uso, ele poderia ter inventado a história para mostrar a vida complicada e os desafios que teve de ultrapassar. escusado será dizer que NYT declarou o apoio oficial a Hillary há sensivelmente 3 semanas, um mês.

Nélson Faria disse...

Já se começa a ver conservadores na tv americana a apoiar McCain e\ou a dizer que será provavelmente a pessoa em que votam (com uma ou outra exigência).

Imagino a pressão que a estrutura republicana andará a fazer para acabar com este episódio rápidamente e tornar McCain O canditato.

Tiago Sousa Dias disse...

Cito-te:
"Ele defendeu Obama em vários debates contra Hillary. É um VP mais natural de Obama do que de Hillary"
Concordo. Mas Edwards e Hillary têm uma coisa em comum: são politicos fácilmente vendiveis, o que facilita a limpeza do passado.


Disseste:
"se Obama for nomeado precisa de alguém que agarre a esquerda do partido"
Também concordo, mas Nancy Pelosi não precisa de mexer um dedo para garantir muito mais que isso. Garante não só a esquerda (a Nancy não vale só por ela mas também pelo marido.
Nancy é a primeira e única Speaker of The House of Representatives; mas também a única com ascendência estrangeira. Nancy é a favor do aumento de direitos dos estrangeiros nos EUA e de um tratamento mais humano aos ilegais. É a favor da igualdade aos gays e lésbicas e, talvez mais significativo nos EUA, a favor do controlo de uso e porte de arma. Diz-se Democrata Progressiva e vai de certeza buscar uma fatia gigantesca de independentes tendencialmente (mesmo que com tendencias republicanas) pois foi ela que em nome da estabilidade do Governo impediu o impeachment de Bush.
Vai aos imigrantes, às minorias à esquerda e até à direita. Fantástica. Das melhores estrategas politicas que conheço.

Nélson Faria disse...

Não duvido que Pelosi desse uma boa candidata a VP.

Tiago Sousa Dias disse...

Eis o que é certo dito da boca de Obama hoje mesmo. O Governador da Virginia, Tim Kaine, estará na shortlist de Obama para a Administração caso vença neste Estado e seja indicado pelo partido.

Nélson Faria disse...

McCain has some convincing to do to prove himself has a solid true conservative.

And I'll be happy to help him!


George W. Bush on Fox News Sunday

Tiago Sousa Dias disse...

NÉ foste apanhado lol. Cortaste aí uma frase no meio. Por acaso já tinha lido o que escreveste. Entre o que disseste Bush ainda disse:

"I think that if John's the nominee, he has got some convincing to do to convince people that he is a solid conservative."

E depois sobre Huckabee ainda disse:
"I do want to make sure that you don't rope me into getting into this primary before it ends, because we have another conservative candidate in Mike Huckabee still running,"

Mantenho o que disse. Bush dá apoio ao candidato eleito pelo partido. Claro que McCain será indicado, mas estas declarações não servem tanto para apoiar McCain mas para acabar rápidamente com a permanência de Huckabee.

Nélson Faria disse...

Não percebo onde fui apanhado... por não ter citado a frase sobre Huckabee?

A tua citação é diferente da minha, eu não cortei nada. Pode ser a mesma entrevista, mas as palavras são outras.

Penso que te estás a esquecer daquilo que é mais importante na citação: eu quero ajudá-lo a fazer isso, eu ajudarei McCain a provar-se como verdadeiro conservador.

Só esta referência vale ouro no campo republicano.

Nélson Faria disse...

Estou a ouvir um super-delegado com 21 anos que já recebeu telefonemas de Bill Clinton e Madeleine Albright, e tomou pequeno-almoço com Chelsea Clinton.

Tiago Sousa Dias disse...

Eu vi o relato desse superdelegado. Foi nesse momento que postei que Clinton está a fazer trabalho de bastidores tendo percebido que hoje Obama fará hat-trick.
Né a parte que tu cortaste é fundamental. Só copiaste para aqui a parte inicial e final desse pedaço da entrevista. O que ele disse em resumo é que McCain pode ser um bom candidato e caso seja indicado irá ajuda-lo a provar à nação que é um verdadeiro conservador e que contará com o seu apoio incondicional. Disse também, tal como eu transcrevi, que a imprensa não irá conseguir pô-lo a dizer que apoia McCain ou Huckabee antes de terminarem as primárias. É substancialmente diferente. Quem ler a tua transcrição pensará que Bush já declarou apoio incondicional a McCain.
Claro que está implicito até porque Jeb apoia McCain sem reservas... Mas da boca de Bush isso ainda não saiu.

Nélson Faria disse...

Então vou contextualizar: tenho andado a escrever sobre os conservadores, mais cedo ou mais tarde, terem de apoiar McCain. E que diligências estão a ser feitas nesse sentido.

Este é mais um exemplo. Bush a disponibilizar-se para ajudar McCain (caso seja candidato,óbvio).

Um Presidente nunca apoia um candidato até à convenção, nem eu o disse. E não penso ser necessário escrevê-lo... mesmo que seja o seu VP, um Presidente nunca apoia a candidatura de ninguém. Só na convenção.

