terça-feira, dezembro 18, 2007

A árvore das Patacas



Há oito anos que Macau é território Chinês. Terra linda onde se encontram as culturas ocidental e oriental. As portas do oriente; as portas do entendimento. Onde mais, fora de Portugal, poderíamos encontrar uma calçada à portuguesa senão no largo do Leal Senado ou frente ao Templo de à Má?
Oito anos depois, a RAEM está rica, o nível de desenvolvimento é inacreditável, o custo de vida é baixo (cerca de 10% inferior ao custo de vida em Hong Kong), os salários são altíssimos. As taxas de IRS são 3, 6, 9 e 12% (neste caso apenas para rendimentos acima de 600.000Patacas/ano - € 60.000/ano) e a qualidade de vida é ponto de honra na cultura oriental.

Há dois factos que me chateiam uma vez que os portugueses estiveram tanto tempo em Macau e tendo feito tanto lá, não conseguiram metade do desenvolvimento que Macau teve nos últimos 5 anos.


1- Segurança Social não existe (ao exemplo americano) e no entanto o nível de pobreza é diminuto, as taxas de desemprego fixo são quase inexistentes (existe, outrossim, o normal desemprego temporário na transição de trabalho);

2- O Governo Macaense sabe o que fazer ao dinheiro. Ex. os planos de ensino gratuito estão assegurados até 2020. (a algum ou alguma macaense que leia este blog perdoem-me se me enganei na exactidão desta informação mas confio na fonte).


É pena mas dá que pensar que se calhar é mesmo problema nosso esta falta de capacidade de dominar os destinos de um Estado.

18 comentários:

jfd disse...

Lá está quem melhor para falar mal de Portugal? Um português!
Certamente Tiago que as coisas não são assim tão lineares.
Certamente Tiago que aquando da "Governança" Portuguesa outros problemas e questões se apresentavam ao/no território.
Certamente Tiago que os tempos são outros.
Certamente Tiago que as condições são outras.
Certamente Tiago que a RPC terá alguma coisa que ver com esse desenvolvimento.
E talvez Tiago, o facto de a região ter-se vendido ao diabo também ajude muito à sua prosperidade, afinal, as receitas do jogo contribuem em muito para o orçamento desta região especial dessa grande China Comunista.

Mas esta post foi porque? Saudosismo imperial? :)

Tiago Sousa Dias disse...

Ahahah tu és um must.
Olha vou-te fazer uma pergunta: alguma vez ouviste falar de Macau como ponto de grande desenvolvimento no Mundo como ouves nos últimos 2/3 anos?
Pergunta a qualquer Macaense o que pensa dos Governos portugueses em Macau... Quem conhece sabe que os Macaenses (mesmo - não os portugueses nem os chineses em Macau) têm um ódio de estimação aos portugueses. Podes encontrar duas explicações para isso se pensares numa relação. O Português foi o homem que "foi comprar tabaco" e nunca mais voltou; ou foi o homem que quando as coisas começaram a correr mal não quis nem saber e abandonou o lar.
Macau ultrapassou Las Vegas nas receitas de Jogo meu amigo; se entrares na Ordem dos Engenheiros verás um grande quadro ilustrativo de um prémio ganho pelos portugueses com a chamada "Ponte Mcdonalds" construída no tempo de governação portuguesa mas com dinheiro oriental. Tiramos os louros, ficou a batata.
Não tenhas dúvidas que Macau se desenvolveu mais nos últimos cinco anos do que, antes de 99 em 50 anos.
Fizemos um mau trabalho. Pareciamos os ingleses na Índia e devemos reconhecer este facto histórico.

Tiago Sousa Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jfd disse...

LOL obrigado pelo elogio!

Duas razões para Macau estar na boca do povo como dizes tu:

BRIC
-> Brasil, Rússia, Índia e China, este último-> ergo, HK e Macau -> na boca do mundo.

