terça-feira, janeiro 08, 2008

Todos os olhos em New Hampshire


Há dois meses atrás a história era outra: o tema da corrida era Liderança, Experiência, Autoridade. Giuliani no lado Republicano e Hillary no lado Democrata pareciam ter a coisa assegurada; a campanha mudou tudo isso. O eleitorado mudou tudo isso. A escolha não veio da imprensa ou do grande dinheiro: veio das pessoas e da sua adesão a uma ideia: Change, palavra cujo parente pobre em português é mudança, parente menos vibrante e empolgante.

Escrevo-vos hoje porque a última réstia de que tudo voltaria a encaixar no seu lugar passada a euforia em torno das primárias do Iowa - na maior parte das vezes absolutamente inócua -desapareceu. Hillary e Giuliani, apesar de terem perdido Iowa (Giuliani nunca pensou ganhá-lo de qualquer forma, mas teve um resultado muito aquém do que esperava), lideravam de forma destacada as sondagens nos grandes estados, a maioria dos estados da Super Tuesday e o panorama nacional com mais de 20 votos percentuais. Tudo isto é passado.

As últimas sondagens nos grandes estados provam que eles vão ser disputados, que os estados da Super Tuesday vão ser disputados e, a nível nacional, eis a média das sondagens Gallup, Rasmussen e Pew Research:

Democratas
Hillary 37,3%
Obama 29,3%
Edwards 18%
Republicanos
Huckabee 20,7%
McCain 20,0%
Giuliani 19%

Se nos Democratas o único espanto é a ascensão de Obama e a forma fantástica como ele está a abalar a dinastia Clinton (a sondagem que desiquilibra os números é anterior ao Iowa, que ainda dá 20% de vantagem a Clinton; as duas mais recentes dão Obama a 4% de Hillary ou empatado), nos Republicanos a surpresa é bem maior: a única pessoa que se perfilava para disputar a nomeação era Mitt Romney (hoje com 12% da preferência dos republicanos), McCain estava falido no final do Verão e teve de despedir metade do seu staff e Huckabee era um desconhecido Governador do Arkansas de quem ninguém falava e sem dinheiro.

É evidente que algo também extraordinário aconteceu no lado Republicano: os EUA voltaram a descobrir porque gostam de McCain (é daqueles Republicanos que os Democratas teimam em gostar) e Huckabee conquistou-os com o seu estilo, muito acessível e aberto, que fala sem floreados e com sinceridade em cada gesto (imagem transmitida, não estou apaixonado pelo homem). Não é um líder, mas é um guia (pastor, como ele foi antes de ser Governador) e as pessoas apreciam isso e sentem-se cativadas.

O que terá feito as pessoas revoltarem-se? Será que um ano de imprensa a falar só de dois candidatos os esgotou, bem como a paciência dos Americanos?

Hoje são as primárias em New Hampshire... as sondagens neste Estado indicam uma vitória de Obama por 8% sobre H. Clinton, com Edwards a 10% desta última (37%/29%/19%) no campo dos Democratas, e a vitória de McCain nos Republicanos (McCain 34%/ Romney 29%/ Huckabee 11%/ Giuliani 9%).

A única coisa garantida é que até 5 de Fevereiro muito irá acontecer!

82 comentários:

Nélson Faria disse...

Declaração de Interesses: já o tinha dito há muito tempo qual seria, provavelmente, o candidato da minha preferência mas que precisava de pensar melhor. Nos últimos tempos tenho reflectido muito sobre isso.

Ainda que não possa votar (ou exercer influência sobre quem pode votar) as eleições norte-americanas obrigam-nos sempre a pensar sobre temas polémicos e qual a nossa visão do mundo. Logo, não tenho este exercicío como inútil.

O meu candidato favorito para as presidenciais é Giuliani. Tudo porque respeito as provas dadas que ele tem (indiscutíveis), mas principalmente porque acredito que o que ele defende é o melhor caminho para os EUA (como para qualquer nação): manter a América alerta e pronta a agir; impostos baixos; maior autonomia das escolas com os pais profundamente envolvidos no processo; independência energética; redução da despesa pública; competitividade económica através da inovação; seguros de saúde para todos os que podem, SNS para os que necessitam; rigor na entrada de imigrantes; garantir a estabilização do Iraque.

Nélson Faria disse...

Logo à noite, na secção B, vamos juntar um grupinho modesto para acompanhar o resultado das primárias em New Hampshire.

Estão todos convidados.

polvo disse...

Boas!

Em primeiro lugar devo salientar a honestidade intelectual do Nélson ao assumir desde já a sua preferência para que depois, todos os frequentadores deste espaço possam analisar as suas intervenções com o devido distanciamento permitindo ponderar melhor as opiniões que aqui expressa.

Eu, infelizmente, não tenho ainda candidato. Não me revejo especialmente em nenhum, sendo que ainda estive inclinado para o "mormon" Mitt Romney.

Uma coisa é certa: abomino a postura irresponsável de Obama em relação à questão do Iraque ao defender a retirada imediata das tropas. A política internacional tem que se reger por uma postura ética irrepreensível e não andar ao sabor das sondagens e do nº de soldados americanos mortos em combate.

De qualquer forma acho tal como o Nélson que por agora nada ficará decidido. Nos democratas a Flórida a 29 de Janeiro decide tudo. Nos republicanos nunca antes da Super Tuesday. Mitt Romney tem ficado sempre em segundo e a amealhar delegates e superdelegates. Nem a vitória do McCain no New Hampshire com os números das sondagens o deixa à frente do Mitt. Continuo a vê-lo como candidato.

Aceitem mais este esticar de tentáculos.

Paulo Colaço disse...

Né, ainda nao li este post nem os comentários, mas li o coment de ontem do Bruno e o teu mail hoje.
Sim, acho que estou a exagerar nas cautelas a ter com Obama, mas não há dúvida que é o mais candidado, é o mais preparado, é um grande político.
Desde que surgiu com implantação (ou seja, foi ao Jay Leno) que gosto dele. Nos últimos tempos vi crescer a dúvida: será que aquilo é tudo teatral? será o candidato das frases preparadas? Será apenas um repentista, ao jeito de Santana, com pouco jeito para executar?

Mas, citando o Bruno, « Qual é o mal de um político ser trabalhado? Qual é o mal de ele se preocupar com a imagem, com a oratória, com os indicadores? O mal só acontecerá se a imagem que transmite for uma farsa. »

Bom, se a opiniao que tenho dele é boa, para que raio serão estas reservas? Vou pô-las de lado e deixas os sentimentos funcionarem.

Em todo o caso, o meu candidato é Rudy. Que pena não estar a saber dirigir a sua campanha. É um erro concentrar o esforço apenas nos grandes Estados. Quando se lhes chega com um rótulo de 3º, 4º ou 5º classificado, o voto útil troca-nos as voltas...

jfd disse...

Caro Polvo
A postura de Obama é a mesma desde a discussão da Guerra em Congresso. Não é um flip flopper :P

Eu não sei ainda quem gostaria eu que ganhasse :P

No fundo no fundo queria um Presidente Jed Bartlet ;)

Nota interessante: Ontem a H Clinton já chorava on cam para mostrar o seu lado humano! Patético! lol

Nélson Faria disse...