Presumi que não era necessário dar esta informação.

Esta citação é a prova que Bush se esforça para puxar os conservadores para o pé de McCain... é o terceiro dia consecutivo que o faz.

P.S. Quanto aos superdelegados, já antes de falares do assédio tinha referenciado uma notícia do IHT que explica donde vieram e as estruturas que cada campanha montou. Anda aí nos comentários.

Tiago Sousa Dias disse...

Acho que isto não é uma competição de quem referiu primeiro o quê. Mas em todo caso a pertinência de o ter dito vem do facto de ter sido noticiado que Hillary está desanimada e "quase" desistente na noite de hoje. Já agora aproveitarei para actualizar o post com os resultados de hoje.
Enquanto se ouve do lado de Obama que está a lutar para esmagar Hillary nas urnas hoje; do lado de Hillary só se ouve falar de negociatas. Exclusivamente quanto à noite de hoje. Já quanto ao Ohio e Texas Hillary terá que fazer um trabalho brutal de recuperação.

Nélson Faria disse...

Nada disso, era só uma referência.

Descobriste dados de sondagem do Ohio e Texas? Já ando à procura há algum tempo e não encontro nada recente... os que eu encontro dão Hillary a vencer, mas são do meio de Janeiro e sondagens muito pequenas.

jfd disse...

Né disse:
"(...)Não te esqueças que, com excepção do debate democrata da Carolina do Sul em que Edwards saltou em cima da Obama numa tentativa desesperada de ir buscar votos, Edwards sempre atacou Hillary e fazia dupla com Obama.(...)"

Desesperada porquê?!?! Foi no fluxo normal da conversa que se estava a gerar... Quase que pediu desculpas por lhe perguntar sobre o seu histórico de votação, mas tinha de perguntar... Se leste isso em algum lado, ou ouviste, linka para que possamos enquadrar. Interessa saber de quem vem a opinião. Para poder dar ou não o desconto suficiente!

Tiago disse:
"(...)NÉ foste apanhado lol.(...)"
Típico... :)

Né disse:
"(...)Penso que te estás a esquecer daquilo que é mais importante na citação: eu quero ajudá-lo a fazer isso, eu ajudarei McCain a provar-se como verdadeiro conservador.(...)"

Valeria ouro no contexto do-que-sempre-foi... Caso não seja isso que ele quer, é uma tag da qual já não se livra. Olha uma pouco para lá do que é convencional... Afinal de contas tudo isto é um pouco out of the box, mas tu continuas com todos os esterotipos e arquetipos do costume!!! Espero estar correcto!

Né disse:
"(...)
Como não preciso de terceiros para validar a minha opinião, ficas só com a minha palavra sobre o assunto lol ;)(...)"

Como disseste isso com um sorriso vou ser simpático! Como muitas pessoas devem ler estes comentários e tão a nadar no iogurte sem espinhas, ficam os links para que possam ir tomar as suas próprias opiniões e possam ir à pesca. Pensar no próximo.

Quanto ao resto, tive enfiado nas aulas na sei de nada, obrigado plas infos.

** Edite Estrela desculpa os erros de português

jfd cansado das aulas, o comentário murcho!

Nélson Faria disse...

Há quem dê notícias e há quem faça análise (já tivemos esta discussão antes).

Eu fiz esta análise da postura do Edwards do debate da Carolina do Sul. Porque é que a faço? Porque vi o debate, porque acompanho (e muito) a campanha.

Nisto, e em todos os temas que me manifesto. São as minhas palavras, não há outro link para elas que não este. Quando dou notícias dou o link.

Ainda há pouco respondi a uma série de questões sobre convenções e métodos eleitorais. Como é que sei? Porque leio muito. E partilho o que sei.

Fazer análise não é citar fontes. Quanto muito mostra-se que não se está isolado na doutrina.

Nos outros comentários já respondi ao Tiago. Está lá.

Tenho dito. :)

jfd disse...

"(...)Eu fiz esta análise da postura do Edwards do debate da Carolina do Sul. Porque é que a faço? Porque vi o debate, porque acompanho (e muito) a campanha.(...)"

Já ganhaste o campeonato do mais conhecedor e etc. e tal, parabéns!, só que, como também já te disse, és o único concorrente nesse campeonato.

Quanto ao debate, então explica-me se te deres ao trabalho, onde está o desespero. Pois não percebo de onde vem essa tua análise.
Se queres ser intelectualmente honesto como apregoavas nuns comentários atrás, então respeita os teus parceiros de comentário e consubstancia a tua opinião. Para quê? FOMENTAR O DEBATE! Nada mais nada menos!

Posso por as coisas de outra forma; tenho a noção de que o meu comentário ou análise não interessa a ninguém se não vier acompanhado de fonte de contraditório. Porquê? Porque não tenho palavra final em nada. Estamos TODOS a aprender.

Tiago Sousa Dias disse...

NÉ: "Há quem dê notícias e há quem faça análise (já tivemos esta discussão antes).". Não percebi qual é o problema. Eu dou os links para noticias porque depois de ler as noticias nestas matérias eu faço a minha opinião e também a transmito aqui. Transmito a noticia e a opinião. Noutras matérias não o faço; nesta particularmente acho importante faze-lo porque há muito pouca info de nascente em Portugal. Básicamente tens dois ou três blogs de jeito e o PSICO que quanto a mim já produziu muito mais info que os blogs a que me refiro.
Acho importante ambas.

