quarta-feira, setembro 19, 2007

O debate


O debate de ontem foi, na opinião de alguns analistas, morno: “Mais uma vez, quem sai a ganhar é o Governo”.
Mas penso que terá servido para fazer a destrinça entre os dois candidatos.
Bem sabemos que Marques Mendes não é um líder nato, que não tem ajudado como todos desejaríamos na oposição ao Governo, mas fica bem patente o que é optar por Marques Mendes ou por Luis Filipe Menezes. Cada militante saberá o que quer para o PSD.
O autarca de Gaia não respondeu de forma contundente, nem neste debate nem até à data, a algumas preocupações como quem ganhará os debates parlamentares por ele já que não tem assento parlamentar. Quando alguém que usa como bandeira de oposição a fraca prestação nos debates parlamentares, o mínimo de honestidade intelectual é dizer o que fará para inverter esta situação. Não basta dizer, apesar de ser verdade, que a sociedade se encontra mediatizada e que isso não é fundamental para fazer oposição.
Marques Mendes continuou ao seu estilo. Deixou de ripostar em algumas situações em que foi atacado, mostrando aquela falta de enregia que tantos se queixam. Mas, ainda assim, foi consistente nas suas propostas e mostrou que pretende que o partido se una para 2009, algo que Menezes não representa, antes pelo contrário.

Quem ainda não se decidiu, boa sorte.

38 comentários:

Tiago Dias disse...

Estava mesmo à espera hoje de manha que pusessem este post para comentar.
Notoriamente o dabate foi ganho por Marques Mendes. Não por retórica, pois aí estiveram bem os dois (ambos "bons falantes"), não pela incisão de discurso porque acho que aí estiveram ambos razoáveis (podiam ter sido melhores) e também não pelo nível do debate, porque são ambos cavalheiros e apesar de se ter tocado aqui e ali em pontos relativos à vida interna do partido, não considero que tenha havido lavagem de roupa suja. Foi cordial.
Acho que ganhou Marques Mendes pela coerência, solidez e pelas ideias. De facto o actual Presidente do Partido, goste-se mais ou menos da pessoa ou da figura, há uma coisa que não pode ser-lhe imputado: falta de coerência. Ora, como nos dias que correm isso é quase inexistente, é a maior de todas as suas virtudes. OTA: não desde inicio; fecho de maternidades: não desde o inicio; baixa dos impostos particularmente ao nível do IVA: sim desde inicio. E nem haveria mal se mudasse de opinião caso as circunstâncias dos casos mudassem também. Mas não mudaram e ele também não.
Mais, o Dr. Marques Mendes tem a coragem de responder concretamente a questões de politica material. Louvo-lhe isso.

Davide Ferreira disse...

O PSD não ganhou nada com este debate.. os candidatos perderam-se em "guerrilha" interna com acusações mutuas, e não pude deixar de sorrir quando o assunto das demissões em branco surgiu...
Roupa Suja dirão.
A moderadora não consegiu impedir que o debate descanba-se para um estilo de picardia/resposta. E a opinião pública dificilmente achará que qualquer um dos intervenientes possa ser um bom primeiro ministro.

Marques Mendes 0
Luis Filipe Menezes 0
Socrates 1

xana disse...

Decidi fazer este post porque, como já aqui o disse, não sou por nenhum dos candidatos. Neste blog durante o seu ano de vida sempre fui muito crítica à actuação de MM. Quanto a LFM, não em revejo na sua forma de fazer política, nem daqueles que o acompanham, e o nosso psico-debate nas Caldas teve o condão de me mostrar isso de forma clara.

Na minha opinião, por isso, desprendida e absolutamente livre de simpatias partidárias, a existir um vencedor foi o Dr. Marques Mendes.

Porque aprecio e pratica a coerência e credibilidade na política, e continuo a achar LFM um bom autarca (só), mas com tiques de ditador que nada me agradam.

