domingo, novembro 26, 2006

Ajustes


O contributo do actual presidente da República, Professor Cavaco Silva para a queda do Governo do Dr. Santana Lopes terá sido o artigo publicado no Expresso "A boa e a má moeda".

Vêm aliás mencionadas as devidas consequências do dito artigo, na recente auto-biografia, um pouco ressabiada (lembrando a de Manuel Maria Carrilho), do Dr. Santana Lopes.

A questão que se coloca agora é se a verdadeira motivação para publicar "Percepções e Realidade" é apenas repôr a verdade (como alega), ou fazer a análise em números, daqueles que ainda são a sua gente e dar algum alento às tropas, pelo tempo que esteve e há-de estar em estado de hibernação política, bem como ajustar contas na devida altura.

Resumindo: Cavaco Silva escreve um artigo que prejudica a governação de Santana Lopes. E agora Santana Lopes escreve um livro. O que será que vem a seguir?

8 comentários:

Nuno da Costa Ferro disse...

A seguir os santanistas acordam, com o livro do Pedro na mesa de cabeceira e o PPD/PSD a continuar a descer nas sondagens.

O maior inimigo do PSD é o próprio PSD e enquanto não acabarem estas guerras internas o PS vai continuar lá em cima.

Anónimo disse...

nao sei o que vem a seguir, mas seja o que vier, espero que o Santana esteja presente: numa corte onde todos pensam que sao reis, faz falta alguem que ninguem duvida que seja o bobo!

Anónimo disse...

Ainda nao li o livro, mas irei lê-lo!!Espero!!!Bobo ou não , diz o que tem a dizer . Mais vale dizer o que se tem a dizer do que ser cinico e hipocrata.

Maria

Anónimo disse...

Concordo com o Nuno Ferro quando diz "O maior inimigo do PSD é o próprio PSD e enquanto não acabarem estas guerras internas"; Para que servem estas guerras internas?se o SR. Santana Lopes estava errado como primeiro ministro , o dever dos outros companheiros do partido era chamá-lo atenção e ajudá-lo a ser um excelente e respeitado primeiro ministro... agora "atirarem-lhe pedras"... Tenho a certeza que se ele estivesse no governo as manifetações e a revolta do povo não seria tão grande !!!

Anónimo disse...

Concordo com o Nuno Ferro quando diz "O maior inimigo do PSD é o próprio PSD e enquanto não acabarem estas guerras internas"; Para que servem estas guerras internas?se o SR. Santana Lopes estava errado como primeiro ministro , o dever dos outros companheiros do partido era chamá-lo atenção e ajudá-lo a ser um excelente e respeitado primeiro ministro... agora "atirarem-lhe pedras"... Tenho a certeza que se ele estivesse no governo as manifetações e a revolta do povo não seria tão grande !!!

Maria

Bruno disse...

Não sei o que virá a seguir mas espero que na ânsia de criticar Santana não branqueemos tudo o que alguns companheiros de partido lhe fizeram, tirando-lhe o tapete quando assumiu o Governo.

Como diz o Ferro, esta mania que temos de discordar uns dos outros mesmo que sejam nossos companheiros é uma grande chatice.

Como diz Alberto João Jardim, só existe um partido em Portugal onde as pessoas pensam pela própria cabeça: o PSD.

O problema é que nem sempre isso é bem aceite pelo eleitorado. Será a culpa do partido ou do eleitorado?

Nuno da Costa Ferro disse...

Oh Bruno, o problema é que quando pensamos pela nossa cabeça arriscamo-nos a que depois venham pedir-nos a cabeça...

Bruno disse...

Pois é caro Ferro! Agora só temos que decidir se arriscamos o nosso pescoço ou se preferimos conseguir continuar a utilizá-lo para virar a cara...