sábado, março 29, 2008

O Zé, a Corrupção e Lisboa na Al Jazeera


Qual justiceiro, herói de Hollywood ou provedor dos direitos inalienáveis de todos os lisboetas? José Sá Fernandes aos olhos da cadeia televisiva Al Jazeera é tudo isto e muito mais, aparecendo numa reportagem como o mais exemplar e incorruptível de todos os portugueses. A edição de hoje do Jornal Sol faz uma menção a essa peça, que encara Portugal como “um dos países mais pobres da Europa” e onde a corrupção aparece como a principal causa do seu atraso. Na reportagem vemos o Vereador do Ambiente, Espaços Verdes e Plano Verde da CML, entretanto coligado e silenciado pelo “velho” PS, como o paladino da moralidade e da luta contra o ilícito na cidade de Lisboa, tendo “levado a tribunal mais de 70 casos de corrupção”.

É pena que este folclore tenha sido visto por milhões de pessoas em todo mundo. Contrariamente ao que a Al Jazeera diz na peça, Lisboa não é “uma cidade em tumulto onde a corrupção é tão generalizada que tornou os cidadãos indefesos”. A capital portuguesa é uma cidade digna, como qualquer outra congénere da União Europeia, com órgãos autárquicos democraticamente eleitos e onde a Justiça apesar da falta de celeridade, ainda funciona.

Percebo que José Sá Fernandes e o Bloco de Esquerda necessitem deste tipo de política, de mensagem “choque” e de ruptura, para se afirmarem e conquistarem o eleitorado. Mas será que esta apoteose messiânica do “Zé”, não acabou por prejudicar a imagem de Lisboa? Pobres, sem abrigo, desesperados, desrespeitados e terceiro mundistas, são os lisboetas que na opinião da “esquerda trotskista e marxista”, vivem numa cidade espoliada ao longo dos anos, ora pelas decisões da direita democrática, ou da falsa esquerda socialista, ou quem sabe dos “sociais fascistas”. Só fico triste com a aparente falta de critério do Bloco. Em Lisboa gritam e insurgem-se contra a corrupção, seus intervenientes e derivados. Já em Salvaterra de Magos adoptaram uma postura silenciosa e conivente com o sistema que tanto repugnam. Porque será?

Sei que Lisboa é uma cidade com graves problemas urbanísticos, ambientais e societais. Por certo haverá ainda muito trabalho pela frente, na correcção de decisões mal medidas e estruturadas no passado, pelas demais forças políticas. Mas será esta a melhor via de resolução dos problemas? Será recorrer ao protagonismo pré eleitoral, ainda que vindo de fora? Ou será este mais um hilariante e lamentável episódio da política lisboeta? Penso que sim e por isso replico a mensagem, “o Zé faz falta… mas agora calado!”

Luís Nogueira aka Vermouth

40 comentários:

Paulo Colaço disse...

O tempo foge-me das mãos como a linha do horizonte à medida que a tentamos alcançar, por isso, muito rapidamente, saúdo o Vermouth pela sua contribuição.

Que seja mais uma grande discussão aqui no Psico!

(já cá volto)

Vermouth disse...

Obrigada por esta oportunidade :) Gde Abraço a todos!

Anónimo disse...

De facto, a cidade parece algo terceiro mundista, sobretudo os bairros pitorescos, as ruinas inclinam quem vem de fora a conclusoes em direcçao "um dos paises mais pobres da europa", porque francamente, neste campo, patrimonio abandonado, nao há nada semelhante no resto da europa

Anónimo disse...