Anónimo disse...

Nota o seguinte: é impossível e também não seria saudável, fugir ao debate sobre questões internas. Mais, seria suspeito se não se falasse da estrutura que cada um dos candidatos tem vontade de liderar. E isso foi para mim o que aconteceu. Sim falou-se do interior do partido. Óptimo.
Coisa diferente e isso sim é mau, foi o tipo de debate Sócrates/Manuel Alegre/João Soares. Aí o dabate sobre o interior do partido foi mau para o PS pois foi-se longe de mais. Ontem podiam ter falado 1 hora sobre o interior do partido que percebeu-se logo que não iria descambar

Tiago Dias disse...

Esqueci-me de assinar o texto. Tiago Dias e era em resposta ao davide. :)

Inezinha disse...

Vou ser o mais sincera possível. Não gostei do debate, não me senti mais esclarecida. Eu nem lhe chamaria debate, foi mais uma troca de galhardetes e de insultos entre os dois grandes candidatos, foi um diz que disse pegado.
As ideias não constaram nos discursos, eu não estava interessada em saber o que é que o LFM disse no dia 30 de Junho de 1999 ou o MM a 29 de Agosto de 2001.
Chamem-me ingénua mas aquilo que eu, e não só, queremos saber são as ideias concretas (e não os princípios gerais) que os dois candidatos têm para preparar o PSD, como é que por exemplo podemos fazer uma realmente boa oposição ao Governo e não sermos humilhados regularmente em Assembleia, e qual a proposta ganhadora em 2009. Quero saber que ideias é que têm para que o partido possa voltar a ser Governo outra vez.
Não esquecer que desde 2002/2003, o PSD está fora do Governo e, provavelmente, só o voltará a ser em 2013, porque por este andar, não vejo que o partido esteja preparado e estruturado para ser o executivo deste país. Aliás, com a fraca oposição que se tem conhecido, o PSD é o principal aliado deste Governo.
Quero saber o que é que o PSD tenciona fazer em relação ao relançamento da economia, ao efectivo crescimento económico do país, formas de atrair investimento para o país (Portugal é um dos países que tem a menor percentagem do PIB dispendida em Inovação&Desenvolvimento, cerca de 0.3%) à diminuição do desemprego, ao ensino (quer secundário, quer superior, no sentido de o estruturar para o mercado de trabalho), à saúde em termos da dimimuição das infindáveis listas de espera para cirurgias e tratamentos de especialidade, quero saber o que é que vai ser feito no sector da justiça, de modo a haver decisões judiciais, com redução de custos e de prazos.

Isto era o que é que eu gostava de ter sabido ontem e fiquei sem saber.

adriana disse...

Infelizmente não pude ver o debate mas já esperava que alguém fizesse um comentário sobre ele no nosso sitio. Mas louvo que quem tenha feito o comentário seja alguem neutro. algo que eu não conseguiria ser neste assunto. Bem, os analistas dizem que Mendes ganhou o debate mas também já ouvi dizer que foi um debate morno.Devido as facilidades tecnologicas de hoje em dia logo conseguirei ver o debate no site do LFM e depois comentarei.

Anónimo disse...

É impossivel dizer que Menezes ganhou o debate!
Os seus tiques salazarentos, o seu dedo acusador quando ele é fruto duma máquina de esgravatar votos são claros para qualquer um.

E o pior do senhor Menezes nem é ele: são os seus amigos de circunstância!

Seja com que líder for (nem mesmo com Rui Rio) o PSD ganha contra um Sócrates que ainda tem o benefício dos portugueses. Por isso, para perder, é preferível alguém que não tem um lado "lunar".

Direct Current disse...

Marques Mendes não é um líder, mas um gestor político. Falta-lhe criatividade, energia, vida. Tenta colmatar essa falha, mantendo um discurso coerente mas anímico.