Num repente (que já estou atrasado), agradecer as simpáticas palavras do polvo e complementar o post com a seguinte informação:

no que toca a delegados eis a conjuntura:

Democratas total (% del. eleitos)
Clinton 169 (56%)
Obama 66 (22%)
Edwards 47 (16%)
Richardson 19 (6%)
Kucinich 1

foram eleitos/nomeados 302 de um total de 4049 delegados

Republicanos
Romney 26 (44%)
Huckabee 20 (34%)
Thompson 6 (10%)
McCain 3 (5%)
Paul 2 (3%)
Giuliani 1 (2%)
Hunter 1 (2%)

foram eleitos/nomeados 59 de um total de 2380 delegados

Logo, se as convenções fossem hoje Romney seria o candidato republicano e Hillary, muito à vontade, a candidata democrata.

polvo disse...

1º - Obama votou contra a guerra no Iraque e bem, ao contrário de Hillary Clinton.

2º - O que não significa que a retirada imediata das tropas no Iraque AGORA seja uma solução.

3º - Os E.U.A. têm que assumir responsabilidades o que não se compadece com saídas extemporâneas de espaços de guerra.

4º - Os esforços de paz têm que continuar quer se queira quer não e a presença de uma força militar no Iraque é, por agora, importante.

5º - Daí entender a postura de Obama como irresponsável.

As posições diversas da minha são tão boas e aceitáveis como a que defendo. Aceitem é que perante os pressupostos que para mim são os mais correctos encare o candidato Obama com receio.

jfd disse...

Caro Polvo

Deste a entender que a posição do candidato seguia as sondagens. O que é diferente do que disseste agora.

O candidato mostrou a sua ética e responsabilidade em votos subsequentes, em que, engolindo sapos, garantiu recursos indespensáveis para as tropas já colocadas.

Se for apresentado um plano viável para a retirada das tropas, porque tal não poderá acontecer?

NOTA: Começaram a votar em NH às 06:45 da manha!

tiagosousadias disse...

JFD mas tirando "aquilo" deste-me pica e tenho que comentar. :)
Para concordar e discordar. De facto Obama é um fenómeno. Sempre foi. Não o conheço a fundo na medida em que não conheço o trabalho passado dele. Conheço de Hilary, Giuliani, John Mcane melhor ainda, Edwards mal.
Obama está a criar uma onda e não obstante New Hampshire e Iowa não serem definitivamente Estados decisivos e até pouco interessantes para o resultado final, a verdade é que podem claramente proceder-se as estes Estados alguns onde se verifique uma espécie de efeito borboleta.
Previsões? Não preciso de ter uma lâmpada mágica para dizer isto. Esperemos pela Flórida e sobretudo New York. Estou em crer que se Obama empatar New York e ganhar a Flórida vence as primárias.

tiagosousadias disse...

Polvo:

Não querendo defender ninguém, Obama tem uma vantagem em termos de discurso que não tem Hilary. Não é de New York. Pôde defender sempre uma solução anti-guerra sem a contestação popular. Se Hilary não tivesse defendido a intervenção no Iraque, provavelmente hoje não era candidata.
A dificuldade dela agora é livrar-se desse peso mantendo um discurso apelativo e coerente ao mesmo tempo. Já Obama está a aproveitar-se à grande disso. Mas notem que ele não diz imediatamente, mas A.S.A.P. É bem diferente.

Como diz o outro nas manhãs da Comercial:
Serei o único a acreditar que independentemente do vencedor das primárias e no final o eleito presidente norte-americano, não vai regressar 1 único soldado americano antes de 2009/10?

tiagosousadias disse...

Para quem não conhece a expressão:
A.S.A.P. = As Soon As Possible :D

Elsa disse...

O meu conhecimento sobre o funcionamento do processo eleitoral americano não vai além do senso comum.
No entanto, o fertil debate que o Né, JDF e outros americanpolitics lovers têm sustentado no Psico nos últimos dias ajudou-me a clarificar alguns pontos (obrigada Maltinha;)!)

Não comentei o Decision 08, porque, Né corrige-me se estiver enganada só nos apresentaste os candidatos, não um "cheirinho" dos seus programas (o que para mim era interessante).

Ainda assim, pelos Democratas escolheria Obama porque acho que tem sido inteligente na forma como tem conduzido a sua campanha.

Pelos Republicanos (não percebendo nada de estratégia politica, estados grandes ou pequenos, caucus e afins) eu escolheria Guilliani porque me pareceu o mais "equilibrado".

Uma coisa é certa, salvo incidentes de última hora, as eleições americanas serão talvez o Evento do ano, não só nos EUA. Para já, como transversal de Democratas a Republicanos, retenho a Buzzword: Change

Elsa disse...

Com tudo o que se tem falado sobre estas eleições, dei por mim a tentar identificar possiveis impactos destas eleições na economia portuguesa ou europeia.

Né e todos os outros que seguem "religiosamente" esta novela corrijam se estiver a ver o filme a preto e branco.

a economia vai estar muito em jogo nestas eleições. Os americanos estão preocupados e procuram alguém que os tranquilize. O proximo presidente terá concerteza influência na balança comercial, no défice público ou no estados dos mercados financeiros. e todas estas decisões terão impacto na economia europeia, logo portuguesa também.

Do que li em gordas, deu-me sobretudo que pensar a questão da saúde e finacimento de investigação farmaceutica.
Hoje o sistema de saúde americano é maioritariamente privado.
Os democratas tem prometido reformas neste sector, sendo uma delas o Estado passar a negociar directamente com as farmacêuticas.
O que já acontece na Europa e onde os preços impostos são baixos. sabendo que o que custa milhões de dolares é a investigação e não a produção dos ditos medicamentos e pondo as leis de mercado a funcionar, parece-me que chegamos a um equilibrio delicado. Ou seja se os lucros das empresas não cobrirem os custo de I&D elas não a vão fazer. E não são só os americanos que ficaram a perder, nós também vamos deixar de ter acesso a melhores medicamentos porque os americanos vão deixar de pagar a factura.

Desculpem estes pequeno grande á parte. Mas achei interessante. Mas já agora que propõe os republicanos nesta matéria?

Tiago Sousa Dias disse...

Não sei. Só para elogiar a pertinência da questão Elsa. Muito bem.
Desconheço a matéria, mas pensando politicamente, o sector da investigação cientifica é muito poderoso nos Estados Unidos e ao nível do lobying duvido que isso passe em branco. Ou seja, imaginando que isso aconteça, não duvido que será encontrada uma solução milagrosa do tipo: aumento da receita fiscal para direccionar fundos de apoio à investigação cobrindo assim a perda privada da baixa dos preços dos medicamentos. O Estado gasta o mesmo, o Privado ganha o mesmo o Povo paga o mesmo mas paga de maneira diferente e dissimulada. Ou seja, P.Ex. se forem usados fundos orçamentais provenientes das receitas do (nosso) IRS aumentando a carga fiscal ou diminuído beneficios fiscais, o povo paga na mesma, mas não sente que está a pagar. Porque uma coisa é ser retirado todos os meses uma fatia do bolo, outra é ver o preço num talão a dizer $ 5,00 ou $ 3,50.