Parabéns desde já ao bloguista convidado pela postagem.
O vídeo mostra bem o que é Lisboa, uma cidade fascinante, cosmopolita,cultural, citadina mas ao mesmo tempo bairrista, a degradar-se, em certos aspectos abandonada, uma cidade de contrastes entre mendigos e afortunados, entre veneráveis e elites de luxo, explorados e corruptos... uma cidade desigual. Tudo o que vi no vídeo concordo, até o permenor das burocrácias p se arranjar a banheira. Só numa discordo é que Sá Fernandes esqueceu-se de dizer que é mais um dos sanguessungas que têm afundado a Kapital. Esqueceu-se de dizer que mamam todos no mesmo tacho e para ele deixam as migalhas e que mesmo migalhas ele come-as. Como a formiga como os restos deixados pelos elefantes.

Anónimo disse...

“sociais fascistas”? Quem? Para quem é a carapuça? Se é para o PSD.. gostei!!!

Vermouth disse...

"Sociais fascistas" era a designação utilizada pelos maoístas no PREC, para designarem os "comunistas" liderados por A. Cunhal... Considero que o PPD/PSD faz parte fundadora e integrante do que designo por "direita democrática".

Anónimo disse...

obrigada ;-) pelo esclarecimento... vale mais dizer que não se sabe e ficar a saber do que morrer ignorante ;-)

Tânia Martins disse...

Primeiro do que tudo quero dar os parabéns ao Vermouth pelo tema e pelo post.

Segundo, confesso que não vi o vídeo todo, mas o que vi despertou em mim um tanto de revolta pela reportagem que foi feita. Além de ter sido vista pelo mundo, parece-me um tanto exagerada. Portugal está longe de ser um país de terceiro mundo (na minha opinião), se comparássemos o nosso país com verdadeiros países do terceiro mundo veríamos a real diferença. Terceiro mundo da Europa, acho que é uma conotação errada, poderíamos sim dizer um dos países mais pobres da Europa, ou menos desenvolvido. Não vejo que outra expressão se poderia utilizar.

A cidade tem bairros degradados, ruínas de facto. Mas não é exclusivamente um problema português. E França? Quantos bairros destes se podem lá encontrar? Quantas e quantas pessoas não estão lá a dormir na rua? É um país de terceiro mundo? Não me parece!

Também não me parece que haja um índice tão monstruoso de corrupção em Lisboa. Existe, claro que existe como é normal (infelizmente), mas mais uma vez não se trata de um problema exclusivamente português. Mas para o nosso mal o problema é geral e verifica-se em todo o mundo.

“Sei que Lisboa é uma cidade com graves problemas urbanísticos, ambientais e societais. Por certo haverá ainda muito trabalho pela frente, na correcção de decisões mal medidas e estruturadas no passado, pelas demais forças políticas.”
Tem toda a razão! Há muitos problemas sociais para serem solucionados e não só! Mas de facto esta propaganda, digamos, suja, não irá solucionar nada mas só causar a má imagem da nossa cidade e, inclusive, de Portugal.

Acabo dizendo que Lisboa é tão bonita ou mais que muitas “grandes” cidades Europeias. Era escusado usar partes da cidade para torná-la pior do que aquilo que muita gente pensa!

Cidália disse...

Tou pasma.
Afinal, ovo de Colombo: para acabar com a corrupção em Portugal basta perguntar ao Zé.
Mas que bem que os Fernandes se relacionam...

Anónimo disse...

tania, comparar uma cidade de 10 000 pessoas com dois ou tres edificios abandonados com uma cidade com a mesma porpulaçao e com algumas centenas de edificios em ruina nao é muito honesto

antónio pessoa disse...

Antes de mais, parabéns pelo texto.

O respeito que devemos aos jornalistas é notório, mas há jornalistas e jornalistas.

Uns merecem estátuas pelos exemplos de coragem, outros a cassação da licença por visivel corrupção.

Outros merecem puxões de orelhas porque não questionam as suas fontes.

Zá Fernandes, um lutador anti-corrupção? Ele é o maior exemplo das pessoas que se calam a troco de um pelouro!

Vasco disse...