A outra já falaste tu, as receitas do jogo e a constante procura do maior casino do mundo, a picardia entre Las Vegas e Macau.

Já agora, dentro do mesmo espírito, poderias falar no Brasil e no Nordeste; pobre pobre pobre, em contraste com o sul que foi povoado por alemães, holandeses e etc ;)

Nós somos é um povo de brandos costumes. Não nos habituamos foi a essas latitudes. Está tudo explicado ))

Eles estão melhor sem nós?
Ainda bem que saímos então!!!

ps - Isto quer dizer que agora Cahora Bassa vai render como nunca? LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

Tiago Sousa Dias disse...

Ai JFD não tem nada a ver. Estás a confundir a Estrada da Beira com a beira da estrada.

1- BRIC? Sabes por exemplo que os Chineses só podem entrar em Macau com vistos devidamente autorizados? Que existe fronteira entre a China e Macau? A única verdadeira actividade Chinesa junto de Macau prende-se com o Tribunal de última instância; o Banco da China que tem delegação em Macau e o quartel em que os soldados chineses estão enfiados e só saem em caso de tumúlto. hehe. Há cerca de ano e meio disse a China que não interferiria JAMAIS hehe na RAEM porque ela própria tem uma identidade diferente da chinesa. Esqueceste-te de propósito ou sem querer de referir Taiwan? É que em Taiwan os Chineses só não fazem o que não querem. A administração macaense, por incrível que pareça face à imagem imperial chinesa, não está dominada pelo imperio. Mais têm uma espécie de Carta Constitucional; Governo; Tribunais; Assembleia Legislativa; tudo autónomo da China. Aquilo em que a China se notabiliza actualmente curiosamente, Macau não tem nem muito nem pouco; não tem simplesmente. Por exemplo indústria e mercado de capitais. Não existe "Praça" em Macau e a indústria é em Coloane e quase inexistente. Macau vive do SEU jogo e do SEU comércio. E ainda vão resistindo ao capital de Hong Kong que invadiu o mercado imobiliário encarecendo tudo.
Eu já disse num fórum: acho que num espaço de 5 a 10 anos será intolerante o ritmo de crescimento de Macau. Ou abranda; ou morre. Porquê? A mão de obra está a encarecer brutalmente. Se quiseres abrir uma pastelaria em Macau, terás que pagar a alguém para ficar a atender ao balcão cerca de 1500€, ou sai e vai trabalhar para um casino.
Por fim, não há qualquer rivalidade com Las Vegas. A única rivalidade que existe é Stanley Ho vs Americanos. Os americanos perceberam que Macau é um nicho de mercado no Jogo. Vai daí e IN.. IN... INVASÃO. Não há mais espaço para construir casinos em Macau! O que fizeram eles? Construiram no Rio das Pérolas com aterragens. A questão é que existem os Casinos do Stanley Ho e os Casinos de Las Vegas que começaram a abrir em Macau e com mais expressão.

jfd disse...

Sr Dias
Não seja tão precioso!
Estamos a falar de perspectivas! E ainda por cima refiro-me a perspectivas de fora para dentro. A China é só aquilo que ali fica ao lado e que por acaso é grande que se farta!
Taiwan nem lembrei! Estou a mandar postas enormes de pescada, nada de cientifico ;)
Rivalidade claro que há, mas mais uma vez, perspectivas ;)
Maior casino, mais zona com slots, maior rendimento por m2 etc e tal ;)

Ps - ninguém vem aqui dar uma posta tb para isto não ser do dominio dos Dias?

Tânia Martins disse...

Depois venho cá com mais tempo, mas meninos, calminha vá :p

Vermouth disse...

