segunda-feira, janeiro 14, 2008

Que dirá dele a História?


Há exactamente 7 anos Jorge Sampaio foi reeleito Presidente da República. No final do mandato, foi, quanto a mim, responsável por um “golpe de Estado constitucional”.

41 comentários:

Nélson Faria disse...

Penso que pouco, assim como de quase todos os nossos contemporâneos.

Soares e Cavaco terão o seu parágrafo nos nossos livros de história - provavelmente mais pelo que fizeram no 25 de Abril e como PM respectivamente do que como PR - mas Sampaio terá a sua biografia e pouco mais.

Ficar na história é um desafio bem mais difícil do que à partida parece. E o próprio episódio ficará esquecido nas gavetas de Belém, relembrado por nós na nossa 4ª idade que nem medalhas do Ultramar.

Tiago Sousa Dias disse...

Sampaio foi, quanto a mim, um bom presidente da ´República com falhas graves aqui e ali.
Pede-se a um Presidente essencialmente 2 qualidades: diplomacia e não ingerência.

Diplomacia - veja-se o caso da transição de Macau para a administração chinesa em que Sampaio não compareceu... faltou à cerimónia.

Não ingerência - é preciso dizer? o ataque constitucional à estabilidade do Governo foi promovido por Sampaio claramente. Muitos esquecerão, mas eu não. As "sucessivas remodelações" (houve 2...a primeira sucedeu à segunda de facto hehe) foram um dos argumentos de peso para exonerar um governo... 5 dias depois de aceitar a remodelação, não antes, mas depois...
Achei esse momento de muito pouco cariz democrático e preocupa-me que o grande legado de Sampaio seja a criação do precedente "exoneração politica conveniente"!!!

diogo agostinho disse...

Este senhor ficará na história como o pior Presidente da República!

Este senhor de estilo reservado, pacato, conseguiu algo inédito! Demitir um Governo sustentado numa Maioria, denegrir todos os elementos desse governo com supostas suspeições e aniquilou o nosso futuro recente!

Ainda hoje anseio pela justificação do perigo que consistia o Governo, que este senhor demitiu, para o regular funcionamento das instituições portuguesas!

Quem não se lembra de:

"Há mais vida para além do défice!"

Golpe fatal nas políticas da Dra. Manuela Ferreira Leite!

Quem não se lembra de:

"Vou controlar o governo que acabo de empossar em x areas!"

E antes ter ligado a uns militantes distintos do PPD PSD a mendigar para tomarem conta do governo.

Quem não se lembra de:

Ter recebido comentadores políticos ressabiados por nunca terem sido PM, e amuados com palavras imagine-se!!!! Contrárias! Que lata um Ministro dizer que um comentador que demonstra um ódio visceral todos os domingos deveria ter contraditório!

Quem não se lembra de empolar a demissão de um Ministro(o último da lista do organigrama do Governo)para a queda de um Governo legitimo.
E passado uns meses...já no seu governo rosa ter pela frente um homem sério e competente como Luis Campos e Cunha a proferir palavras bem mais graves do que o Minstro do Desporto e nem uma única reacção! Nem abriu as portas de Belém para o coitado do Prof. de Economia!


Para mim! Jorge Sampaio é sinónimo do 25 de Abril mais recente mas para pior! Tirou um governo legitimo, nao esclareceu e ajudou os seus a alcançarem o poder!

A história que contarei aos meus netos deste senhor é simples:

Foi um socialista! Puro e duro!

Só isto chega para o colocar no devido lugar da história!

Tiago Sousa Dias disse...

Diogo não podia concordar mais contigo excepto na parte em que dizes que foi o pior. É dificil dizer isso de qualquer Presidente até agora na medida em que os tempos foram sempre substancialmente diferentes e os panoramas politicos inigualáveis.
Quanto ao resto eu evitei fazer o que vou fazer agora porque falaste do Campos e Cunha e não resisto a colocar um link para o texto que eu escrevi em tempos para a Quadratura do Circulo.

http://quadraturadocirculo.blogs.sapo.pt/132680.html

Anónimo disse...