Mais. O JFD ao trazer noticias aqui já me ajudou imenso a procurar info para responder às minhas dúvidas. É útil nem que seja só por isso. Mas não vi o JFD a deixar de dar a opinião dele.

Entretanto, passou-se ao lado uma pergunta que eu fiz e que ainda ninguém me respondeu e que ase prende com os superdelegados à convenção democrata e a capacidade de os cacicar. O Né colocou aqui a noticia da Chelsea, mas não fez análise. lol desculpa a maldade amigo hihihihihihi

Tiago Sousa Dias disse...

Hat-trick para Obama e já está na frente mesmo na contagem dos superdelegados (previsivelmente). Em DC 75/24; MD 60/37 e VA 64/35. 1215 de Obama vs. 1190 de Hillary.25 de diferença e não acredito que Edwards possa vir a fazer diferença (aliás cada vez menos) para Obama.

Nélson Faria disse...

Eu não vejo problema em dar links nem notícias: acho muito bem. Não posso é linkar tudo o que eu digo porque é a minha opinião.

Ó Tiago, eu acho que já dei a resposta a essa pergunta e, só para verem como também linko quando é necessário, cá está o link novamente:

Neck and neck, Democrats woo superdelegates
http://www.iht.com/articles/2008/02/10/america/10superdelegates.php?WT.mc_id=newsalert

Não te esqueças que, com excepção do debate democrata da Carolina do Sul em que Edwards saltou em cima da Obama numa tentativa desesperada de ir buscar votos, Edwards sempre atacou Hillary e fazia dupla com Obama.

JFD
Eu justifiquei a acusação no comentário inicial. Penso que queres saber porque digo que Edwards atacou. Honestamente, tinha de ver todo o debate outra vez para te dizer os pontos.

Mas, como sou grande que nem um elefante e tenho memória de elefante, eis a análise de um grande amigo nosso durante o debate. Na íntegra, para não dizerem que corto informação essencial.

Caro Anónimo, o ex Mayor tem uma estratégia cujo sucesso ou insucesso será confirmado na Florida brevemente!

Obama está a ser arrasado pelos colegas no debate que está a decorrer agora na Carolina do Sul. Está a ser um lindo debate! Finalmente a CNN deixa os putativos debater. Trocam bitaites entre si e tudo, parecem Psicóticos!!!

Devia estar a estudar Investigação Operacional, mas acho que estou a ver o primeiro debate real na história destas eleições!
O Obama é mesmo o alvo a abater neste estado! E nota-se que não está à vontade com os dois a marrarem nele, tadinho ;)
A HRC está a jogar o jogo que ela domina, política! Parece o Sócrates num debate mensal. Segura, irritante, arrogante, até se admira. O Edwards parece um puto feliz com uma nova botija de oxigénio tão necessária!

Arrisco-me a dizer que este último vai ser declarado vencedor do debate!

Vejam se puderem, ou revejam em cnn.com (não fui pago pelo Né!)

JFD em directo do livro de IO, a falar de cor :)

Nélson Faria disse...

E só para esclarecer... não, não estou chateado.

Adoro discutir ;) Não me peçam é links para a minha opinião, porque só vos posso responder:

psicolaranja.blogspot.com

:)

jfd disse...

olha que lindo comentário, e quase sem erros de Português! E tive 10 nesse cadeirão!!!

Voltando à vaca morna:

Onde está o desespero de Edwards???
Tinha de ver o debate de novo, dizes tu. Sendo tu tão douto, se tens isso como um facto top of mind, certamente que terás a justificação no mesmo plano. Para quê ver o debate de novo?
Responda senhor Né?
E de seguida me diga onde esteve no 25 de Abril de 2007?

jfd, comissão de inquério sobre o Desespero de Edwards

Tiago Sousa Dias disse...

LOL
Eu também não vi; não tenho essa impressão e não encontro nada que indique isso. Aliás, o que vi foi um link que alguém (Né ou JFD) colocou aqui em como Edwards estava a encetar conversações com ambos (Obam e HC). Ora, se assim o faz não terá muitas barreiras a impedi-lo.

Tiago Sousa Dias disse...

Aliás o que vou encontrando é isto:

http://www.huffingtonpost.com/2008/02/09/hillary-i-intend-to-ask_n_85845.html

Frase de Hillary: I intend to ask john to be a part of anything i do.

A foto também pode vir a ser carismática.

Nélson Faria disse...

Dois momentos diferentes: Carolina do Sul, debate democrata. Edwards sempre defendeu Obama nos debates excepto neste... porque digo isso? Porque ele o atacou (o relato do JFD é um exemplo dos ataques).

Perguntaram-me porque dizia que ele estava desesperado? Porque muda a estratégia no final do seu jogo para ganhar os votos dos homens na Carolina do Sul. Foi o seu canto do cisne, a última tentativa para se poder safar e sacar um bom resultado.