Um líder reconhece-se pela capacidade que têm em criar rupturas, envolver as pessoas, e tomar o caminho "certo" a seguir. Isso está além das capacidades instintivas de Marques Mendes. É uma característica pessoal, e Marques Mendes não a têm.

Luís Filipe Menezes é um caso pessoal "estranho", que se rodeou por todos os indesejáveis da direcção do PSD que querem vir a ser uma alternativa, embora lhes falte o "perfil". Nada de bom poderá sair da sua eleição como líder do PSD. Mas as eleições são democráticas, e quem decide é o eleitor.

big mamma disse...

É uma visão certa e equidistante, caro Current.
Partilho do seu "sumo".
E, já que é uma escolha tipo "do mal o menos", eu escolheria Mendes!
Ao menos não é um risco para a democracia!

isabel ferreira disse...

Precisamos de um líder para o nosso partido de mangas arregaçadas com vontade de trabalhar e vontade de ouvir o povo . Essa de que um primeiro ministro tem que ter retórica ou q um líder da oposição tem q ter retórica já foi. Precisamos de um empreendedor, de um dinamizador, um homem ou mulher c raça! precisamos de um grande português! Não podemos passar o resto do tempo a brincar ao faz d conta...ao disse q disse...ao fez e não faz!!! Mendes já deu provas que é um pãozinho sem sal...vamos dar uma oportunidade a menezes .Já que foi o único q se chegou à frente. Só lamento que um partido com tantos militantes de elevado potencial não tenha mais candidatos(as) para a corrida!?

Nélson Faria disse...

Mau de mais... como é que ainda podem restar apoiantes seja de quem for?

Acho que Mendes esteve melhor porque todos esperavam que fosse sovado e ele aguentou-se. Menezes também não entrou em nenhuma histeria e o final do debate é mortal para o Mendes (desafio para debater na RTP).

Porque não mais debates? Desde quando é que os candidatos debaterem várias vezes é mau? Como dizem os apoiantes do Luís: isto é tempo de picar listagens.

Paulo Colaço disse...

Não vi o debate mas tenho a minha opinião formada.
Não se baseia em critérios de capacidade política (mesmo nesses eu votaria Mendes) mas assenta em critérios de personalidade.

Nem se eu caisse nas malhas da doença mental votaria Menezes: por muito mal que eu estivesse, haveria sempre no meu ser algo a chamar-me à razão e a dizer-me "lembra-te, Paulo, lembra-te!".

Não me canso de lembrar uma minha intervenção em Conselho Nacional da JSD, feita a olhar nos olhos de LFM. Disse-lhe: "o senhor é o protótipo da instabilidade emocional e da incoerência política". Hoje repeti-lo-ia, mas acrescentaria que LFM é também sinónimo de exílio da decadência de quadros. Veja-se só a gente que o acompanha.

Marques Mendes deve ser, de facto, um tipo excepcional: não é qualquer um que tem inimigos daquele calibre!

Nélson Faria disse...

MM é de facto um tipo excepcional: tão inofensivo que toda a gente gosta dele.

Veremos é o que os amigos de hoje farão a MM em 2010.

Anónimo disse...

Como sabem, não apoio MM. Portanto, sou suspeito para fazer qualquer comentário.

Limito-me, por isso, unicamente a deixar-vos duas questões (e meia):

1. Acreditam que, nas legislativas, MM terá uma votação mais alta que a de Pedro Santana Lopes?

2. Se sim, como? (visto as actuais sondagens lhe darem, no máximo 23%)

2 e 1/2. Se não, por que razão o apoiam?
_______________________

E, mais uma vez, parabéns aos 'psicóticos' pelo aniversário!!!

tiago de melo cartaxo

Paulo Colaço disse...

O meu apoio, caro Tiago, é um voto de confiança.

E obrigado, mais uma vez, pela tua passagem pelo nosso aniversário!

Foi rija a festa!

xana disse...

