sexta-feira, março 14, 2008

É esta a cara da transição?


Com a recente renuncia de Fidel Castro ao poder em Cuba, já se fala num possivel novo ciclo naquele país......

Raul Castro, actual "dono" do pequeno país, irá com toda a certeza ser o Presidente da transição...

Porque existe um olhar indiscreto para Raul. Os EUA, Nações Unidas e outras organizações internacionais estão a piscar o olho.....

Todos estas potências sabem que mais ou cedo ou mais tarde irá acontecer o inevitável: transição para a democracia em Cuba

Será mesmo assim?


A partir de quando o famoso "Cuba libre" começará a fazer sentido?


13 comentários:

Francisca Soromenho disse...

Não me parece, honestamente, que Raúl Castro se mantenha no poder durante muito tempo. Também eu "pisco o olho".

Filipe de Arede Nunes disse...

Não ficará certamente tanto tempo como o irmão, mas este também já mais na casa do setenta!
Cuba será livre quando aquele regime cair e for substituido por um outro democrático. Resta saber é como é que este vai cair...
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Vermouth disse...

De facto existe um olhar indiscreto para Raul Castro, por parte dos EUA, da UE e de outras organizações internacionais. Olhar esse que apela à instauração de um regime democrático, respeitador das liberdades, direitos e garantias dos cidadãos.
.
Mas será mesmo assim? Tentará Raul Castro fazer uma espécie de "Primavera Marcelista"? Irá a totalidade do povo cubano aderir ao sentimento democrático e abandonar a concepção socialista do Estado? Irá cair em desuso o slogan "Pátria ou morte, venceremos!" e as bandeiras do Ché, estrelas vermelhas e companhia?
.
O futuro o dirá. Mas pressupor que a curto prazo teremos uma República de Cuba "libre", parece-me exagerado. Mesmo pensando em transição, vejo o Raul Castro como um futuro Suarto ou um Musharaf, agarrado à cadeira do Poder e assim todos sabemos, onde ficarão as práticas e os valores democráticos...

Diogo Agostinho disse...

Ora bem o meu colega antecessor nos comentários tocou e bem no ponto, é tempo de esperar, mas Raúl Castro tem a escola do irmão!

Porém, a seguir a um líder carismático vem sempre a transição!

Rául é velho, já não representa uma renovação! Mas...o tempo o dirá!

Paulo Colaço disse...

O Tempo dirá, mas não sei tempo terá Raúl para fazer uma primavera raúlista.

Por ora, Cuba Libre apenas em copo de vidro. Tudo o resto são aparências e ilusões de abertura...

Bruno disse...

Definitivamente, não me parece que vá mudar alguma coisa com Raul. A única coisa que poderá acontecer é o regime ser mais pressionável por este não ter o carisma do irmão e antecessor.

E, por isso, acho que é uma boa oportunidade para a comunidade internacional se debruçar sobre o problema de Cuba pois não podemos esquecer que há lá pessoas a sofrer por falta de liberdade mas também de pão...

Paulo Colaço disse...

Bruno, acho ignóbil que venhas aqui mentir descaradamente quanto ao problema da fome e da pobreza em Cuba!

Como qualquer comunista português te dirá, em Cuba vive-se feliz e de barriga cheia!

Acho que deves assumir que te enganaste e que falaste de uma realidade desconhecida em Cuba: a dos esfomeados, pedintes, etc.

Bruno disse...

Sim, é verdade caro Colaço. Faço aqui um mea culpa.

Ainda por cima eu que até fui testemunha de uma intervenção na Assembleia Municipal de Almada em que o Presidente da Assembleia de Freguesia de Cacilhas se referiu a Cuba como um "farol da democracia"... Esqueceram-se foi de o avisar que o farol estava apagado há uns anos ;)

A verdade é que, ao falar de Cuba, estou a fazê-lo com pouco conhecimento de causa e por isso sugeria que o nosso Administrador de Blogue pagasse uma viagem de reconhecimento do território a todos Psicóticos :P

Paulo Colaço disse...

Vou pensar no teu repto, Bruno.
Sobretudo se estiveres a falar de Cuba do Alentejo... :)

José Pedro Salgado disse...

Escolas são escolas, mas maus alunos de más escolas também existem e podem fazer muito boas coisas.

Vou cometer o pior erro de análise política: fazer futurologia, a suprema arrogância.

Assim, creio que Raúl não vai guinar o volante de Cuba. A coisa vai ser mais devagarinho, a pouco e pouco, e sem dar nas vistas.
Pequenos focos de liberalização (que já muito significarão num país que está sufocado de repressão) vão começar a deixar entrar o exterior, à la China.

Mas o caminho que se advinha até ao colapso e ao primeiro grande salto em frente vai ser longo, e ainda bem. Por muito impopular que isto possa soar,a estupidez de dar à bruta liberdade e democracia a um povo que já não se lembra como ela trabalha é MUITO perigoso.

Paulo Colaço disse...

Comentário perfeito, Zé Pedro.
Tás lá!

Bruno disse...

Colaço, claro que é no Alentejo! Não sabes que eu gosto muito do nosso país? Queria lá agora ir para o estrangeiro...

jfd disse...

Cubanos já podem entrar nos hotéis para estrangeiros.

"Sim, recebemos esta instrução e está vigente desde hoje", confirmou ao El Mundo um dos recepcionistas do hotel Copacabana, em Havana.

Quem quiser ficar instalado nos hoteís deverá, tal como os estrangeiros, pagar em divisas.

Tecnicamente, não é necessária nenhuma lei para implementar a alteração, sendo que se trata apenas de revogar a medida tomada após a crise que atravessou a ilha desde a década de 90, para incentivar ao turismo.

Na verdade, a Constituição cubana garante a todos os nacionais o direito de desfrutar "dos mesmos balneários, praias, parques, círculos sociais e demais centros de cultura, desporto e recreação", pelo que o levantamento da proibição não é mais que a restituição de um direito contemplado na lei.

A nova medida junta-se a outras de carácter mais aberto e flexível, tomadas pelo novo Presidente, desde a investidura, em Fevereiro.

A semana passada, Castro também autorizou os cubanos a possuírem telemóveis - o que ánteriormente estava reservado aos estrangeiros e aos funcionários do Governo.

http://sic.sapo.pt/online/noticias/mundo/20080331+Cubanos+ja+podem+entrar+nos+hoteis+para+estrangeiros.htm