Se ele não estivesse desesperado não mudava a estratégia; se ele garantisse um bom resultado na Carolina do Sul, aguentava-se até à Supertuesday e sacava mais uns delegados.

Mas o debate da carolina do sul mostrou que a sua capacidade estava esgotada.

Segundo momento: sim, fui eu que disse que ele falava com ambos os candidatos. Eu não disse que ele só deve ser VP de Obama, acho que seria melhor VP para Obama do que para Hillary. Porquê? Porque ele sempre atacou a Hillary excepto no debate da Carolina do Sul.

Tiago Sousa Dias disse...

Talvez até pudesse concordar com essa tua afirmação de que Edwards seria melhor VP para Obama do que para HC. Mas sem dúvida que não é O melhor VP para Obama.
Aliás eu conheço pouco do contexto politico de Edwards, mas salvo erro o espaço politico de Edwards, exceptuando o Grande Circulo do Poder, é o mesmo de HC e talvez não fosse dar nada de novo a Hillary.

jfd disse...

Ai a loucura!!!
Edwards não vai ser candidado a VP de ninguém!!!!!!
Mark my words!!!!
E para que isto se torne interessante faço uma aposta;
Caso seja pago-vos (Né e Tiago) uma happy meal de menina e uma de menino (escolhem depois o que querem) :)

Caso não seja, fica ela por ela :)

jfd, as convições aliadas às acções :)

Tiago Sousa Dias disse...

LOL

Tiago Sousa Dias disse...

Ora cá está uma das tais coisas que só com citações e links é que dá para discutir. Eis o que provavelmente o Né estaria a falar de forma sumariada.

http://news.aol.com/newsbloggers/2008/01/14/is-john-edwards-trying-to-become-obamas-vice-president/

Interessante o artigo porque fala do caso de Lindon Johnson quando disse:
"i´d rather drink warm piss water than become JFK's vice president"
LOL

e lá acabou por ser vice de JFK. Aqui o caso é o oposto e provavelmente não dará em nada.

Nancy!!!!!!!!!!

Tiago Sousa Dias disse...

heehehehehe

Caricato e dá que falar, para o bem e para o mal:

Huckabee vai suspender a campanha por 2 dias porque vai dar uma conferência às Ilhas Caimão. Questionado sobre se não seria uma má opção faze-lo no meio de uma campanha tão importante, respondeu que é o único candidato que não tem um salário fixo e precisa de dinheiro para pagar as contas.

Será mesmo assim, ou será uma mensagem publicitária? Um marketing arriscado? Mostrar ao povo que é um trabalhador?

Eis a transcrição

Huckabee defended his decision go on the trip as he fights for the Republican nomination, pointing out that he is the only candidate without a steady paycheck. "I think people of America who understand that you've got to work for a living and pay your bills recognize that that's exactly what I ought to be doing," Huckabee told CNN. "I can't imagine anybody, except maybe one of my opponents, having a problem with it. But they're so used to having the taxpayers fund their day-to-day existence plus all the perks that go with that."

http://politicalticker.blogs.cnn.com/


Mais uma pequena curiosidade:

O director de campanha de Bill Clinton em 1992, David Wilhelm, apoia OBAMA. hehehehe

jfd disse...

A sério!
Aparte das excentricidades deste conservador de nova geração, Huckabee tem um fascínio que é realmente verdadeiro!!! Como dizia o Bob Shiffer no fim do Face the Nation deste fim de semana , um really nice guy.

Ele era super gordo e agora parece um palito!!! Perdeu peso pela sua saúde na terra dos super obesos e dos excessos... Só isso é um grande feito. Embora pareça secundário e tal, aos olhos de muito boa gente é um grande feito!!!

jfd disse...

Tiago, e tutti quanti,
Uma das melhores formas para acompanhar o que se passa lá do outro lado do Atlântico, é ouvindo os programas de lá!
E como nem sempre temos tempo para ver TV, e nem sequer temos acesso aos programas e canais, recomendo o maravilhoso mundos dos Podcasts.
E o melhor de tudo é que se "enfiam" nos nossos tempos livres. Eu prefiro ouvir no carro enquanto comuto de um lado para o outro, etc. e tal.
Eu uso o iTunes e um aipodes
Depois basta subscrever os podcasts que são programas de rádio (ou de TV, versão som) que são actualizados automaticamente na livraria do iTunes e no aipodes sempre que o ponho a recarregar.
Eu recomendo os seguintes programas (tudo gratix!):

da foxnews:
Bill O'Reilly
John Gibson
Alan Colmes

da MSNBC:
Meet The Press
Countdown with Keith Olbermann
Hardball with Chris Matthews
Scarborough Country
Tucker with Tucker Carlson

da HBO:
Real Time With Bill Maher

da CBS:
Face The Nation

da ABC:
This Week with George Stephanopoulos


Ouvindo isto um cadinho todos os dias (ou não), dá para perceber a loucura que por lá se passa e também muitas das coisas que por cá são ditas por ditos especialistas!!! E depois ficamos com a noção de que realmente, não sabemos quase nada sobre os EUA ;)

MAKE YOUR OWN OPINION!!!

jfd, partilhar sabe tão bem !!!