Na minha opinião, deixou duas enormes manchas no seu precurso enquanto Presidente, uma delas como disse o Tiago e muito bem "transição de Macau para a administração chinesa em que Sampaio não compareceu... faltou à cerimónia."
A segunda foi quando exounorou o Governo do Pedro, que segundo diz quem sabe, teve tudo a ver com as reformas tributarias à banca que estavam ser preparadas pelo então Ministro das Finanças, Bagão Felix.

O Governo terá sido então demitido no dia após uma audiencia dos homens fortes do BCP;BPI e BES.

Mais do mesmo!

Saudações Democraticas Riomaiorenses

Tiago Sousa Dias disse...

É uma boa observação. Nunca tinha pensado se isso teria sido motivação, mas essa informação é segura? Os líderes dos Bancos estiveram mesmo reunidos com Sampaio?
Sei de um facto: o último diploma publicado pelo XVI Governo Constitucional no dia 11 de Março de 2005 foi a transposição da Directiva da Poupança que, básicamente veio acabar com os paraísos fiscais para os residentes na UE ou territórios associados (Cayman, Ilhas Virgens...). Em todo caso só se fosse meramente simbólico, porque a Directiva é de 2004 e a única coisa que foi feita foi transpôr para a ordem jurídica portuguesa. Por outro lado, não implica mais tributação para os Bancos, mas o dever de os Bancos comunicarem à DGCI os rendimentos provenientes do pagamento de juros de não residentes em Portugal à "DGCI" do País de residência. Ou seja, um cliente residente em França com conta em Portugal, ao receber juros de um depósito a prazo, o Banco comunica à DGCI, que por sua vez comunica à "DGCI" francesa, que por sua vez tributa o seu residente.
O mesmo se diga de... um português com conta em Cayman. O Banco de Cayman tem que comunicar à administração tributária de Cayman, que por sua vez comunica à DGCI, que por sua vez tributa o cidadão português.
Ou seja, os Bancos nada perdem porque 1- Nem todos os países do mundo estão cobertos pela jurisdição da UE e desta Directiva em particular (veja-se por exemplo o Totta que abriu produtos em Porto Rico salvo erro); e 2 - porque quem é tributado é o cliente e não o Banco em si.
Esta medida fez cocegas, mas não feriu.
Houve mais algum diploma no âmbito financeiro susceptível de "motivar"?

Anónimo disse...

Eu não confirmo que essa informação seja mesmo segura.
No entanto há quem aponte este facto como a maior motivação.
Tanto quanto sei, para alem das alterações acerca do funcionamento em Off-Shores, tambem estava contemplada uma maior carga fiscal sobre os lucros da banca, ou seja, quanto maiores os lucros maior a tributação.

E já agora Tiago, se esta medidas e reformas tivessem vingado,será que não se teria descoberto todas estas broncas de empresas e Off-Shores do BCP?

Saudações Democraticas Riomaiorenses

Tiago Sousa Dias disse...

Sobre isso relativo ao BCP não me pronuncio porque conheço muito pouco ou quase nada.
Mas dúvido que hajam ilegalidades. Nesse aspecto os Bancos, apesar da fama que se lhes atribui, cumprem rígidamente a lei. A questão é que se associa a palavra "Off-Shore" a "Crime". Não é verdade. O Algarve tem praias; Paris tem a Torre Eiffel; Cayman tem o Off-Shore. O exemplo pode parecer ridiculo mas é verdade. Off-shore não passa de um regime fiscal surpreendentemente cativador. Portugal poderia ser um off-shore se, por exemplo, se acabasse com a tributação de rendimentos de capital.
As medidas vingaram na medida em que puseram os Bancos a investir em novos territórios e a afastar os paraísos fiscais da europa. Em bom rigor a UE fez o seu papel, falta o resto do Mundo. Quanto à carga fiscal que se impôs aos bancos é sobre a carga efectiva do imposto e cujos valores desconheço ao certo. Mas isso é quanto a mim de uma certa ilegalidade. A lei deve ser geral e abstracta, não concreta apesar de abstracta. Concreta significa não só o caso de se aplicar a uma pessoa como a um grupo de pessoas concretamente identificáveis. Ora, quando alguém abre uma empresa e compra um carro para a empresa o que faz? deduz a titulo de despesas; quando se "mete" as despesas de gasóleo oque se faz? deduz-se a titulo de despesas. A diferença entre os bancos e as restantes empresas é que nos bancos trabalham batalhões de gente especializada em contabilidade e fiscalidade que conseguem fazer com uma eficácia brutal aquilo que eu chamo de engenharia jurídica. Usar todos os mecânismos LEGAIS para pôr a lei a nosso favor e não contra nós. Nisso não há melhor que os bancos e o que o legislador fez foi contornar esse facto com critérios objectivos de correcção.
Qual é o resultado disso? Os bancos pagam o mesmo mas têm menos margem para investimento...