Julgo que a próxima grande reportagem da Al Jazeera deveria ser com a presidente "Anita" da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, isso sim, um exemplo de como o Bloco se comporta estando no poder!!! E com o Zé e o Louçã a acompanhar!

"Salvaterra de Magos reúne todas as condições para se afirmar como um concelho próspero, atraente e desenvolvido. Infelizmente, do ponto de vista político, continua a ser (des)governado por uma maioria de ex-comunistas ortodoxos e mal formados politicamente. Um grupo de amigos que se aproveitou do Bloco de Esquerda para implantar uma ditadura Estalinista em Salvaterra. Lutaremos para que Salvaterra de Magos seja um concelho mais fixe. Dizemos não a esta força de bloqueio"

in http://salvaterraefixe.blogspot.com/

EM disse...

Então vamos lá começar a discussão. Sou um provocador nato! Eheheh! Curioso é que toda a gente está "escandalizada" pela "forma" da entrevista e não comentam a "substância", ou seja, os casos de corrupção que se abateram sobre Lisboa e que faz lembrar Marbella.


1) Porque é que o "Zé" como independente não têm lugar no PSD?

2) Porque é que nenhum dirigente do PSD é capaz de assumir que vai expulsar ou denunciar todos os militantes envolvidos em casos de corrupção?

3) O que é que o pessoal acha da tirada assassina na 2º parte sobre o financiamento dos partidos?

Na minha opinião, considero José Sá Fernandes um político corajoso. Sim! O seu irmão também por ter colaborado com a PJ.

Não me mete "nojo" ele ser apoiado pelo Bloco de Esquerda. Faltam mais pessoas como ele, activistas de verdade, que denunciem e lutem contra este flagelo que é a corrupção. E é pena não haver dirigentes do PSD como ele. Estes andam rendidos ao "maná" do marketing político.

O pacote anti-corrupção PS-PSD ficou em "águas-de-bacalhau" na A.R. depois das eleições de Lisboa. Quem liderava o grupo do lado do PSD e porque é que foi quebrado o acordo? Isso é que foi "folclore"!

Preocupa-me mais a substância que a forma. Tudo o que foi dito, é parcialmente verdade, tirando o exagero claro da reportagem, que se apoia no título bombástico do Correio da Manhã: "Corrupção Mina Lisboa". Portugal não é 3º mundo, mas também não é 1º mundo. Uma das razões é a corrupção.

Considero que é útil expor estas situações, porque contribui para a sua resolução, quer vocês gostem quer não. Vocês preocupam-se muito com a imagem má que isto pode dar. É uma atitude "partidariamente correcta", se é que me faço entender, estão a tentar dar a volta à questão, que é a corrupção e a total inépcia do PSD no combate contra ela.

Esta foi uma reportagem que relembrou os momentos negros do PSD em Lisboa e um sério aviso à imagem internacional de Portugal que na realidade fica mais pobre a cada dia que passa. Urge dar a volta a estas duas situações.

A exclusão social também esteve em destaque na 2º parte. Ainda bem que há ONGs que lutam pelos direitos dos imigrantes.

E mais uma coisa.

Marina Ferreira, presidência EMEL, chumbada, bancada PPD/PSD, calados.

Boa noite.

jfd disse...

Ora bem,
Vermouth obrigado pela posta.
Também a mim me espanta o escândalo pelo escândalo.
O que tem de mal a reportagem?
É a vergonha? É o encarar da verdade? Que temos corrupção? Que quem manda na maior parte das nossas CM são os lobbies do betão? Não foi o nosso Partido multado há dias por negociatas com uma empresa do género? Estamos parvos, cegos ou fazemo-nos?
E Lisboa está bem? Ou queremos acreditar que sim?
Eu AMO Lisboa. Mas Lisboa está porca, suja, impossível, mete nojo.
A única coisa boa em Lisboa são os alfacinhas que como estóicos cidadãos, vão se adaptando às desgraças do dia a dia. Mas felizmente muita coisa funciona, muita oferta cultural, boa rede de transportes etc. Mas um maior crescendo de falta de segurança, maior pobreza visível, cada vez mais arrumadores, enfim, cada vez mais vícios terceiro mundistas... Acompanhando tudo isto a falta de civismo. Talvez de quem venha cá trabalhar, mas isso é outra estória...