Eu arrisco-me a responder às tuas questões Tiago:

1. Não. De facto, acho que MM não vai conseguir melhor do que PSL, e que ambos deixaram o PSD muito mal perante os eleitores. Mas, tenho esperança que algo mude, pode ser que consigamos fazer uma campanha tão abnegada que o resultado seja pelo menos honroso (tal a tareia que vamos levar...).

2. Eu não apoio MM para estas eleições, mas muito menos apoiaria LFM, por tudo o que já disse. A diferneça é que se for MM o presidente do PSD eu continuarei com vontade de fazer algo pelo partido; se for LFM já não será assim. Mas eu sinto-me preparada para a travessia do deserto, e vocês é bom que se preparem porque ganhar só depois de 2009...

isabel ferreira disse...

"MM é de facto um tipo excepcional: tão inofensivo que toda a gente gosta dele.

Veremos é o que os amigos de hoje farão a MM em 2010."

Subscrevo!

isabel disse...

"Luís Filipe Menezes é um caso pessoal "estranho", que se rodeou por todos os indesejáveis da direcção do PSD que querem vir a ser uma alternativa, embora lhes falte o "perfil". Nada de bom poderá sair da sua eleição como líder do PSD."

E, o grupo de MM é o grupo dos bons?
É um grupo de elitistas! Que vivem a olhar para o seu umbigo! E a dividir os militantes como :militantes de primeira, d segunda e de terceira. E a seguir chamam independentes para a encabeçarem as listas.
Menezes fez um bom trabalho em V.N.Gaia e fará um bom trabalho em Portugal.

diogo agostinho disse...

Como é possível não acreditar na vitória em 2009?

Que raio de partido é este que não se mobiliza e não acredita? Que não se une em desfesa do que de bom fizemos de 2002 a 2005, e fizemos muito! Interrompido num golpe de estado do Dr. Jorge Sampaio!

Que raio de Partido é este que critica os seus quando está no poder e desaparece quando está na oposição?

Eu acredito que em 2009 é possível ganhar ao Pseudo Engenheiro! Eu acredito que em 2009 é possível vencer Sócrates! E nesse sentido os dois candidatos estão de parabéns! Dão hoje a cara, esforçam se pelo nosso Partido!

Porém, para vencer é preciso um líder forte, carismático, que envolva, que galvanize, que inspire confiança, que tenha ideias e não tenha medo de as assumir, que lute e seja real, que seja um verdadeiro guerreiro, que não se esconda, que enfrente os portugueses e a comunicação socail! Enfim...um líder que tenha "mel"...que ataque o plástico Sócrates!

Que falta nos faz quem lute contra ventos e marés...

xana disse...

Diogo o teu optimismo é contagiante de facto. Aprecio essa tua confiança no dia de amanhã, esse arregaçar de mangas sempre com um sorriso na cara, mas nem todos somos assim, infelizmente.

Eu de facto não acredito que ganhemos em 2009, mas nem com MM nem com ninguém. Mesmo com Manuela Ferreira Leite acho que seria renhido, mas dificil.

Concordo com a tua descrição para aquele que seria o candidato certo, mas não corresponde nem a MM nem a LFM.

Davide Ferreira disse...

De facto Diogo gostaria de ter a tua convicção :)

Uma coisa é certa. Nenhum dos dois candidatos têm o perfil indicado para esse combate, e é pena que assim seja num partido como o nosso.

tiago de melo cartaxo disse...

Não tens de agradecer, Paulo. Muito me agrada discutir convosco os temas essenciais da actualidade nacional.

Mesmo que cada um esteja de um lado contrário, a apoiar este ou aquele candidato, a verdade é que, quando é preciso, todos gritamos pelo PSD, unidos e a uma só voz.

É de facto excepcional pertencer a este Partido e a esta Jota!!!

Bruno disse...