Tiago Sousa Dias disse...

Ah só um último reparo: é importante que os Governos todos tenham a coragem de actuar com ou sem o agrado dos Bancos; mas nunca devemos pensar que há um sector de actividade que é inimigo da Governação. A Banca portuguesa é das mais avançadas no sector do retalho ao nível de qualquer país do Mundo. Temos sistemas avançadissimos, soluções distantes de grandes países. Ex. Pensem qual é a Caixa Multibanco mais próxima de vossa casa... na Bélgica tive que me meter num metro, andar duas estações para levantar 30€. Em França as Caixas multibanco só permitem fazer levantamentos ou ver o extracto bancário; na Noruega não há cheques e se quiserem poupar dinheiro só têm 3 tipos de Depósito a Prazo (não há cá fundos, obrigações etc.)

Anónimo disse...

Curvo-me às tuas palavras Tiago!
Deste-me argumentos para pensar durante dois dias.
Quanto a estas palavras que proferiste:
"é importante que os Governos todos tenham a coragem de actuar com ou sem o agrado dos Bancos;"

Partilho ad mesma opinião do Dr. Alberto João, não há coragem politica em Portugal para o fazer, assim como nunca houve coragem para colocar um travão nos ultimatos colocados pelos grandes empresarios aos governos da nação.
Temos exemplos de casos gravissimos.

Bruno disse...

É fantástico como as conversas fluem no Psico... Sobre esta conversa do Tiago com o(a) nosso(a) comentador(a) Riomaiorense, lembro-me bem de uma das frases de Campanha de Santana ser: "meti a mão no pote de mel e saltaram as vespas" (referindo-se ao ataque de que foi vítima por parte de vários banqueiros da nossa praça).

Sobre Jorge Sampaio e o que dele rezará a história, está bem representado no desenvolvimento que teve um post sobre ele... Como disse no início até gosto de ver as conversas fluirem. Mas quando se fala de um ex-Presidente da República era natural que houvesse mais para dizer... mas não há!

Eu só tenho 2 ou 3 coisas:
- Sempre foi visto como "um gajo porreiro". Para mim, uma das piores características para um político. Normalmente os "gajos porreiros" não fazem nada;
- Que grande obra lhe conhecemos? Ganhou a Câmara de Lisboa através de uma confederação de esquerda que incluia mesmo os mais extremistas... Nos cargos que desempenhou fez o quê? Pouco ou nada.
- Ah! é verdade! Derrubou um Governo que estava apoiado numa maioria absoluta. Uns anos antes tinha quase pedido de joelhos a outro Governo que caía de podre para se aguentar mais um bocadinho... Ana Gomes chamou-o de tudo e mais alguma coisa o que é - como todos sabemos - um grande elogio ;)

Vermouth disse...

Caro colega e amigo Diogo Agostinho, subscrevo inteiramente o que escreves-te. Aliás já tinhamos tido a oportunidade, de dialogar sobre este "senhor"...

Francisco Castelo Branco disse...

Caro Paulo colaço.
Deixa me discordar
Não acho que Sampaio tenha sido o autor do maior golpe constitucional! Nem de sombras.....
A CRP 76 prevê esta forma de dissolução da AR!
Tem toda a legitimidade e legalidade.
No meu entender, aquilo que ele fez foi necessário dadas as circunstâncias da altura
Quanto ao resto, acho que foi o melhor PR que o país teve até á data

Bruno disse...

Francisco Castelo Branco disse...
A CRP 76 prevê esta forma de dissolução da AR!

Chico, a lei também prevê que - em caso de necessidade - tu possas fazer uma série de coisas que normalmente seria consideradas ilegais (por exmeplo utilizar um veículo sem o consentimento do dono ou destruir propriedade alheia). Em caso de necessidade...