Quanto ao Sá Fernandes... É chato? É! Custa dinheiro? Sim! Faz falta? SIM!
O que me irrita é que nós como sociedade, empurramos estes inconvenientes intervenientes para os extremos políticos. Não lidamos com os nossos demónios directamente! Deixamo-los existir, co-existir até, como que se deixassem de o ser pela não atenção. Como refere o EM, e bem, não tivemos tomates para lutar contra a corrupção. Agora este grupo parlamentar parece que vai fazer algo acerca disso, mas rapidamente dentro do partido o canibalismo partidário fez das suas no que toca aos eleitos para tal.

O Zé faz falta sim, e o irmão também e muitos mais como ele. E não vou ser demagogo nem entrar por caminhos fáceis da critica fácil e que conveniente é dizer que ele agora está calado... Em que contribui isso para uma melhor Lisboa??? Em quê? ZERO
Em que contribui isso para um melhor PSD ??? ZERO

No âmbito do meu trabalho final de curso, sobre energias renováveis, microgeração e mini aerogeradores, foi um elemento do meu grupo à reunião de câmara de dia 24 de Março. E o retratado foi um Zé a defender uma Windparade em Lisboa. Eu sou a favor. A oposição foi contra. Não contra o projecto. Mas contra o Zé. Isto é mau. Para os dois lados.

Eu acredito, como é óbvio, que o Zé, sendo amigo do PS, não seja provocador desta administração. Ele lá está a fazer o seu trabalho... Quando estivermos lá nós, temos é de ter Zés, que anulem este Zé quando ele levantar a voz. Mais nada.

Com Ricardo Sá Fernandes, uns amigos, enveredaram por uma acção contra um Ministro socialista. Foram tempos difíceis, os durante e os que se lhe seguiram. Mas sentiu-se justiça. Sentimos que tínhamos voz e a possibilidade de tomar em mãos qualquer causa com mérito. Tendo como únicos obstáculos tempo e dinheiro.

Olhem para Lisboa. O Martim Moniz e aqueles monstros, um de frente do outro. O El Corte Inglês, o Restaurante Eleven, o Prédio de habitação Jovem em plena Praça Camões, o prédio da EPUL que nunca mais é construído no mesmo Martim Moniz, o Rock in Rio e a isenção de taxas, a Braga Parques, a Feira Popular, as derrapagens eternas em obras, a Parque Expo, as variadíssimas EMs....
Hajam muitos Zés... E que muitos estejam do nosso lado.
Temos de resolver isto, antes que fique pior.

Nélson Faria disse...

1 - Porque há outros critérios para escolher a nossa lista do que causar défices À CML: lembram-se do embargo injustificado do túnel do Marquês? lol

2 - Temos sim. marques mendes. Não sei se bem se mal.

3 - Cada um fala do que mais lhe apraz ;) é o caso do BE

Mais coisas do Zé: o loteamento do Estádio de Alvalade - contra quando era oposição, a favor quando se tornou vereador de maioria; o campo de tiro do monsanto - veementemente contra quando era oposição, a favor da proposta da CML quando chega a vereador de maioria.

A política está podre... e parte do cheiro nauseabundo vem de sá fernandes.

Obrigado Luis pelo teu contributo.

Paulo Colaço disse...

Caro EM, provocações, venham elas! :)

Respondendo ao EM e ao JFD, reapareço na discussão para dizer que José Sá Fernandes aparece inicialmente como responsável por inúmeras "acções populares" contra a Câmara.