Não consegui ver o debate todo. Depois de ver o Benfica estrebuchar contra a superioridade italiana fui debater-me com uma piza no Tony's e quando cheguei a casa já Mendes e Menezes estrebuchavam um com o outro.

Pareceu-me que o debate foi equilibrado. Menezes foi mais ofensivo, como lhe compete. Mendes fez bem - estrategicamente - em procurar defender-se dos ataques de Menezes com venenosos contra-ataques. Afinal é ele o líder e se começasse agora a "atirar-se" ao concorrente poderia parecer desespero. Mas nunca conseguiu que os seus contra-ataques tivessem a eficácia de Pirlo, Inzaggi e Cª (são jogadores do Milan, para o Colaço e mais quem não saiba).

Assim penso que terá havido um empate. Sendo que ambos foram iguais a si próprios, o debate só me fez reforçar a convicção de dar o meu voto a Marques Mendes! E, sim! eu acredito na vitória em 2009!!!

Tânia Martins disse...

Eu também não vi o debate mas a minha opinião também está formada, não votaria Menezes, prefiro dar uma segunda oportunidade a MM.

Já me dizia o Tiago Cartaxo que é a favor da mudança e concordo com ele nesse ponto mas mesmo assim partilho da opinião que se for para mudar para pior prefiro ficar como estou e tentar melhorar. (como já te tinha dito Tiago)

Quanto a ganhar em 2009 penso que os portugueses iriam confiar o voto muito mais em MM do que em Menezes!

alfredo disse...

Malta, não nos podemos esquecer que numa altura em que o PSD se encontrava no fundo dos fundos (eleições leg. de 2005) houve apenas um único Homem que teve a coragem e a frontalidade de o voltar a colocar no devido lugar de honra. Um Homem Credível, Sério, Justo, Experiente e, sobretudo, Fiel aos verdadeiros princípios e valores da social-democracia legados por Francisco Sá Carneiro. Um partido como o PSD não podia ser dispensado das suas verdadeiras responsabilidades, ou seja, um partido com enorme responsabilidade na construção da democracia portuguesa, um partido do povo!

Todos sabemos que não é fácil, para além de alguns militantes andarem a levantar problemas internamente – desnecessariamente – enfrentar um governo com uma gigantesca máquina de propaganda política e proveniente de um partido extremamente consolidado. Pedro Lomba (ex-“prof” da UV06) afirma que é normal um partido ter as suas crises internas (e o PS já as teve!), mas só as supera com alguém com maturidade política suficiente para tal!

O PSD está hoje no caminho certo e com cada vez mais confiança depositada por parte dos portugueses. O caminho está traçado e metade está percorrido...apenas falta outra metade para alcançar a grande meta: governar verdadeira e lealmente Portugal!

Por isso apoio o Companheiro Dr. Marques Mendes à Presidência do PSD, pois todos sabemos que só assim o PSD só não volta como continuará e será o partido mais credível – e não meramente populista – e que melhor defende os reais interesses dos portugueses.

Tiago Dias disse...

Comparsas,
Esta noite assisti ao debate no Porto entre Carlos Coelho e Ribau Esteves. Foi um debate óptimo de grande nível, muito bem preparado por ambos os oradores que, de resto demonstraram grande conhecimento de todas as pastas sobre as quais foram chamados a pronunciar-se. Julgo que foi um grande momento de democracia interna pela serenidade com que as questões foram colocadas e respondidas.
E não me apetecia, por isto mesmo, dizer que houve um vencedor, mas seria uma grande injustiça para o Magnifico Reitor... :D

Bruno disse...

Um aparte: Já repararam que a moda das iniciais maiúsculas lançada pelo Matias está a pegar? Vejam lá o texto do Alfredo, hehe!

xana disse...

Debate no Porto?! Organizado por quem?

Podiam publicitar aqui essas coisas... podiamos enviar um reporter e fazer aqui a súmula do acontecimento. O psico podia tornar-se um verdadeiro veículo de informação!

