sexta-feira, setembro 21, 2007

A vergonha deste país


Tive a infelicidade de assistir ao debate mensal na AR que agora está a terminar.
Qualquer cidadão que se preze, só pode sentir vergonha da actuação dos governantes e dos deputados da Nação.
Um espaço de responsabilidade como a AR, não pode ser palco de ataques vulgares, tiques de autoritarismo, de falso moralismo desenfreado.
Temos um PM que não responde aos grupos parlamentares, e temos grupos parlamentares, como hoje o do PSD, que se dignam a abandonar o plenário antes do debate acabar (quando hoje teve apenas a duração de uma hora e meia). Temos Ministros que passam o debate a ler sabe-se lá o quê, quase a assobiar para o lado, demonstrando um total desprezo por aquilo que se está a discutir. Temos um Presidente da AR que interrompe insistentemente a oposição nas suas intervenções, e que ao PM não faz o mesmo.

Ninguém fica livre de responsabilidades.

É este o espelho da nossa Nação?

17 comentários:

Tiago Dias disse...

Xaninha tens toda a razão. E mais uma vez relembro o que o Colaço disse há meses num debate do Psico "no deserto" com Luis Rodrigues e o Mendonça: "o comportamento da classe politica não se muda por decreto".

José Baptista disse...

Xana,

há muito que digo, tal como tu, que o comportamento a que assistimos na AR é digno de vergonha. As atitudes que dizes ter presenciado são frequentes naquela câmara. Será queo conselho de ministros também funciona assim? Se calhar sim. Por isso é que se dá cada pontapé na legislação que é uma vergonha!

Tiago de Melo Cartaxo disse...

Quanto a este debate da Nação e à postura de José Sócrates & Cia., a única coisa que se me oferece dizer é exactamente o mesmo que Abraham Lincoln, em Setembro de 1858:

"It is true that you may fool all of the people some of the time; you can even fool some of the people all of the time;
but you can’t fool all of the people all of the time."

Carlos Carvalho disse...

Depois do que vi, pelos canais televisivos que transmitiram o debate em directo, só consigo dizer uma coisa: vergonha!
Não há respeito, não há coerência e pior, não há, ou não se notam pelo menos, ideais...

Mude-se a política! Refresque-se! Renove-se! Falta paixão, faltam ideias, falta respeito!

adriana disse...

A AR é o reflexo daquilo que se passa em muitas assembleias municipais e muitos outros orgaos com responsabilidades politicas. Só demonstram que o Estado do País está caotico e o problema não esta centrado na capital. O problema é constante de Norte a Sul do Pais, incluindo as ilhas. Temos de refrescar, de renovar mas também já ouvi politicos que actualmente estao lá com este discurso e depois quando se sentam naquelas cadeiras..... Será que o problema esta nos assentos?

Marta disse...

É incrível! Já bastava parecerem que andavam todos "grávidos de poder" e que era uma maçada ser-se dirigente neste país! Nem o Napoleão bocejava tanto em St.ª Helena e estava exilado!
Agora vêm armar circo na A.R.! Que falta de nível! De repente ocorreu-me uma intervenção no último Congresso da JSD que terminava mais ou menos assim: "...e agora vamos todos pos copos!".

Paulo Colaço disse...

Pois é Tiago e restantes amigos: decretos não fazem milagres.

começando no nosso grupo parlamentar, destituído de muitas figuras anteriores essenciais para a postura, preparação e combatividade do PSD acabdando no grupo do PS, que viu sair muita gente para o Governo e outros lugares, sem esquecer um Governo que tem no PM um exemplo de desrespeito para com a "ralé" que não está consigo, a AR é um problema para a democracia.

E temos uma imprensa que assobia para o lado.

Até porque muitos dos maus deputados ou membros do governo são as suas fontes, a quem não convém desagradar...

Maus deputados e governantes abestalhados teremos sempre. Preocupante é quando sentimos dificuldade em perceber qual a proporção entre bons e maus.

Creio que ainda há mais bons que maus, mas eu sempre fui um desastre em contas...

Bruno disse...

Pois, o que a Xana diz não é novidade mas é muito importante que o tenhamos trazido aqui ao Psico.