PS - óbvio que leitor de mp3 que se preze que tenha podcasts tem de ter tb dos tugas! E o rei é o Sena Santos. Temos depois os da SIC, RDP, RTP, TSF etc e tal, basta ir aos sites e subscrever... Imaginem... Perderam a Quadratura do Circulo? E que tal ouvir o Pacheco enquanto se faz elíptica no ginásio?? Hugz!!!

Tiago Sousa Dias disse...

Clintona goes dirty:

A nova frase publicitária de HC é dirigida a Obama. Ao que parece a senhora acordou para a vida e percebeu que o seu discurso politico fica a milhas de Obama. Ora se um politico se faz a falar e a senhora fica a milhas de Obama no discurso, toca de reconhecer que Obama sabe falar mas só diz o que quer e eis a nova mensagem publicitária de Clinton:
Obama só sabe discursar, mas não quer responder a perguntas.

É triste.

Há previsões para Rhode Island?

Tiago Sousa Dias disse...

Finalmente:

Gov. Ed Rendell, one of Hillary Rodham Clinton's most visible supporters, said some white Pennsylvanians are likely to vote against her rival Barack Obama because he is black.

Estava a ver que o racismo não aparecia. HC e os seus apoiantes cada vez pior. CNN.COM hoje

Nélson Faria disse...

Ok, parece estar esclarecido.

Ninguém diz que Edwards é O candidato ou que será O VP... é uma hipótese.

jfd disse...

Clintona goes dirty

Brevemente num pornô perto de si

LOLOLOL

Tiago Sousa Dias disse...

Evan Bayh é o provável Vice de Hillary Clinton.

Não consigo confirmar isto mas foi-me dada uma dica muito sólida. A noticia pode vir a lume esta semana como forma de HC vencer destacada o Ohio e Texas. Evan é Governador do Estado do Indiana e tem uma forte imagem sobretudo no Ohio.

Tiago Sousa Dias disse...

E Nancy Pelosi cada vez mais próximo de Obama:

A senior adviser to Nancy Pelosi, the Speaker of the House of Representatives, has suggested that she – along with other “party elders” – will step into the ring if they feel that Democratic hopes of winning back the White House or maintaining control over Congress are being threatened. Ms Pelosi insists that she remains neutral in the race and that her “focus is on reelecting a Democratic majority in the House of Representatives”.

However, her voice would carry great authority among many uncommitted super-delegates on Capitol Hill – and she is said by one of those close to her to be leaning towards Mr Obama. “The party Establishment is not going to turn its back on a candidate who is generating this tremendous excitement and bringing all these new voters into the political process,” an adviser said. Mr Obama’s team is busy pushing the same message, telling members of Congress in districts where he has already won that they would be foolish to alienate their core vote in an election year.

http://www.hillaryproject.com/index.php?/en/story-details/house_speaker_pelosi_leaning_towards_obama/

jfd disse...

Aqui está o senhor que referes Tiago.
Repara na data e na mensagem :)
Atenção o site não é dele !

http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendid=80380535

Tiago Sousa Dias disse...

JFD estive à procura de info sobre ele e pelos vistos ainda é pior. Já se fala dele desde 2005. Foi a mais antiga que encontrei. Em setembro de 2007 um blog publicou a perspectiva de Hillary chegar a Ohio aflita e que nessa altura Evan poderia ser útil. E agora a noticia aparecerá novamente...segundo creio. A diferença é que agora será mais sólida a perspectiva.
Ora na minha opinião é um erro brutal e só demonstra a fragilidade de personalidade de Hillary. É que a Clintona pelos vistos deverá 1- escolher o seu vice presidente em função de uma necessidade de campanha interna do partido e não em função dos interesses do país ou 2- será bluff para tentar captar votos no Ohio e Texas. Para isso só precisa de um "bufo" anónimo para libertar a informação de que Evan será Vice e nunca se pronunciar sobre isso. Depois na altura de apresentar o VEEP está-se nas tintas para Evan Bayh

Bruno disse...

Não li comentário nenhum mas digo: não vejo forma de Hillary recuperar a onda vitoriosa. Estou a ver Obama a conquistar alguns superdelegados. Fiquei a perceber (e bem) o que é o tal de big mo...

Paulo Colaço disse...

Com este meu comentário, este post passa a ser o recordista do Psicolaranja, passando à frente do post "Filadélfia".
:)

jfd disse...

weeeeeeeeeeeeeeeeeee

jfd disse...

Pouco se tem escrito aqui neste fim de semana de muito trabalho.
Uns na Europa, outros por cá mesmo.
Mas para lá do atlântico as coisas continuam!
A opinião dos comentadores e jornalista é que claramente a campanha de Hillary foi vencida pela sua própria arrogância. Não estava nem de longe, preparada para depois da Super Tuesday. Não esperava a concorrência que está a ter e sentir. Passou então ao ataque. Um ataque com um anúncio que fala de debates por acontecer. Um anúncio com uma musiquinha de engomar cueca a acompanhar o texto. Obama respondeu. E pronto.
Como vencer uma campanha cuja mensagem é esperança? Mudança? Atacando a retórica forte e feio; os Clintons começaram; “Os discursos não põe comida na mesa, não pagam os vossos impostos”
Obama tem o big mo, os super delegados vão deslizando para o seu lado. Mas isso é tão verdade, como será o comeback de Hillary quando ganha Ohio e Texas.
É assim, uns dias em cima, outros em baixo!