É uma pura especulação de um amador da politica numa matéria que desconheço.

Inês Rocheta Cassiano disse...

Meu querido Né,

adorava ir hoje à secção B mas o meu irmão faz anos hoje e à festa surpresa organizada por isso não vai dar. Se for possível, alguém torça pelo Barack!

Francisco Castelo Branco disse...

Os resultados em New Hampshire vieram mudar o figurino eleitoral.
Agora Obama e Huckabee têm confirmar o seu estauto de "estrelas de Iowa".
Por outro, Hillary e os restantes republicanos têm aqui uma verdadeira final!
Vai ser interessante registar a evolução dos resultados.
Amanha, já saberemos quem poderá a vir disputar a corrida final em Novembro.

Tiago Sousa Dias disse...

Meus amigos só para relembrar um facto geográfico para evitar agitações. Os EUA têm 50 Estados e um Distrito Federal. Num total de 250milhões de habitantes nos EUA, o Estado de New Hampshire tem poucos mais habitantes que O DISTRITO DO PORTO. Vejamos

EUA:

Alabama
Alaska
Arizona
Arkansas
Califórnia
Carolina do Norte
Carolina do Sul
Colorado
Conneticut
Dakota do Sul
Dakota do Norte
Delaware
Flórida
Geórgia
Havai
Iwoa
Ilinois
Idaho
Indiana
Kansas
Kentuky
Louisiana
Maine
Maryland
Massachussets
Michigan
Minesotta
Mississipi
Missouri
Montana
Nebraska
Nevada
NEW HAMPSHIRE
New Jersey
New York
New México
Ohio
Oklahoma
Oregon
Pensilvania
Rhode Island
Tenesse
Texas
Utah
Vermont
Virginia
Virginia Ocidental
Washington
Wisconsin
Wyoming
e o Distrito Ferederal Washington D.C.

51 Estados (aceitando na medida em que D.C. também é circulo eleitoral).

Em 51 Estados só 7 têm menos população que New Hampshire e outros 4 têm sensivelmente a mesma população.

0,8 Milhões de habitantes é o universo eleitoral total de New Hampshire, ou seja, apróximadamente 0,6 % do total eleitoral para umas presidenciais. Adaptem isto às primárias e aguardem pela Flórida e New York.
:D

Nélson Faria disse...

Tiago,

as eleições (e dinâmicas de campanha) não são episódios aritméticos puros. Infelizmente não estou no meu computador o que dificulta acesso a dados mas, grosso modo, New Hampshire é considerado muito importante porque tem uma adesão acima da média e 45% dos eleitores identificam-se como idenpendentes, ou seja, o centrão.

Não é definitivo enquanto estado, mas é o retrato mais fiel da capacidade dos candidatos conquistarem aqueles votos que tanto votam num partido como noutro.

Desde a década de 50 até 1988 que os eleitores de NH "acertaram" no tipo que ia ganhar a Casa Branca.

Mesmo em 1992, o grande fenómeno NH revelou-se com o "Big Mo'" ganho por Clinton por ter ficado em 2º lugar nesse Estado.

Na sétima e última série de West Wing há um episódio exclusivametne dedicado à relevância de NH no condicionar do debate eleitoral.

Quanto ao hipotético fracasso de Giuliani na definição estratégica que o Colaço evidenciou só tenho uma coisa a dizer: "prognósticos só no fim do jogo". ;)

Margarida Balseiro Lopes disse...

Inês,
Tendo em conta que o teu irmão é leitor assíduo do Psico, não sei se foi muito prudente dares a conhecer ao mundo a sua festa surpresa. eheheh

Volto mais tarde para me pronunciar sobre o tema quente!

Francisco Castelo Branco disse...

Acho que as probabilidades de Obama, ganhar hoje são muitas.
Venceu em IOWA e está lançado.
Não sei se Hillary vai se considerar "derrotada" após as eleiçoes de hoje se perder....
Gostava que Edwards se intrometesse mais uma vez neste duo

jfd disse...

Pessoal isto é lindo lindo lindo
O gajo mais incendiário da Fox e da rádio conservadora Bill O'Reilly decidiu ir a New Hampshire por estes dias, vejam aqui o resultado:
http://www.foxnews.com/video2/player06.html?010708/010708_oreilly_points&OReilly_Factor_Talking_Points&Talking%20Points%3A%201/7&Talking%20Points%3A%201/7&Bill%20O%26%2339%3BReilly&-1&Opinion&624&&&new

E Né o The Factor é o programa mais visto no seu horário, assim com o Radio Factor o mais ouvido. Não é imitação de nada. Há é um spinn off do John Stewart que tem como missão imitar e irritar o Bill O'Reilly. O Colbert Report. Eles até já foram ao programa um do outro, hilariante! Procurem no Youtube.

jfd disse...

E pronto.
Ganhou McCain e ganhou a Hillary "Iron my shirt" Clinton.
As sondagens deram para o torto. Muito feio. Terá sido o choro? Terá sido a maquina infernal dos Clinton? As mulheres votaram em peso na Senadora. Venha a próxima eleição, a ver o que acontece.
Mas confesso que fiquei tristinho com o resultado democrata mas radiante com o resultado republicano!

jfd disse...

Election Results: Clinton 39, Obama 37, Edwards 17 ... McCain 37, Romney 32, Huckabee 11
Exit Polls: Clinton Wins Women, Dems; Obama Wins Men, Independents
Clinton Spin: "It's A Two-Person Race" ... Obama Spin: "We're On To South Carolina" > www.huffingtonpost.com


Discurso de Obama "Still fired up, ready to go" -> video de 13 minutos http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/22564863#22564863
Slogans - "we want change" + "Yes we can"

Discurso de Hillary "I found my own voice" -> video de 11 minutos http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/22564863#22565110
Slogans - er.... não apanhei assim nada de especial...

Discurso de McCain "Restoring Trust" -> video de 13 minutos http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/22564863#22563665
Slogans - er.... não percebi o que dizia a populaça quando batia palmas. Discurso pouco inspirador. Foi lido. Nada espontâneo. Passei mais de metade para a frente para ouvir o final. BORING!

Discurso de Romney "Another Silver" -> video de 9 minutos http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/22564863#22563421
Slogans - "We love Mitt" + "Mitt"

Huckabee -> http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/22564863#22563727

Edwards -> http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/22564863#22564458

Reportagem de 7 minutos sobre os erros das sondagens http://www.msnbc.msn.com/id/21134540/vp/22564863#22565489

Curiosidade: O John Gibson ( www.gibsonradio.com) chama os Chris Matthews de Monkeyboy e o Keith Obermann de Bathtub boy. LOL

Recomendo:
http://www.huffingtonpost.com/
http://www.drudgereport.com/


JFD a caminho do Michigan :)

Paulo Colaço disse...

Já cá venho para melhor que isto: por enquanto digo apenas "que treta".

polvo disse...

Tal como previa Romney destaca-se mais entre os republicanos que qualquer democrata.

A vitória de McCain ainda o deixa longe e a seguir vem o Michigan onde o pai de Romney foi Governador na década de 60. É o candidato mais consistente que o GOP pode apresentar e tal como disse fazia uma excelente "parelha" com Newt Gingrich.