Já vi que, no teu entender, o que Sampaio fez foi necessário. Quanto a mim não foi. Foi vergonhoso! Mas, por favor, explica-me: é só por isso que o consideras o melhor PR de todos os tempos???

jfd disse...

Caro Diogo esse tal comentador não seria Conselheiro de Estado?

Concordo com o Francisco.

Tiago, não posso deixar de me sentir picado ao ouvir maravilhas do maravilhoso mundo da banca a retalho portuguesa. Claro que é verdade. Mas a custo de quem? Do desgraçado do consumidor. Consumidor que, em contacto com um dos sectores mais eficiêncientes em PT, e dos mais rentáveis na Europa, não pode pegar num simples crédito à habitação e ter a mobilidade que é suposto ter em termos de Concorrência Europeia. Porque? Porque há todas as subtilezas do mundo para lixar o mexilhão.
;)

jfd disse...

LOL Bruno, atenção, concordo com o seguinte dito pelo Francisco:
(...)Não acho que Sampaio tenha sido o autor do maior golpe constitucional! Nem de sombras.....
A CRP 76 prevê esta forma de dissolução da AR!
Tem toda a legitimidade e legalidade.(...)

Bruno disse...

Jorge e Francisco, claro que é legal e por isso legítimo aos olhos da lei. Por isso se diz que é um "golpe de Estado constitucional" ok?

;)

jfd disse...

hummm pescadinha de rabo na boca?

Bruno disse...

Não. Apenas uma expressão que diz que um senhor e os seus amigos aproveitaram um poder que a lei lhes dá para deitarem abaixo um Governo cuja popularidade estava pelas ruas da amargura.

Se tivermos em conta que tudo isto foi feito com a conivência/colaboração de várias forças (comunicação social, banca, etc.) podemos falar em "golpe". Mas se alguns preferem acreditar na boa vontade e sentido de missão patriótica de Jorge Sampaio tudo bem...

Anónimo disse...

Gostaria de deixar mais um pueno acrescento ao que aqui já foi dito e que gostaria que comentassem.

E quando em 2001, O Dalai Lama visitou o nosso país e nenhum órgão de soberania teve a coragem de receber oficialmente o líder do povo do Tibete, com medo de eventuais «represálias» da China.

Não acham que esta foi uma grande imagem de pequena dimensão no exercício das suas altas funções?

E quando em 2002 agraciou com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D Henrique o Presidente da Junta Gorvenativa da Extremadura, instituição que exerce a ocupação de Olivença?

Saudações Democraticas Riomaiorenses

jfd disse...

Caro Riomaiorense

Penso eu que são dois assunto que, tendo importância no seu nicho de influência, não têm nenhuma projeção global de interesse relevante :)

Tiago Sousa Dias disse...

Uma opinião jurídica, não politica: a violação da lei acontece sempre que os dispositivos legais sejam directamente contrariados ou não respeitados e ainda sempre que, mesmo havendo respeito, tenha havido má fé consubstanciada no abuso de direito ou fraude à lei (entre outros mas para o caso é o que nos interessa).
Fraude à lei é usar os mecanismos legais e inverter o sentido da lei no bem que ela quer proteger; foi isto que Sampaio fez. Essa norma constitucional existe para controlar uma eventual situação de abuso de Poder, perigo de Estado, ou uma instabilidade insuportável. O que não era o caso. Abuso de direito porque foram corractamente preenchidos os requisitos legais; mas abusivamente interpretados (quem não se lembra de Sampaio a dizer "uma série de factos que me dispenso enunciar"?).

Pergunta:

Já imaginaram como Sampaio seria ridicularizado para a eternidade se tivesse dito: "Exonerei o Governo porque o Ministro do Desporto, Henrique Chaves, disse que quase atirou um DVD do Benfica pela janela fora!!!!!!!!!!!!!!!!!
Pensem nisso. hehe

Bruno disse...

Todo o país tinha aplaudido, Tiago!

- Os Benfiquistas, que são muitos, achavam bem porque foi uma falta de respeito para com o clube e o seu património!
- Os ambientalistas concordavam porque os DVDs usados são para enviar para a reclcagem;
- Os professores/educadores regozijavam-se porque não se dá maus exemplos às crianças, atirando coisas pela janela.

;)

Adriana disse...