Começam-se a descobrir coisas estranhas... Obama teve zero votos em 80 distritos de Nova Iorque;
February 16, 2008 -- Barack Obama's primary-night results were strikingly underrecorded in several districts around the city - in some cases leaving him with zero votes when, in fact, he had pulled in hundreds, the Board of Elections said yesterday.
Unofficial primary results gave Obama no votes in nearly 80 districts, including Harlem's 94th and other historically black areas - but many of those initial tallies proved to be wildly off the mark, the board said. (…)
http://www.nypost.com/seven/02162008/news/regionalnews/obama_robbed_in_ny_97932.htm
Hillary desiste do Wisconsin;
Democrat Hillary Rodham Clinton has scaled back her Wisconsin campaign schedule by a full day, and is now planning to leave the state after Monday morning instead of Tuesday morning.

The move suggests the campaign does not think it can overtake rival Barack Obama here. Obama has already campaigned in the state Tuesday night, Wednesday, Friday, and today. He also has single events planned for Sunday (Kaukauna) and Monday (Beloit).
http://www.jsonline.com/watch/?watch=1&date=2/16/2008&id=35716
Vem aí o início do resto da campanha!
Hillary vai engrossar ainda mais. Obama irá resistir?
Ele vai passar um mau bocado, e ela vai ficar ainda mais queimada.
O problema é este, o caminho tem sempre muito espinhos, e muitos sapos para engolir!

jfd de volta ao comentário

jfd disse...

Novidades fresquinhas!!!

Num episódio caricato, retrata-se como um apoiante de Obama deu cabo do juízo a Bill Clinton
http://firstread.msnbc.msn.com/archive/2008/02/17/673670.aspx

E Obama encontra-se com Edwards:
http://www.reuters.com/article/topNews/idUSN1560427320080218?feedType=RSS&feedName=topNews&rpc=22&sp=true

E uma sondagem publicada no Financial Times diz o seguinte:
"Europe favours Obama but Britons like Clinton"
http://www.ft.com/cms/s/0/f3eeaaa8-dd86-11dc-ad7e-0000779fd2ac.html?nclick_check=1

jfd disse...

Faltou esta:

Clinton Superdelegate: Bill "Screwed This Thing Up For Her"
->
http://www.baltimoresun.com/news/nation/bal-te.clinton17feb17,0,1052310,full.story

Tiago Sousa Dias disse...

Campanha Clinton:

Arrogância - Bill Clinton disse "Obama está a ignorar o meu legado..."
http://politicalticker.blogs.cnn.com/2008/02/16/bill-clinton-obamas-ignoring-my-white-house-legacy/

Desespero - Chelsea Clinton cada vez mais à procura de espaço e influência para ajudar a mommy

jfd disse...

E o lixo continua!!!

* Clinton Camp Accuses Obama of Plagiarism
http://apnews.myway.com/article/20080218/D8UT1JOG0.html

* Obama Says Clinton using his phrases...
http://apnews.myway.com/article/20080218/D8USVBS80.html

http://www.drudgereport.com/

-->> enquanto isto se passa, os Republicanos vão dando ares de grandes amigos e todos muito coesos! Assim se ganham eleições!
Perspectiva!!!!!

jfd disse...

Curiosidade:

Aqui está o tal Super Delegado de 21 anos...
A falar já engonha e tudo...
Já nascem ensinados :)

Concorda com o poder dos Super Delegados, e diz que, embora alguns sejam membros do Congresso, cerca de 400 são pessoas normais como ele.

http://www.huffingtonpost.com/dan-abrams/superdelegates-super-scam_b_86284.html

Tiago Sousa Dias disse...

Grande leitura:
"Matemáticamente o voto de um superdelegado equivale a quase 10 mil votos de eleitores comuns".

É um absurdo.

jfd disse...

Obama Wins Wis. Primary, Hawaii Caucus


WASHINGTON (AP) - Barack Obama cruised past a fading Hillary Rodham Clinton in the Wisconsin primary and Hawaii caucuses Tuesday night, gaining the upper hand in a Democratic presidential race for the ages.
The twin triumphs made 10 straight for Obama, and left the former first lady in desperate need of a comeback in a race she long commanded as front-runner.

"The change we seek is still months and miles away," Obama told a boisterous crowd in Houston in a speech in which he also pledged to end the war in Iraq in his first year in office.

"I opposed this war in 2002. I will bring this war to an end in 2009. It is time to bring our troops home," he declared.

Sen. John McCain, the Republican front-runner, won a pair of primaries, in Wisconsin and Washington, to continue his march toward certain nomination.

In a race growing increasingly negative, Obama cut deeply into Clinton's political bedrock in Wisconsin, splitting the support of white women almost evenly with her. According to polling place interviews, he also ran well among working class voters in the blue collar battleground that was prelude to primaries in the larger industrial states of Ohio and Pennsylvania.