Entre os democratas acho que o veredicto final está marcado para 29 de Janeiro com as primárias da Flórida!

Abraços e beijos (desculpem a viscosidade) lol

jfd disse...

Newt Gingrich?!?!
Credo que criaturazinha mais aterradora!
www.realchange.org/gingrich.htm
newt.org
en.wikipedia.org/wiki/Newt_Gingrich

Polvo, o que queres dizer com isto "Tal como previa Romney destaca-se mais entre os republicanos que qualquer democrata." ?

Obrigado

xana disse...

Eu acho que o choro deu resultado... A Clinton jogou uma grande cartada! Patética, mas deu resultado "I found my own voice..." enfim... As mulheres lá se comoveram e compareceram em massa.

Obama está lançado, não ficou muito longe e pode ser que o choro se vire contra a chorona...

polvo disse...

Quero dizer que a diferença de delegados entre os republicanos é mais acentuada que nos democratas.

Na secção Politics 2008 da CNN podem verificar isso. Além do mais não se fala mas Romney ganhou o caucus no Wyoming.

Concordo contigo em relação ao Newt Gingrich. Tambemo acho horrendo mas os americanos dão muito crédito à sua figura.

jfd disse...

Ha já percebi!
É verdade, tens razão lol :)
Enfim esperemos plos próximos capítulos!

Eu acho é a máquina da Hillary muito manhosa! Já na pré campanha plantavam pessoas que faziam AS questões que convinham... Ontem ou antes de ontem foi alguem que gritava "Iron my shirt"... Ouvi algures que foi uma partida de Universitários. Terá sido? Mais tarde foi o chorar na mesa com aquelas pessoas e a mão convenientemente colocada na face...
TUDO ESTUDADO. Não me venham com tretas.
Ouvia hoje de manha um talk show da rádio e liga uma mulher que começa a falar do Obama. Foram a descobrir que já tinha ligado pra n programas com a mesma conversa e nomes diferentes. Não é ilegal. Mas é trafulhice.

Pior ainda foi o Bill Clinton que desferiu um ataque mortal no Obama faz 2 dias dizendo que o discurso dele era um discurso de Conto de Fadas.
Enfim. Gente de poder, agarrada ao poder.

Quero um Jed Bartlet!
Posso?

Nélson Faria disse...

As sondagens tramaram-se. Ainda não vi nada vindo dos EUA, só a cobertura europeia (fraquinha, fraquinha). Lembro-me apenas que na MSNBC ouvia um jornalista a colocar essa possibilidade 3 dias antes, dizendo que sondagens feitas dia por dia não dão (muitas vezes) um registo de tendência.

Hillary ganhar é uma boa notícia. Obama enquanto candidato democrata poderia tornar-se imparável. Mas esta luta vai aquecer e muito.

Quanto aos pundits preferidos do JFD: pode ser o mais visto, mas isso não é sinal de qualidade. Não gosto dele, do estilo e da maneira como lida com os assuntos.

Quanto às alcunhas: caramba, isso já vem de trás. E o Obermann merece, também é um otário. Mas também esses 3 (o'reilly, gibson e obermann)...

jfd disse...

Credo!
Não é preferido!
É um reacionário provocador ao melhor estilo da FOX.
Apenas te dizia Né:)

Será que o TVI Noticias será assim??? Quero um spot!!!!

Nélson Faria disse...

JFD e Polvo,

estão a ver as contas mal. Só analisaram os resultados do Iowa (e isso entristece-me, porque nesta caixa de comentários já estava publicado o número de delegados total).

Assim como assim, eis que é Hillary a candidata que realmente se destaca e é nos Republicanos que a guerra é a sério (já tinha chamado a atenção para isto).

Hillary 183 delegados
Obama 78 (nem metade)
Edwards 52

Romney 30
Huckabee 21
McCain 10

Razão para ninguém falar do Wyoming: como penalidade por adiantar as eleições só metade dos delegados poderão votar na convenção(acho que também já tinha explicado isso algures por aí), o que fez com que ninguém fizesse lá campanha. As primárias dos democratas no wyoming serão só em março.

O Bartlet era um bocado mauzinho ó JFD. Um candidato a sério seria Arnold Vinick (o Republicano da sétima e última série).

Nélson Faria disse...

Slogan de Obama para além dos que o JFD mencionou: New Majority, Nova Maioria, o que faz lembrar o Toneca (António Guterres).

Nélson Faria disse...

Porque é que as sondagens se enganaram em NH? Nos EUA não falam de outra coisa; as sondagens acertaram na votação do Obama, do Edwards andaram perto, Hillary é que deu um salto fora da tabela. Porquê?

- como disse a Xana, Hillary humanizou-se com o a história do choro;

- as sondagens são feitas através de chamadas para casas e hoje toda a gente anda é com telemóvel, eliminando o telefone fixo;

- os eleitores brancos não gostaram da brincadeira (naturalmente, este argumento é quase não abordado... mas anda lá).

Nélson Faria disse...

Chris Rock (comediante) sobre as eleições:

You have Barack and Hillary.People understand that Bush has done that job that is so bad it's made it hard for a white man to run for president.

Lindo!

Nélson Faria disse...

Factor XX derrotou Factor XY

Não são necessários mais "enfabulamentos". Mulheres foi o factor que determinou a vitória de Hillary.

53% dos eleitores democratas de ontem eram mulheres e 57% delas votaram em Hillary. Foi uma reacção corporativa às lágrimas e à cobertura mediática, entendendo que a imprensa estava a enterrar Hillary.

Depois ainda acham que as mulheres deviam estar mais envolvidas na política... votam numa pessoa porque chora em público. ;)

Nélson Faria disse...

Desculpem, foram 47% das mulheres que votaram em Hillary.

Paulo Colaço disse...

Caro Né, quanto a prognósticos precipitados, sim, claro, também eu espero que a coisa dê uma volta.
Mas não deixa de ser um erro desprezar o primeiro milho.

Nélson Faria disse...

Estou apreensivo, tal como tu Colaço. Não lhe vou é chamar má estratégia. Veremos. Arrisca-se a ser um erro tremendo...

polvo disse...

Caro Nélson desculpa-me discordar de ti em relação às dsiputas.

Acho que está renhido em ambos os bandos e muito mais em aberto entre os candidatos do GOP simplesmente porque continua a haver mais com possibilidades.

Entre os Democratas apesar da diferença enorme de delegates que Hillary tem a seu favor, vitórias de Obama nas próximas primárias anulariam rapidamente essa vantagem pelo factor motivacional. E mesmo contando que por exemplo os resultados no Michigan não vão contar do lado democrata. Para mim, até ver, Flórida decide o candidato Democrata.

Por outro lado, a razão pela qual acredito nas possibilidades de Mitt Romney baseia-se noutros pressupostos. Romney ganhou no Wyoming e foi segundo no Iowa e em New Hampshire. Manteve as suas hipóteses intactas, e caso ganhe no Michigan, onde nasceu e o seu pai foi Governador, fica indiscutivelmente lançado.

Receio que o Giuliani tenha ficado arredado da corrida pela sua "inovadora" estratégia. É ver os analistas americanos gozar com o homem...

Tiago Sousa Dias disse...