Jorge Sampaio ficara para a Historia como o presidente do golpe, que manchou o seu mandato no final como uma nódoa que n sai nem com tira-nodoas.

Quanto a pergunta do tiago: subscrevo as palavras do bruno.

Francisco Castelo Branco disse...

Bruno

Claro que não lol!
Pelo menos é o primeiro de que me lembro.....
Só isso é um factor
Quanto ao resto acho que actuou sempre de forma correcta. Embora tenha sido um bocado displicente com o governo de António Guterres.
E muito pouco vigilante. Em comparação com o governo de Santana Lopes.
Quanto ao resto.
Ele tinha legitimidade para fazer o que realmente fez.
Não havia volta a dar á situação!
É a minha opinião.
Na minha opinião o que ele fez foi correcto. Era necessário. Alguma ordem no país e havia a necessidade dos portugueses votarem naquele momento.....

Bruno disse...

Pois, lá diz o outro que as opiniões são como as vaginas ;)

Mas realmente, como não conheces outros presidentes é natural que até não consideres Sampaio mauzinho... Deixa que o antecessor dele (Soares) também tem muito que se lhe diga. Foi assim uma espécie de direito de voto extra para a bancada parlamentar do PS que lhes permitia bloquear a acção do Governo.

Estou certo que Cavaco será melhor Presidente do que qualquer um dos que o antecedeu.

Margarida Balseiro Lopes disse...

A minha idade apenas me permite avaliar com justiça o último mandato de Sampaio. Foi o presidente dos silêncios, das conivências, dos "amiguismos".

Criticaram Cavaco, aquando do 25 de Abril, por não ter levado o cravo na lapela. Este senhor, trouxe sempre consigo o cartão de militante do PS no bolso. Mostrou-o, para que não restassem dúvidas, ao atentar contra a estabilidade política do nosso país.

Paulo Colaço disse...

Em Dezembro de 2004 fiz uma intervenção na Assembleia Municipal de Rio Maior em que disse isto (excerto):

««
Até agora as pessoas tinham uma imagem de pessoa sensata e equilibrada do Dr. Jorge Sampaio, gostassem ou não do político em si. Eu mesmo, que não votei nele, via-o como exemplo de rigor e sensatez. Defendi e ataquei algumas das suas posições, como aqui nesta Assembleia o demonstrei. Porém o respeito era sempre imenso.

Hoje, para mim e para muitos portugueses, essa imagem de rigor e equilíbrio encontra-se extraordinariamente ferida.

A mais alta figura de Estado não teve uma postura de Estado. Basta ver a sequência dos acontecimentos: num Domingo confirma ao Primeiro-Ministro que o receberá na Terça-feira para saber o nome do futuro Ministro; na Segunda-feira faz saber que não se encontra em cima da Mesa a dissolução do Parlamento; na Terça espanta tudo e todos com a informação de dar início ao processo de dissolução, na Quarta diz que todos devem estar serenos; na Quinta diz que se esqueceu de informar o Presidente da Assembleia da República, que é apenas a 2ª figura do Estado e na Sexta vem dizer que todos estão em funções e que é preciso aprovar o Orçamento proposto pelo Governo.

Para mim há muitas coisas claras nisto tudo, e a primeira é que o Dr. Jorge Sampaio invoca a instabilidade do Governo para esconder a sua própria instabilidade.

O Presidente fez um tempo de antena que eu só posso considerar muito triste. Nunca se viu um tempo de antena mais atabalhoado. O respeito que tenho pela figura presidencial não me impede de dizer que achei patético o seu discurso.

Deixou coisas no ar que depois não concretizava. Fez lembrar aqueles jogadores de futebol que simulam que vão passar a bola e depois não passam; em seguida simulam que vão rematar e não rematam.

E de simulação em simulação, o discurso presidencial foi uma dissimulação completa.

Eu não ouvi críticas sérias ao Governo nas “áreas chave”. Aliás, nem sequer ouvi críticas ao Parlamento, que foi o órgão dissolvido, curiosamente. Porquê dissolver o Parlamento se o seu problema era com o Primeiro-Ministro?

Agora todos nós percebemos o discurso de raiva, quase choro, de Ferro Rodrigues, há cinco meses. É que ele soube antes de todos nós quais os verdadeiros pensamentos de Jorge Sampaio. Para ele foi claro que o amigo Sampaio não achava que o amigo Ferro Rodrigues fosse eleitoralmente forte.