Clinton made no mention of her defeat, and showed no sign of surrender in an appearance in Youngstown, Ohio.

continua em http://www.breitbart.com/article.php?id=D8UTUQGG0&show_article=1

Tiago Sousa Dias disse...

Eis as posições actuais dos democratas: Obama - 1,301 delegados; Clinton - 1,239.

São 62 de diferença mas nada está decidido até porque, repita-se insistentemente, os superdelegados vão decidir a convenção e esses são humanos e por isso imprevisiveis.

Agora uma questão interessante:

- Ninguém duvida que a inteligência americana, no combate ao terrorismo, estabelece relações com grupos terroristas. É a melhor forma de obter informação, talvez a única. Qual seria o melhor candidato para estabelecer e talvez até facilitar essas relações? O homem que vai tirar as tropas do Iraque. Mas oh que grande favor lhes faria e oh que divida lhes restaria. A troco de quê? Inteligence; knowledge; updates. Obama é quem melhor garante essa ligação obscena mas necessária.

Bruno disse...

Tiago, é um ponto de vista que - pelo menos a mim - me deixa a pensar...

Paulo Colaço disse...

Né, Tiago e Jorge, um de vós me explique isto:

"Matemáticamente o voto de um superdelegado equivale a quase 10 mil votos de eleitores comuns"

jfd disse...

Damos a palavra a Tiago Sousa Dias:)

Tiago Sousa Dias disse...

Colaço a ideia é esta:

Para conseguires eleger 1 delegado do Estado precisas de cerca de 10.000 votos sempre. Aquele superdelegado não é eleito mas tem o mesmo peso na convenção.
Pode, por isso, acontecer que mesmo ganhando brutalmente nas urnas, Obama perca a convenção por causa dos superdelegados. Esse é o trabalho que está a fazer Hillary por forma a compensar o espaço perdido, além de estar a apostar fortemente no Ohio e Texas. Nota: no último acto eleitoral Hillary falou apartir de Ohio...
Em termos eleitorais (para a convenção), resumindo, conquistares a confiança de 1 superdelegado é o mesmo que teres 10.000 votos que te deiam 1 delegado eleito.

jfd disse...

Atenção...
Olha o caso do puto de 21 anos, ele foi eleito super delegado. Outros há que são inerentes :)

Cnn.com 14:27 23/08/2008

Barack Obama
Pledged:1,158
Superdelegates:161
Total:1,319

Hillary Clinton
Pledged:1,016
Superdelegates:234
Total:1,250

Needed to Win: 2,025

jfd disse...

White House hopeful Hillary Clinton launched a scathing attack on Democratic rival Barack Obama Saturday in a bid to restore her front-runner status ahead of key nominating contests next month.
After a day of denying that a series of 11 straight losses to Obama left her campaign teetering on the edge of defeat, Clinton changed to a sharper tone and went on the offensive.

"Shame on you, Barack Obama," Clinton said during a campaign rally in Ohio, which along with the southern state of Texas holds key Democratic nominating contests on March 4.

"It is time you ran a campaign consistent with your messages in public. That's what I expect from you. Meet me in Ohio. Let's have a debate about your tactics and your behavior in this campaign."

The 60-year-old New York senator -- who accused the Obama campaign of sending out misleading policy mailings about health care and free trade -- and the 46-year-old Illinois senator are to meet for a final televised debate on Tuesday in Cleveland, Ohio.

continua em
http://www.breitbart.com/article.php?id=080223223512.k2z54xvc&show_article=1

jfd disse...

WASHINGTON (AP) - The Democratic superdelegates are starting to follow the voters - straight to Barack Obama.

In just the past two weeks, more than two dozen of them have climbed aboard his presidential campaign, according to a survey by The Associated Press. At the same time, Hillary Rodham Clinton's are beginning to jump ship, abandoning her for Obama or deciding they now are undecided.

continua em

http://apnews.myway.com/article/20080223/D8V007M80.html

Bruno disse...

Digam-me cá uma coisa: com todo este equilíbrio o que vai acontecer na Conveção?

Será que a nomeação de qualquer um destes dois ainda vai acabar por sair Gor(e)ada?

jfd disse...

Lol Bruno, é uma incógnita...
Dia 4 de Março é um dia muito importante. HRC tenta agora por tudo ganhar vantagem e ridicularizar a mensagem de Obama. Ora fica aqui mais um exemplo:

Hillary Clinton Mocks Barack Obama During Campaign Rally

http://www.huffingtonpost.com/2008/02/24/hillary-clinton-mocks-bar_n_88194.html

Vejam o video... enfim....

jfd, a campanha continua

jfd disse...

E quando tudo estava simples(!) heis que tudo se complica:)

Olhem quem está de volta:

Nader Announces Run for President
http://www.huffingtonpost.com/2008/02/24/nader-announces-run-for-p_n_88163.html

jfd, adivinha quem voltou YO, YO

Tiago Sousa Dias disse...

Jorge confesso que não percebi esta do Ralph Nader. Não conheço, não percebo, não faz sentido. Qual é o objectivo?

jfd disse...