Né as sondagens não acertaram em Obama. Davam 39 a Obama e 31 a Hilary.

Nélson Faria disse...

Amigo Polvo, é curioso discordares de mim: eu só segui o teu raciocínio para arguir que Hillary era preferida no lado democrata e que Romney estava longe de ter uma candidatura sólida.

Tu afirmaste que o que justificava a tua alegação de Romney se destacar é a larga vantagem em número de delegados. Não a tem. Tem apenas mais 9 delegados que Huckabee.

Está tudo demasiado em aberto no campo dos Republicanos: os analistas americanos chamam-lhe "O Caos".

O argumento Wyoming é muito pouco sólido: o Wyoming não existe. Só 4 candidatos fizeram lá campanha, é uma nulidade em matéria de delegados (e mesmo assim só vale metade do que normalmente vale).

Romney é um forte porque tem dinheiro e o establishment com ele. Consistente é o que ele não é: é gozado por todos por mudar de opinião com o vento. McCain chama-lhe o candidato da mudança.

O argumento Michigan só mesmo vindo de um director de campanha de Romney. Mais ninguém. Há três eleições relevantes antes da Super Tuesday: Nevada, South Carolina e Florida.

Só na Super Tuesday é que as casas ficarão arrumadas, e não dou certezas do lado republicano. Mas podes preparar-te para algo desagradável: as sondagens valem o que valem, mas Michigan está Romney 20%/McCain 19%/Huckabee 19%.

Nélson Faria disse...

Para o Tiago e as Sondagens: média das 7 principais sondagens para Obama - 38%. A Rasmussen dava-lhe 37%, a Marist 36%, a CNN 37%, a CBS 35%. Obama teve 37%.

Edwards deveria ter 18% segundo a média de sondagens... teve 17%.

Diferença de um por cento de sondagem para eleição não é um erro. Clinton, de sondagem média 30%, teve 39%. Isso é um grande erro.

jfd disse...

Né Nevada não interessa muito.
O Wy e o Michigan mudaram as suas datas para cedo e o ano passado o comité Democrata zangou-se e retirou-lhes a importância.

Se em South Carolina Obama não ganha e recupera terreno tá tudo perdido.

Florida ainda não percebi se está na mesma situação dos anteriores em termos de delegados democratas, mas acho que sim.

As sondagens acertaram numa coisa, Obama ganhou o voto homem, homem abaixo dos 25 e independentes.

Leiam o artigo que coloquei no outro post, é muito interessante.

Mendonça disse...

Também acho que os Estados Unidos ficavam bem servidos com Giuliani. Agora aproveito para dizer que acho no mínimo "doentio" que algum social-democrata, digno desse nome, apoioe Huckabee - um ultra-conservador bacoco!

Tiago Sousa Dias disse...

Né acreditei nas palavras de um comentador da RTP2 que tinha dito que Obama tinha as sondagens todas a apontar 39 e a Hilary 31.
Mas sabes que acredito mais em ti hehe por isso me retrato e obrigado pela correcção.
Aliás tu apresentaste-me factos, ele disse coisas.
Cada vez acho que o Psico está mais e mais em cima dos acontecimentos e com cada vez mais rigor.

Nélson Faria disse...

Bem verdade amigo Tiago, há discussões aqui com mais informação que a maioria dos debates.

Jorge:
O wyoming só perdeu delegados no campo republicano; nos democratas vai ser em março, mas espera-se que tudo já esteja decidido.

Porque é o Nevada importante para a coisa? Estado em crescimento do Oeste (serve de barómetro), sindicatos muito fortes o que mostra quem está a ganhar mais corporações e uma população latina muito forte.

Dá também para avaliar o "momento" dos candidatos no campo democrata, porque é 7 dias antes das primárias na Carolina do Sul.

Não acreditando em mim:

http://edition.cnn.com/ELECTION/2008/

escolhe a função: "states to watch".

Nélson Faria disse...

John Kerry apoia Obama.. ora aqui está um bom argumento para não apoiar o BO.

jfd disse...

LOL
What happens in Nevada stays in Nevada!! LOL

Olha seilá logo se vê. Tava a opiniar. Nem sei se o Nevada tem muito mais pra lá do jogo e dos Índios.

Olha fiquei em estado de choque e percebi o Giuliani;
por exemplo em New Hampshire ganhou a Lagrimas de Crocodilo, mas ela e o Obama sairam de lá com o mesmo número de delegados...
Ora para os republicanos a Florida é winner takes it all, e são logo 57 (senão me engano) delegados! Chiça!!!!!!!!

Margarida Balseiro Lopes disse...

Tal como a Elsa, não conheço aprofundadamente o sistema eleitoral norte-americano, a tertúlia de 5 de Fevereiro será certamente muito útil.

O meu candidato preferido é Obama, não sei se pelo que a sua vitória representaria para o conservadorismo norte-americano, se pelo que tenho visto (e apreciado) da sua campanha. Hillary parece-me artificial, falsa, calculista. Já o achava muito antes de se ter lançado na corrida presidencial. Na disputa pelos republicanos, gostaria de ver Giuliani.

Quanto aos resultados de New Hampshire, talvez sejam a resposta à choradeira da ex-primeira-dama, mas que lhe pode correr mal noutros Estados.

Nélson Faria disse...

Uma emenda sobre o que disse em relação ao candidato do nosso amigo dos tentáculos e dos esguichos de tinta:

Hoje ouvi Mitt Romney falar de economia: bom discurso e sólido. Se não se armar tanto em "político" e largar a campanha pela negativa, torna-se um candidato que eu até nem desgosto.

Nota-se que é uma área em que ele realmente está à vontade e em que fala sem guião nem rede. O que favorece qualquer orador.

Tiago Sousa Dias disse...

É por isto que gosto tanto da politica americana! Tudo conta. Agora a polémica é saber quem foi o pai da Luta contra o Racismo.
Cada vez digo mais: Califórnia, Flórida e Nova Iorque decidirão. Até lá é teatro e tentantiva pela manutenção à tona por parte de qualquer um. Já Giulianni... não tenho palavras. Gosto da figura mas não percebo o que se passa.

jfd disse...

Tiago, anda três comentários para trás e vê se fica respondia a tua pergunta.
hugz

Tiago Sousa Dias disse...

Não percebi amigo. O comment da Maggie só diz que gostava que fosse o Ruddy.

jfd disse...

Ups fiz mal as contas:)
Era o meu comentário.
Do que tenho percebido, ele vai apostar tudo por tudo na Florida, porque aí, o winner takes it all. Ou seja, quem aí ganhar fica logo com os 57(?) delegados, não tendo de os repartir pelos outros como fazem os demacratas.
Acho eu!
Se assim for, até faz sentido.
Ou seja, aposta tudo na Florida, até lá gasta pouco. Pouco se cansa e desgasta. E pimba, ganhando, ultrapassa os outros né Né?

Correm rumores que todo o staff está a trabalhar for free. Diz-se que ele pediu (ordenou) ;))

Tiago Sousa Dias disse...

Em números qual é o peso eleitoral da Califórnia, Texas, Flórida e New York?
Alguém me sabe dizer?

Tiago Sousa Dias disse...

Cada um deles, não no total.

jfd disse...

