sexta-feira, março 16, 2007

Museu ou Mausoléu?!


Santa Comba quer Museu Salazar.

Porquê?

Para colocar Santa Comba no mapa turístico: "Para o presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, João Lourenço, reavivar a memória do filho do feitor do Vimieiro poderá servir como "alavanca para o desenvolvimento turístico". Explica: "Não se pode apagar a história de Portugal e, por isso, queremos de uma forma séria, honesta e científica fazer o Centro de Estudos do Estado Novo e o Museu Salazar".

Há espólio?

"a autarquia procedeu à assinatura de documentação de doação de um terço dos bens imóveis da herança da família Salazar";

"Parte dos objectos pessoais do político do Estado Novo já está na posse da edilidade. Lá estão o estojo de barba, a mala de viagem e até a cama do Hospital da Cruz Vermelha em que faleceu a 27 de Julho de 1970. Condecorações, a sua colecção de selos, vários manuscritos, canetas e material de escritório, os binóculos, a máquina fotográfica são alguns dos objectos ainda encaixotados para mais tarde poderem figurar no museu. "

Como?

"São necessários quase cinco milhões de euros para pôr os dois projectos de pé."

Gostava de saber a posição dos psicóticos sobre este assunto.

20 comentários:

Paulo Colaço disse...

Eu concordo!
Basta de lavagens cerebrais às pessoas!
Basta de escamotear o mau passado, escovando a alma com a palha de aço do esquecimento hipócrita!

Ficámos zangados quando Moçambique passou a usar o inglês como língua oficial, não foi?
E se amanhã fosse o Brasil a falar inglês?
Ou Angola a apagar a época colonial dos livros de História?

Não há que tem medo do passado!
O prof. de Santa Comba lixou Portugal durante décadas, mas existiu! Que se faça o tal Museu e o Centro de Estudos!

Ao Museu não quero ir, mas sou bem capaz de comprar as obras que sairem do Centro de Estudos: conhecer a fundo o passado é uma forma de nao repetirmos erros hediondos...

xana disse...

Talvez possamos fazer uma analogia com uma exposição sobre o 25 de Abril que visitei há uns anos atrás. Lembro-me bem de sair de lá como se Portugal fosse fantástico, um país a chegar à perfeição só porque os malvados do Estado Novo haviam sido afastados pelos bravos de Abril.
E o objectivo eram mesmo esse. Fzaer com que os miudos saissem de lá a pensar em liberdade como algo plenamente adquirido (que nunca o é).
É engraçado ver uma exposição montada para ser aquele resultado e não outro. Mas se nós não vivemos o 25 de Abril, os nossos pais viveram. E o relato real deles vale muito mais do que mil exposições. Afinal Salazar e o resto dos malvados não foram assim tão malvados. Aconteceu, é assim, muitas nações passam por estes períodos. Mas os "bravos" de Abril também não são assim tão bravos, e talvez sejam os grandes responsáveis, alguns, pelo país que temos hoje.
Faça-se o Museu e o centro de Estudos. Gastem o meu dinheiro nisso e não na Ota.

Big Mamma disse...

Acho bem que todas as épocas históricas tenham o seu espaço de estudo e uma vitrine.
Até porque nunca se sabe quando voltaremos a vivê-las...

Paulo Colaço disse...

Apenas para vos dar esta nota: de dia 7 (12h) para cá, dia 16 (10h), estamos a 2 comentários de atingir os 100, ou seja, uma média de 11 comentários por dia.

Bruno disse...

Se eu visse este tema de forma apaixonada, como provavelmente farão aqueles que se opõem à criação do Museu, diria que “é uma vergonha criarem um Museu para glorificar um ditador!”. O problema é que, olhando para as coisas de uma forma desapaixonada, normalmente, vemo-las com mais clareza. Não tem é tanta piada!

Assim, comentário desapaixonado: a História de Portugal é feita de bons e maus momentos. Como diz o Colaço, não devemos apagar os maus porque também existiram. Principalmente quando a classificação de “maus” é discutível, sendo que não é discutível que a ditadura é sempre má, mas o Estado Novo também teve coisas positivas e bons governantes.