Um exemplo: ouvi uma parte do debate pela rádio e cansei-me de ouvir Jaime Gama dizer: "pode concluir, Sr. Primeiro Ministro". Sócrates continuava sem sequer vacilar. De cada vez que o ouvia dizer: "pode concluir, Sr. Deputado", lá se ouvia o Deputado que estava no uso da palavra dizer um: "concluo já, Sr. Presidente" ou algo do género. Pode ser um pormenor mas não será falta de respeito e até de educação ignorar o Presidente da Assembleia da Rapública ainda por cima numa sessão deste órgão???

José Pedro Salgado disse...

Quando muita gente me acusa de ser maluco das citações, eu diria que não faria mal nenhum a estes senhores rever algumas.

Sugiro que começem nomeadamente por Sir Winston Churchill, Universidade de Harvard em 1943:

"The Price of Greatness is Responsibility"

É verdade que os políticos estão no poder para servir o povo, mas esse serviço não é um sacrifício, é um privilégio.

Tânia Martins disse...

Bruno (não lhe chamo papá aqui para parecer formal :p) eu respondo já a essa pergunta, na minha opinião é sim uma falta de educação!

Dos bocadinhos que vi também no telejornal via-se por exemplo o deputado Francisco Louçã e o PM José Sócrates a "intervir" ao mesmo tempo, não esperavam que se concluísse a intervenção sem falarem pelo meio, sinceramente aquilo só me fez lembrar os meus tempos de escola primária!

Também vi o deputado a abandonar a AR e sinceramente também senti vergonha da representação que os portugueses têm na AR.

Enfim cito Carlos Carvalho "Mude-se a política! Refresque-se! Renove-se! Falta paixão, faltam ideias, falta respeito!"

Tânia Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno disse...

Muito bem Tânia! Está visto que os senhores que eu arranjei pa te criarem fizeram um bom trabalho ;) Agora isso de andares a citar o Carlos... este caramelo consegue meter-se com as minhas filhas todas!

E agora vou calar-me para não avacalhar o post...

Nélson Faria disse...

Crescemos -2% que a Europa, temos a maior taxa de abandono escolar, uma fraca taxa de alfabetização, listas de espera intermináveis e um sistema judicial violentamente criticado nos relatórios da Amnistia Internacional.

Não, a vergonha deste País não é a AR.

jfd disse...

Por força de uma gripe fulminante e de um chefe que me mandou para casa, pude ver so meu sofá.
Devo confessar que gosto dever os debates mensais. Aparte de todas as vossas criticas mais que válidas, é um lindo exercicio de democracia e retórica.
O novo formato está excelente.
Só falta agora forçar os Exmºs a ficar do inicio ao fim, pois obrigar cada um a ficar nos temas propostos é "grupos" ;)

xana disse...

Pois Né, mas é o nível dos nossos governates que faz com que tenhamos um crescimento económico menor que a Europa, uma taxa altíssima de abandono escolar, and so on and so on...

Carlos Carvalho disse...

Bruno, isso não é verdade!

Tânia, fico contente por ver que não sou o único a viver desse ideais! Mais feliz e honrado fico por te ver citar-me e, deixa-me que te diga, é bem preferivel citar malta nova com vontade de «virar tudo ao contrário» do que clássicos tipo Socrates... ;)

Geração, vamos lá por isto tudo em condições!!!

joana simões disse...

Considero que o post esta muito bom! sim, é verdade, é realmente vergonhoso que tal coisa aconteça na Assembleia da República! As pessoas envolvidas ter-se-ão esquecido do que realmente é necessário?do que realmente é importante? considero que os nossos representantes deveriam sim demonstrar mais respeito e seriedade em relação a tudo o que é tratado na AR!Considero também que é essencial um sangue mais ardente e ideias mais frescas, e se for necessário, reformule-se todo o país, mas que se construa de modo a torna-lo bem melhor e não um país fantasma!um país representado por ideais fantasmas, desprovido do verdadeiro ideal "Governar é igual a servir", servir um povo e um país, dando tudo o que se tem e por vezes o que não se sentem, não em prol dos nossos objectivos pessoais, mas em nome de todos e para bem de todos! só assim veremos um país renascer das cinzas e o faremos subir até aos "grandes" da Europa!

E lá está o Bruno a defender uma das suas filhas (já agora, boa sorte para a universidade Tânia!)e "atacar" o Carlos! por isso, este muito bom avaliador, ou então avaliaste demais ;P