Os principais teóricos da matéria consideram que a consolidação do regime democrático em Portugal se deve a dois factores: extinção do Conselho da Revolução e a 1ª maioria absoluta do Prof. Cavaco Silva.

Para muitos portugueses, o Dr. Jorge Sampaio deu um passo atrás nesta consolidação democrática.
»»

Paulo Colaço disse...

Só mais duas notas:
- Chico, para demitir o Primeiro-Ministro, Sampaio mandou para casa uma excelente maioria parlamentar. Os GP do PSD e PP eram realmente duas tremendas formações.
- Tu sabes o que eu penso do Dr. Pedro Santana Lopes mas distingo o "PSL pessoa" do "PSL Primeiro-Ministro de um governo trabalhador, sério e empenhado".

Nem todos os membros do seu Governo são elogiáveis, mas o potencial dos outros teria colocado o nosso país numa posição bem melhor do que a actual.

Sampaio pensou apenas na sua raiva pessoal quando dissolveu a AR.

Paulo Colaço disse...

Por último, caro Riomaiorense, obrigado pelas suas visitas.
Espero que se torne um assíduo do Psicolaranja.

Consigo já somos 3 riomaiorenses neste espaço, contando com a Big Mamma.

Um dia ainda batemos o score da Secção B...

jfd disse...

Bruno, uma provocação: Como teriam sido os Governos do Prof Cavaco Silva caso não tivesse havido esse contrapoder activo do PR ? :)

Francisco Castelo Branco disse...

Paulo......

Eu não acho que a maioria CDS e PSD com Santana Lopes tenha funcionado bem!
Acredito que com outro lider, a AR não seria dissolvida.....


Mas aconteceu, porque Durão Barroso aceitou ser Presidente da Comissão Europeia do que continuar PM........
Vá se lá saber porque........

Bruno disse...

Jorge, acho que definitivamente teriam feito ainda mais e melhor! Não digo que o PR deva ser subserviente ao Governo e deixar passar tudo o que faz a maioria paramentar em funções. Mas deve haver uma coabitação pacífica, dentro dos possíveis.

Eu sou daqueles que não vê grande utilidade num PR com as actuais funções que o nosso regime consagra. Mas ainda lhe vejo menos utilidade se essas funções forem exercidas como Soares fez em todo o seu mandato e Sampaio na altura da dissolução.

Já agora, Chico, olha que os grupos parlamentares eram mesmo competentes e trabalhadores. Podes falar com mais pessoas e investigar o trabalho que foi feito. Da minha parte, tive um Distrito bem representado pelos Deputados do PSD! O meu actual Presidente de CPS, Pedro Roque, Luís Rodrigues, Bruno Vitorino, Pedro do Ó, Clara Carneiro e o teu “ídolo” Miguel Frasquilho dignificaram as funções que exerceram com grande empenho e sentido de responsabilidade.

Paulo Colaço disse...

Chico,
tu e eu pensamos o mesmo acerca de Santana Lopes, mas um PM não é apenas a pessoa que está dentro da roupa que veste.
Um PM deve ser sobretudo avaliado pelos diplomas de que o seu governo é responsável e trabalho que está/pretende desenvolver.

Neste campo, PSL não esteve pior que Barroso, mas foi pela sua personalidade que Sampaio o julgou.

E, tendo-o julgado pela parte menos importante de um governante, demitiu uma maioria e condenou todo um país.

Como diria Mário Soares, "é feio, não é bonito".

José Pedro Salgado disse...

Os defeitos já se disseram.

Espero que o lembrem também como o Presidente que quando deixou de o ser da República, foi-o de mesa de voto.

Um óptimo exemplo de dever cívico.

Paulo Colaço disse...

Deve ter sido o melhor mandato que cumpriu na vida...

Francisco Castelo Branco disse...

Concordo com o Zé Pedro

Tiago Sousa Dias disse...

Concordo com o Colaço :D

diogo agostinho disse...

200% com o Colaço!

Bruno disse...