Encontrou aí uma forma de ter visibilidade. Algumas delas com justiça, outras nem tanto. Quase todas danaram o concelho. Dirão que é um homem de coragem. Concordo. Dirão que levantou a voz contra alguns erros. Concordo.

Escuso-se de voltar a falar nas motivações "sá-fernandistas" para se tornar no paladino-de-dedo-em-riste. Não posso é deixar de dizer que, se algum desprendimento houvesse na cruzada inicial de Sá Fernandes, esse morreu no dia em que cheirou o Poder.

Mas não há crise, se acontece aos melhores, também pode acontecer aos piores...

jfd disse...

Paulo concordo a 100000% com os teus dois últimos parágrafos!
Então a tua última frase, eu não teria dito melhor.

É isso mesmo, who cares!

Mas que precisamos de Zés, precisamos!
Irrita-me que a esquerda capitalize e monopoliza no que toca a justiceiros sociais.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Caro Vermouth,

Parabéns pela escolha do tema e pela imagem. Está genial!

Quanto à reportagem da Al Jazeera: depois das Lajes terem dado pontapé de saída para a Guerra do Iraque, Portugal ganha agora como referências a corrupção lisboeta e o virtuoso Sá Fernandes. Há um claro desfasamento da realidade.
Para mim, Sá Fernandes preconiza a política de interesses e o mutismo de conveniência que caracterizam o BE.

Ainda há poucos dias, registou-se mais um episódio que nos revela o que é o bloco (de interesses) de Sá Fernandes. Discutia-se uma proposta do vereador do BE, em reunião camarária, e os vereadores da oposição manifestaram intenção de votar contra. Antes da proposta ser votada, “Zé que fazia falta, mas agora calado” retira-a e António Costa anuncia que a mesma será aplicada por despacho do presidente.

Para o ano há eleições autárquicas. Veremos até quando durará o silêncio de Sá Fernandes.

jfd disse...

Que proposta?

Margarida Balseiro Lopes disse...

"A proposta de instalação de quinze turbinas eólicas na cidade no âmbito da iniciativa Wind Parade foi apresentada por Sá Fernandes e, ao longo da discussão, os vereadores do PSD, Lisboa com Carmona, PCP e Cidadãos por Lisboa indicaram que a iam votar negativamente." in RTP

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=335700&visual=26&rss=0

jfd disse...

Obrigado.
Como dizia eu no meu comentário:

No âmbito do meu trabalho final de curso, sobre energias renováveis, microgeração e mini aerogeradores, foi um elemento do meu grupo à reunião de câmara de dia 24 de Março. E o retratado foi um Zé a defender uma Windparade em Lisboa. Eu sou a favor. A oposição foi contra. Não contra o projecto. Mas contra o Zé. Isto é mau. Para os dois lados.


Acrescento...
É engraçado ler as notícias. E depois saber o que realmente se passou.
Embora não tenha lá estado directamente, teve lá o meu colega de projecto das 15h até ao final.
Eu não vou estar contra uma boa ideia do Zé, só porque o Zé está do lado podre e nauseabundo da política (concordando com o Né).
A ideia é boa.
Um exemplo do argumentário utilizado era:
- As turbinas fazem barulho
- Há pouco vento!
Ao que respondia o Arquitecto do Gabinete do Vereador:
- Se há pouco vento, haverá pouco barulho...
Foram discussões ridículas como esta que levaram o Presidente de Câmara a exercer a sua autoridade, como muitos dos nossos o fizeram. Que mal vem daí à autarquia?
Não sei (ainda) mais pormenores, pois ainda não tenho o relatório.

Não estou a dizer que o fazem, ATENÇÃO, mas eu não deixo os meus preconceitos e ideias pré concebidas, moldarem totalmente o que penso ou não de certas pessoas e ou iniciativas.
Devemos ser livres para decidir por nós próprios. E aí está um mau serviço (mais um) dos jornalistas que se prestam a fazer copy&past dos comunicados da Lusa. Com zero trabalho jornalístico e zero acrescento de valor.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Jorge,

Naturalmente que as propostas devem ser analisadas no seu conteúdo, e não desvalorizadas consoante a pessoa que as apresenta. Mas não procurei fazer uma crítica à relevância ou importância da mesma. Indignei-me pelos meios usados para fazer valer a proposta do sr. vereador.