Eu não o conheço muito bem!
Recomendo que vejas a entrevista dele no Meet the Press deste domingo que passou, podes ver em :

Ralph Nader, political roundtable
Feb. 24: Ralph Nader sits down with Tim Russert for an exclusive interview. Plus, a political roundtable with insights and analysis on Clinton vs. Obama and McCain vs. the New York Times -- featuring David Brooks, Doris Kearns Goodwin, Michele Norris and Chuck Todd.
http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/23321310#23321310

Dá para ver online na boa, com os phones. Quando for a parte dos números olha para o video para veres porque os Democratas não vão com a cara deste senhor!
Resumindo:
Florida ano da Graça do Senhor 2000
Bush vs Gore, diferença de 500 e tal votos.
Nader na Florida teve 9000 e tal (se a memória não me falha). Caso não houvesse um terceiro candidato, as coisas tinham corrido super bem para o lado Democrata e provávelmente o mundo seria um sitio melhor para se viver!!!

Qd vires opina!

jfd, isto está cada vez melhor!!!

Tiago Sousa Dias disse...

Cada vez melhor ou cada vez pior. Mas o individuo assume-se como quê: destruidor de candidaturas porque não conseguiu chegar onde os candidatos chegaram? Politicozinho em bicos de pés? Qual é o papel dele na américa? É pá faz-me muita confusão, mas assim que estiver mais informado dou-te a minha opinião.

jfd disse...

Tens de ver!!!
Vê o Meet The Press todo, tá muito informativo... Tou a ver às mijinhas mas tá fixe.

Quanto ao Nader... Tem de haver uma voz contra... Ele será um candidato contra os 2 partidos, contra a corrente, contra a carneirada. Tem de existir uma escapatória para quem não se revê no mainstream nem na loucura de Ron Paul por exemplo...

Eu sou muito a favor das vozes dissonantes. Mas apenas quando são realmente algo que acrescenta à sociedade e não "entropiantes";)
Exemplo: Manuel Alegre.

jfd, todos-nós-temos-um-pouco-de-Nader-dentro-de-nós-volta-e-meia:)

jfd disse...

EUA/Eleições: McCain é o candidato republicano às presidenciais, Clinton e Obama ainda discutem a corrida - SÍNTESE
5 de Março de 2008, 07:03

Washington, 05 Mar (Lusa) - John McCain é o candidato republicano às eleições presidenciais norte-americanas, de Novembro, vencidas as primárias de terça-feira, enquanto Hillary Clinton e Barack Obama continuam a discutir a corrida dos democratas.

Hillary Clinton foi mais votada nos estados de Ohio, Rhode Island e na primeira fase de votação do Texas, enquanto Obama foi superior em Vermont.


No lado dos republicanos, John McCain venceu o Texas, Ohio, Rhode Island e Vermont, conquistando os 1.191 delegados que necessitava para ser escolhido como o candidato do Partido Republicano na convenção de Setembro, em Minneapolis.

O senador concluiu com êxito a batalha pré-eleitoral, que arrancou débil, mas ganhou força depois da vitória em New Hampshire até deixar para trás terça-feira à noite todos os rivais.

Depois de conhecer os resultados, McCain disse sentir-se com "a confiança, a unidade e o sentido de responsabilidade" necessários para o acto eleitoral de Novembro.

"Agora começa a parte mais importante da campanha", disse aos seus apoiantes.

No lado dos democratas, Clinton e Obama ainda estão longe de conquistar os 2.025 delegados que necessitam para ser proclamados candidatos na convenção do partido em Denver, Colorado, no final de Agosto.

A noite eleitoral de terça-feira foi de Hillary Clinton, durante a qual alcançou três importantes vitórias e afastou o fantasma das 12 derrotas consecutivas desde a "Super Terça-Feira" a 05 de Fevereiro.

O resultado no Texas demorou até ser conhecido dada a complexidade das eleições neste estado, onde se escolhem dois terços dos delegados nas primárias e o restante nas assembleias locais do partido ("caucuses").

No discurso que proferiu no Ohio, Clinton reconheceu que com as vitórias de terça-feira "a nação recupera e a campanha também".

"Este estado (Ohio) sabe como eleger um presidente. Tal como vota o Ohio, vota o resto da nação. Necessitamos de um candidato que ganhe nos estados chave, como o Ohio", disse a antiga primeira-dama, deixando claro que não se vai retirar da campanha presidencial.

"O Ohio escreveu um novo capítulo na história desta campanha e isto acabou de começar", garantiu.

O senador Obama, ainda antes de conhecidos dos resultados no Texas, assegurou que "aconteça o que acontecer" neste estado, leva uma vantagem em relação a Clinton.

"Vamos a caminho de ganhar esta candidatura", disse no discurso em Santo António, Texas, sublinhando que encabeça um movimento para inspirar o país e "virar a página da política que tem decepcionado" a opinião pública.

Da noite de terça-feira registou-se ainda a desistência do republicano Mike Huckabee, comprometendo-se com John McCain a "unir o partido e o país".

ARR

Lusa/Fim.

Bruno disse...

Eu cá não sou especialista mas respondia à questão do post: Obama! Cada vez me parece mais inevitável...