quarta-feira, março 07, 2007

A Montanhã pariu um rato…




“Fica tudo na mesma, só se muda a nomenclatura. É apenas uma questão politica”
Quem proferiu estas esclarecedoras afirmações foi o dirigente sindical, Nobre dos Santos, a propósito do documento do governo sobre o sistema de vínculos na função pública.
Pois é, o senhor ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, veio ontem confirmar o que já era de esperar, mais um recuo monumental deste governo. A reforma da Administração Pública, apregoada como a reforma das reformas de tão ambiciosa, deixa afinal tudo na mesma.
É pena, pois assim se perde mais uma vez a oportunidade de levar a cabo uma reforma muito necessária para o país apenas por falta de coragem política par ir ao fundo das questões.

O tipo de atitude a que este governo nos tem habituado, mais do que uma fraude politica é acima de tudo um insulto à nossa inteligência.
Sob uma capa reformista, propagandeiam-se até à exaustão as reformas que se pretendem levar a cabo, tidas como essenciais pela maioria dos cidadãos, passando para a opinião pública a ideia de que muito se vai fazer e mudar e, posteriormente, com completo despudor, apresentam-se afinal pequenas operações de cosmética que no essencial deixam ficar tudo como estava.

Sou daquelas que continuam a entender que este comportamento terá, a prazo, um custo elevado pois o povo português não dorme… Só é preciso saber esperar e que cada um de nós denuncie sem medo as trapaças diárias do governo fazendo delas o maior eco possível já que a comunicação social continua” in love” com Sócrates e os seus ajudantes.
São tantos os ratos que a montanha tem parido que no final isto só pode acabar com uma monumental desratização…

2 comentários:

Bruno disse...

Ainda não conheço os contornos desta medida do Governo (estou à espera que o Mendonça me faculte uma edição impressa do "Jornal de Negócios" porque na versãoon-line n
ão vem) mas não me surpreende que se confirme a opinião da Z.

Modéstias à parte, o PSD é o único partido que esteve no Governo de Portugal e que se pode orgulhar de ser efectivamente reformista. São vários os exemplos disso e mais seriam se o "terrorista" Jorge Sampaio não tivesse atentado contra uma maioria democraticamente eleita há uns tempos atrás. E provavelmente se antes dele, Mário "Bin" Soares não tivesse travado Cavaco com todos os meios ao seu dispor.

Mas como diz a Z, no final as contas serão feitas e aí esperemos que o povo possa avaliar em consciência.

Isabel Ferreira disse...

"a comunicação social continua” in love” com Sócrates e os seus ajudantes" e uma parte considerável da população portuguesa também!(uma parte do povo)O povo português a maior parte do tempo está a dormir. Talvez o povo comece abrir a pestana lol ...as tantas manifestações pelo país , sobretudo no Norte, sejam refleço disso!? Talvez se começe a caminhar...a acabar com as imposições do governo de José Socrátes... Vem aí Abril!

Isabel_Ferreira