Caro Tiago,

No que toca aos Dem consulta este site, desce até ao mapa e clica no Estado que queres info. Recomendo leitura da FAQ.
http://www.demconvention.com/faq.html

No que toca aos Rep o site http://www.gopconvention.com/delegates/default.aspx diz "More information for delegates and details about becoming a delegate to the 2008 Republican National Convention will be coming soon. "

No entando este site tem toda a info http://www.thegreenpapers.com/P08/ccad.phtml Confesso que não é a primeira vez que lá vou. Tenho de o consultar como deve de ser.

hugz

jfd disse...

*ups,é a primeira vez que lá vou!

jfd disse...

LOL é um blog que assina assim:

The Green Papers
WE WERE BLOGGING BEFORE IT WAS COOL
"Established during the previous Millennium"

jfd disse...

Da última vez no Michigan tinha ganho o McCain. Desta vez ganhou o filho da terra.
Num tão esperado balão de oxigénio.
McCain foi sincero ao dizer que os empregos perdidos na industria automóvel não voltariam, Romney fez o contrário. Os resultados aí estão!
O ex pastor terá ficado em terceiro lugar.
São uns projectados 12 delegados para Romney e 9 para McCain.

No que toca aos democratas é interessante o que se passou. As estruturas locais do partido decidiram à poucas semanas em que data iriam marcar as primárias. Estão cansados de ter o Iowa e o New Hampshire com a importância que têm. Ora o partido não gostou desta data tão adiantada e ameaçou retirar o direito aos 156 delegados a representar o Estado. Dito e feito.
Mas! Houve boletins de voto. Claro que lá vinha a Hillary. Que teve 55% dos votos. E Obama (e outros) pediram para quem fosse votar votasse Uncommitted o que correspondeu a 40% dos votos. Tendo em conta que nem todos se deram ao trabalho de ir votar Uncommitted, o partido terá de repensar o facto de retirar os delegados ao Michigan, pois os seus filiados expressaram-se e desejam realmente ter primárias perto do inicio do processo.

De referir que o Michigan é o Estado com maior taxa de desemprego dos EUA.

Mitt Romney disse uma coisa que me deixou de queixo no chão, algo do género “Vamos deixar de pensar nas imposições de limites de emissão de CO2 mundiais pois não queremos ficar bem perante o mundos mas sim perante os americanos”
Isto demonstra uma irresponsabilidade e uma demagogia que não pode estar na Casa Branca nos próximos 8 anos!
Para mim o melhor seria o Arnold Schwarzenegger, mas não pode :) Constituição obligé :):)

Tiago Sousa Dias disse...

Não acho essas declarações irresponsáveis, acho até bastante ajuizadas. Repara quie o que ele diz é "não deviamos sequer precisar de lei para impormos os nossos limites; deviamos faze-lo nem que seja pelo bem estar da américa". Acho que esteve bem. Mal esteve Bush que disse: "Diminuir as emissões de CO2? Já viu o impacto que isso teria na nossa economia?!".

jfd disse...

Pois mas a conversa é mais ou menos a mesma.
Eu fiquei em choque porque, sendo o Romney um gajo que fez milhões no sector privado, acho desonesto que vá para ali cagar postas de pescada. Ele sabe muito bem que a manufactura não volta, que empregos de volta naquele sector só com inovação. Teve de ser o "velho" do McCain a dizer isso. Mas no entanto, o povo iludido, desempregado e com fome votou no que disse o que eles queriam ouvir.

Sr Tiago viu os sites que me pediu? :)

Nélson Faria disse...

Giuliani não tem estratégia... tem uma única hipótese. O staff está a trabalhar à borla porque ele está a ficar sem dinheiro.

Ou a Flórida lhe corre bem ou pode dizer adeus às presidenciais. E vejam a Floridamadness: McCain 21.3% / Giuliani 21.3% / Huckabee 18.3% / Romney 17%.

Não ouvi as declarações de Romney, não falo sobre elas. Romney ganhou não pela falta de clareza a falar de empregos, mas principalmente porque é bom a falar de economia. É o único candidato à vontade com o assunto. Transmite segurança. McCain é defesa e política externa.

Nélson Faria disse...

Cada vez digo mais: Califórnia, Flórida e Nova Iorque decidirão. Até lá é teatro e tentantiva pela manutenção à tona por parte de qualquer um. Já Giulianni... não tenho palavras. Gosto da figura mas não percebo o que se passa.

Tiago, isso foi o que pensou Giuliani e não disputou Iowa e New Hampshire. Passou do preferido republicano à desilusão em 2 semanas. As primeiras primárias são fundamentais.

jfd disse...

Né, chegas a um bando de desempregados a morrer de fome entalados de dividas e que só sabem fazer carros e dizes "Vão voltar a ter empregos a fazer o que sempre fizeram". E pronto tu classificas isto com transmitir de segurança. Eu concordo. Mas de forma desonesta. Pois tal NUNCA IRÁ acontecer. Detroit ou muda, ou então, JÁ ERA!

O pai de Romney foi lá Governador, Romney lá nasceu e cresceu. Foi por isso que ganhou.
Estás a passar um grande atestado de inteligência aos habitantes do Michigan qd dizes que votaram no Romney porque ele sabe o que diz a nível económico.
Give me a break!
Um gajo que diz que os EUA não estão no inicio de um ciclo negativo :P

Ainda por cima, como ouvia ontem um comentador dizer, uma crise que não tem origem na Main Street mas sim em Wall Street. As acções predatórias do sector financeiro deram a volta e morderam-lhes no rabiosque :)

Tiago Sousa Dias disse...

Eu não acho que os EUA estejam em crise JFD. Os EUA estão a atravessar há um ano uma fase de grande instabilidade no sector financeiro, mas a forma como estão a combater a chamada "crise do subprime" está a ser sublime. Medidas e contra medidas, politicas e económicas, públicas e privadas que já evitaram a queda de um dos maiores grupos financeiros do Mundo e que apesar de tudo vão mantendo a relativa estabilidade e, mais importante até, a credibilidade das instituições que não estão a perder a fidelização dos clientes. Brutal.

Nélson Faria disse...

Só te digo uma coisa JFD (de um gajo que hoje em dia vê mais notícias de canais norte-americanos que portugueses): não foi esse o discurso do Mitt.

Mas cada um vê o que quer. Romney é seguro a falar de economia e também ele fez alusão à nova economia. McCain é fraco, não tem resposta nem tem mais para dizer sobre economia do que o stumpspeech.

E ele ganha pelas raízes? Sim, isso dava-lhe vantagem... que uma semana antes das eleições já não tinha. O resultado foi melhor do que as sondagens indicavam.

A economia deu-lhe a vitória. Vê as exit polls.

Nélson Faria disse...

Para consubstanciar a minha análise vão a:

http://edition.cnn.com/video/#/politics

e escolham o vídeo

What next for GOP candidates?

polvo disse...

Allô das profundezas!

Pois é parece que a campanha do Giuliani já não tem mesmo dinheiro e por isso os seus colaboradores estão a dar de "frosques". Veja-se o caso do Nélson que se deixou enlaçar pelos tentáculos da candidatura do Romney e se juntou ao seu "staff" em Portugal. lol (uma provocaçãozinha)

De facto onde o homem dá cartas é no capítulo económico. Vejam as performances dele enquando Governador no Massachussets e sobretudo o milagre que operou na organização dos Jogos Olímpicos de Inverno de Salt Lake City.