Mais um post interessante :) Cada vez que junto estas palavras, lembro-me sempre de uma malta do PS - "Árvore das Patacas e Macau" lol

Passando a brincadeira à frente, acho que Macau, pelo que tenho lido e visto nas news, tem tido de facto um desenvolvimento de acordo com a região em que está inserido, por isso, não é com surpresa que olho para a realidade actual. Quanto ao desempenho que tivemos na região, bem como se os autóctones nos "ódiavam ou nos adoravam", penso que no presente, é nos tudo marginal...Antes como agora, cooperamos e negociamos com Pequim e desde que obtenhamos ganhos económico-financeiros com isso é o que interessa ao país.

Tiago Sousa Dias disse...

É interessante a tua observação sobre a localização de Macau. Mas é exactamente o contrário e ainda me levanta mais uma curiosidade. Porque é que Macau na zona (pobre) onde está inserida contrasta de tal maneira. Pontos de referência em redor de Macau tens Zuhai, Guangzhou e claro Hong Kong que está desenvolvidissimo há décadas. Mas ainda assim Hong Kong fica a mais de meia hora de Jet Foil (imagina a distância entre Lisboa e Leiria, Lisboa não influencia Leiria em coisa nenhuma). Já Zuhai e Guangzhou são zonas urbanas mas pobres.

jfd disse...

Bem Tiago, não me meto mais contigo sobre Macau, não faço ideia do que estás a falar mas acredito em ti ! ;)

Vermouth disse...

Tiago Sousa Dias, os meus parabéns pelo conhecimento que demonstras sobre a geografia da China :) Já agora, quando me referia "à região", estava a falar do Sudeste Asiático e não de uma região tipo a estremadura ou a zona oeste :) Fica Bem

Tiago Sousa Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jfd disse...

BTW abriu ontem o MGM Grand Macau ;)

Paulo Colaço disse...

Estou agora a actualizar-me com os posts anteriores.
Que discussão que aqui vai.
Tiago, andaste a ler e reler demasiadas vezes o "Mandarim" ou tens connections inconfessáveis em Macau?
ehehe

Brincadeira à parte, deixem-me fazer uma correcção: Macau não é território chinês apenas há 8 anos.
É-o há séculos. 8 anos é, tão-só, o tempo em que voltou à administração chinesa.
Digo isto porque aprendi o chavão "Macau é território chinês sob administração portuguesa" na primária.
(Tiago, tu - a quem o Sol Nascente parece ter iluminado - corrige-me se estiver enganado).

Outra nota: tenho sempre muitas dúvidas quanto a números. Teremos a certeza deles?

Vermouth, seja muito bem-vindo ao Psicolaranja.

Tiago Sousa Dias disse...

ahahah óh Jorge inconfessável não diria, mas também não conjugaria o verbo no presente, é mais no passado. hehehe

Mas sim tive uma fonte privilegiada em tempos. :)

Os números estão correctos.

Já quanto à questão de Portugal na administração de Macau é um pouco mais do que esse chavão. Por exemplo, nos tribunais ainda hoje se redigem as peças em português. O português ainda é lingua oficial a par do chinês. Apesar de não considerarmos Lusofonia (quando se falar da Lusofonia pensa-se no Brasil e Africa, já não se pensa em Macau) os Jogos da Lusofonia continuam a ser organizados em Macau (e por um social democrata - Silvério). As Ruas em Macau continuam a ter o nome em Português e simultâneamente em Chinês. A influência de Portugal em Macau perdura.

Tiago Sousa Dias disse...

Óh Colaço desculpa!!! Já estava tão habituado a responder ao JFD que pensei que tinha sido ele a comentar. O meu comentário resposta é para ti então e não para o JFD :)

Mas isso ainda é maior maldade porque... sabes perfeitamente que não li o Mandarim ahahahahahahahahah

Paulo Colaço disse...

eheehehe.
Uma dica: nestas compras de natal, se entrares numa livraria, folheia o livro com olhos de comprador e lê o último parágrafo.
É o "resumo" da obra.

Nélson Faria disse...

Boa discussão. Tenho pena que já tenha terminado. Vim demasiado tarde à caixa de comentários.