quinta-feira, novembro 29, 2007

António Costa: Demitir-se-ía?



Pretendendo contrair um empréstimo de 500 milhões de Euros para a CML, António Costa, Ministr... Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, ameaçou demitir-se caso a AML chumbe a proposta do Executivo.


Algumas perguntas:


1- Será que fala sério ou saberá, do PSD, algo que os próprios militantes não sabem?

2- Demitir-se-ía caso o PSD chumbasse?

3- Pelo tempo verbal que uso neste post já se percebe que não acredito na inviabilização da proposta, mas será mesmo assim?

4- E o empréstimo é em boa medida para a capacidade financeira e de endividamento da CML?


Mas a derradeira questão é: Já viram esta CONVERSA em algum lado?

21 comentários:

Margarida Balseiro Lopes disse...

Tiago: Fantástico!

Prometo que depois venho comentar.

Paulo Colaço disse...

Bela foto!
Também eu não acredito na bondade da demissão.

Vejamos:
- ou o homem está farto do lugar (duvidamos todos)
- ou reparou que se meteu num enorme buraco (mais plausível mas nao é motivo para abandonar o lugar)
- ou sabe que o PSD vai chumbar a proposta e está a preparar um mini-drama (quente, muito quente)
- ou sabe que o PSD nao vai chumbar porque tem sentido de responsabilidade mas vai querer condicionar as opções da CML (ainda mais quente)

Vejamos...

Anónimo disse...

Mais que tudo, António Costa nao pode sair: primeiro porque teria (devido ao seu processo de poder pessoal) de voltar a ser candidato. A não ser que o PS, furioso com esta barafunda, o queimasse.

Mas, atendendo que seria ele o candidato, a cidade e a CM estariam mergulhadas numa confusão que só o prejudicariam. A que se chama a isso? Leviandade. Não se deve dizer: demito-me. Espera-se que o revés aconteça para tomar a decisão.
Tudo o resto é birra, fraqueza ou chantagem

Tiago Sousa Dias disse...

Colaço:

"- ou sabe que o PSD vai chumbar a proposta e está a preparar um mini-drama (quente, muito quente)"

Esta leitura é muito boa mas seria um excesso a atitude de António Costa. Se à minima dificuldade ameaça demitir-se, os lisboetas não terão razões para recear que a conduta do PCML possa ser sempre esta cada vez que haja uma dificuldade criando assim um clima de instabilidade politica?

Tiago Sousa Dias disse...

Anónimo:

- Birra é a palavra exacta!

Anónimo disse...

so sabem criticar?

tulio hostílio disse...

No dia 24 de Novembro de 2007, foi publicada no semanário Expresso, uma entrevista do Inspector Geral da Administração Interna, Dr. António Clemente de Lima, anunciada na capa com o título “Há incompetência a mais na polícia”, a qual teve um efeito bombástico transversal, pondo o país em sobressalto.

Marta Rocha disse...

A resposta que o teu título pede é coincidentemente a minha música preferida da banda mencionada no post anterior: Oxalá!

Tiago Sousa Dias disse...

Anónimo: criticar para reinar!

Martita: Oxalá... Muito bom. A questão é se o Tony também a canta em falsete ou verdadete :)

big mamma disse...

António Costa não é um autarca. É um comissário!
Autarca é aquele que dá o seu suor pela sua terra ou pela terra com que sente identificado.
Autarca é aquele que sente a "autonomia local" como forma de dinamizar o seu concelhgo ou freguesia.

Antonio Costa é o contrário disso: é um comissário ali metido para controlar a maior camara do País e deixar de fazer frente a Sócrates no Governo.

A sua piadola de demissão é apenas mais um jogo que aprendeu no PS...

Nélson Faria disse...

António Costa criou um caso político para fazer um favor ao Governo.

O PSD no Executivo entendeu que não aprovaria o empréstimo por não ser claro para onde iriam cerca de 100 milhões de euros. E disse-o desta forma.

AC cria um caso político que ressuscita o passado da instabilidade e criadores da confusão. O PSD sobe nas sondagens (hoje desce de 35% para 31% no DN, mesmo assim igualando a melhor marca de Marques Mendes) e o novo líder tem boa aceitação junto do eleitorado.