Mas também me agradavam imenso as políticas sociais que desenvolveu, as preocupações em termos de política internacional e outras questões que a determinada altura fizeram dele o Governador Republicano mais Democrata dos E.U.A..

Pena que para já a aproximação ao centro esteja arredada da sua campanha e esteja a voltar atrás em assuntos que lhe podiam granjear apoios em franjas não alinhadas da sociedade.

Quando voltar atrás, se isso acontecer, pode ser tarde de mais.

É o meu preferido e gostava que levasse como Vice um Republicano moderado. Mas para já tudo aponta para, caso seja eleito, levar Jeb Bush ou Newt Gingrich. A sua campanha na Flórida é assegurada pela máquina do ex-governador!

Deixo-vos com este jacto porque não tenho dormido muito à conta da porcaria das primárias e a produtividade ressente-se.

jfd disse...

Sim Né. Cada um vê o que quer ;)
Quanto às exit polls, basta ver as do NH ;)
O discurso dele não foi só aquilo que eu disse, mas também. As raízes dão-lhe toda a vantagem, but then again, pontos de vista:)
Eu vejo sempre com um pé atrás as coisas que vou vendo na CNN na CBS (via Skynews) e outras que tais. Todos têm uma agenda. Nenhum é imparcial. Mas com o bolo todo junto, tomo a liberdade de fazer os meus juízos. Disparatados ou não, são meus. Isto para te dizer que há excepções, há pessoas cujo comentário acho interessante e de levantar o sobrolho. Um exemplo é um rapaz que é blogger da campanha para a revista Newsweek e ele diz:
(...)
How did Romney win? By ditching the inauthentic "consensus conservative" guise, reminding local voters of his Michigan roots, promising to "rebuild" the auto industry (McCain admitted that jobs weren't coming back) and dropping more than $2 million on television advertising. On primary day, Democrats and Independents--a large chunk of McCain's base--stayed home, comprising only 25 percent of the GOP primary electorate as compared to the 35 percent they made up when McCain won in 2000. And more than half of voters told pollsters that the economy--which Romney, former CEO of Bain Capital and master "turnaround" artist, worked hard to dominate over the past week--was their top issue, up from 33 percent in McCain-friendly New Hampshire.
(…)
Full em http://www.blog.newsweek.com/blogs/stumper/archive/2008/01/15/romneybot-reboots.aspx

E agora um exemplo improvável, o da MTV
(...)
Even so, the contest was positioned as do-or-die for the Romney campaign, which used the memory of the candidate's father as an emotional pull to get voters to give the candidate his first major win. The former Massachusetts governor had been running ads in Michigan since January 2006, spending more than $2 million on more than 2,555 spots, according to CNN, versus the $359,000 for less than 360 spots by McCain. This week, Romney's campaign announced that it was pulling ads in upcoming primary states Florida and South Carolina to devote more resources to the all-important Michigan contest.
(…)
Romney spent the past few days taking swipes at McCain for his comments that more than 300,000 jobs in Michigan are permanently lost and must be replaced by exploring new technologies, promising that if he won he would not rest until the state's beleaguered economic fortunes were turned around.
(…)
Full em http://www.mtv.com/news/articles/1579722/20080115/index.jhtml

Eu podia continuar a fazer isto, que não é nenhum exercício com exactidão cientifica nem tem nada de honesto; porque obviamente só escolho as partes que servem a minha causa :)
Mas resumindo, o Mitt Romney, A MEU VER, chegou perto de um bando de carecas e prometeu-lhes cabelo. Mai nada !!!
PS – Há um m u n d o para lá da CNN :)))))))))))))))




Tiago, estou interessado em saber mais sobre essas reviravoltas. Sempre pensei que esse grupo fosse tipo um brinquedo de recreio dos magnatas do ouro negro e que quando fosse mesmo preciso eles injectariam os $$$$ necessários...


Polvo provocação engraçada lol Será que o Né era dos que não recebiam ??
Mas uma coisa que tu dizes Polvo me deixa um cadinho danado. Milagre económico nos Jogos Olímpicos? Ok milagre económico no estado que governou? Também (atenção sigo-me pelo que dizes pois não tenho conhecimento na primeira pessoa sobre esses assuntos em específico). Mas lembra-te, aliás tu próprio o dizes, ele já não é quem foi!!! Ou seja: vira casacas!
Ele é acusado de ser o maior flip flopper destas eleições. Eu quero lá saber! Todos podemos mudar de opinião várias vezes ao dia. Se ao menos assumisse as posições que teve com honra e dignidade. Mas deixa-me triste que quase renegue esse passado glorioso que aqui elogias. Por isso para mim, não vale um tusto.

Ó polvo tu e o Newt, o Newt e tu... O quê que tu sabes que a gente não sabe?:))

Abraços aos 3, e ao resto:)

Jfd a caminho do Estado do Pecado

Nélson Faria disse...

Como tenho pressa, muito rápido:

1 - As exit polls foram o que explicaram a vitória de Hillary. (quem votou e em quem)

2 - Eu não me escondi atrás de outros para dar a minha opinião. Dei-a. E depois meti todo um segmento de televisão que encontrei em que se fazia análise curiosamente na mesma linha (não andei à procura e fico magoado com a sugestão). E não a cortei à vontade, coloquei todo o segmento noticioso.

3 - Eu não disse que não usou as origens. Mas quando Mitt falava de recuperar os empregos era o mesmo discurso de McCain: nova economia, investir em R&D e mudar a indústria automóvel. Mais eficiente. McCain preferiu falar de diversificação. Opções... Romney é bom a falar de economia e McCain é nulo. Sugeria-te vídeos mas é melhor não. Acompanha a campanha todos os dias e vê do que eu estou a falar.

3 - Eu não vejo os resumos de um canal noticioso, eu vejo a campanha (presumo que já soubesses isso). Há todo um mundo para lá da CNN, é verdade, mas não é a tua FOX News ou a Newsweek que garantem coisas melhores. A melhor cobertura é da MSNBC e depois há uns sites maravilhosos. Tenta entrar nesse mundo, vai ser giro.

jfd disse...

Não fiques magoado que não é a intenção. A intençãó é picar, saudávelmente :)
Claro que temos os dois razão:)
E atenção, eu é que disse que estava apenas a colocar as partes que me interessavam !

Eu ouvi em primeira pessoa os discursos do senhor e não reconheço esse Mitt. Mas pronto pode ser mau feitio...

Temos de trocar cromos e galhardetes. Vamo-nos rir:)

hugz

PS POLVO só ontem e noite ouvi a entrevista do Newt ao This Week da ABC de Domingo. O senhor anda a por os corninhos de fora :) Vou subscrever o podcast dele e ouvir as análises do senhor speaker :)

Nélson Faria disse...

Tu achas que ele ganhou por o papá ser de lá, ele ser de lá e de prometer os mesmos empregos; eu não, por isso não podemos ter os dois razão.

