terça-feira, setembro 26, 2006

Preservar: sim ou não?


De acordo com o Diario de Noticias, os jovens turistas cada vez mais preferem fast food! Citando o jornal: "Em zonas como o Rossio, a Baixa ou o Terreiro do Paço, os hambúrgueres, as baguetes e as pizzas tomam conta dos almoços e jantares de grande parte dos turistas que visitam a capital. Comida típica portuguesa só no prato dos vistantes mais experientes e com maior poder de compra."
Perante tal noticia so me resta pensar que nos estamos a tornar no paraiso do fast food.Onde esta o nosso orgulho em preservar as nossas tradiçoes ?
É de lamentar que o povo portugues so saiba defender a cor da bandeira durante os campeonatos de futebol e não defenda sempre as suas tradiçoes culturais ou gastronómicas. Contudo tambem é de lamentar que por parte das entidades competentes nem sempre haja os incentivos necessarios.
Bem com tanto fast food pouco falta para nos tornarmos uma colonia gastronomica americana!Qualquer dia ate pensam que os nossos pratos típicos sao: o hamburguer ou a baguete de atum....

9 comentários:

Marta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Marta disse...

Ou ainda o shop suey de gambas e o arroz xau-xau. (Lembrando o teu último post!)
O que nos vale, são as sardinhadas por altura dos santos populares!

Paulo Colaço disse...

Dri, lembras bem o nosso patriotismo de trazer por casa.
o patriotismo que nos faz vibrar com selecção mas deitar a beata para o chão à saída do estádio.

acho mesmo que há malta que pensa que aquela musiquinha que se canta no início dos jogos, que alguns chamam "A Portuguesa", é uma cena inventada pela Federação para servir de hino à selecção.

E queres tu dieta mediterrânica? A única dieta mediterrânica é a dos pescadores, obrigados às restrições das quotas piscatórias...

Rita de Matos Oliveira disse...

Se não se pagassem pelo menos 10€ para comer uma refeição tipicamente portuguesa provavelmente haveria menos turistas rendidos ao fast food. Quando vou ao estrangeiro, também opto pelos hamburgueres fazendo apenas uma ou duas refeições "típicas"...

Pelos vistos a crise não é só cá!

xana disse...

É como ir a uma casa de fados. Eu também gostava! E também gostava de ter estado em Paris e de não ter passado a semana a ir ao MCDonald's, Quick, etc. Não é só falta de patriotismo, também é falta de senso de quem se quer aproveitar dos turistas para fazer masi dinheiro. Se fosse mais acessível, não só os turistas mas também os portugueses frequentariam e consumiriam muito mais.

Bruno disse...

Concordo que um dos problemas é o preço mas não sei se são os comerciantes que abusam. Reparem que uma das vantagens dos restaurantes de fast-food é exctamente os preços acessíveis e cada produto tem o seu público-alvo. E acho que tem mesmo a ver com isto: nós, Portugal, somos um produto turístico dirigido exactamente a quem? A própria notícia fala em "visitantes mais experientes e com maior poder de compra".

Posso assim dizer que, em relação ao post da Dri, concordo com a ideia geral de que o nosso patrotismo deixa muito a desejar mas não tanto com a ideia de que o sucesso das cadeias de fast-food junto dos turistas seja consequência disso.

José Pedro Salgado disse...

Apesar de me custar profundamente (embora dificilmente me surpreenda) que prefiram fast food a comida portuguesa, por um lado acho que kharmicamente falando podemos dizer que está td bem no mundo.

Afinal, as pessoas que prefiram MacDonalds ou Pans & Company e afins a um belo dum bacalhau à Brás (por exemplo) merecem a trampa k comem.

Se isto não é justiça divina...

Paulo Colaço disse...

eheheheh!

precisamente!

Escreveu Deus torto...

Nuno Gonçalo Poças disse...

Desde que se acabem com os proxenetas, com os pombos, com as "meninas" do Cais do Sodré, com os travestis do Conde Redondo e com casas de Fado (já agora com os fadistas também, s. f. f.) até comia Bacalhau com couves um ano inteiro.