Gostava de ter visto o CC com o Ribau. Nas Caldas achei que se não tivesse o Macário mas alguém com mais energia, o debate teria sido muito aliciante de acompanhar.

Tiago Dias disse...

Foi organizado pelo PSD - NOP (Núcleo Ocidental do Porto) e foi muito rico em informação. Muito bom mesmo.

Anónimo disse...

Citando José Mourinho:
«Sem ovos, não há omoletas. No supermercado há ovos de classe 1, 2 e 3 e uns são mais caros e dão melhores omoletas. Quando os ovos de classe 1 estão no Waitrose e não conseguimos lá chegar, temos um problema»
Setembro 2007

Eu penso que é assim, neste caso temos Marques Mendes e Menezes.
Como classificar os dois no contexto actual?
Na minha opinião, Marques Mendes será um ovo de classe um e Menezes um ovo de classe 3. Alias se olharmos para a composição da omoleta de Mendes, muito mais recheada e com melhor sabor; por outro lado, temos Menezes, com uma omoleta quase estragada, com pouco recheio e sem sabor.
Agora analisem as duas omoletas e avaliem os ovos e o conteudo das omoletas.

Cumprimentos
J R

Já agora gostaria de felicitar esta equipa do psicolaranja pelo aniversario do blog.

Anónimo disse...

Citando José Mourinho:
«Sem ovos, não há omoletas. No supermercado há ovos de classe 1, 2 e 3 e uns são mais caros e dão melhores omoletas. Quando os ovos de classe 1 estão no Waitrose e não conseguimos lá chegar, temos um problema»
Setembro 2007

Eu penso que é assim, neste caso temos Marques Mendes e Menezes.
Como classificar os dois no contexto actual?
Na minha opinião, Marques Mendes será um ovo de classe um e Menezes um ovo de classe 3. Alias se olharmos para a composição da omoleta de Mendes, muito mais recheada e com melhor sabor; por outro lado, temos Menezes, com uma omoleta quase estragada, com pouco recheio e sem sabor.
Agora analisem as duas omoletas e avaliem os ovos e o conteudo das omoletas.

Cumprimentos
J R

Já agora gostaria de felicitar esta equipa do psicolaranja pelo aniversario do blog.

Direct Current disse...

Essa dos ovos tá bem metida. De facto sairam os dois ovos da mesma galinha, andaram juntos durante muitos anos, agora "só pode haver um".

Quanto ao que a Isabel afirmou, questionando se os Mendistas são os "bons", bem, uma coisa tenho certeza, recusaria pertencer a qualquer grupo de trabalho, bancada parlamentar, municipal, o que quer que seja, se tivesse de trabalhar com a vice de Luís Filipe Menezes, a tal "senhora" que se intitula de "professora universitária" por ter conseguido tirar uma licenciatura numa privada, a tal Helena Lopes da Costa, com tremenda FALTA de NÍVEL, mas como é deputada, está tudo bem, a mesma que recebia a dobrar na Câmara Municipal de Lisboa e quando constatada com esse facto pelo Correio da Manhã, alegava desconhecer que não sabia se podia receber dos dois lados, portanto aproveitou-se: Gebalis e Vereadora da CML.

Esta senhora e outros tantos "terroristas" do PSD resumiram muito bem o que é estar na política pelo PSD à sua maneira: uma autêntica Chulice, sacar dinheiro do público, aproveitar e agarrar o máximo de cargos, poder e dinheiro para eles e companhia. Todos eles agarraram a oportunidade que lhes foi concedida por Pedro Santana Lopes, para serem ALGUÉM na vida, já que antes não eram NADA.

Você até pode dizer que isso é normal, que é assim que as coisas funcionam. Comigo não é e sou capaz de "pôr companheiros do partido na prisão" se estes violarem a lei. Não estou para andar a encobrir criminosos ou delinquentes. Se vocês o querem fazer, para vossa protecção, do vosso futuro ou favores/cunhas/etc, de uma facção do PSD, isso é convosco. Quem cala também consente. E mais tarde ou mais cedo acaba por se ver numa situação de cumplicidade. Se estão à vontade com isso, tudo bem. Eu não.