O laço familiar dava vantagem (que não era relevante no dia das eleições) e o discurso dele era sobre nova economia. Tens de ver mais discursos, ler mais e falar menos de cor.

Nélson Faria disse...

Eu fico sempre magoado quando me acusam (ainda que indirectamente) de desonestidade intelectual ou de só beber numa fonte.

Não gosto que coloquem a seriedade da opinião em causa.

jfd disse...

Bem o que vale é que eu não me ofendo. Continuarei a falar de cor e a ler menos e a ver menos discursos. Mas continuo a n me ofender.
Quer dizer eu próprio realço a minha falta de honestidade assumindo que os meus comentários são do mais manipulado que há para servir o ponto de vista e tu é que ficas ofendido? Don't get all Hillary on me baby!

Uma curiosidade FYI. Quando o McCain ganhou o Michigan deveu-se aos Democratas sabias? Votaram em peso nele para embaraçar o governador da altura (D) que estava a favor de Bush(!). Mas atenção estou a falar de cor, posso estar enganado.
Ora esse plano foi maquinado pelos reaccionários da esquerda dos D. Corriam rumores por esses lados dailykos.com e companhia que agora no Michigan iam fazer o mesmo, mas plo Mitt. E porquê? Para fragmentar. E porquê? Porque antigamento o GOP tinha a mania de que cedo tinha de estar tudo calmo. Saber quem era o nomeado etc e tal. Ora este ano muda tudo. Pois tudo corre há muito tempo. A paz antes da convenção já não faz tanto sentido e os R até que têm candidatos interessantes. Quem ganha com isso? O Giuliani se se aguentar na Florida e se tiver $$$ e tal.

Falei na Newsweek e tu falas na MSNBC. Desdenhas a newsweek e idolatras a MSNBC. Sabes certamente que a Newsweek é a MSNBC em papel??? Mas o point não era a revista mas sim o puto blogger que é um star blogger.
A minha Fox news? A FOX news é divertida. É uma sitcom de 24h sobre 24h.
A MSDNC é de esquerda. A Fox é de direita. A CBS tenta a neutralidade. A CNN tá perdida. A ABC é de esquerda. Junta tudo, e isso sim é maravilho.

Tu sugeres sites, mas não partilhas. Eu sugiro, partilho, dou links, recomendo. Vá lá não sejas invejoso:)

Mas pronto como queres ser sério e insistes. Pode-me ter escapado. Podes-me ajudar a compreender o teu ponto de vista? Duas questões!
Que disse ele sobre a nova economia?
Como não são relevantes os laços familiares em dia de eleição?
Obrigado!

Hugz!

Nélson Faria disse...

Ainda não compreendeste: eu não desacreditei as tuas fontes, não gosto que insinues que só vejo a CNN. Tu sabes mais do que isso.

Mais uma vez má-fé: não faço outra coisa senão partilhar. Corre todos os comentários e verás as referências a sites como o realclearpolitics ou o rawreplay. Acho piada é desacreditares uma op-ed por ser CNN.

Brincadeira de Michigan e o swing voting: what else is new? Foi debatido desde o final das eleições de NH todos os dias profusamente.

Nova economia: todos os discursos maquinalmente (e isto estava também na peça da CNN)... apoios federeais na investigação de motores mais eficientes, mais amigos do ambiente e I&D para que o Michigan mantenha os seus empregos.

Proveniência não conta no dia das eleições: a proveniência deu-lhe vantagem nas semanas antes. Mas na véspera das eleições saíram 3 sondagens: duas davam a vitória a McCain. Só uma dava a vitória a Romney. O factor casa esvaneceu-se (ver o realclearpolitics, várias vezes mencionado).

Depois vê as exit polls: o que levou as pessoas a votar Romney. 56% disseram ECONOMIA - 14% disseram estarem motivadas por ser um filho da casa.

P.S. Como não te ofendes, nem pretendes ofender, explica-me: acompanhas tanto e tão bem, como é que tudo isto te passou ao lado (comentadores vários a suportar isto)? Como é que foste capaz de dizer que o Nevada não é relevante? Duas perguntas curiosas para quem acompanha as presidenciais norte-americanas tão bem.

P.S.S. Ler o IHT, o Post e o LA Times também ajuda um bocado.

polvo disse...

Caros amogos:

1 - Eh pá, eu não gosto mesmo do Newt Gingrich. E fico lixado por estar a ser dado como mais que provável Vice em caso de nomeação do Romney.

2 - Alguém ponha um post novo ou ficamos sem fórum oficial.

3 - E se alinharem vamos também comentando as "Generales" espanholas que estão próximas (9 de Março). Terça os nossos companheiros do PP deram um grande tiro no pé.

Abraços

jfd disse...

Ó Né acompanho muito! MAS não sou profissional. Faço-o porque me diverte. Não tenho nada a provar.
É fun. É hobbie. Falo de cor, concordo sem nenhum pudor ou sarcasmo. Há tanta gente séria, estou no lado phun da coisa, sem pretensiosismo algum. end of disclaimer.

A minha ingenuidade (e referia-me aos dems) disse que o Nevada não é importante porque como não é por voto em urna, poderá reflectir o politicamente correcto e não as verdadeiras intenções como veremos depois ca Carolina do Algarve. Só isso. Como vês nada de muito académico nem cabeçudo :)

O iht não faço ideia o que seja. O Post na leio, e o LA Times muito menos. Os pouco que leio partilho aqui. Tudo o restou oiço no aipodes.

Boa sugestão Polvo;) Né fazes as honras? Vou-te mandar por mail uma imagem que está no http://www.lasvegassun.com/ que axei gira :) caso optes por utilizar ;)

jfd disse...

News alert
Modo engolir SAPO on
NÉ tinhas razão! O Mitt ganhou por causa da Economia :P BAHHHHHHHHHH
Fica feiro o reparo.
Agora já não escapou, já ouvi os discursos. Foi feio foi ter cortado o discurso do McCain :)))

Hugz!

Nélson Faria disse...

As palavras iradas que antecederam o post devem-se ao meu péssimo feitio: detesto ser contraditado quando penso que o fazem injustamente. As desculpas ao JFD e aos leitores.

Já senti a necessidade de postar mais sobre as primárias mas decidi esperar pelo caucus do nevada e pelas primárias de South Carolina no Sábado. Assim aproveitamos o balanço para antecipar a Flórida.

Polvo, lança aí um tentáculo e explica onde os amigos do PP deram um tiro no pé. Passou-me ao lado. Passo os olhos pelo El Mundo todos os dias mas reconheço que pela dica não alcanço.

P.S. O International Herald Times é a versão mundial do esquerdóide New York Times. A newsletter é entregue diáriamente no mail com notícias, editoriais e op-eds do grupo a que pertence o NYT. Dá para saciar a curiosidade.

jfd disse...

És fresco tu ó Né ;)

Eu da politica daqui do lado na percebo muito.
Acho que ele se referia ao facto de o PP andar a ferro e fogo por causa das listas. Por terem posto de lado o Alcaide de Madrid? Pelo prez do PP ter cedido a presões vindas não sei de onde? Pela escolha que o substituiu? O Presidente da electrica não foi? Uma coisa assim....
Está tudo turvo, no meu já famoso conhecimento de cor :))