A LFM está a ser incómoda sem ter feito (ainda) muito para o merecer. A reacção vem da CML. A resposta virá do nosso Ribau.

Margarida Balseiro Lopes disse...

Trata-se de um excesso de linguagem, creio.

No entanto há algo que me preocupa: como pode o PSD não saber de que dívidas se trata? Não cairei no erro de atribuir as culpas da má gestão aos social-democratas. Mas sem dúvida que demos um grande contributo para que a situação chegasse a este ponto.

O PSD votar contra um empréstimo, que parece ser imprescindível para a governabilidade do município? Se se tratar de uma manobra para enfraquecer a maioria socialista, para contribuir para o desgoverno do município têm o meu voto de censura.

José Pedro Salgado disse...

Tenho uma certa curiosidade sobre o desfecho desta questão.

António Costa cavou um buraco do qual será complicado sair airosamente. Não duvido que o consiga, mas gostava de saber como.

E em resposta à última pergunta do Tiago: Já vi já.

António Costa fez uma igual quando era Ministro da Justiça de Guterres: ameaçou demitir-se caso lhe fosse retirada a tutela sobre a PJ.

E, se bem me recordo, conseguiu com que o nosso Primeiro voltasse atrás.

tiagosousadias disse...

Como diria o José Junqueiro:
"Bem lembrado" Zé

Kokas disse...

Meus caros!
Apelo ao bom-senso. O mesmo será dizer: "Dispam a camisola laranja". O PSD não pode chumbar este empréstimo. Aliás, poder pode mas não tem moral, se é que isso existe.

Não quero falar em culpados. Quero falar em contributos. E nesse particular, o PSD tem a sua percentagem bem definida.

Tiago Sousa Dias disse...

Talvez venhas a ter que engolir um sapo, oh Kokas...
Mas como digo no inicio do post, não acredito honestamente que não. Ou existe algum prévio acordo e tudo isto é a conversa da treta, ou António Costa não se demite e saca um argumento qualquer da cartola.
Que história tão monotona de tão repetida...
Crock! ;)

Paulo Colaço disse...

De facto o PSD não pode chumbar este empréstimo... sem justificar os porquês!

O PSD tem, obviamente, culpas na dívida e deve ser responsável na sua reparação.

Porém, como o valor do empréstimo não incide sobre a totalidade da dívida, o PSD tem de saber quais os credores satisfeitos em "primeira fase". A oposição tem até o dever de saber quais são as prioridades do Poder.

Em todo o caso, (e depois de meter a mão na consciência, como dizes, e bem, amigo Kokas) concordo em absoluto com a Margarida. E lembro que Fernando Negrão, vereador do PSD não justificou os motivos do voto contra.

Mas hoje todas as dúvidas se desfazem...

Tiago Sousa Dias disse...

Falta uma hora para o inicio do espectáculo.
Aceitam-se apostas. Neste momento Tony vai à frente de ZéZé 4 para 1.

jfd disse...

A habilidade do António Costa parece saída de um qualquer episódio do Sim Senhor Ministro. Moldar as noticias, determinar os assuntos, marcar o passo.
Espero coerência por parte do meu partido. Desde já excelente a forma como se tem portado a Distrital!!!

Bruno disse...

Este é só um dos posts deste blogue em que ainda não tinha conseguido participar. Uma vez que o venho fazer agora que a coisa já passou, tenho a oportunidade de "jogar no totobola à 2ª feira".

A verdade é que desde o início que dava muito a ideia de que Costa estava apenas a "esticar a corda". Por isso mesmo aproveitou a abébia de o PSD fazer incidir a dúvida em 100 milhões para abrir mão deles. E 100.000.000 de euros ainda são uns cobres...

Sinceramente, não gosto muito de António Costa. Acho-o demasiado "político", digno representante de uma escola socialista que fala sem dizer nada, brinca com as palavras e os projectos, não assume um único compromisso... não gosto!

Bruno disse...

Esqueci-me de dizer o seguinte: Tiago, excelente foto para ilustrar o texto, grandes trocadilhos, bela criatividade que estás a revelar nesta tua fase de psicose efectiva. Parabéns Amigo!