Comentário menos desapaixonado: o que diriam os portugueses se fosse feito (se é que não existe já) um museu em memória de Álvaro Cunhal? É que – desculpem a frontalidade – mas este não era menos ditador que Salazar. Aliás, quem duvida que Portugal teria saltado de uma ditadura para outra se tivessem deixado o Camarada Álvaro fazer o seu trabalhinho no pós-25 de Abril?

Paulo Colaço disse...

Vim dizer tres coisas:
- elogiar este post da Marta (realmente temos aqui uma maltinha que sabe lançar discussões do melhor que há)
- subscrever o dito do Bruno (realmente, já o disse em Assembleia Municipal, o PCP não quis acabar com a ditadura, quis substituir a ditadura do Estado Novo pela ditadura comunista)
- já estamos com 101 comentários em 9 dias (realmente isto tá com uma pujança demoníaca)

Isabel Ferreira disse...

Paulo Colaço,
Só pensa nas estatísticas!

Isabel Ferreira disse...

Em relação ao museu façam-no! E, espero que tenha muitos visitantes para que os mais jovens tenham conhecimento desse período da história de Portugal! Não acho que seja negativo fazer um museu em Santa Comba e que um dos objectivos seja chamar o people a visitar aquela zona. Acho a ideia boa! Se as pessoas forem ver o museu e passem lá uns dias é bom p o turismo local. Temos que dinamizar o interior. E, essas pessoas que foram a p Santa Comba gritar que são anti-facistas...não devem ter espelhos em casa, porque são uns grandes fascistas. Não querem que os outros expressem a sua opinião por um momento da história da nação.

Paulo Colaço disse...

Cara Isabel, eu tambem penso em coisas diversas das estatísticas, mas abstenho-me de as divulgar: é que há menores a frequentar este blog!

adriana disse...

Partilho da opiniao que o Museu deve ser feito.É uma época da nossa historia que também tem direito a ser lembrada de forma a permitir as gerações futuras conhecer aquele periodo e a não repetir o erro.

goreti_martins disse...

Estou com a Adriana, só porque foi um período mesmo bom (ainda assim discutível) da nossa história não quer dizer que seja obrigatório remete-lo ao esquecimento e esconder. Devemos assumir tal período e aprender para de futuro não cometer os mesmos erros. Há que aprender e reaprender com a nossa história.

Paulo Colaço disse...

Goreti, "foi um período mesmo bom" ou "menos bom"...?

Tânia Martins disse...

Apesar de tudo, faz de facto parte da nossa história e não faz sentido não ser relembrado. Penso que é um bom investimento!

Paulo Colaço disse...

Já demos quase todos a nossa opinião, mas a autora do post é que ainda não... ehehe

Marta disse...

História é História, independentemente de gostarmos dela ou não. E mais, colocar Santa Comba no roteiro turístico português é valor acrescentado para a população daquela localidade e isso traduzir-se-á em crescimento. Por isso, também concordo.

goreti_martins disse...

Colaço, foi mesmo erro meu. Considero ser um período menos bom da nossa história. Calinada!

Lisete disse...

Tenho estranhado muito as manifestações contra esta ideia. Em todo o mundo existem memórias, espaços e simbolos que recordam espisódios maus do passado...provavelmente são aqueles que maior curiosidade nos suscitam. Porque não aproveitar um nosso ponto fraco do passado em uma oportunidade para o futuro?

Isabel Ferreira disse...

Colaço,
Estava a brincar consigo. Claro, que reflecte sobre outras coisas, mas anda sempre c as estatísticas!!! farta-me! lol
Em relação as coisas diversas das estatísticas(...) pode falar delas pk as menores que frequentam este blog são apenas menores no BI. São umas meninas bem adultas, exemplo disso são os belos post´s que tem postado neste blog.

ritacipriano disse...

Concordo com a construção do Museu. O Estado Novo faz parte da nossa história e não a podemos apagar, mesmo q se queira! O passado nunca se consegue apagar, nunca se consegue destruir!Para que os mais novos saibam um pouco mais desse período da História de Portugal.
O forte de Peniche está transformado em Museu numa das partes está a prisão política e vai lá mta gente visitá-lo!
Se o Museu para além de explicar esse momento da nossa História ainda levar turistas a Santa Comba Dão melhor!

Paulo Colaço disse...

Cara(o) Isabel, parece bem informada acerca das menores deste blog... sobretudo quando nem todas elas revelam a sua idade no perfil... ;)