É indigna a forma como o PS e o BE fizeram valer a sua vontade, marginalizando, e desautorizando, os vereadores da oposição. Daí que compreenda e elogie a postura do PSD, que abandonou de imediato a reunião. São posturas. E regozijo-me da que foi adoptada pelo meu partido nesta situação.

jfd disse...

Bem minha querida,
Eu não posso passar esse atestado de regozijo sem conhecer os factos.

E aliás eu sou a favor do Poder. Se eles têm o poder, que o exerçam!

Estou farto e cansado de indecisão, indeterminação e falta de consequência.

Lembra-te. Eles estão a desbravar terreno. Mas nós voltaremos um dia ao poder.
E depois não poderão fazer barulho!

Margarida Balseiro Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margarida Balseiro Lopes disse...

Jorge,

Os “pecados mortais” da comunicação social costumam ser comummente usados para se escusar a comentar ou a justificar factos. Eu tentarei não cair nesse erro. RTP e DN, por exemplo, noticiaram o incidente. Mesmo para os mais cépticos, é perceptível a jogada de António Costa e de Sá Fernandes. Sá Fernandes, o verdadeiro paladino da moralidade, que “fazia falta” para denunciar “jogadas políticas” e que se não deixava corromper.

A proposta esteve em cima da mesa para ser votada, mas ardilosa e indignamente, para evitar o seu chumbo, transforma-se num despacho do presidente. Enquanto não houver executivos monocolores, continuarei clamar respeito pelos vereadores da oposição.

EM disse...

Engraçado como os engenheiros não vão em cantigas, eheheh...Também gostei da proposta do Zé sobre a Wind Parade.

Um bocado off-topic, na minha tese de mestrado preconizava uma rede autónoma de comunicações alimentada por painéis-solares como o projecto Green-Wifi e com uma estrutura eólica muito semelhante ao FireWinder.

Para vosso esclarecimento, já existem torres eólicas de produção de energia eléctrica silenciosas. FANTÁSTICO, NÃO É?

A Helix é só um dos exemplos. Mas é claro, quem está na oposição na CML não faz a mínima ideia porque são uns incompetentes e não fizeram o trabalho de casa, ou então pior, sabem e só querem é vingar-se do "Zé".

É por causa destas coisas que os políticos são a classe profissional mais odiada e desprezada em Portugal. E isso não vai mudar só com falinhas mansas, mas com actos justos, transparentes e honestos.

A WindParade será um evento espectacular em Lisboa e levará à quebra de mitos. É parecida a uma proposta minha que fiz no ano passado em Oeiras durante a Agenda21Local. Eu vou querer levar uma daquelas turbinas para casa :-)

jfd disse...

EM obrigado pela Info:)
Eu tb levava uma, se fosse possível:)

Margarida, das duas uma, ou não leste os meus comentários, ou estás tão obcecada com o Zé que já não comentas com clareza o assunto.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Jorge,
O facto de ter uma opinião diferente da tua, não significa nem obcecação com o "Zé", muito menos que ignore os teus comentários. A isto chamo discussão de ideias. ;)

jfd disse...

Ok Margarida como queiras.
Não te vi discutir nenhuma ideia aqui relativamente a isto que assumiste como final:


A proposta esteve em cima da mesa para ser votada, mas ardilosa e indignamente, para evitar o seu chumbo, transforma-se num despacho do presidente. Enquanto não houver executivos monocolores, continuarei clamar respeito pelos vereadores da oposição.


