quinta-feira, outubro 05, 2006

Fatinha, foge que eles andam aí!


Segundo o PÚBLICO de hoje, a autarca Fátima Felgueiras, juntamente com outros 15 arguidos, começa a ser julgada a 6 de Fevereiro do próximo ano, pela alegada prática de 23 crimes no âmbito do chamado caso do saco azul.
Fatinha despacha-te! Até Fevereiro ainda tens tempo de meter mais uns euros ao bolso e voltares para o Brasil! Daí a uns meses regressas e repetes a novela, recebida em ombros!
Força nisso, o povo é estúpido e volta a apoiar-te!
Contestação social não tens, não há crise!

10 comentários:

Marta disse...

Quando penso na realidade política que se vive em Felgueiras, dá-me vontade de repensar o conceito de democracia. Sim, deve ser dado a todos o direito de escolher os seus governantes, mas até que ponto essa escolha é justa? Já sabemos que é democrática, mas ninguém tem dúvidas de que não é minimamente informada.

O que o povo não vê, é que ele próprio sofre as consequências das escolhas que faz.

A aprovação da taxa máxima de IMI em Assembleia Municipal, aqui em Felgueiras, foi feita com a maior desfaçatez e desrespeito pela lei e pelas instituições.

Sucedeu que a Dr. Fátima Felgueiras (Sim, porque ela é licenciada em germânicas, apesar de já não saber articular duas frases em alemão, porque está agarrada ao sistema, qual lapa, há vários mandatos!) sugeriu a aprovação da taxa máxima de IMI (claro, porque a senhora doutora é muito amiga dos felgueirenses!). E em AM, a taxa foi reprovada. Uma vez que não havia tempo para fazer uma nova proposta, que levaria mais uns dias e como o prazo estava a esgotar-se (quando isso acontece considera-se aprovada a taxa mínima), a teimosa presidente, na dita sessão da AM, esperou que os opositores saíssem da sala, para voltar a pedir a aprovação (aquela que já tinha sido recusada, na mesma sessão)! E não é que lhe fizeram a vontade?

A verdade é que em felgueiras, a "Fatinha" é raínha e tem muitos amigos.

Correm rumores por toda a cidade de que até mesmo o candidato do PSD-Felgueiras à Câmara, o Dr.Caldas Afonso, bem como alguns membros da CP de Felgueiras do PSD, lhe fazem as vontades todas e, segundo esses rumores, a senhora agradece generosamente. A ser verdade, vivo numa cidade que é um polvo de interesses, cujos tentáculos provêm de todas as frentes partidárias.

Mas aqui os eleitores, que podiam fazer alguma diferença, não sabem, não vêem e não querem ouvir. Nem tão pouco se importam com construcções megalómanas, quando uma boa parte dos felgueirenses não tem ainda saneamento básico.

O povo de felgueiras sabe tão bem o que é melhor para si, como uma criança de 3anos.

Paulo Colaço disse...

Eu não sou tão conhecedor da realidade de felgueiras como tu, Marta, mas sei que na tua terra o povo é isso mesmo: povo!
Uma massa anónima desprovida de discernimento quando se apela ao "sentimento"! E a senhora que aí manda sabe apelar ao sentimento como poucos!

Subscrevo a tua frase final mas lembro-te: até as crianças de 3 anos crescem. Espero que em felgueiras a criança cresça rápido!

RICARDO PITA disse...

FÁTIMA FELGUEIRAS É O LULA DA SILVA VERSÃO PORTUGUESA. MATA A FOME AO POVO E SATISFAZ OS INTERESSES DOS LOBBIES

Marta disse...

Se matasse a fome ao povo... Mas nem isso faz! A rede de saneamento básico não abrange uma boa parte do concelho de Felgueiras, assim como a de abastecimento de água, entre outros problemas "superfluos" para a Lula de Felgueiras, mas há anos que temos uma das poucas piscinas olímpicas do país e agora já se fala em construir um aeródromo para felgueiras! Estabelecer prioridades não é o forte da Presidente da Câmara e matar a fome ao povo também não.

Ela é apenas produto de uma alucinação colectiva, que ela, maga da retórica, provocou. Porque mais importante do que ser ou não corrupta, é usar as palavras, usar os media e abusar da auréola.

opovodefelgueiras disse...

Em Felgueiras é urgente uma Democracia Musculada

Anónimo disse...

ser ou nao ser musculada é irrelevante, desde que seja democrática!

Mas percebemos o que quis dizer!

Another look disse...

FAtima Felgueiras fez muito pela sua cidade e pela população: Biblioteca municipal, Piscinas Municipais, blocos de habitações economicas.. e como consequencia lógica e legitíma o povo está grato e por isso a apoia com a força que todo o país viu. Fátima Felgueiras não volta costas a ninguém, como dizem "abraça o rico e o pobre" e qualquer pessoa aprecia uma atitude assim. Além do mais, não tem lógica mandar para a cadeia, prender uma mulher como ela! Prender porquê? Ela não morde, não esfola, não mata ninguém! Não é perigosa! Quanto muito poder-se-ia proibir de exercer o cargo ou assim...mas prender, condená-la como uma assassina não faz sentido. Por isso ela fugiu, refugiou-se num local onde não a condenavam de forma exagerada e injusta...E onde não era enxovalhada em cada esquina por onde passasse...por vezes por gente que nem sabia de que falava.

Paulo Colaço disse...

Caro "another look",

Se não faz sentido prender a senhora que fugiu à Justiça, então talvez valha a pena rever toda a legislação nacional. Penso que haveria um regurgitar do distema prisional que poria de volta às ruas muitos eventuais colegas da senhora em causa.

Alguns até, quem sabe, o poderiam vir a burlar a si num dos muitos azaresm que a vida nos traz...

temos, verdadeiramente, "visões diferentes", caso "another look".

Another look disse...

Caro Paulo Colaço:

Não concorda comigo que seria mais razoável proibi-la de exercer o cargo e puni-la com uma multa pesada? Acha então legítimo encher as cadeias com este tipo de criminosos? Eu não louvo de maneira nenhuma os crimes que cometeu e o ter passado por cima da Lei, mas compreendo que se tenha sentido condenada de forma injusta e daí a fuga...que não foi também um gesto bonito mas experimente pôr-se no lugar da falada senhora

Paulo Colaço disse...

Para eu me meter no lugar da senhora, teria eventualmente de me meter no lugar de quem viola leis que tutela a seriedade e lisura dos que exercem cargos públicos, o que para mim seria uma novidade que nao quero sequer imaginar.

Quanto à medida a pena é mais tribunais que compete decidir. Possivelmente, ainda que fosse condenada, nem teria prisão efectiva...