sábado, setembro 23, 2006

China vs Investimento




Enquanto percorria a revista de imprensa deste nosso Portugal deparei-me com a seguinte noticia: "Em declarações aos jornalistas no final de um encontro que manteve com o chefe do Executivo de Macau, Edmund Ho, o ministro Mário Lino defendeu que o investimento chinês em Portugal é reduzido"

Sera que o nosso ministro so faz o percurso de casa para o ministerio e vice versa? So assim se justifica que diga que o investimento chinês em Portugal é reduzido mesmo com o número de estabelecimentos comerciais e de investimento empresarial chines por este pais fora.

Bem 再见 (adeus) é melhor começar a falar em chines porque depois de tanto investimento não se vai ouvir outra lingua :P

Adriana

p.s- se ja se quiserem ir habituando ouçam a radio onda viva (96.1 FM) entre as 14h 1 as 15h

6 comentários:

Paulo Colaço disse...

Dri, diz-me:
que há de especial nessa rádio a esse horário?
Um programa falado em chinês?

adriana disse...

É uma radio de Vila do Conde que durante uma hora passa musica chinesa e ensina aos chineses costumes e a lingua portuguesa.

Paulo Colaço disse...

parece-me bem!
Um dos problemas dos países receptores de imigração é a exclusão social de quem recebemos. Urge integrar as pessoas.

É tudo falado em chines, ou a coisa é biling?

adriana disse...

Tem partes so em chines e tem alturas em que é bilingue. Para alem de ouvires via radio podes ouvir no site da radio onda viva no mesmo horario.

Marta disse...

Na zona industrial de Mindelo, em Vila do Conde há armazéns chineses a perder de vista. Armazéns esses que fornecem lojas chinesas na área do grande porto. Não haverá uma cidade deste país, que não tenha 1loja chinesa, ou 1restaurante chinês (pelo menos até há bem pouco tempo!).
Em felgueiras há 3lojas destas e o que seria de mim no natal, se não existissem? É que nunca esgotam o stock de neve artificial!
Tenho um buda na mesinha de cabeceira, virado de costas para a porta, como ensinam os manuais de Feng Shui e aprendi a fazer origamis, a cozinhar no Wok e a comer com pauzinhos. No ano novo compro sapatinhos vermelhos e dourados e penduro na porta e o meu signo chinês é o galo. Na minha faculdade (onde não há licenciaturas em letras) foi leccionado um curso de língua e cultura chinesa no ano passado, que em poucos dias atingiu o limite de inscrições.

Não podia estar mais de acordo contigo Adriana, o investimento chinês em Portugal é massivo.

E o mais interessante foi a forma como o nosso país não apenas acolheu uma cultura tão diferente, como aderiu a ela, de forma igualmente massiva.

vasco neves disse...

O investimento chinês deve ser encarado como qualquer outro investimento estrangeiro! Actualmente em Portugal, existe um enorme e alarmante défice de investimento estrangeiro. Estando o tecido empresarial português tão inclinado para realizar os seus investimentos em mercados imergentes, Brasil, Africa e etc…, creio ser um pouco despropositado criticar o investimento chinês em Portugal, pois não sei muito bem quem será responsável por esse investimento em Portugal no futuro.

Afinal estamos a falar de um pais que no fim da próxima década será a segunda maior economia mundial e terá cerca de 1 terço da população mundial.

Não creio vir a ser muito provável e possível que o investimento chinês em Portugal signifique o mesmo dumping social existente na China.

O único receio que tenho relativamente ao investimento chinês é a ambição insaciável de aquisição de know-how, tecnológico, financeiro e etc…, pela economia chinesa… simplesmente tem que se tentar ao máximo evitar o já conhecido procedimento, por parte da GM, de espremer a laranja e depois apostar na deslocalização.

Negligenciar a potencialidade da economia chinesa, independentemente das motivações, é ignorar o futuro e tudas as oportunidades de crescimento económico e comercial das próximas duas décadas. Não vamos seguir o tão típico comportamento lusitano, fechando e ignorando as oportunidades que surgem.

Não é por nada que a IBM vendeu o negócio do hardware a uma empresa chinesa. Será que eles também tem receio dos armazéns, dos restaurantes e das lojas chinesas????