Principalmente quando tens um amigo que te diz que neste caso, a oposição não se deu ao respeito. Caía aqui o Carmo e a Trindade, abrir-se um pouco a tal discussão de ideias.

Em cabeça feita não dá para mexer :)
Beijos

EM disse...

A margarida anda a discutir políticas. A discussão de ideias é outra coisa, porque aí não há luta de interesses.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Pois Em, o problema é quando por trás das ideias estão políticas de interesses.

E continuo a defender que os fins não justificam os meios. E é disto que se trata. Nada mais.

EM disse...

No caso da WindParade, não vejo qual o problema. É uma promoção "cultural" global que acontece em outros países. Se os vereadores do PSD não promoveram a ideia não têm nada que fazer "birra". Podiam fazer oposição se tivessem mostrado claramente se as desvantagens pesassem mais. A actuação destes vereadores do PSD mostra falta de consciência, de maturidade e de capacidade de argumentação. Eu não vou por aí, muito menos defender "broncos" que se queriam fazer aos cargos da EMEL (foi você que falou em políticas de interesse?)

Boa noite :-)

jfd disse...

Aguardo pela resposta da minha querida Margot ;)

Margarida Balseiro Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margarida Balseiro Lopes disse...

Parece-me manifestamente excessivo o termo "broncos" para apelidar os vereadores do PSD. Mas volto a repetir que não foi do conteúdo da proposta a que aludi.

Uns chamam "políticas", e teimam em ignorar, a forma como a proposta foi viabilizada pela coligação PS/BE. Eu considero-a uma evidente falta de ética na política.

Paulo Colaço disse...

Desconheço o âmbito da proposta de Sá Fernandes ou a argumentação usada pelas bancadas dos restantes partidos para a chumbar.

Não foi só o PSD: creio que também CDS, PCP, Roseta e Carmona se mostraram pouco convencidos.

O que sei, e aqui concordo com a Margarida, é que devemos ser honestos tanto na forma como no conteúdo.

Por mais fundadas que sejam as suas suspeitas, a polícia não pode chicotear uma testemunha até que ela conte a verdade.

O método deve ser sério. Se não pretendia que a ideia fosse apreciada pelos seus pares, Sá Fernandes deveria ter ido logo agarrar-se às saias do Presidente para que a proposta não passasse pelo crivo democrático.

É assim que se cria dependência. É assim que autonomia se castra. Esta compra de favores fez cair a máscara de Sá Fernandes.

O que foi feito equivale, p.ex. ao presidente norte-americano dizer: "eu hei-de acabar com a pena de morte neste país nem que tenha de matar alguns senadores"...

Se os meios nao forem éticos, os fins ficam permanentemente manchados.

jfd disse...

Bem no próximo CCC falaremos disto, há coisas que não podem ficar escritas LOL ;)

Paulo Colaço disse...

Muito bem então.
Sexta-feira, 13.30h, no local de sempre.

Mais uma Refeição Plenária do Psicolaranja.

José Pedro Salgado disse...

Já a discussão adiantada, também digo qualquer coisinha.

Primeiro que tudo parabéns ao Vermouth pêlo excelente post sobre um têma que, caso contrário, certamente passaria ao lado para muitos.

Quanto ao tema propriamente dito, dêvo dizer que não me choca. O José Sá Fernandes sempre adoptou uma postura muito "in your face" que nunca foi do meu particular agrado, enquanto paladino da justiça. Agora deram-lhe palco, ele aproveitou.

A pergunta é se ele sabia como Portugal ia ser representado e se, ainda assim aceitou participar. Caso assim o seja, consequências deviam ser retiradas de um homem que colabora com quem descreve nestes termos uma cidade que ainda por cima foi a que o escolheu para governar.

jfd disse...

Vi um episódio daquela coisa que dá na Sic Noticias onde falam mal, em que a senhora dizia que toda a gente retira ao Zé o mérito de ter sido o primeiro a ter apanhado um corrupto em flagrante...