Eu não sei se os Mendistas são pessoas "idóneas", à prova de corrupção, etc. Não sou "um deles", apenas um tipo que paga as quotas e trabalha para promover a social-democracia, dentro e fora do PSD, mais fora do que dentro porque cá dentro andam todos à bulha pelo poder e tenho alguma aversão a isso.

Mas prefiro dar-lhes a oportunidade de exercer o poder que confiar nesta cambada de Menezistas que tirou gáudio na derrota do PSD em Oeiras e em Lisboa, que apoiaram Isaltino Morais ou Carmona Rodrigues e que se sentiram felicíssimos pelo PSD ter perdido. E são esses que você quer promover, dentro do PSD? Eu não os perdoo. Mas há aqui alguém que deve ter gostado disso e ainda acha que é um bom militante do PSD.

lógico disse...

Só um preciosismo:

Não foi o PSD que perdeu em Lisboa, mas unicamente Marques Mendes, que correu com Carmona Rodrigues e insistiu em colocar na lista alguns dos mesmos vereadores do executivo anterior (por acaso, não foram eleitos, mas continuam por lá, como assessores).

Pelo menos, António Costa teve dois dedos de testa (como na GALP) e mudou completamente a sua lista.

Nélson Faria disse...

Nem Mendes, nem Menezes. Chega de disparates.

Se ambos tivessem noção do ridículo nem eles se candidatavam à liderança do Partido.

Paulo Colaço disse...

Dizer que só Marques Mendes perdeu em Lisboa ou alegar a actuação de Marques Mendes em Lisboa para se votar Menezes é estar a assumir uma de duas posturas:
A - cegueira militante
B - insuficiência de argumentos pró-Menezes

Mendes não tinha qualquer interesse em ver cair a CML, ou em perder as CM de Gondomar e Oeiras. É em casos difíceis que mostramos que acima das vitórias ou pequenos poderes está a nossa palavra. Que Mendes não devia ter colocado a fasquia tão alta (a saída de funções em casos de investigação penal) isso é verdade, mas uma vez tomada a opção, havia que agir em conformidade.

Mais grave que dar termo a uma vergonhosa gestão da CM (quem deu 11 assessores a Sá Fernandes? Quem permitiu o regabofe em tantas outras vereações? Quem transferiu para a CML o aparelho duma facção interna da JSD?) era permitir a insustentável suspeita sobre todo o PSD que já se alastrava para a sociedade civil.

Mais grave que retirar a confiança a Carmona foi a “confiança” que outros candidatos (não laranja) tiveram de dirigentes do PSD. Nesta eleição e na de Carmona no anterior mandato.

Disso não falam os Menezistas. Uns porque não sabem, outros porque são iguais a Menezes.

Luís Sardinha disse...

Não há soluções perfeitas, nunca houve.

Julgo que ambas as candidaturas não se revelam como potencias candidatos a uma vitória em 2009. Luís Filipe Menezes para mim o eterno candidato, associado ao norte e principal responsavél pelo desenvolvimento um tanto ao quanto "selvagem" de Gaia. Luís Marques Mendes actual líder social democrata, tido como um líder fraco mas credível.

Tenho uma visão simples, simplicista e até uma pocuo confusa no que toca as eleições desta sexta, vejo Menezes como melhor candidato a Primeiro Ministro contudo contudo olho para Mendes como melhor Primeiro Ministro.

Tiago Dias disse...

É com esta frase que o editorial do JN de hoje termina a coluna "Preto no Branco" referindo-se ao "circo das directas":

"Aproveitemos o divertimento enquanto ele dura."

É pena que isto esteja a acontecer...