Realmente, devemos curvar-nos perante a humildade/grandeza de Sampaio. Mas só depois de ele dizer o que é que fez aos 60€ da senha de presença ;)

Francisco Castelo Branco disse...

eis o que eu penso sobre Jorge Sampaio.

É um exclusivo para o vosso blogue...

Tem direitos de autor:


A Republica de Sampaio
Sinto me na obrigação de deixar
uma palavrinha a Jorge Sampaio. Ja se passaram quase dois anos sobre o fim do seu mandato em Belém mas gostava agora que tenho oportunidade de dizer uma breves palavrinhas. Jorge Sampaio sempre foi uma pessoa que me admirou. Pela sua personalidade, cultura,frieza,sentido de Estado e a forma como abordou os assuntos mais relevantes(em particular no caso em que foi envolvido no caso casa pia). Em minha opinião foi dos melhores Presidentes da Republica. Também nao me lembro muito de Soares devido á minha tenra idade. Seja como for, sempre me impressionou a compostura e a forma como Sampaio exerceu tão importante cargo. Sempre que Sampaio representava Portugal no estrangeiro havia sempre qualquer lição a retirar nessa viagem. Esteve sempre preocupado com os valores e os principios que deram origem a Portugal,ainda no tempo da Monarquia. Defendeu igualmente Portugal e "os portugueses". Nunca deixou de se preocupar com os seus conterrâneos. Nunca deixou que os interesses nacionais se sobrepusessem aos interesses de outros países. Penso que Sampaio foi um verdadeiro "patriota" à imagem de D.Afonso Henriques. Se houve pessoa que defendeu Portugal no mundo nos ultimos anos , essa personagem foi Jorge Sampaio. Para mim Jorge Sampaio foi sempre consensual. Procurou equilibrios e arranjar maneira de ambas as partes estarem satisfeitas. Militante do PS e ex-presidente da Câmara de Lisboa nunca privilegiou o Partido Socialista enquanto este teve no governo com António Guterres. Penso até que "andou" bastante em cima dele nos ultimos anos da sua governação. O caso mais "problemático" foi a destituição de Santana Lopes como Primeiro-Ministro. Em minha opinião , Sampaio agiu correctamente. Deu uma oportunidade á maioria PSD-CDS e esta não a aproveitou. Penso que o principal culpado é Durão Barroso. Nunca se larga um governo a meio de uma legislatura. Fosse qual fosse a razão. Voltando a Sampaio........ Deu as oportunidades todas a Santana Lopes e este não as aproveitou. Em minha opinião é injusto que se atribua a culpa ao Ex-Presidente da Republica. Tomou a decisão correcta. O país não podia continuar assim. Com serenidade e muita sapiência, Jorge Sampaio antes de tomar a decisão procurou um consenso no Conselho de Estado(orgão que eu acho devia ter mais poderes constitucionais). Outros casos mais mediáticos como o da casa pia e das escutas Sampaio esteve á altura. Não fez nenhuma perseguição política,não acusou ninguém em particular e apontou caminhos que solucionavam os problemas que atormentam a Justiça(noutro post, apontemos esses problemas). No caso das escutas que é paralelo a este, Jorge Sampaio esteve á altura. Na minha visão, Sampaio faz falta ao país. Depois de Salazar, Cavaco penso que Jorge Sampaio tem lugar no quadro dos grandes politicos portugueses. Um grande politico e um excelente Homem. Portugal perdeu muito com a sua saída(devido a entraves constitucionais que nao consigo aceitar.................). Deveria regressar á politica e candidatar-se a Primeiro-ministro. Por certo seria dos melhores e sem dúvida que arranjaria soluções para o país. É certo que isso não vai acontecer. O tempo de Sampaio na politica portuguesa já lá vai. Mas é por ser um grande Homem que Jorge Sampaio é hoje Embaixador da ONU na luta contra a tuberculose. Só um grande homem como ele poderia ocupar um cargo de tão elevada responsabilidade. Até mais importante que o de Presidente da Republica. No seu novo cargo estão em causa situações humanitárias. Sampaio poderia refugiar-se e deixar de ajudar os outros. Poderia de vez em quando aparecer como Ex-presidente da Republica. Mas não. Quis ajudar os outros e mostrar que ainda pode ser util á Humanidade. Deu o seu contributo para uma causa tão nobre. É assim Jorge Sampaio.....um homem de causas